Gugu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.


Gugu ("Swee'Pea" em inglês) é um personagem de quadrinhos criado por E. C. Segar nas histórias do Popeye. Seu nome original em inglês vem de uma flor conhecida nos EUA como Sweet Pea. Antes dele aparecer nas histórias, o nome "Sweet Pea" era um termo usado por Popeye para demonstrar afeto por alguma coisa, em um desenho animado chamado: É um Prazer Servi-lo "We Aim to Please", Popeye chamou Olívia Palito da mesma forma, na dublagem em inglês. Nas primeiras traduções brasileiras dos quadrinhos da turma do Popeye, o bebê "Swee'Pea" foi chamado de "Zezé" algumas vezes, e posteriormente recebeu o nome de "Gugu", que se tornou o mais conhecido até hoje.

História[editar | editar código-fonte]

Nos quadrinhos[editar | editar código-fonte]

Nas histórias em quadrinhos, Gugu é um bebê orfão encontrado na porta da casa do Popeye, ele foi deixado lá pela mãe que era muito pobre para cuidar dele. Popeye então o adota como seu filho.

O Gugu é encontrado em uma história do "Thimble Theatre", publicada no dia 24 de julho de 1933. A história começa quando Popeye recebe um pacote em sua porta, mas ao invés de fazer o lógico, e abri-lo, ele e Dudu começam a especular sobre o que poderia conter dentro do pacote. Quando ouvem estranhos sons que vêm de dentro da caixa, Popeye suspeita que um velho inimigo seu, enviou-lhe um animal selvagem que poderia pular para fora, e lhe arrancar o pescoço fora. Mais tarde, a caixa começa a fazer ruídos de chocalho, e os dois amigos se tornam convictos de que lá dentro haveria uma cobra venenosa. Popeye e Dudu então se preparam para disparar uma arma dentro da caixa para matar a tal "criatura" que havia lá dentro. Mas na última hora, Popeye reconsidera, e decide abrir a caixa, apesar dos riscos. Na próxima tira, do dia 28 de julho ele descobre, com satisfação, que a tal caixa continha um bebê abandonado, com um chocalho de brinquedo na mão [1], e um bilhete da mãe pedindo que o marinheiro protegesse e cuidasse do menino. As falas de Gugu nos quadrinhos, inicialmente eram representadas apenas pelo som "glop". À medida que os anos se passaram, Gugu foi sendo monstrado nos quadrinhos com idade suficiente para falar normalmente, tentar brigar e dar socos se ele precisasse, no entanto ele manteve a sua aparência de bebê e continuava engatinhando.

Nos desenhos animados[editar | editar código-fonte]

O primeiro curta animado em que Gugu apareceu foi "Little Swee' Pea" de 1936 (três anos após estreia nos quadrinho), mais tarde, ele também seria introduzido, em vários outros episódios. Mas, como em nenhum dos desenhos animados, nunca foi explicado de que maneira Popeye conheceu aquele bebê, muitas pessoas que conheciam somente as animações, e não os quadrinhos originais, nem faziam ideia de que Gugu era uma criança adotada por Popeye. Em alguns episódios o Gugu também é mostrado sendo orfão, e estando sob cuidados de Olívia Palito.

Filme live action[editar | editar código-fonte]

No filme Popeye (com atores reais) de 1980, é mostrada a origem do bebê Gugu como ela era nos quadrinhos. Porém na história do filme, Popeye encontra o Gugu junto com a Olívia, e não com Dudu. E inclusive é a Olívia que se assuta com o barulho do chocalho de bebê, pensando ser uma cascavel, e em vez de uma arma, Popeye se prepara para dar um soco no animal que supostamente estaria dentro da cesta. O papel de Gugu no filme foi feito por Wesley Ivan Hurt, o neto do diretor Robert Altman.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]