Lista de tribos celtas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Anexo:Lista de tribos celtas)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde junho de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
máxima da expansão céltica, em torno do século III a.C.
  Área da Lusitânia da Ibéria, onde a presença céltica é incerta

Esta é uma lista das tribos Celtas, organizadas por província ou por região em que eles viveram.

Gália[editar | editar código-fonte]

Gália Cisalpina[editar | editar código-fonte]

Povos da Gália Cisalpina em 391-192 a.C.

Gália Cisalpina (em latim:Gallia Cisalpina), que significa "Gália aquém dos Alpes", foi uma denominação romana para uma região da Itália habitada pelos gauleses, correspondendo atualmente ao norte da Itália.

Gália Transalpina[editar | editar código-fonte]

Mapa da Gália (58 a.C.) com importantes tribos, cidades, rios, etc.
Os vários povos gauleses antes da conquista romana

Gália Transalpina corresponde aos atuais territórios da Bélgica, França e Suíça. Em algum momentos, a província cobria parte do norte da Itália e Centro-Norte da Espanha. A província romana da Gália incluía tanto povos de língua Celtas como não Celtas.

Abaixo, a lista dos povos da Gália com as suas capitais/principais assentamentos da época:

Península Ibérica[editar | editar código-fonte]

Principais áreas linguísticas da Ibéria (300 a.C.)
Ver artigo principal: Povos ibéricos pré-romanos

Os Celtas na Península Ibérica eram tradicionalmente considerados como vivendo no limite do mundo Celta, dentro da Cultura de La Tène que definiu a Idade do Ferro Celta. Imigrações iniciais estão associadas a Cultura de Hallstatt e, posteriormente, ocorre a influência de La Tène com a chegada de novos povos. Culturas e populações Celtas ou Indo-Europeus Pré-Celtas existiram em grande número e a Ibéria foi o palco de um dos maiores assentamentos celtas de toda Europa.[3]

Grã-Bretanha[editar | editar código-fonte]

Norte da Bretanha em torno de 150
Sul da Bretanha em torno de 150
País de Gales em torno de 40

Irlanda[editar | editar código-fonte]

Tribos celtas da Irlanda segundo Ptolomeu

Fontes Clássicas[editar | editar código-fonte]

Ptolomeu[editar | editar código-fonte]

Orósio[editar | editar código-fonte]

Fontes de outros autores[editar | editar código-fonte]

Antigos povos e reinos da Irlanda, ca. 800

A lista inclui os principais clãs e septs.

Os maiores grupos tribais (ou especula-se que são grupos tribais) dos quais as maiorias das outras tribos descendem são:

Europa Central[editar | editar código-fonte]

Mapa das populações da Panónia.

Os locais citados se referem à áreas modernas dos respectivos países

Dácia e Trácia[editar | editar código-fonte]

Tribos da Trácia antes do período romano.

A lista inclui partes de outras tribos que migraram para a região

Ilíria[editar | editar código-fonte]

Tribos na Ilíria e arredores durante o ano 6, mostrando a extensa influência céltica

Essa lista inclui parte das tribos que migraram para a Ilíria:

Anatólia[editar | editar código-fonte]

No século III a.C., Gauleses imigraram da Trácia para as terras altas centrais da Anatólia (moderna Turquia). Esse povo, chamado gálata, acabaram helenizados,[26][27] mas retiveram muitas de suas tradições.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. John T. Koch (2006). Celtic culture: a historical encyclopedia (em inglês). Santa Barbara, Califórnia: ABC-CLIO. pp. 198–200. ISBN 1-85109-440-7 
  2. a b John T. Koch (2006). Celtic culture: a historical encyclopedia (em inglês). Santa Barbara, Califórnia: ABC-CLIO. pp. 224–225. ISBN 1-85109-440-7 
  3. Alberro, Manuel and Arnold, Bettina (eds.), e-Keltoi: Journal of Interdisciplinary Celtic Studies, Volume 6: The Celts in the Iberian Peninsula, University of Wisconsin - Milwaukee, Center for Celtic Studies, 2005.
  4. a b Andrea Faber, Körpergräber des 1.-3. Jahrhunderts in der römischen Welt: internationales Kolloquium, Frankfurt am Main, 19.-20. November 2004, ISBN 3882705019, p. 144.
  5. John Boardman, I. E. S. Edwards, E. Sollberger, and N. G. L. Hammond, The Cambridge Ancient History, Vol. 3, Part 2: The Assyrian and Babylonian Empires and Other States of the Near East, from the Eighth to the Sixth Centuries BC, ISBN 0521227178, 1992, p. 600: "No lugar dos desaparecidos Treres e Tilataei, nós encontramos os Serdi para o qual não há nenhuma evidência anterior ao século I a.C. Tem sido suposto por muito tempo nas esferas da arqueologia e linguística que essa tribo tem origem Celta."
  6. Dião Cássio, Earnest Cary, and Herbert B. Foster, Dio Cassius: Roman History, Vol. IX, Books 71-80 (Loeb Classical Library, No. 177), 1927, Index: "... 9, 337, 353 Seras, philosopher, condemned to death, 8. 361 Serdi, Thracian tribe defeated by M. Crassus, 6. 73 Seretium,""
  7. a b J. J. Wilkes, The Illyrians, 1992, ISBN 0631198075, p. 140
  8. Frank W. Walbank, Polybius, Rome and the Hellenistic World: Essays and Reflections, ISBN 0521812089, 2002, p. 116
  9. Adrian Goldsworthy, How Rome Fell: Death of a Superpower, ISBN 0300137192, 2009, p. 105: "... que se moveu para as Planícies Hungaras. Outra tribo, o Bastarnae, pode ou não ser Germanica. ..."
  10. Christopher Webber and Angus McBride, The Thracians 700 BC-AD 46 (Men-at-Arms), ISBN 1841763292, 2001, p. 12: "... nunca chegue perto do corpo principal da infantaria romana. Os Bastarnae (sendo Celtas ou Germanicos, é a 'nação mais corajosa da Terra' - Livy ..."
  11. a b Ioana A. Oltean, Dacia: Landscape, Colonization and Romanization, ISBN 0415412528, 2007, p. 47.
  12. a b Ion Grumeza, Dacia: Land of Transylvania, Cornerstone of Ancient Eastern Europe, ISBN 0761844651, 2009, p. 51: "Em um curto período de tempo os Dácios impuseram suas condições aos Anératos, Boios, Araviscos, Pânonos, Escordiscos,"
  13. A. Mocsy and S. Frere, Pannonia and Upper Moesia. A History of the Middle Danube Provinces of the Roman Empire. p. 14.
  14. Velika Dautova-Ruševljan and Miroslav Vujović, Rimska vojska u Sremu, 2006, p. 131: "estendia até onde Roma continuou no território de uma outra comunidade com o nome da tribo celta de Cornacates"
  15. Géza Alföldy, Noricum, Tome 3 of History of the Provinces of the Roman Empire, 1974, p. 69.
  16. Alan Bowman, Edward Champlin, and Andrew Lintott, The Cambridge Ancient History, Vol. 10: The Augustan Empire, 43 BC-AD 69, 1996, p. 580: "... 580 I3h. Províncias Danúbias e Balcânicas: Tricornenses de Tricornium (Ritopek) reocupou o Celegeri, o Picensii de Pincum ..."
  17. Dubravka Balen-Letunič, 40 godina arheoloških istraživanja u sjeverozapadnoj Hrvatskoj, 1986, p. 52: "and the Celtic Serretes"
  18. John T. Koch, Celtic culture: a historical encyclopedia, ISBN 1851094407, 2006, p. 907.
  19. a b J. J. Wilkes, The Illyrians, 1992, ISBN 0631198075, p. 81: "Na Panonia Romana os Latobici e Varciani que habitavam o leste de Venetic Catari no alto Vale Sava eram celtas, mas os Colapiani de ..."
  20. Wilkes, J. J. The Illyrians, 1992,ISBN 0631198075,page 217,"... com montanhas altas, Siculotas (24), Glintidiões (44) e Escírtaros, que habitam ao longo da fronteira com a Macedônia. No nordeste da Bósnia os Díndaros são localizados pelo registro de um de seus chefes (príncipes) no vale Drina"
  21. Population and economy of the eastern part of the Roman province of Dalmatia, 2002, ISBN 1841714402, p. 24: "os Díndaros são um segmento dos Escordiscos"
  22. J. J. Wilkes, The Illyrians, 1992, ISBN 0631198075, p. 217.
  23. J. J. Wilkes, Dalmatia, Tome 2 of History of the Provinces of the Roman Empire, 1969, pp. 154 and 482.
  24. Charles Anthon, A Classical Dictionary: Containing The Principal Proper Names Mentioned In Ancient Authors, Part One, 2005, p. 539
  25. J. J. Wilkes, The Illyrians, 1992, ISBN 0631198075, p. 79
  26. William M. Ramsay, Historical Commentary on Galatians, 1997, p. 302: "... esses celtas adaptados foram logo helenizados.
  27. Roger D. Woodard, The Ancient Languages of Asia Minor, 2008, p. 72: "... A elite Frígia (assim como os Galaticos) foram rapidamente helenizados linguisticamente; a língua frígia era desvalorizada e encontraram refúgio só ..."
  28. a b c d e f g h i j Prifysgol Cymru, University of Wales, A Detailed Map of Celtic Settlements in Galatia, Celtic Names and La Tène Material in Anatolia, the Eastern Balkans, and the Pontic Steppes.