Funk proibidão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Funk proibidão
Origens estilísticas funk carioca, gangsta rap
Contexto cultural década de 1990, Rio de Janeiro, Brasil

Funk proibidão é um estilo de funk carioca surgido durante a década de 1990 nas favelas do Rio de Janeiro.[1][2]

Comercializados de forma clandestina, os funks proibidões tratam da realidade das comunidades onde ocorre o tráfico de drogas. Embora frequentemente considerado como um subgênero que exalta a violência e o tráfico de drogas, sendo pouco divulgado fora das favelas, artistas , como MV Bill, afirmam que o proibidão apenas retrata a realidade violenta da favela.[1] A temática é muito similar à dos rappers americanos do chamado gangsta rap[3].

Algumas composições destacam os feitos dos traficantes contra a polícia e defende a eliminação da mesma. São expoentes desse estilo MC Daleste, MC Smith, entre outros. Muitos dos artistas que gravam proibidão também gravam canções lançadas comercialmente. Entre estes está MC Colibri .[1] Algumas composições também exaltam as façanhas de determinadas facções do crime, como: Comando Vermelho, Terceiro Comando, Terceiro Comando Puro e Amigos dos Amigos, todos do Rio de Janeiro (sobretudo da cidade do Rio de Janeiro) e ainda o PCC (Primeiro Comando da Capital), da cidade de São Paulo.[1]

Notas e referências

  1. a b c d SALLES, Écio. «O bom e o feio funk proibidão - sociabilidade e a produção do comum». revistazcultural.pacc.ufrj.br. Consultado em 14/05/2012. 
  2. TIBURI, Marcia. «A nova moral do funk». revistacult.uol.com.br. Consultado em 14/05/2012. 
  3. MEDEIROS, Janaína. Funk carioca: crime ou cultura? O som dá medo e prazer. Editora Terceiro Nome, Coleção Repórter especial, 2006. ISBN 8587556746

Ver também[editar | editar código-fonte]