Conflito de Kivu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Conflito de Kivu
Kivu.png
A região de Kivu, na República Democrática do Congo
Data 2004 - 2009
Local Kivu, República Democrática do Congo
Desfecho CNDP dividido, organização dos milicianos hutus ruandeses enfraquecida em Ruanda. Milicianos hostis à esquerda no leste do Congo
Combatentes
República Democrática do Congo CNDP
Ruanda
 República Democrática do Congo
Ruanda FDLR
República Democrática do Congo milicias Mai-Mai
Nações Unidas MONUC
 Angola
 Zimbabwe
forças alinhadas aos Hutu
Principais líderes
República Democrática do Congo Laurent Nkunda
Ruanda Paul Kagame
República Democrática do Congo Joseph Kabila
Rwanda Ignace Murwanashyaka
República Democrática do Congo Mai-Mai Sikuli Lafontaine
Nações Unidas Babacar Gaye
Angola José Eduardo dos Santos
Zimbabwe Robert Mugabe
Forças
6.000 - 8.000 milícianos 20.000 regulares congolesas
3.500 milícianos Mai-Mai
6.000 - 7.000 milícianos
6.000 soldados da ONU
Vítimas
233+ mortos 71+ mortos

O conflito de Kivu é um conflito armado entre as forças armadas da República Democrática do Congo (FARDC) e do grupo Hutu, as Forças Democráticas para Libertação de Ruanda (FDLR). A Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo também se envolveu no conflito. Até Março de 2009, o grupo principal dos combatente contra as FARDC foi as forças rebeldes tutsis anteriormente sob o comando de Laurent Nkunda (Congresso Nacional para Defesa do Povo, CNDP).

O CNDP é simpático à Banyamulenge no leste do Congo, um grupo de etnia tutsi, e pelo governo dominado pelos Tutsi de Ruanda. Foi contestado pelos FDLR, pelo exército da RDC, e por forças das Nações Unidas.

Ver Também[editar | editar código-fonte]