Hélio Bicudo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hélio Bicudo
Hélio Bicudo
Vice-Prefeito de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Período 1 de janeiro de 2001
até 1 de janeiro de 2005
Antecessor(a) Régis de Oliveira
Sucessor(a) Gilberto Kassab
Deputado Federal de São Paulo São Paulo
Período 1 de fevereiro de 1991
até 1 de fevereiro de 1995
Secretário de Negócios Jurídicos de São PauloBandeira da cidade de São Paulo.svg
Período 1989-1990
Ministro da Fazenda do Brasil Brasil (interino)
Período 27 de setembro de 1963
até 4 de outubro de 1963
Antecessor(a) Carvalho Pinto
Sucessor(a) Ney Neves Galvão
Vida
Nascimento 5 de julho de 1922 (92 anos)
Mogi das Cruzes, SP
Dados pessoais
Partido PT (1980-2005), sem partido (2005-)
Profissão jurista

Hélio Pereira Bicudo (Mogi das Cruzes, 5 de julho de 1922), é um jurista e político brasileiro. Militante dos Direitos Humanos.

Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, turma de 1947.

Durante o governo Carvalho Pinto, em São Paulo, foi o primeiro presidente das Centrais Elétricas de Urubupungá - Celusa, construtora das usinas de Jupiá e de Ilha Solteira.

Foi ministro interino da Fazenda no governo João Goulart, substituindo Carvalho Pinto de 27 de setembro a 4 de outubro de 1963.

Como Procurador de Justiça no Estado de São Paulo, destacou-se, juntamente com o então Promotor de Justiça Dirceu de Mello, no combate ao Esquadrão da Morte.

Em razão do combate ao Esquadrão da Morte e de todas as outras investigações de violações dos direitos humanos que conduziu neste período, teve o seu nome incluído no Serviço Nacional de Informações.

Em 1981, integrou a 1ª Diretoria Executiva da Fundação Wilson Pinheiro, fundação de apoio partidária instituída pela PT, antecessora da Fundação Perseu Abramo.

Em 1986 foi candidato ao senado pelo PT, ficando em terceiro lugar, atrás dos eleitos Mário Covas e Fernando Henrique Cardoso, ambos do PMDB.

Foi secretário dos Negócios Jurídicos do município de São Paulo na gestão de Luíza Erundina de 1989 a 1990, ano em que se elege deputado federal.

Em fevereiro de 2000, foi empossado como presidente da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, com sede em Washington. É o terceiro brasileiro a ocupar a presidência da entidade.

Foi vice-prefeito de São Paulo de 2001 a 2004, durante a gestão de Marta Suplicy.

Filiado ao PT desde a sua fundação, desfiliou-se do partido em 2005. Em 2010 veio a público declarar apoio a Marina Silva no primeiro turno e a José Serra no segundo turno.[1] Em 2012, apoiou novamente José Serra na disputa municipal paulista.

Criou e presidiu do início de 2003 à 25 de abril de 2013 Fundação Interamericana de Defesa dos Direitos Humanos (FidDH), entidade que atuou junto à Comissão Interamericana de Direitos Humanos denunciando e acompanhado casos de desrespeito aos Direitos Humanos no Brasil, cujo os processos denunciados e demais sob sua responsabilidade, foram transferidos aos cuidados de diversas entidades de mesma finalidade. O encerramento das atividades da FidDH, se deu por falta de recursos financeiros, cujo acervo bibliotecário foi doado à Pontifícia Universidade Católica PUC-SP no mesmo ano de encerramento de suas atividades, sob ato solene.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Hélio Bicudo


Precedido por
Carvalho Pinto
Ministro da Fazenda do Brasil
1963
Sucedido por
Carvalho Pinto
Precedido por
Régis de Oliveira
Vice-prefeito de São Paulo
2001 — 2004
Sucedido por
Gilberto Kassab


Ícone de esboço Este sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.