Staël Abelha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Staël Rocha Abelha)
Staël Abelha
Cidadania Brasil
Ocupação modelo, competidora de concurso de beleza

Staël Maria da Rocha Abelha, de Minas Gerais, foi eleita Miss Brasil em 1961. Foi primeira mineira a ostentar esse título. Quando coroada, ela não queria viajar para Miami Beach, Flórida (EUA) para disputar o Miss Universo devido aos ciúmes do namorado, mas a comissão organizadora a convenceu a viajar na véspera do embarque. No concurso realizado em 15 de julho desse ano, não foi classificada. Após voltar de Miami, renunciou ao título de Miss Brasil por estar prestes a se casar, sendo sucedida pela gaúcha Vera Brauner, segundo lugar no concurso Miss Brasil 1961.

Staël na mídia[editar | editar código-fonte]

Revista O Cruzeiro - 1961[editar | editar código-fonte]

"Um público estimado em 25.000 pessoas acompanhou ao vivo, no Maracanãzinho, Rio de Janeiro, a eleição da Miss Brasil 1961. Vinte e cinco mil juízes e o público, no Maracanãzinho, elegeram a mineira Staël Maria da Rocha Abelha como Miss Brasil 1961. Pela primeira vez na história deste Concurso houve unanimidade de opinião. Beleza mineira de olhos castanhos ganha hoje o título da mais bela brasileira, pelo voto de 13 juízes e do público que lotou o maracanãzinho, na maior e mais elegante noite da história do Miss Brasil. (O Cruzeiro, 1º/07/1961)."

"Ela escreve o nome com trema no “e”. Faz questão absoluta disso. E tem olhos castanhos, que não são profundos. No conjunto das 22 concorrentes, Staël saltou como o melhor estilo nacional. Com graça, sobretudo. Tudo isso numa modéstia tranquila. Somem: 1,70 de altura, 58 de peso, 98 de busto, 58 de cintura, 98 de quadris, 56 de coxa, 22 de tornozelo e 19 anos de idade. Adicionem ainda os tons imponderáveis, e eis Stael diante de vocês." ( O Cruzeiro, 1º/07/1961 [1] )

Revista Manchete - 1961[editar | editar código-fonte]

"Cinco batedores abriram o cortejo que acompanhou a triunfal entrada de Stael em Belo Horizonte. Na frente, um carro com alto-falante tocava uma marchinha composta em homenagem a Miss Brasil: “Ai, Abelha/do meu coração/eu quisera um dia/ser o teu zangão.” Ela ficou o tempo todo de pé, num automóvel conversível, acenando alegremente para uma multidão de cem mil pessoas. O desfile terminou na Prefeitura, onde ela foi recebida pelo Prefeito Amintas de Barros e os vereadores concederam-lhe o título de “Cidadã de Belo Horizonte”. (Manchete, 08/07/1961) "

Orgulhosa de ter sido o berço da linda representante do Brasil no concurso internacional de 1961 em Miami, a cidade de Caratinga recebeu apoteoticamente Stael Maria da Rocha Abelha. Eram 15 horas quando, sábado passado, Miss Brasil chegou, de avião, à Caratinga, sua terra natal. O dia era duplamente festivo: a cidade fazia 110 anos e recebia sua filha mais famosa. Cerca de 40 mil pessoas aclamaram a linda moça, em honra de quem foi organizado um grande préstito. Formaram todos os colégios e as bandas de música locais se incorporaram ao desfile. Seu carro alegórico, acompanhado a pé, pela multidão, do aeroporto à cidade, dirigiu-se ao palanque, onde o prefeito a esperava, com a chave da cidade. Caratinga, por sua estação de rádio, proclamou-se, então, a Capital da Beleza. E com isso culminou a apoteose a Miss Brasil. (Manchete, 08/07/1961)

Os mineiros estão muito orgulhosos de sua vitória no concurso de beleza e, por isso mesmo, cercam Miss Brasil das maiores provas de carinho. Em Belo Horizonte, o Banco de Crédito Real de Minas Gerais, visitado por Stael Maria da Rocha Abelha, ofereceu-lhe um cheque-presente de quinhentos dólares, para ajudar o custeio de sua viagem a Miami. Ofereceu-lhe, também, a chave de um cofre forte, para guardar o cetro de Miss Brasil, ou de Miss Universo se ela conquistar o título máximo. O Banco da Lavoura de Minas Gerais, por sua vez, ofereceu-lhe também um valioso presente: cem dólares, para as despesas com a ida aos Estados Unidos. Exprimindo sua gratidão, Stael declarou à reportagem de Manchete: “Só pelo prazer de sentir o carinho e a estima do povo de Minas Gerais valeria a pena ter vivido as angústias por que passei, até conquistar o título de Miss Brasil. Obrigada a todos!” (Manchete, 08/07/1961)

Outras mineiras eleitas Miss Brasil[editar | editar código-fonte]

Para o Miss Universo[editar | editar código-fonte]

Anos 70[editar | editar código-fonte]

Anos 80[editar | editar código-fonte]

Anos 90[editar | editar código-fonte]

Para o Miss Mundo[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Revista O cruzeiro (1 de julho de 1961). «Revista O cruzeiro - Miss Brasil 1961» 

Precedido por
Gina MacPherson
Miss Brasil
1961
(renunciou)
Sucedido por
Vera Brauner