Expedição 17

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Expedição 17
Insígnia da missão
Estatísticas da missão
Espaçonave Soyuz TMA-12
STS-123
STS-124
Número de tripulantes 3
Início 19 de abril de 2008
05:06 UTC
Término 24 de outubro de 2008
00:16 UTC
Imagem da tripulação
Da esquerda para direita: Chamitoff, Reisman, Volkov e Kononenko
Da esquerda para direita:
Chamitoff, Reisman, Volkov e Kononenko
Navegação
Último
ISS Expedition 16 patch.png Expedição 16
Expedição 18 ISS Expedition 18 patch.png
Próximo

Expedição 17 foi uma expedição humana de longa duração na Estação Espacial Internacional, realizada entre 19 de abril e 24 de outubro de 2008. Dois dos membros, os cosmonautas Sergei Volkov, comandante da expedição, e Oleg Kononenko, foram lançados em 8 de abril, a bordo da espaçonave Soyuz TMA-12 e juntaram-se ao astronauta Garrett Reisman, que já se encontrava na estação e foi transferido da tripulação da expedição anterior. Com o lançamento do ônibus espacial Discovery em 31 de maio, na missão STS-124, Reisman foi substituído por Gregory Chamitoff. Aos 35 anos, o russo Volkov, em sua primeira viagem espacial, foi o mais novo comandante da ISS.[1]

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Primeira parte (abril de 2008 a junho de 2008)[editar | editar código-fonte]

Segunda parte (junho de 2008 a outubro de 2008)[editar | editar código-fonte]

Insígnia[editar | editar código-fonte]

A insígnia foi criada para celebrar os atuais conhecimentos humanos do espaço assim como para simbolizar o potencial de futuras expedições espaciais. A Terra, representada na parte inferior, é a base da qual todas as atividades espaciais se iniciaram. A ISS, mostrada em órbita pouco acima dela, ilustra o nível atual das operações espaciais. A seta e a estrela apontam para cima e para fora, através da imensidão do universo, indicando a direção das futuras operações para os humanos construírem sobre o que já foi realizado. As bandeiras, que simbolizam os países dos tripulantes, se tocam, destacando a natureza cooperativa do programa espacial e simbolizando a fusão da ciência e do conhecimento destas duas nações na exploração do espaço.[2]

Missão[editar | editar código-fonte]

Entre dezenas de experiências feitas por esta missão, destacam-se as no campo da ciência da vida, ergometria, de observação da Terra e demonstrações de tecnologia de ponta. Muitas delas foram criadas para reunir informações sobre os efeitos no corpo humano da permanência por longa duração no espaço, que ajudará a planejar as futuras missões para a Lua e para Marte; alguns deles foram desenvolvidos para operar autonomamente no espaço e outros por controle remoto desde o Marshall Space Flight Center (MSFC) da NASA, no Alabama.[2]

Esta missão também viu a instalação do módulo científico japonês Kibo, levado pela STS-124 Discovery, num processo que levou três missões do ônibus espacial para completar o transporte do módulo inteiro, e recebeu a visita de três naves não-tripuladas Progress, que transportaram para a ISS equipamentos, combustível, água e comida.[2]

Caminhadas espaciais[editar | editar código-fonte]

EVA # Astronautas Início (UTC) Fim (UTC) Duração
EVA 1
Sergei Volkov
Oleg Kononenko
10 de julho de 2008
00:51
10 de julho de 2008
06:29
6 horas, 18 minutos
Os cosmonautas inspecionaram a Soyuz TMA-12, já que no ultimo pouso da Soyuz TMA-11, um mal funcionamento da nave provocou anomalias na trajetória de retorno. A cápsula pousou centenas de quilômetros do alvo e com uma aceleração muito mais elevada do que é normal, contudo sem risco de morte para os ocupantes da espaçonave. Engenheiros russos sugeriram que a anomalia pode ser atribuída ao mau funcionamento dos parafusos pirotécnicos nas novas Soyuz TMA. Os cosmonautas retiram os parafusos pirotécnicos que foram posteriormente enviada à Terra para análise.
EVA 2
Sergei Volkov
Oleg Kononenko
15 de julho de 2008
16:22
15 de julho de 2008
21:11
5 horas, 54 minutos
Volkov e Kononenko instalaram um "alvo" no sistema de engate do módulo Zvezda, que permitirá o acoplamento de um pequeno módulo russo de investigação em 2009. Em seguida, foi instalado o experimento chamado Vsplesk, com objetivo de acompanhar eventos sísmicos, e foi removido o experimento Biorisk, que tem como objetivo estudar o efeito do espaço em microorganismos.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «First Korean astronaut quits space station». The Economic Times. Consultado em 4 March 2016. 
  2. a b c «PressKit» (PDF). NASA. Consultado em 4/3/ 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]