You Can Dance

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o grupo que atuava nos programas de Xuxa Meneghel, veja You Can Dance (grupo).
You Can Dance
Álbum de remixes de Madonna
Lançamento 18 de novembro de 1987 (1987-11-18)
Gravação 1982–87
Gênero(s) Dance
Duração 68:38
Gravadora(s)
Produção
Cronologia de Madonna
Who's That Girl
(1987)
Like a Prayer
(1989)
Singles de You Can Dance
  1. "Spotlight"
    Lançamento: 25 de abril de 1988 (1988-04-25)

You Can Dance é o primeiro álbum de remixes da artista musical estadunidense Madonna. Foi lançado em 18 de novembro de 1987 através da Sire Records e da Warner Bros. Records. Contém remixes de dez faixas dos três primeiros álbuns de estúdio de Madonna, Madonna (1983), Like a Virgin (1984) e True Blue (1986). Também apresenta a faixa "Spotlight", que não entrou no álbum True Blue. Na década de 1980, remix era um novo conceito tecnológico, em que uma frase vocal poderia ser infinitamente copiada, repetida, picada, transposta para cima e para baixo na altura e conter ecos, reverberações e notas graves ou agudas. Madonna se interessou no conceito, e observou que odiava quando outras pessoas remixavam suas canções. Com isto, ela mesma decidiu remixar as canções.

Madonna contatou seu amigo e DJ John "Jellybean" Benitez para remixar suas faixas, e também contou com a ajuda de Patrick Leonard, produtor de True Blue. As faixas de You Can Dance apresentam técnicas de mixagem típicas da época. Passagens instrumentais foram alongadas para as faixas, o que prejudicou a estrutura mais forte da versão original das músicas. Frases vocais foram repetidas e submetidas a vários ecos, sendo garimpadas em sons estereofônicos. Em certos pontos, quase nenhuma faixa é ouvida, exceto a bateria, e em outros pontos, os tambores são removidos apenas com o chimbau sendo mantido para continuar com a duração da faixa. A capa de You Can Dance apresenta a fascinação contínua de Madonna com a cultura latino-americana. No entanto, a capa foi feita durante a sessão de fotos para o single "La Isla Bonita".

Críticos musicais deram opiniões mistas ao álbum, com alguns elogiando sua produção e citando que é um disco essencial para boates, e outros avaliadores criticaram negativamente a repetição de frases. Depois de seu lançamento, You Can Dance conseguiu posicionar-se entre os vinte álbuns mais vendidos em todas as tabelas musicais em que conseguiu entrar, nomeadamente na Alemanha, na Austrália, na Áustria, no Canadá, na França e no Japão. Nos Estados Unidos, tornou-se o primeiro lançamento de Madonna a não atingir as dez primeiras ocupações da Billboard 200, atingindo a décima quarta posição. Apesar disso, o álbum vendeu mais de cinco milhões de cópias mundialmente, tornando-se o segundo álbum de remixes mais vendido de todos os tempos. "Spotlight" serviu como o primeiro e único single do disco no Japão, mas conseguiu entrar em compilações genéricas da Billboard por ter sido promovida apenas em rádios nos Estados Unidos.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 1987, a Warner Bros. Records encomendou o lançamento de You Can Dance — a primeira coletânea de Madonna —, que foi destinado ao segmento dance de seu público.[1] Era um álbum que contém sete músicas de Madonna em formato remixado, que ainda era um conceito revolucionário na década de 1980.[1] Em meados dos anos oitenta, a música dance pós-disco era extremamente popular e o conceito de remix foi amplamente considerado como uma nova direção musical. Vários artistas remixavam suas faixas e as compilavam para criar novos álbuns.[1] A mixagem era um processo interpretativo, onde o artista estava geralmente envolvido, mas o desenvolvimento era geralmente cuidado pelo produtor musical. As diferentes partes de uma canção, incluindo os vocais, vocais de apoio, guitarras, baixo, sintetizadores, bateria eletrônica — todas estas partes passavam pelo processo de mixagem, soando diferentemente de sua versão original. A mixagem determinava quão alto esses instrumentos iriam soar em relação uns aos outros e quais efeitos sonoros especiais deveriam ser adicionados a cada instrumento.[2] As melhorias nas tecnologias de estúdio significava a possibilidade de dar forma ao som de uma faixa de qualquer forma, depois de ter sido gravada. Os arranjos em si foram criados na fase de mixagem, ao invés de serem previamente criados. Uma frase vocal poderia ser infinitamente copiada, repetida, picada, transposta para cima e para baixo na altura e conter mais eco, reverberação e notas graves ou agudas.[2] Este conceito intrigou a cantora enquanto ela estava desenvolvendo seu terceiro álbum de estúdio True Blue (1986). Ela disse:

Ela apresentou à Warner Bros. a ideia de lançar suas canções em um formato completamente remixado.[1] Do ponto de vista da gravadora, a ascensão do remix foi uma benção comercial, pois significava ganhar mais dinheiro com o mesmo pedaço musical.[3] Em vez de pagar Madonna para ir ao estúdio e gravar faixas diferentes, eles descobriram que permitindo-lhe gravar as mesmas faixas em diferentes formatos era muito menos dispendioso.[1] Assim, a gravadora decidiu lançar o álbum, mas deu liberdade total para Madonna escolher os produtores com quem ela queria desenvolver os remixes.[4]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

"Remixar é uma forma de criatividade secundária. A dance music eleva o DJ e o mixer a estar quase no mesmo nível do músico. Na minha opinião, isso é falso. A manipulação de fontes sonoras pré-gravadas pode ser criativa em um sentido secundário, e pode ser válida em seu próprio campo, mas é pseudo-musicalidade. É por isso que tentamos ter uma nova abordagem para as músicas de You Can Dance, como se estivéssemos desenvolvendo e compondo-as pela primeira vez.

Patrick Leonard falando sobre trabalhar no álbum.[4]

Madonna se voltou para seu velho amigo e produtor John "Jellybean" Benitez para ajudá-la a remixar as músicas, e também contou com a ajuda de Patrick Leonard, o produtor de True Blue. Juntos, eles escolheram seis músicas antigas de Madonna e decidiram dar uma forma remixada. As músicas escolhidas foram "Holiday", "Everybody" e "Physical Attraction" de Madonna (1983), "Into the Groove" e "Over and Over" de Like a Virgin (1984) e por último, "Where's the Party" de True Blue.[4] Junto com as faixas pré-lançadas, uma música nunca antes lançada chamada "Spotlight" foi incluída como um bônus. Madonna disse que ela se inspirou na música "Everybody Is a Star" (1970), da banda de rock americana Sly and the Family Stone.[5] Escrito por Madonna, Stephen Bray e Curtis Hudson, "Spotlight" foi originalmente gravado durante as de gravação True Blue. Foi retirado do álbum porque Madonna sentiu que era semelhante em composição e estrutura de "Holiday".[1]

Depois que a remixagem das músicas começou, Benitez observou: "Nós decidimos sobre questões básicas como 'O quão alto deve ser a bateria? Quanto os vocais devem se destacar?' Estas são decisões criativas que vão mudar a música finalizada." Shep Pettibone, um dos produtores do álbum comentou que "normalmente, sem alguma música para trabalhar, o remixer não tem nada. Mas nós já tínhamos o catálogo de músicas dançantes de Madonna que era material suficiente para a vida toda."[6] As mixagens de You Can Dance mostraram uma série de técnicas típicas de mixagem. Os instrumentais foram aumentados para aumentar o tempo de dança, o que prejudicou a estrutura mais apertada da música pop original.[3] Frases vocais foram repetidas e submetidas a múltiplos ecos, percorridas pelas saídas de som estereofônicas. Em certos pontos, quase nenhuma música é ouvida, exceto os tambores e, em outros, os tambores são removidos com apenas o chimbal para manter o tempo.[3]

Faixas do disco[editar | editar código-fonte]

  1. "Spotlight" — 6:24
  2. "Holiday" (Hudson, Stevens) — 6:32
  3. "Everybody" (Madonna) — 6:43
  4. "Physical Attraction" (Lucas) — 6:20
  5. "Over and Over" (Bray, Madonna) — 7:11
  6. "Into the Groove" (Bray, Madonna) — 8:26
  7. "Where's the Party" (Bray, Leonard, Madonna) — 7:16
  8. "Holiday" [dub version][*] (Hudson, Stevens) — 6:56
  9. "Into the Groove" [dub version][*] (Bray, Madonna) — 6:22
  10. "Where's the Party" [dub version][**] (Bray, Leonard, Madonna) — 6:21
  11. "Spotlight" [dub version] [***]
  12. "Over And Over" [dub version] [***]

* faixa bónus na versão CD e cassete

** faixa bónus apenas na versão CD

*** faixa bónus apenas na versão cassete

Singles promocionais[editar | editar código-fonte]

  • Spotlight (Nas rádios dos Estados Únidos) (Outubro de 1987)
  • Holiday (promocional) (Novembro de 1987)
  • Into the Groove (promocional) (Novembro de 1987)
  • Where's The Party (promocional) (Novembro de 1987)
  • Spotlight (Só no Japão) (Abril de 1988)

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Posições[editar | editar código-fonte]

Tabela musical (1987-88) Melhor
posição
 Alemanha (Media Control Charts)[7] 13
 Austrália (Australian Kent Music Report)[8] 13
 Áustria (Ö3 Austria Top 40)[9] 13
 Canadá (Canadian RPM Albums Chart)[10] 11
Flag of Spain.svg Espanha (Productores de Música de España)[11] 16
 Estados Unidos (US Billboard 200)[12] 14
 Estados Unidos (Hot Dance Music/Club Play)[13] 1
 França (Syndicat National de l'Édition Phonographique)[14] 2
 Itália (Federazione Industria Musicale Italiana)[15] 1
 Japão (Oricon)[16] 5
 Noruega (VG-lista)[17] 5
 Nova Zelândia (Recording Industry Association of New Zealand)[18] 4
 Países Baixos (MegaCharts)[19] 6
 Reino Unido (UK Albums Chart)[20] 5
 Suécia (Sverigetopplistan)[21] 10
Suíça (Schweizer Hitparade)[22] 11
União Europeia (European Top 100 Albums)[23] 6

Referências

  1. a b c d e f Taraborrelli 2002, p. 129
  2. a b c Rooksby 2004, p. 26
  3. a b c Rokkbsy 2004, p. 27
  4. a b c Morton 2002, p. 37
  5. Rooksby 2004, p. 28
  6. Bego 2000, p. 86
  7. «Madonna – You Can Dance (Media Control Charts)» (em inglês). Media Control Charts. Consultado em 6 de julho de 2014 
  8. Kent, David (1993). Australian Chart Book 1970-1992. [S.l.]: Australian Chart Book. ISBN 0-646-11917-6 
  9. «Madonna – You Can Dance (Ö3 Austria Top 40)» (em inglês). Ö3 Austria Top 40. Consultado em 6 de julho de 2014 
  10. «Madonna – You Can Dance (Canadian RPM Albums Chart)» (em inglês). RPM. Consultado em 6 de julho de 2014. Arquivado do original em 18 de outubro de 2012 
  11. Salaverri, Fernando (2005). Sólo éxitos: año a año, 1959–2002. [S.l.]: Fundación Autor-SGAE. ISBN 84-8048-639-2 
  12. Caulfield, Keith (16 de agosto de 2005). «Ask Billboard: Virginity or Prayers?». Billboard. Prometheus Global Media. Consultado em 6 de julho de 2014 
  13. Trust, Gary (15 de agosto de 2009). «'Celebration': Madonna's 40 Most Impressive Instants». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 6 de julho de 2014 
  14. «Madonna – You Can Dance (Syndicat National de l'Édition Phonographique)» (em inglês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 6 de julho de 2014 
  15. «Madonna – You Can Dance (Federazione Industria Musicale Italiana)». Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 6 de julho de 2014 
  16. «Madonna – You Can Dance (Oricon)» (em inglês). Oricon. Consultado em 6 de julho de 2014. Arquivado do original em 10 de setembro de 2009 
  17. «Madonna – You Can Dance (VG-lista)» (em inglês). VG-lista. Consultado em 6 de julho de 2014 
  18. «Madonna – You Can Dance (Recording Industry Associstion of New Zealand)» (em inglês). Recording Industry Association of New Zealand. Consultado em 6 de julho de 2014 
  19. «Madonna – You Can Dance (MegaCharts)» (em inglês). MegaCharts. Consultado em 6 de julho de 2014 [ligação inativa]
  20. «Madonna – You Can Dance (UK Albums Chart)» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 6 de julho de 2014 
  21. «Madonna – You Can Dance (Sverigetopplistan)» (em inglês). Sverigetopplistan. Consultado em 6 de julho de 2014 
  22. «Madonna – You Can Dance (Schweizer Hitparade)» (em inglês). Schweizer Hitparade. Consultado em 6 de julho de 2014 
  23. «Hot Dance Music/Club Play: Week Ending December 26, 1987». Billboard. 99 (52). 26 de dezembro de 1987. ISSN 0006-2510. Consultado em 6 de julho de 2014 
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Madonna é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.