Expedição 19

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Expedição 19
Insígnia da missão
Estatísticas da missão
Espaçonave Soyuz TMA-14
STS-119
Número de tripulantes 3
Início 8 de abril de 2008
02:55 UTC
Término 8 de abril de 2009
02:55 UTC
Imagem da tripulação
Da esquerda para direita: Barratt, Padalka e Wakata
Da esquerda para direita:
Barratt, Padalka e Wakata
Navegação
ISS Expedition 18 patch.svg Expedição 18
Expedição 20 ISS Expedition 20 Patch.svg

Expedição 19 foi a décima-nona missão tripulada humana à Estação Espacial Internacional. Realizada entre 8 de abril e 29 de maio de 2009, contou com a participação de um russo, um norte-americano e um japonês. Esta foi a última expedição com apenas três integrantes e teve a duração de menos de dois meses; com a chegada da Soyuz TMA-15 em 29 de maio, trazendo mais três astronautas, os seis se tornaram a Expedição 20.

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Insígnia[editar | editar código-fonte]

A insígnia da missão enfatiza a Terra, um dos maiores focos de atenção e estudo desde o posto avançado em órbita. O desenho é estilizado para realçar a beleza do planeta e da estação em órbita, próxima ao Sol, agora a inquestionável "estrela mais brilhante no céu", como visto da Terra.[1]

Missão[editar | editar código-fonte]

A expedição realizou 98 experiências científicas na área de pesquisa humana, desenvolvimento e observação da Terra, além de atividades educacionais, ciências físicas e biológicas. A Rússia realizou suas pesquisas separadamente.[2] Em 20 de abril de 2009, uma determinação causou mal estar a bordo. O comandante russo Padalka reclamou com os controles da missão sobre as novas orientações, que proibia os cosmonautas de o usar o banheiro e os aparelhos de ginástica da parte norte-americana da estação e que havia sido orientado a comer apenas a ração de alimentos fornecida pela Agência Espacial Russa. Padalka queixou-se de que tais procedimentos influenciavam negativamente na moral de toda tripulação. O fato, que não ocorria anteriormente com todos dividindo e usando tudo, passou a existir à medida que as viagens tornaram-se mais "comerciais". O que ocorreu é que os russos passaram a cobrar dos norte-americanos por transportá-los ao espaço nas Soyuz e a NASA retaliou proibindo os russos de usarem o material de uso pessoal mais moderno a bordo, de fabricação norte-americana.[3]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «patch NASA». NASA Flickr. Consultado em 4 de março de 2016. 
  2. «International Space Station: Expedition 19/20 Science Overview» (PDF). NASA. Consultado em 4 de março de 2016. 
  3. «'Toilet row' lowers space morale». BBC News. Consultado em 4 de março de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]