Arado Ar 234

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ar 234
Arado Ar 234 B-2 no Museu do Ar e Espaço dentro do Steven F. Udvar-Hazy Center Estados Unidos
Descrição
País de origem  Alemanha Nazista
Fabricante Arado Flugzeugwerke
Quantidade
produzida
210 unidade(s)
Primeiro voo 15 de junho de 1943 (71 anos)
Entrada em serviço setembro de 1944
Missão Avião bombardeiro e de reconhecimento
Tripulação 1
Dimensões
Comprimento 12,65 m
Envergadura 14,40 m
Altura 4,29 m
Área (asas) 26,4 m²
Peso
Tara 4800 kg
Peso bruto máximo 8000 kg
Propulsão
Motores 2x turbojatos Junkers Jumo 109-004A-0 1 852 lbf (840 kgf)
Força (por motor) 8.83 kN
Performance
Velocidade máxima 780 km/h
Alcance 2000 km
Tecto máximo 16370 m
Relação de subida 13 m/s
Armamento
Metralhadoras 2x canhões MG 151 de 20 mm (0,787 in)
Mísseis/Bombas Até de 1 500 kg (3 310 lb) de bombas em racks externos
Notas
Dados da Wikipédia anglófona - Ar 234B-2

Apresentação[editar | editar código-fonte]

O Arado Ar 234 inovou em ter sido o primeiro avião a ter piloto automático e ser provido com pára-quedas de frenagem.

Foi projetado inicialmente como avião de reconhecimento, porém poucos operaram antes do final da guerra. O bombardeiro operou em tão baixo número que não teve influência alguma no curso do conflito, embora os de reconhecimento obtivessem melhores resultados, voando praticamente imunes aos caças aliados graças à sua grande velocidade.

Mesmo assim, a fábrica de aviões Arado desenvolveu uma série do mesmo aparelho (Ar 234C) com quatro turbinas, visando ainda mais velocidade. O Ar 234 demonstrou grande valia como avião de reconhecimento, durante a invasão da Normandia pelas forças aliadas, o avião fotografou os desembarques de tropas e cargas nas praias, dando a Wehrmacht a real dimensão da força inimiga. Em 1945, a versão bombardeiro do Ar 234 teve participação na ofensiva alemã nas Ardenas, bombardeando aeródromos aliados.

O aparelho também teve uma versão de caça noturno, mas não se tem registro que tenha conseguido algum abate.

História[editar | editar código-fonte]

O Blitz (Relâmpago) foi o único bombardeiro turbojato a entrar em operação na Segunda Guerra Mundial, e, por isso, foi um importante marco no desenvolvimento da aviação militar.

Suas origens datam de uma especificação de 1940, emitida pelo Ministério da Aeronáutica alemão para um avião de reconhecimento rápido com motor turbojato.

Um programa intensivo de projeto e desenvolvimento resultou em nada menos que 18 protótipos com dois motores Junkers 004 ou quatro turbojatos BMW 003, provisão para sistema de decolagem auxiliada por foguetes, uma cabine com ou sem pressurização e assento ejetável para o piloto; uma desajeitada combinação de um carrinho, que era lançado durante a decolagem, e esquis extensíveis para aterrissagem.

Quatro B-1s foram operados pelo Sonderkommando Götz, baseado em Rheine a partir de julho de 1944, para missões de reconhecimento e no inicio de outubro, em missões de reconhecimento sobre a Europa, ocupada pelos Aliados e Ilhas Britânicas.

Referências[editar | editar código-fonte]

Coleção Armas de Guerra - Livro 1: Aeronaves de Caça e de Reconhecimento_pag 27/Abril Coleções.

Imagens[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Arado Ar 234
Ícone de esboço Este artigo sobre um avião, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.