Tati Zaqui

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tati Zaqui
Tati Zaqui em 2015
Informação geral
Nome completo Tatiane Zaqui Ferreira da Silva
Nascimento 18 de fevereiro de 1994 (24 anos)
Local de nascimento São Caetano do Sul, São Paulo
 Brasil
Nacionalidade brasileira
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Período em atividade 2013–presente
Gravadora(s) Digital Music Brasil
Influência(s)

Tatiane Zaqui Ferreira da Silva, simplesmente conhecida como Tati Zaqui[2] (São Caetano do Sul, 18 de fevereiro de 1994) é uma cantora, compositora e dançarina brasileira de funk paulista. Ela tornou-se conhecida nacionalmente em 2015 quando emplacou os hits "Parará Tibum" e "Água na Boca".[3][4][5]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Tatiane nasceu em São Caetano do Sul e cresceu na cidade de Santo André, onde estudou em uma escola estadual local. Acabou entrando para o mundo da música, já que era compositora de canções desde os sete anos de idade.[3] Sua trajetória começou de forma amadora, quando resolveu fazer uma homenagem ao MC Kauan em uma canção chamada "Salve MC Kauan", onde exaltava a importância deste para o cenário do gênero musical, música que foi disponibilizada no site YouTube em 2013 e em um dia alcançou mais de quinze mil visualizações.[3][6] Entre outras canções lançadas no site depois e que alcançaram significativo sucesso estão "Cheguei, Já Sei" (2013), "Sangue Autêntico" (2014, homenagem a MC Daleste), "Rolê com Bieber" (2014, homenagem a Justin Bieber), "Tô Dando Risada" e "Até o Sol Apagar", todas feitas de forma amadora.[7][8]

O fato que levou a cantora à fama foi o lançamento da canção "Parará Tibum", que foi produzida pelo DJ Perera e baseada em samples de "Heigh-Ho", canção utilizada no filme Branca de Neve e os Sete Anões, sendo esta uma característica marcante do gênero funk ousadia de utilizar instrumentais de músicas infantis.[3] A explosão ao mainstream ocorreu após um suposto vídeo da atriz Bruna Marquezine dançando esta música, fato que incentivou a Tati a propor a seus fãs que também dançassem.[3][9] O sucesso se tornou tão grande que em poucos dias várias pessoas, principalmente do sexo feminino, estavam gravando vídeos dançando a canção e fazendo os passos que a própria Tati fazia, no chamado #DesafioPararaTibum.[8] A canção, que apresenta como refrão, "Eu vou, eu vou/Sentar agora eu vou/Parará Tibum", foi dançada por várias personalidades, como as cantoras Anitta, Preta Gil e Cláudia Leitte, e esteve entre o top 10 das canções mais baixadas no iTunes brasileiro.[4] Por se transformar em um "hit" nacional, a artista foi entrevistada por diversas mídias de comunicação e reportagens sobre o fenômento Parará Tibum foram feitas em emissoras, como a Rede Record.[10] No mês de fevereiro de 2015, a canção ganhou um videoclipe, produzido por KondZilla, onde o cenário foi baseado no filme supracitado. Em pouco mais de duas semanas, ele já possuía mais de seis milhões de acessos, com opiniões favoráveis e contrárias sobre a música.[11]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2015, aos 21 anos, estrelou a revista Playboy e chamou muita atenção por sua beleza e seu estilo de vida. Em entrevista para a Quem declarou-se bissexual: "Antes, quando eu olhava para uma menina, ela demorava para entender o que eu queria. Agora, as meninas já sabem que estou olhando por algum motivo."[1][12]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

Ano Título
2014 "Parará Tibum"
2015 "Água na Boca"
2016 "Rebelde e Abusada"
"Bumbum Que Balança"
2017 "Placa no Chão"
"Bunda Maluca" (feat. MC Gustta)
2018 "Esta Noche"

Singles promocionais[editar | editar código-fonte]

Ano Título
2016 "Estoy Loca"

Como artista convidada[editar | editar código-fonte]

Ano Título Álbum
2015 "Partiu Pra Farra" (Alex Fava feat. Tati Zaqui)
"Malícia" (Família MV feat. Tati Zaqui)
2016 "Não Pode Parar" (Higor Rocha feat. Tati Zaqui)
2017 "De Calcinha E Camiseta" (Rodrigo Marim feat. Tati Zaqui)
"Crack My Code" (Caroline L feat. Tati Zaqui)
"Catuaba" (Heavy Baile feat. Tati Zaqui)
"Tem Que Respeitar" (Pedro Paulo e Alex feat. Tati Zaqui) Paredão do PPA (Ao Vivo / Vol. 2)
"Me Pede pra Parar" (DJ Batata feat. Tati Zaqui)
"Movimento (Remix)" (Lexa feat. Tati Zaqui)
2018 "Delivery do Amor" (Lorenzo Castro feat. Tati Zaqui)

Videoclipes[editar | editar código-fonte]

Ano Título Diretor(es)
2014 "Parará Tibum"
2015 "Água na Boca" Mess Santos
"Partiu pra Farra" Jacques Junior
"Malícia" Rafael Costa K
2016 Henrique Ribeiro, João Marcelo, Rodrigo Stradiotto e Sergio Twardowsk
"Não Pode Parar" João da Nóbrega
2017 "De Calcinha E Camiseta" Victor Kelly
"Bunda Maluca" Kondzilla
"Tem Que Respeitar"
"Movimento (Remix)" Artelux Produções
2018 "Catuaba" Ana Paula Paulino & Cauã Csik
"Esta Noche" KondZilla

Referências

  1. a b «MC TATI ZAQUI SOBRE SER BISSEXUAL: "MENINAS AGORA SABEM QUE ESTOU OLHANDO POR ALGUM MOTIVO"». Quem. Consultado em 2 de março de 2015. 
  2. Diário Oficial de São Paulo (29 de outubro de 2015). «Locação dos serviços profissionais de natureza artística». JusBrasil. Consultado em 21 de abril de 2016.. Cópia arquivada em 21 de abril de 2016 
  3. a b c d e «Tati Zaqui emplaca Parará Tibum e leva ousadia feminina ao funk de SP». G1. Consultado em 2 de março de 2015. 
  4. a b «Tati Zaqui faz sucesso com versão sexy de Branca de Neve e os Sete Anões». iG. Consultado em 2 de março de 2015. 
  5. «Funkeira Tati Zaqui grava clipe de "Água na Boca" em Cancún. Veja fotos». Vírgula. 12 de agosto de 2015 
  6. «MC Tati Zaqui garante que o Parará Tibum é sem malícia». iG. Consultado em 2 de março de 2013. 
  7. «MC Tati Zaqui». musica.com.br. Consultado em 2 de março de 2015. 
  8. a b «MC Tati Zaqui, de Belieber a Musa do "Parara Tibum"». Noisey Brasil. Consultado em 2 de março de 2015. 
  9. «Loira desafia Bruna Marquezine a dançar Parará Tibum e vira hit na internet». Bhaz. Consultado em 2 de março de 2015. 
  10. «Febre na internet, desafio do "Parara Tibum" é feito na Rodoviária de Brasília». R7. Consultado em 2 de março de 2015. 
  11. «MC Tati Zaqui ganha clipe dirigido por KondZilla e amplia presença feminina no funk». Virgula. Consultado em 2 de março de 2015. 
  12. «Ela cresceu! Veja transformação de Tati Zaqui, capa da Playboy de julho». Ego. Consultado em 14 de julho de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tati Zaqui