Mr. Catra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde maio de 2016) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mr. Catra
Mr. Catra em 2015
Informação geral
Nome completo Wagner Domingues Costa
Nascimento 5 de novembro de 1968 (48 anos)
Origem Rio de Janeiro, RJ
País  Brasil
Gênero(s) Funk carioca, Hip hop, Heavy metal[carece de fontes?]
Período em atividade 1995 - atualmente
Gravadora(s) Galerão Records
Afiliação(ões) Bonde da Stronda
Alexandre Pires
Exaltasamba
Lil Jon
Valesca Popozuda
Banda Uó
Zuzuka Poderosa
Tati Quebra-Barraco , Cristiano Araújo , Thiago Brava

Mister Catra, nome artístico de Wagner Domingues Costa (Rio de Janeiro, 5 de novembro de 1968), é um compositor e cantor brasileiro.

Carreira

Em meados da década de 1980, como guitarrista, montou uma banda de rock denominada O Beco, que chegou a fazer um relativo sucesso em festas particulares, escolas e faculdades.

Na década de 1990, em parceria com o ex-VJ da MTV, o paulista Primo Preto (que havia lhe conseguido um contrato com a Zâmbia Records, gravadora independente de São Paulo, responsável pelos primeiros discos dos Racionais MC's), criou a empresa Rapsoulfunk, como gravadora, grife de moda e organizadora de bailes funk e shows de hip hop no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Em 1994, lançou seu primeiro disco "O Bonde dos Justos", emplacando o hit "Vida na cadeia". As canções de temas fortes chamaram a atenção da Warner Music que lançou, em 1999, o CD "O fiel".

Em 2001, juntamente com MV Bill, lançou o Partido Popular Poder para a Maioria (PPPomar), o qual abandonou no ano de 2002 por divergências com Celso Athayde, proprietário da Produtora Hutus e empresário de MV Bill e dos Racionais MC's. Ainda em 2002 foi indiciado por apologia ao crime, devido às letras de suas músicas, principalmente a da composição "Cachorro", um de seus maiores sucessos, que versa sobre policiais corruptos. Sobre o assunto ele esclareceu posteriormente em entrevista: "Não sou cúmplice do crime, sou cúmplice da favela. Não estou fazendo apologia ao crime, estou é relatando uma realidade."[carece de fontes?]

Em 2004, a Rapsoulfunk foi responsável pela contratação de artistas do universo hip hop para o "Festival Hip Hop Manifesta", o principal da América do Sul. O evento aconteceu no Riocentro e entre os nomes internacionais contratados destacaram-se os rappers estadunidenses Snoop Dogg e Ja Rule.

Suas composições estão incluídas na série de CDs piratas "Proibidão do rap", ao lado de músicas que enaltecem o Comando Vermelho, uma das facções criminosas do Rio de Janeiro. Sobre essas gravações, certa vez declarou em entrevista ao Jornal do Brasil: "Aquilo não era nem pra ser gravado e comercializado. Simplesmente vamos aos bailes, às rádios e cantamos com a rapaziada." [carece de fontes?]..

Em meados da década de 2000, começou a obter notoriedade nacional com seus funks paródicos. Como "Adultério", paródia do hit dos anos 80 "Tédio", da banda Biquini Cavadão. A música entrou em diversas coletâneas de funk e tocou em rádios do Rio de Janeiro. Catra então passou a adotar um discurso mais apelativo para o lado sexual em suas letras de forma humorosa e explícita.

Em, 2009 Catra fez uma participação na música "Mansão Thug Stronda" do Bonde da Stronda, em 2010 na música "A gente faz a festa", do grupo Exaltasamba e em 2012 na canção "Mama", de Valesca Popozuda.[1] Em Janeiro de 2015, anunciou o projeto de uma banda rock pesado intitulada Mr. Catra e os Templários.[2]

Em 2012, gravou junto com Neymar e Alexandre Pires o clipe da música "Kong".

Vida pessoal

Filho de Manoel e Elza Costa, nasceu e foi criado no Morro do Borel, no bairro da Tijuca, na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro. É filho de criação de Edgar Luiz Pinaud, primo de João Luiz Duboc Pinaud, Secretário Estadual de Direitos Humanos do Rio de Janeiro. É pai do cantor Alandin MC.[3]

Na década de 1980 frequentou o Colégio Pedro II (Unidade Tijuca), onde, de acordo com ele, teria atuado como líder estudantil. Participou da reabertura do Grêmio Estudantil.[carece de fontes?]

Reside no bairro do Recreio dos Bandeirantes, sendo pai de 36 filhos, sendo 32 naturais e 4 adotivos, segundo própria declaração no Programa Altas Horas em Agosto de 2014. Atualmente possui 3 mulheres que dizem não sentir ciúmes entre elas, além de serem favoráveis às práticas do marido. Defende o que ele chama de "judaísmo salomônico", uma referência ao Rei Salomão, que possuía inúmeras mulheres e concubinas. Catra alega ter se convertido ao judaísmo após uma visita ao Muro das Lamentações.[4]

Discografia

Álbuns

Ano Titulo Gravadora
1994 O Bonde dos Justos Zâmbia Records
1996 O Segredo do Altíssimo Zâmbia Records
1999 O Fiel Warner Music
2001 Bonde do Tesão Pipos Records
2004 Proibidão Liberado Link Records
2007 Humildade é Tudo Universal records
2008 Poder da Favela Warner Music
2012 Com Todo Respeito ao Samba Independente

Filmografia

Televisão

Ano Titulo Papel Nota
2005 Sou feia, Mas Tô na Moda Ele Mesmo
2012 Saturday Night Live Episódio 16
2015 Vai que cola Episódio 3

Referências

Ligações externas

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Mr. Catra
Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.