Salvador Cabañas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Salvador Cabañas
Salvador Cabañas.jpg
Informações pessoais
Nome completo Salvador Cabañas Ortega
Data de nasc. 5 de agosto de 1980 (40 anos)
Local de nasc. Assunção,  Paraguai
Nacionalidade Paraguai Paraguaia
Altura 1,73 m
Destro
Apelido Chava, El Toro, El Mariscal, Gordito
Informações profissionais
Número 9, 7, 10
Posição Atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes
1998–2001
1999
2001–2003
2003–2006
2006–2010
2012
2013–2014
2014
2014
Paraguai 12 de Octubre
Paraguai Guaraní (emp.)
Chile Audax
México Jaguares
México América
Paraguai 12 de Octubre
Paraguai General Caballero
Brasil Tanabi
Paraguai Independiente FBC
Seleção nacional
2004–2011 Flag of Paraguay.svg Paraguai

Salvador Cabañas Ortega (Assunção, 5 de agosto de 1980), é um ex-futebolista paraguaio que atuava como atacante.

Carreira[editar | editar código-fonte]

12 de Octubre[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira em 1998 no 12 de Octubre, onde atuou em 11 jogos, marcando 4 gols e 3 assistências.

Club Guaraní[editar | editar código-fonte]

Em 1999 Cabañas foi emprestado ao para o Club Guaraní onde fez 20 jogos e marcou 6 gols e 4 assistências.

12 de Octubre[editar | editar código-fonte]

Em 2000-2001 Cabañas retorna de emprestimo, fez 31 jogos 8 gols 5 assistências.

Audax Italiano[editar | editar código-fonte]

Nas temporadas de 2001 a 2003 jogou no Audax Italiano participando de 53 jogos marcando 29 gols e 10 assistências.

Jaguares de Chiapas[editar | editar código-fonte]

Na temporada de 2003-2004 , ele chegou ao futebol mexicano para jogar no Jaguares de Chiapas na temporada marcou 20 gols em 38 jogos e deu 3 assistências

Em 2004-2005 fez 34 jogos e marcou 18 gols 4 assistências

Na temporada 2005-06 participou de 34 jogos 23 gols e 10 assistências.

Na temporada de 2005 também jogou no UANL Tigres emprestado pelo Jaguares de Chiapas onde fez 3 jogos não marcou nenhum gol e não deu nenhuma assistência.

Na volta ao Jaguares de Chiapas, Salvador Cabañas foi vendido ao América, para disputar o próximo torneio do Clausura 2006, com a surpreendente campanha dos Jaguares e com a chegada de "Didí" Pereira, adquire um ritmo impressionante para entrar totalmente na briga pelo campeonato de goleiros, chegando a 15 gols, a um de Bruno Marioni e Andrés Silvera que dividiram o título. Ele é, sem dúvida, um dos jogadores estrangeiros mais rentáveis do futebol mexicano nos últimos anos, não apenas por sua capacidade de goleador, mas pelo quão bem ele joga fora da área, a constância, regularidade e liderança que conquistou nos Jaguars. Para o Clausura 2006, com 11 gols, ele finalmente alcançou um objetivo de meta compartilhada com Sebastián Abreu. Neste mesmo torneio, marcou mais 3 gols. Ele acabou se tornando o artilheiro da história do Jaguares de Chiapas com mais de 50 gols.

Era convocado com frequência pela Seleção Paraguaia. Jogou a Copa do Mundo de 2006 e a Copa América de 2007 com a seleção de seu país.

Ficou conhecido como "carrasco dos brasileiros" por ter feito gols importantes pelo América do México contra o Santos e o Flamengo na Copa Libertadores da América de 2008. Contra o Fla, marcou dois gols na vitória por 3 a 0, revertendo o placar de 4 a 2 do primeiro jogo no México e submetendo o time carioca a uma amarga eliminação no Maracanã. Além disto, também marcou um gol contra a Seleção Brasileira pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, ajudando o Paraguai a derrotar o Brasil por 2 a 0.

Incidente por bala em 2010 e as consequências[editar | editar código-fonte]

Na madrugada do dia 25 de janeiro de 2010, Cabañas foi baleado na cabeça, aproximadamente às 5 horas e 30 minutos, durante uma suposta tentativa de assalto em um banheiro de uma casa noturna na Cidade do México. Porém, mais tarde, a especulação mais aceita seria a de que Cabañas teria sido alvejado por um torcedor adversário, porém, também foram levantadas as possibilidades de um torcedor do seu próprio clube, o América do México, tê-lo feito. Poucos dias antes, o jogador tinha sido um dos principais responsáveis pela perda da vaga na Copa Libertadores da América de 2010 do seu time, após desperdiçar uma cobrança numa disputa por pênaltis. Conforme relatou a esposa do jogador à época, não houve briga corporal. Segundo os médicos, o atacante correu risco de morte.[1]

Após a primeira e delicada cirurgia, realizada na manhã de 25 de janeiro de 2010 no hospital Ángeles del Pedregal, na Cidade do México, o paraguaio seguiu em estado grave, mas estável. Numa coletiva de imprensa após a operação, o neurocirurgião Ernesto Martínez afirmou que o atacante paraguaio sofreu um grave traumatismo craniano e que pedaços de ossos foram retirados do crânio, mas que a bala não havia sido removida para evitar causar mais danos ao atleta, como sequelas para o resto de sua vida. Martínez não assegurou que Cabañas estaria fora de perigo, e o jogador ainda correria sério risco de morte.[1]

Em 2 de março de 2010, Cabañas teve alta do hospital. Foi publicado que o paraguaio inclusive já conseguia praticar exercícios numa bicicleta ergométrica. Apesar de sua rápida recuperação, seu retorno ao futebol ainda era incerto.[2]

A esposa do jogador, Maria Alonso, disse em entrevista em 24 de novembro de 2010, que Cabañas estava "quebrado", que teria entrado em depressão e que a família estava passando por muitos problemas econômicos.

Em 1 de dezembro de 2010, Cabañas disse que iria à Corte Arbitral do Esporte para exigir do América o pagamento dos salários atrasados e dos gastos com sua recuperação.[3]

A volta aos treinos em 2011[editar | editar código-fonte]

Em 3 de fevereiro de 2011, Cabãnas voltou a treinar em um clube de futebol, o Libertad, do seu país natal.[4] Segundo o médico do Libertad, Porfirio Benítez Musa, ainda era cedo para pensar em uma volta ao futebol. O objetivo imediato de Cabañas não era voltar a jogar profissionalmente, mas sim ter uma evolução psicológica. O médico esperava que o atacante tivesse uma recuperação melhor a partir do contato com outros atletas.

Despedida da seleção[editar | editar código-fonte]

Em 10 de agosto de 2011, Cabañas fez sua despedida oficial da Seleção do Paraguai em um amistoso disputado no Estádio Azteca, no México, em sua homenagem entre o Paraguai e o ex-clube do jogador, o América. A partida terminou empatada em 0 a 0, sendo que Cabañas atuou durante nove minutos pelo América no primeiro tempo e 11 minutos pela Seleção Paraguaia no segundo tempo.[5]

A volta ao futebol[editar | editar código-fonte]

Em 19 de janeiro de 2012, foi anunciada oficialmente a volta de Cabañas ao futebol. O jogador iria atuar na equipe 12 de Octubre, onde iniciou sua carreira, a partir de 20 de janeiro desse mesmo ano.[6][7][8] No dia 16 de março de 2014, Cabañas acertou com o clube brasileiro Tanabi do interior de São Paulo, time que disputava a quarta divisão do Campeonato Paulista. Por problemas de documentação não pôde disputar a Série B do Paulista, e pelo Tanabi jogou apenas uma partida, um amistoso contra o Grêmio Barueri, onde iniciou a jogada do primeiro gol e também perdeu um pênalti, empatando em 2 a 2.[9][10]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

No dia 2 de junho de 2014, se aposentou do futebol, dizendo: "Não tenho mais condições de jogar futebol. Estou deixando os campos por não conseguir mais acompanhar o ritmo dos outros jogadores".[11] Em 27 de junho de 2014, Cabañas saiu da aposentadoria e assinou com o Independiente Fútbol Club de Pedro Juan Caballero. Em 29 de junho de 2014, Cabañas estreou pelo Independiente contra o ex-Primera División Paraguaya club Sportivo 2 de Mayo na Liga Deportiva Amamby da Perua Paraguaia, entrando em campo aos 35 minutos do segundo tempo.

"Já estou aposentado do futebol profissional, vou me dedicar a minha escola de futebol", afirmou o centroavante em entrevista à Rádio Cardinal, do Paraguai. "Meu projeto, agora, é levantar meu complexo (esportivo)", continuou El Mariscal, como é chamado no país.[12]

Em 2016, em visita a Madri, onde foi homenageado pela comunidade paraguaia na Espanha, declarou que pretende seguir carreira como técnico de futebol.[13]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Club America[editar | editar código-fonte]

  • México InterLiga: 2008
  • Copa El Mexicano: 2008
  • Serie Mundial de Fútbol: 2006.

Campanhas de Destaque[editar | editar código-fonte]

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

  • Futebolista Paraguaio do Ano em 2007;[14]
  • Futebolista Sul-Americano do Ano em 2007;[14]
  • Selecionado a "Equipe Ideal da América do Sul" em 2007, 2008 e 2009;[14]

Artilharias[editar | editar código-fonte]

Recordes[editar | editar código-fonte]

  • 2º futebolista que mais marcou gols em 2007;[15]
  • É o maior goleador de equipes mexicanas na Copa Libertadores da América.[16]
  • Maior artilheiro do Jaguares de Chiapas: 61 gols
  • Artilheiros de 2 Copa Libertadores da América seguidas 2007 (10 gols) , 2008 (8 gols)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]