The Immaculate Collection

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The Immaculate Collection
Coletânea musical de Madonna
Lançamento 9 de novembro de 1990 (1990-11-09)
Gravação 1983 — 1990
Gênero(s)
Duração 73:32
Formato(s)
Gravadora(s) Sire
Produção
Cronologia compilações de Madonna
I'm Breathless
(1990)
Erotica
(1992)
Singles de The Immaculate Collection
  1. "Justify My Love"
    Lançamento: 6 de novembro de 1990
  2. "Rescue Me"
    Lançamento: 26 de fevereiro de 1991
  3. "Holiday (re-lançamento no Reino Unido)"
    Lançamento: 4 de março de 1991

The Immaculate Collection é um álbum de grandes sucessos da artista musical estadunidense Madonna, lançado pela Sire Records em 9 de novembro de 1990. Contém novos remixes de quinze de seus singles de sucessos de 1983 a 1990, com mais duas canções inéditas, "Justify My Love" e "Rescue Me". Seu título é um trocadilho sobre a Imaculada Conceição, a concepção da Virgem Maria sem a mancha do pecado original. Um extended play (EP) The Holiday Collection foi lançado na Europa para acompanhar o álbum e o relançamento do single "Holiday". É o primeiro álbum a usar a tecnologia de áudio QSound.

"Justify My Love", o primeiro single do álbum, se tornou o nono número um de Madonna na Billboard Hot 100, e foi um dos singles mais polêmicos devido ao seu videoclipe sexualmente explícito. "Rescue Me" foi lançado como o segundo single e se tornou o single de maior sucesso no Hot 100 por uma artista feminina na época, entrando na tabela no número quinze e chegando ao número nove. The Immaculate Collection tornou-se o segundo álbum de Madonna a ser certificado de diamante pela Recording Industry Association of America pelas mais de dez milhões de cópias nos Estados Unidos. Também passou o segundo maior número de semanas consecutivas em número um de uma artista solo feminina no Reino Unido, sendo o número um para um período de nove semanas. O álbum vendeu 30 milhões de cópias em todo o mundo, tornando-se o álbum de compilação mais vendido por um artista solo e um dos álbuns mais vendidos de todos os tempos.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

O título do álbum é um trocadilho sobre a Imaculada Conceição da Virgem Maria (foto)

O título real do álbum, The Immaculate Collection, é um trocadilho sobre a Imaculada Conceição, a concepção da Virgem Maria sem a mancha do pecado original.[1] No encarte, Madonna dedicou o álbum ao "Papa, minha inspiração divina". Isto levou muitos a acreditar que foi dedicado ao Papa João Paulo II, mas na verdade foi dedicado ao seu irmão, Christopher Ciccone, que passou o ano em turnê com Madonna na Blond Ambition World Tour e cujo apelido é "O Papa".[2] O álbum se tornou o primeiro a usar uma tecnologia de áudio QSound.[3]

Todas as músicas do The Immaculate Collection, com exceção das duas novas músicas, foram remixados por Shep Pettibone ao lado de Goh Hotoda e Michael Hutchinson e alguns também foram editados para baixo de seus comprimentos originais, a fim de diminuir o tempo de execução geral. Enquanto todos os vocais permanecem os mesmos que nas gravações originais, "Like a Prayer" e "Express Yourself" apresentam músicas diferentes que apoiam os vocais de Madonna do que o lançamento original do álbum. Pettibone comentou:

"Bem, na verdade algumas das músicas nós mudamos um pouco, mas a maioria das músicas nós mantivemos em sua forma original. Como "Holiday", "Lucky Star", etc., essas foram todas as produções originais. O remix era apenas para criar o Q Sound, e fazer a música meio que envolvê-lo quando você o ouve em um certo ponto na frente dos alto-falantes [...] Isso não foi fácil de fazer. Mas então, novamente, esse foi um desses – você sabe, "Depressa, isso tem que sair semana passada". Isso foi um trabalho rápido de corrida".[4]

A Warner Bros. lançou um extended play (EP) no Reino Unido e na Europa intitulado The Holiday Collection, que tinha o mesmo design do The Immaculate Collection.[5][6] A versão completa de "Holiday" foi incluída ao lado de "True Blue", "Who's That Girl" e um remix de "Causing a Commotion". O relançamento de "Holiday", eventualmente, foi para o número cinco nas paradas do Reino Unido.[7]

Novo material[editar | editar código-fonte]

"Ingrid escreveu algumas das letras dos versos. Por certas razões pessoais e profissionais na época, concordamos em não colocar seu nome nele. Nós assinamos um contrato. Ela recebe os royalties. Tornou-se um grande sucesso e ela tentou fazer como ela fez a coisa toda".

—Lenny Kravitz respondendo ao processo de Chavez[8]

Duas novas músicas foram adicionadas ao álbum junto com os maiores sucessos de Madonna.[9] "Justify My Love" foi originalmente escrito por Ingrid Chavez, amiga e protegida de Prince, e Lenny Kravitz; ele e o produtor André Betts compuseram a música enquanto Chávez escreveu as letras com base em um poema que ela havia escrito para Kravitz.[10] Kravitz adicionou o título hook e chorus à demo, enquanto Madonna corrigiu uma linha.[11] Chavez não foi creditada pela música e mais tarde processou Kravitz em 1992: ela recebeu um acordo extrajudicial e ganhou crédito por seu trabalho. Quando o processo foi resolvido, o advogado de Chavez, Steven E. Kurtz, esclareceu que o crédito adicional por escrito de Madonna não foi questionado no processo.[12]

"Justify My Love" é uma música trip hop que contém vocais falados por Madonna.[13] Um remix da música, intitulado "The Beast Within", foi incluído em alguns lançamentos únicos. O remix usa apenas o refrão e certas linhas da música original, com os versos sendo substituídos por passagens do Livro do Apocalipse. A música chamou a atenção da mídia pela primeira vez em 1991, quando o Centro Simon Wiesenthal acusou a música de conter letras anti-semitas, especificamente a letra "aqueles que dizem que são judeus, mas não são. Eles são uma sinagoga de Satanás".[14] Madonna prontamente respondeu: "Eu certamente não tinha nenhuma intenção anti-semita quando incluí uma passagem da Bíblia em minha música. Foi um comentário sobre o mal em geral. Minha mensagem, se houver, é pró-tolerância e anti-ódio. A música é, afinal, sobre o amor".[15]

Uma faixa dance e house chamada "Rescue Me" também foi adicionada à compilação como uma nova música.[16][17] Liricamente, "Rescue Me" expressa a extinção do comportamento perturbado em um relacionamento. A música começa com um batimento cardíaco e um trovão, seguidos por uma linha de baixo proeminente, um piano, um encaixe e uma percussão. Madonna começa a cantar "Eu estou falando/Eu acredito no poder do amor/Eu estou cantando/Eu acredito que você pode me resgatar" antes de se envolver com os vocais falados, como em "Justify My Love". Ela canta "Resgata-me/É difícil acreditar que seu amor me deu esperança/Me resgate/É difícil acreditar que estou me afogando, baby jogue sua corda" sobre o refrão.[18] Em um verso da música, Madonna canta "E enquanto eu estou ajoelhada lá de repente eu começo a me importar", o que foi comparado ao sexo oral.[19]

Singles[editar | editar código-fonte]

"Justify My Love" foi lançado como o primeiro single do álbum em 6 de novembro de 1990. Ele se tornou seu nono número um na Billboard Hot 100, permanecendo nas duas primeiras semanas, e o número dois no UK Singles Chart.[20][21] Em todo o mundo, "Justify My Love" também liderou as paradas em muitos países, incluindo Canadá, Finlândia e os cinco primeiros em muitos países, incluindo Austrália, Itália e Espanha.[22][23][24][25][26] O videoclipe foi banido da MTV, devido ao seu conteúdo explícito, incluindo sexo, beijo homossexual e nudismo.[27][28][29] Devido a essa proibição, o videoclipe foi lançado como um single de vídeo e se tornou o mais vendido nesse formato de todos os tempos.[30]

"Rescue Me" foi lançado como o segundo single, estreando no número quinze, tornando-se o single de maior sucesso na Billboard Hot 100 por uma artista feminina na época, chegando ao número nove.[31] O single também alcançou o número dez na Irlanda, Itália e Reino Unido. "Rescue Me" vendeu 134,767 cópias no Reino Unido a partir de agosto de 2008.[32]

Recepção critica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic 5 de 5 estrelas.[33]
Blender 5 de 5 estrelas.[34]
Robert Christgau A+[35]
Entertainment Weekly A[36]
Mojo favorável[37]
Q 5 de 5 estrelas.[38]
Rolling Stone 5 de 5 estrelas.[39]
Sputnikmusic 3 de 5 estrelas.[40]

The Immaculate Collection recebeu aclamação universal dos críticos. Stephen Thomas Erlewine da AllMusic classificou o álbum em cinco de cinco estrelas. Ele começa dizendo que "Na superfície ... [o álbum] parece ser uma retrospectiva definitiva do apogeu de Madonna nos anos 80". No entanto, sua opinião é que a remasterização em QSound, tornou algumas das músicas mais rápidas do que as versões originais e outras mudanças, faz com que "enquanto todos os hits estejam presentes, eles simplesmente não estão em suas versões corretas". No entanto, ele conclui que "até que as versões originais sejam compiladas em outro álbum, The Immaculate Collection é o mais próximo de uma retrospectiva definitiva."[33] Robert Christgau deu ao álbum uma nota A+ e o chamou de "o maior álbum da vida mortal de [Madonna]". Ele disse que o álbum apresenta "dezessete sucessos, mais da metade deles clássicos indeléveis."[35]

A revista Q disse que seu "título ambicioso" foi justificado por "conteúdo magnífico: melhor de 17 faixas, reforçado pela sensualidade de Lenny Kravitz, Justify My Love (e Rescue Me)".[38] Jim Farber, da Entertainment Weekly, deu ao álbum uma nota A, dizendo: "Mais do que um mero conjunto de grandes sucessos, é de longe a mais apanhada coleção de singles dos anos 80."[36] Ross Bennett da Mojo chamou o álbum de "verdadeiramente o melhor dos melhores" e afirmou: "Isso tem que estar lá em cima com o Abba Gold como uma coleção de singles tão profundamente enraizados na consciência coletiva [...] Mas não há como negar o pop up por trás dos primeiros 15 anos de sucesso da cantora Ciccone, aqui brilhantemente empacotada, em suspiro, em ordem cronológica.[37]

Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

A revista Blender classificou o álbum em primeiro lugar em sua lista de "100 Melhores Álbuns Americanos de Todos os Tempos".[41] Em 2012, o álbum ficou em 184º lugar na lista dos 500 melhores álbuns de todos os tempos da revista Rolling Stone.[42]

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

The Immaculate Collection apresenta dezessete faixas em ambas as edições padrão e da iTunes Store.

The Immaculate Collection – Edição padrão
TítuloCompositor(es)Produtor(es) Duração
1. "Holiday"  
  • Curtis Hudson
  • Lisa Stevens
John "Jellybean" Benitez 4:04
2. "Lucky Star"  MadonnaReggie Lucas 3:39
3. "Borderline"  LucasLucas 4:00
4. "Like a Virgin"  
  • Billy Steinberg
  • Tom Kelly
Nile Rodgers 3:11
5. "Material Girl"  
  • Peter Brown
  • Robert Rans
Rodgers 3:53
6. "Crazy for You"  
  • John Bettis
  • Jon Lind
Benitez 3:45
7. "Into the Groove"  
  • Madonna
  • Bray
  • Shep Pettibone[a]
4:10
8. "Live to Tell"  
  • Madonna
  • Leonard
5:19
9. "Papa Don't Preach"  
  • Brian Elliot
  • Madonna[b]
  • Madonna
  • Bray
4:11
10. "Open Your Heart"  
  • Madonna
  • Gardner Cole
  • Peter Rafelson
  • Madonna
  • Leonard
3:48
11. "La Isla Bonita"  
  • Madonna
  • Leonard
  • Bruce Gaitsch
  • Madonna
  • Leonard
3:47
12. "Like a Prayer"  
  • Madonna
  • Leonard
  • Madonna
  • Leonard
5:51
13. "Express Yourself"  
  • Madonna
  • Bray
  • Madonna
  • Bray
  • Pettibone[a]
4:04
14. "Cherish"  
  • Madonna
  • Leonard
  • Madonna
  • Leonard
3:52
15. "Vogue"  
  • Madonna
  • Pettibone
  • Madonna
  • Pettibone
  • Craig Kostich[c]
 
16. "Justify My Love"  
  • Kravitz
  • André Betts[d]
5:35
17. "Rescue Me"  
  • Madonna
  • Pettibone
  • Madonna
  • Pettibone
5:31
Duração total:
73:34
Notas
A - denota produtores adicionais
B - denota escritores adicionais
C - denota produtores executivos
D - denota produtores associados
  • Todas as canções foram remixadas por Shep Pettibone usando a tecnologia QSound, exceto "Justify My Love" e "Rescue Me".

Desempenho comercial[editar | editar código-fonte]

Nos Estados Unidos, The Immaculate Collection estreou no número 32 na Billboard 200 na semana de 1 de dezembro de 1990.[44] Mais tarde, chegou ao número dois, e permaneceu 141 semanas no gráfico, e vendeu 10 milhões de cópias em todo o país.[45] O álbum foi certificado com Diamante (10× Platina) pela Recording Industry Association of America (RIAA) após suas vendas.[46] A partir de 2016, o álbum vendeu mais de 5,992,000 cópias nos EUA após o advento da era Nielsen SoundScan em 1991.[47]

Em 24 de novembro de 1990, The Immaculate Collection estreou em primeiro lugar no UK Albums Chart, permanecendo lá por nove semanas, tornando-se o álbum mais vendido do Reino Unido em 1990, também quebrando o recorde de maior número de semanas consecutivas no número um por uma artista feminina solo, um álbum que não seria igualado até 2011 pelo álbum 21 de Adele.[48][49] No Reino Unido, The Immaculate Collection foi certificada com doze platinas pela British Phonographic Industry (BPI) pelas 3,6 milhões de cópias.[50] Em agosto de 2018, o álbum foi confirmado pela Official Charts Company por ter vendido 3,73 milhões de cópias,[51] tornando-se o álbum mais vendido por uma artista feminina solo na história britânica,[52] o quarto maior sucesso de vendas do Reino Unido por qualquer artista,[51] e o 13º álbum mais vendido de todos os tempos no Reino Unido.[52] Na França, o álbum foi certificado com Diamante pelas um milhão de cópias comercializadas.[53]

The Immaculate Collection recebeu doze certificações de platina pela Australian Recording Industry Association, tornando-se um dos álbuns mais vendidos na Austrália.[54] The Immaculate Collection vendeu mais de 30 milhões de cópias em todo o mundo, tornando-se o álbum mais vendido de Madonna e um dos álbuns mais vendidos do mundo de todos os tempos. Ele também continua sendo o álbum de compilação mais vendido já lançado por um artista solo.[55][56][57][58][59]

Posições em tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Certificações e vendas[editar | editar código-fonte]

Região Certificação Vendas
África do Sul (RiSA)[106] Platina 50,000^
Alemanha (BVMI)[107] 3× Ouro 750,000^
Argentina (CAPIF)[108] 3× Platina 180,000^
Austrália (ARIA)[54] 12× Platina 880,000[109]
Áustria (IFPI Áustria)[110] Platina 50,000*
Brasil (Pro-Música Brasil)[111] 2× Platina 500,000*
Canadá (Music Canada)[112] 7× Platina 700,000^
Dinamarca (IFPI Dinamarca)[113] Platina 80,000^
Espanha (PROMUSICAE)[26] 3× Platina 300,000^
Estados Unidos (RIAA)[114] Diamante 10,000,000^
Finlândia (Musiikkituottajat)[115] Platina 92,500^
França (SNEP)[53] Diamante 1,128,700[116]
Japão (RIAJ)[117] 4× Platina 800,000^
Nova Zelândia (RIANZ)[118] 7× Platina 105,000^
Países Baixos (NVPI)[119] 3× Platina 300,000^
Reino Unido (BPI)[50] 12× Platina 3,770,000[51]
Suécia (GLF)[120] Platina 50,000^
Suíça (IFPI Suíça)[121] Platina 50,000^
Resumos
Mundo 30,000,000[56]

^distribuições baseadas apenas na certificação
*números de vendas baseados somente na certificação

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Taraborrelli, J. Randy (4 de setembro de 2008). «Madonna: An Intimate Biography». Pan Macmillan – via Google Books 
  2. Sickels, Robert C. (8 de agosto de 2013). «100 Entertainers Who Changed America: An Encyclopedia of Pop Culture Luminaries [2 volumes]: An Encyclopedia of Pop Culture Luminaries». ABC-CLIO – via Google Books 
  3. «QSound Chronology». Qsound.com. Consultado em 11 de janeiro de 2012 
  4. «'Vogue' Producer Shep Pettibone's First Interview in 20 Years: On Making a Madonna Classic & Why He Left Music Behind» 
  5. Rooksby, Rikky (2004). The Complete Guide to the Music of Madonna. [S.l.]: Omnibus Press. ISBN 0-7119-9883-3 
  6. Morton, Andrew (2002). Madonna: A Biography. [S.l.]: Macmillan Publishers. ISBN 0-312-98310-7 
  7. «Madonna». Official Charts Company. Consultado em 18 de setembro de 2016 
  8. «Lawrence Journal-World - Google News Archive Search» 
  9. «Sarasota Herald-Tribune - Google News Archive Search» 
  10. Hernandez, Jorge (21 de junho de 2013). «Exclusive: Prince Collaborator Ingrid Chavez 'Deep' EP Debut». Vibe. Consultado em 12 de abril de 2014 
  11. Ressner, Jeffrey (16 de agosto de 1991). «Justify My Claim». Entertainment Weekly. Consultado em 12 de abril de 2014 
  12. «Settlement Reached in Lawsuit over 'Justify My Love' Credit». Associated Press. 29 de janeiro de 1992. Consultado em 12 de abril de 2014 
  13. Shetty, Sharan (16 de junho de 2015). «Madonna and Led Zeppelin Make a Startling, Sensual Pairing in "Justify a Whole Lotta Love"» – via Slate 
  14. Philips, Chuck (4 de janeiro de 1991). «Anger Over Madonna Single». Los Angeles Times. Consultado em 18 de setembro de 2016 
  15. «Madonna Refutes Rabbi's Accusation Of Anti-Semitism in a Song Lyric». The New York Times. 5 de janeiro de 1991 
  16. DeCurtis, Anthony; Henke, James; George-Warren, Holly (1 de janeiro de 1992). «The Rolling Stone Album Guide: Completely New Reviews : Every Essential Album, Every Essential Artist». Random House – via Google Books 
  17. Taraborrelli, J. Randy (4 de setembro de 2008). «Madonna: An Intimate Biography». Pan Macmillan – via Google Books 
  18. Reporter, Matthew Jacobs Entertainment; Post, The Huffington (22 de abril de 2014). «The Definitive Ranking Of Madonna Singles» 
  19. Benson, Carol; Metz, A. «Madonna the Companion Two Decades of Commentary (metz/benson)». Music Sales Group – via Google Books 
  20. Allmusic. Allmusic (13 de novembro de 1990).
  21. «Madonna: The Official Top 40». MTV. MTV Networks. Consultado em 20 de dezembro de 2010. Arquivado do original em 10 de outubro de 2010 
  22. Top Singles – Volume 53, No. 9, February 02 1991 Arquivado em 12-10-2012 no Wayback Machine.. Collectionscanada.gc.ca.
  23. Nyman, Jake (2005). Suomi soi 4: Suuri suomalainen listakirja (em finlandês) 1st ed. Helsinki: Tammi. ISBN 951-31-2503-3 
  24. Lescharts.com. Lescharts.com.
  25. «Madonna: Discografia Italiana» (em italiano). Federation of the Italian Music Industry. 1984–1999. Consultado em 8 de janeiro de 2010 
  26. a b Salaverri, Fernando (2005). Sólo éxitos: año a año, 1959–2002 1st ed. Espanha: Fundación Autor-SGAE. ISBN 8480486392 
  27. Lippens, Nate (2007). «Making Madonna: 10 Moments That Created an Icon». MSN Music. Consultado em 4 de janeiro de 2008 
  28. Rich, Joshua (20 de novembro de 1998). «Madonna Banned». Entertainment Weekly. Consultado em 27 de maio de 2008 
  29. Bronson 2002, p. 775
  30. Interviewer: Forrest Sawyer (3 de dezembro de 1990). «Nightline». Nightline. ABC 
  31. Cross 2007, p. 128
  32. Jones, Alan (19 de agosto de 2008). «The Immaculate Guide To 50 Years Of Madonna». Music Week. UBM plc. Consultado em 11 de junho de 2011 
  33. a b The Immaculate Collection (em inglês) no Allmusic
  34. Power, Tony (Setembro de 2003). «Madonna - The Immaculate Collection». Blender. Consultado em 18 de setembro de 2016. Arquivado do original em 18 de agosto de 2004 
  35. a b «Robert Christgau: CG: madonna». Robertchristgau.com. Consultado em 6 de janeiro de 2015. Arquivado do original em 6 de junho de 2011 
  36. a b «The Girl Material». Entertainment Weekly. Consultado em 6 de janeiro de 2015 
  37. a b «MOJO – The World's Best Music Magazine». Mojo. Consultado em 6 de janeiro de 2015. Arquivado do original em 16 de junho de 2013 
  38. a b Eccleston, Danny (março de 1998). «Disco-Graphy». Q (138): 92. ISSN 0955-4955 
  39. The Rolling Stone Album Guide: Madonna. [S.l.]: Simon & Schuster. 2004. p. 508. ISBN 9780743201698. Consultado em 27 de fevereiro de 2015 
  40. Butler, Nick (16 de janeiro de 2005). «Madonna — The Immaculate Collection (staff review)». Sputnikmusic. Consultado em 3 de abril de 2012 
  41. «100 Greatest American Albums of All Time». Blender. Consultado em 22 de novembro de 2010 
  42. «#184 The Immaculate Collection». Rolling Stone. 1 de novembro de 2003. Consultado em 18 de junho de 2013 
  43. «The Immaculate Collection by Madonna». Apple. iTunes. Consultado em 7 de julho de 2011 
  44. «Top 200 Albums - Billboard» 
  45. «Ask Billboard» 
  46. «Madonna Nets 'Immaculate' RIAA Diamond» 
  47. «Ask Billboard: Madonna's Career Album Sales» 
  48. «1990-11-24 Top 40 Official UK Albums Archive». Official Charts Company. 24 de dezembro de 1990. Consultado em 11 de janeiro de 2012 
  49. «Tony Blackburn with the UK's Bestselling Albums». BBC Radio 2. 9 de abril de 2012. Consultado em 10 de abril de 2012 
  50. a b «Certificações (Reino Unido) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection» (em inglês). British Phonographic Industry. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  51. a b c Myers, Justin. «Madonna's Official biggest selling albums». Official Charts Company (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  52. a b Myers, Justin (10 de agosto de 2018). «60 incredible chart facts and feats about Madonna». Official Charts Company. Consultado em 10 de agosto de 2018 
  53. a b «Certificações (França) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection» (em francês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  54. a b «ARIA Charts – Accreditations – 2002 Albums» (em inglês). Australian Recording Industry Association. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  55. Arthington, Mirra (7 de outubro de 2007). «Warner finds solace in farewell CD». London. Music Week. 32 (09): 21. ISSN 0265-1548. Consultado em 20 de novembro de 2011. Arquivado do original em 8 de julho de 2012 
  56. a b Mitchell, John (16 de agosto de 2011). «Happy Birthday, Madonna!». MTV (MTV Networks). Consultado em 18 de agosto de 2011. Arquivado do original em 12 de julho de 2012 
  57. «The top 20 fastest-selling albums - 13. Madonna: The Immaculate Collection». Consultado em 13 de agosto de 2011 
  58. Kawaguchi, Judith (23 de outubro de 2007). «Words to Live by: Goh Hotoda». Japan Times. Consultado em 2 de dezembro de 2009 
  59. «Desconhecido». The Irish Times. Consultado em 6 de janeiro de 2015. (pede subscrição (ajuda)) 
  60. «SMusic Divas & Rock Bands Top South African Certifications» (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  61. «Madonna – The Immaculate Collection (GfK Entertainment Charts)» (em inglês). GfK Entertainment Charts. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  62. «Madonna – The Immaculate Collection (ARIA Charts)» (em inglês). ARIA Charts. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  63. «Madonna – The Immaculate Collection (Ö3 Austria Top 40)» (em inglês). Ö3 Austria Top 40. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  64. «Madonna – The Immaculate Collection (RPM)» (em inglês). RPM. Consultado em 26 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 26 de fevereiro de 2020 
  65. Salaverri, Fernando (Setembro de 2005). Sólo éxitos: año a año, 1959–2002. Espanha: Fundación Autor-SGAE 
  66. «Madonna (Billboard 200)» (em inglês). Billboard. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  67. Pennanen, Timo (2006). Sisältää hitin. Keuruu: Otava. p. 201 
  68. «Madonna – The Immaculate Collection (Syndicat National de l'Édition Phonographique)» (em inglês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  69. «Madonna – The Immaculate Collection (Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége)» (em húngaro). Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  70. «Madonna – The Immaculate Collection (Oricon)» (em japonês). Oricon. Arquivado do original em 26 de fevereiro de 2020 
  71. «Madonna – The Immaculate Collection (Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas)» (PDF) (em espanhol). Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  72. «Madonna – The Immaculate Collection (VG-lista)» (em inglês). VG-lista. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  73. «Madonna – The Immaculate Collection (Recording Industry Association of New Zealand)» (em inglês). Recording Industry Association of New Zealand. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  74. «Madonna – The Immaculate Collection (MegaCharts)» (em inglês). MegaCharts. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  75. «Madonna – The Immaculate Collection (Official Charts Company)» (em inglês). UK Albums Chart. The Official Charts Company. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  76. «Madonna – The Immaculate Collection (Sverigetopplistan)» (em inglês). Sverigetopplistan. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  77. «Madonna – The Immaculate Collection (Schweizer Hitparade)» (em inglês). Schweizer Hitparade. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  78. «Madonna – The Immaculate Collection (Ultratop 40)» (em inglês). Ultratop 40. Hung Median. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  79. «Madonna – The Immaculate Collection (The Official Charts Company)» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  80. «Madonna – The Immaculate Collection (Hitlisten)» (em inglês). Hitlisten. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  81. «Madonna – The Immaculate Collection (Irish Recorded Music Association)» (em irlandês). Irish Recorded Music Association. 1 de maio de 2008. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  82. «GFK Chart-Track». Chart-track.co.uk. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  83. «ARIA Charts — End of Year Charts — Top 50 Albums 1990». aria.com.au. Australian Recording Industry Association. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  84. «Top 100 Albums of 1990». RPM. 22 de dezembro de 1990. Consultado em 26 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 18 de outubro de 2015 
  85. «Hit Parade Italia – Gli album più venduti del 1990» (em ita). hitparadeitalia.it. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  86. «Dutch charts jaaroverzichten 1991» (em Holandês). Dutchcharts.nl. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  87. a b «Everyhit.com: UK Year-End Album Charts». Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  88. «Top 100 Album-Jahrescharts». GfK Entertainment (em alemão). offiziellecharts.de. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  89. «ARIA Charts — End of Year Charts — Top 50 Albums 1990». aria.com.au. Australian Recording Industry Association. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  90. «RPM 100 Albums (CDs & Cassettes) of 1991». RPM. 21 de dezembro de 1991. Consultado em 26 de fevereiro de 2020. Arquivado do original em 8 de abril de 2014 
  91. «Year-end Charts – Billboard 200 – 1991». Billboard. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  92. «Oricon Year-end Albums Chart of 1991» (em japonês). Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  93. «The Official New Zealand Music Chart». nztop40.co.nz. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  94. «Dutch charts jaaroverzichten 1991» (em Holandês). Dutchcharts.nl. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  95. «Hitparade.ch – Schweizer Jahreshitparade 1991». Hung Medien. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  96. «ARIA Charts - End of Year Charts - Top 50 Albums 1992». Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  97. «Billboard 200 Albums : Nov 18, 2016 - Billboard Chart Archive». Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  98. «End of Year Charts - Top 50 Albums 1993». ARIA Charts. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  99. «End of Year Album Chart Top 100 - 2000». Official Charts Company. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  100. «End of Year Album Chart Top 100 - 2001 - Official Charts Company». Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  101. «2002 Year-End Charts» (PDF). Official Charts Company. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  102. «2003 Year-End Charts» (PDF). Official Charts Company. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  103. «2004 Year-End Charts» (PDF). Official Charts Company. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  104. «2006 Year-End Charts» (PDF). Official Charts Company. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  105. «Top 10 selling albums of the 1990s in the UK.». Evening Chronicle. Newcastle upon Tyne. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  106. «Mi2N: Music Divas & Rock Bands Top South African Certifications». Music Industry News Network (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  107. «Certificações (Alemanha) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection» (em alemão). Bundesverband Musikindustrie. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  108. «Certificações (Argentina) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection». Cámara Argentina de Productores de Fonogramas y Videogramas. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  109. Dale, David. «The music Australia loved». The Sydney Morning Herald (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  110. «Certificações (Áustria) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection» (em alemão). IFPI Áustria. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  111. «Certificações (Brasil) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection». Pro-Música Brasil. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  112. «Certificações (Canadá) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection» (em inglês). Music Canada. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  113. «Certificações (Dinamarca) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection» (em dinamarquês). IFPI Dinamarca. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  114. «Certificações (Estados Unidos) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection» (em inglês). Se necessário, clique em Advanced, depois clique em Format, depois selecione Album, depois clique em SEARCH. Recording Industry Association of America. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  115. «Kulta- ja platinalevyt – Madonna – The Immaculate Collection» (em finlandês). Musiikkituottajat. IFPI Finlândia. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  116. «Les Meilleures Ventes de CD / Albums "Tout Temps"» (em francês). Infodisc.fr. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  117. «Certificações (Japão) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection» (PDF) (em japonês). Recording Industry Association of Japan. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  118. «Certificações (Nova Zelândia) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection» (em inglês). Recorded Music NZ. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  119. «Certificações (Países Baixos) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection» (em neerlandês). Digite Music na caixa "Artiest of titel". Nederlandse Vereniging van Producenten en Importeurs van beeld- en geluidsdragers. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  120. «Guld- och Platinacertifikat − 1987−1998» (PDF) (em sueco). IFPI Suécia. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  121. «Certificações (Suíça) (álbum) – Madonna – The Immaculate Collection» (em inglês). IFPI Suíça. Hung Medien. Consultado em 26 de fevereiro de 2020