Atol Moruroa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Localização de Mururoa no arquipélago
Foto de satélite

O Atol Moruroa (por vezes, chamado por erro de Mururoa[1] ) localiza-se no Arquipélago de Tuamotu, na Polinésia Francesa. Tornou-se conhecido, tal como o atol Fangataufa, desde que a França ali iniciou seus testes nucleares. Entre 1966 e 1974 foram feitos 46 testes atmosféricos e 150 subterrâneos.

Embora os antigos polinésios conhecessem o atol de Moruroa pelo nome ancestral de Hiti-Tautau-Mai, não existe prova histórica de que tenha sido permanentemente habitado.

O primeiro registo de um europeu a visitar o atol é o do comandante Philip Carteret a bordo do HMS Swallow em 1767, apenas alguns dias antes de ter descoberto Pitcairn. Carteret chamou Moruroa como "Ilha do Bispo de Osnaburgh".

Em 1985 o navio Warrior do Greenpeace esteve fazendo protestos na região.

Em setembro de 1995, houve uma série de manifestações em todo mundo contra a retomada de testes na região fazendo com que os novos testes fossem interrompidos em janeiro de 1996.

Referências

  1. A designação « Mururoa » é a mais comum em francês, e figura como primeira entrada nos dicionários desta língua, mas o nome polinésio do atol é Moruroa, que significa «ilha secreta» em língua taitiana.
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Polinésia Francesa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.