Paola Bracho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Paola Bracho
Personagem fictícia de La Usurpadora
Nome original Paola Cristina Montaner
Língua original Espanhol
Morada Mansão Bracho
Nascimento 07 de agosto de 1973 Cancún, México
Idade ≈24 anos
Morte 1998 Cidade do México, México
Origem  Venezuela
Sexo Feminino
Espécie Humana
Cabelo Castanho
Olhos Verdes
Características Nifomaníaca, interesseira, cruel, fria, calculista, chantagista, ambiciosa e diabólica
Ocupação Antagonista
Família Paulina Martins (irmã)

Paula Martins (mãe)

Amigo(s) Luciano
Douglas (amante)
Alexandre (antigo amante)
Willy (concunhado e antigo amante)
Donato (antigo amante)
Lalinha
Inimigo(s) Paulina Martins
Família Bracho
Adelina
Cacilda
Criado por Inés Rodena
Género(s) Drama
Primeira aparição "Piloto" (La Usurpadora)
Última aparição "Primeiro Capítulo" (Além da Usurpadora)
Interpretado por Gabriela Spanic
Espécie Humana

Paola Bracho (nome de solteira: Paola Montaner) é uma personagem fictícia interpretada pela atriz venezuelana Gabriela Spanic em 1998 na telenovela mexicana A Usurpadora.[1] É considerada por muitos como a maior vilã da teledramaturgia mexicana, seguida por Soraya Montenegro (Itatí Cantoral), a antagonista da telenovela Maria do Bairro (1995) e Catarina Creel (María Rubio) de Ambição (1986).[1][2] Graças a essa interpretação, Gabriela Spanic tornou-se mundialmente famosa e muito popular na América Latina, sobretudo no Brasil.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Paola é a entediada esposa de Carlos Daniel Bracho (Fernando Colunga) e a madrasta de Carlinhos (Sergio Miguel) e Lizete (María Solares), que consideram-na como a sua legítima mãe. Sempre entediada, Paola passa o tempo com futilidades, fazendo compras, induzindo a avó de Carlos Daniel ao alcoolismo e saindo com vários homens ricos.[1] O seu único passatempo na casa dos Bracho é seu cunhado, Willy (Juan Pablo Gamboa), o marido da atormentada e histérica Stephanie Bracho (Chantal Andere), uma irmã adotiva de Carlos Daniel.[1]

Em uma de suas diversas viagens a Cancún, Paola conhece Paulina, a sua irmã gêmea idêntica, em um toalete feminino de um clube onde Paola está bêbada e fumando. Paola vê em Paulina a oportunidade perfeita de se livrar de sua família e fugir com o megaempresário milionário Alexandre Farina (Enrique Lizalde) durante 1 ano. Coloca na bolsa de Paulina uma pulseira de esmeraldas e diamantes, fazendo Paulina ser acusada de ladra e obrigando-a a substituí-la em sua casa durante 1 ano, caso contrário registraria uma queixa na polícia acusando Paulina de roubo e fazendo-a ser presa. Durante uma viagem a Mônaco com Alexandre, Paola e Alexandre sofrem um grave acidente de carro e ficam praticamente aquele ano todo em recuperação enquanto Paulina ocupa o seu lugar na casa dos Bracho.[1]

Em janeiro de 1996, Paola reassume o seu lugar na casa dos Bracho sem no entanto desconfiar que toda a sua farsa foi descoberta, o que a faz cair em contradição. Após descobrir que os Bracho já sabem de tudo, Paola arma um novo plano e foge com Douglas Maldonado (Miguel de León), um antigo amante dela ainda quando solteira.[1]

Após alguns meses, Paola retorna totalmente inconsciente devido a uma cirurgia que fez no cérebro quando sofreu o acidente em Mônaco. Imóvel e em estado vegetativo, Paola causa a comoção em sua irmã e a faz assumir toda a culpa pelo crime de usurpação de identidade e vá parar na cadeia.[1]

Entretanto, Paola está totalmente bem, fazendo-se de imóvel para principalmente enganar os Bracho. Aos poucos, ela vai se recuperando, continuando a fazer da vida dos Bracho e da irmã um verdadeiro inferno, chegando até a prejudicá-la em seu julgamento.[1] Após Paulina ficar em liberdade, Paola retorna à casa dos Bracho em uma cadeira de rodas fingindo uma invalidez apenas para poder atormentar ainda mais a família.[1]

Ao ser descoberta, Paola decide castigar a enfermeira Elvira (Azela Robinson), sua cúmplice, que entregou aos Bracho toda a farsa de Paola. Paola, em combinação com Willy, planeja levar Elvira por um carro dado por Paulina à periferia onde a enfermeira seria assassinada, mas no caminho elas sofrem um grave acidente que mata Elvira.[1] Paola sobrevive extremamente ferida, mas agoniza no hospital até a morte após 2 dias. Antes de morrer, ela se reconcilia com Paulina e pede perdão a Carlos Daniel, e pede para que a irmã se case com ele e sejam felizes. Como os Bracho recusaram-se a lhe dar a quantia mínima de um milhão de dólares (exigido por ela como parte do regime de comunhão de bens), Paola faleceu ainda casada legalmente com Carlos Daniel.[1]

Paola foi cremada e suas cinzas foram depositadas no jazigo da família Bracho.[3]

A imagem de Paola, após a sua morte, aparece para Paulina em um espelho na sequência Além da Usurpadora.[1]

Principais maldades[editar | editar código-fonte]

  • Colocou uma pulseira de esmeraldas e brilhantes na bolsa de Paulina e a acusou de ladra para obriga-la a ocupar seu lugar na mansão Bracho.
  • Constantemente humilhava os empregados e sua cunhada Estefane, se tornando inclusive, amante de seu marido, Willy.
  • Se aproveitou de uma cirurgia no cérebro para forjar doença e invalidez, querendo voltar a ocupar seu lugar na casa dos Bracho.
  • Deu falso testemunho no julgamento de sua irmã gêmea acusando-a de ser a responsável pela usurpação.
  • Planejou com seu cunhado e ex-amante Willy um incêndio para acabar com a fábrica Bracho.
  • Por fim, planejou uma vingança fracassada contra a enfermeira Elvira, causando um acidente de carro que resultou na morte de ambas

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m GARCIA, Fábio (19 de maio de 2015). «Como estariam Paulina e Paola Bracho em 2015?». TV pra VC. Consultado em 2 de agosto de 2015. 
  2. OLIVEIRA, Arthur Carlos Franco,; CHUEIRI, Elisa Nascimento,; ALBUQUERQUE, Karine Ramos; et al. (2011). «Radiojornal Sintonia: a experiência de jornalismo no rádio» (PDF). Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação: XIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste - Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Consultado em 2 de agosto de 2015. 
  3. La Usurpadora | Capítulo 100. https://www.youtube.com/watch?v=ufLcU1yEBrI&list=PLcttqeRcJSVG6JQDNfNri5yevyAAU94lN&index=100 Acesso em 10 de setembro de 2017. (em espanhol)

Ver também[editar | editar código-fonte]