Rubens Ricupero

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rubens Ricúpero no Senado Federal do Brasil em 2011

Rubens Ricupero (São Paulo, 1 de março de 1937) é um jurista (formado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo) e diplomata brasileiro com proeminente atividade de economista. Diplomata de carreira de 1961 a 2004, exerceu, dentre outras, as funções de assessor internacional do presidente eleito Tancredo Neves (1984-1985), assessor especial do presidente José Sarney (1985-1987), representante permanente do Brasil junto aos órgãos da ONU sediados em Genebra (1987-1991) e embaixador nos Estados Unidos (1991-1993).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi ministro da Fazenda de 30 de março a 6 de setembro de 1994, durante o período de implantação do Plano Real. Encaminhou, em 30 de junho de 1994, ao presidente a exposição de motivos que criou o Plano Real,[1] um plano de estabilização econômica idealizado por uma equipe de economistas de que faziam parte Persio Arida, André Lara Resende, Gustavo Franco, Pedro Malan, Edmar Bacha, Clóvis Carvalho, Winston Fritsch, entre outros.

Cquote1.svg O ministro Ricupero foi o sacerdote do Plano Real. Mais até do que o FHC. Cquote2.svg
Presidente Itamar Franco[2]

Renunciou ao cargo em 6 de setembro de 1994, assim que se soube do vazamento, via satélite, de uma conversa sua com o jornalista da Rede Globo Carlos Monforte revelando alguns detalhes sobre o Plano Real, quando se preparava para entrar ao vivo no Jornal da Globo, em 1º de setembro. O episódio ficou conhecido como Escândalo da parabólica.

O sinal do link via satélite que transmitiria a entrevista já estava aberto (Canal 23) e os lares cujas antenas parabólicas estavam sintonizadas no canal privativo de satélite da Rede Globo captaram a conversa informal do ministro com o jornalista Carlos Monforte (que também é cunhado de Ricupero - a irmã do jornalista é mulher do ex-ministro). Sua fala foi "Eu não tenho escrúpulos. Eu acho que é isso mesmo: o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde". [3]

O fato foi um forte golpe na campanha presidencial do ex-ministro Fernando Henrique Cardoso, mas não o bastante para tirá-lo das primeiras colocações nas pesquisas. FHC venceu as eleições presidenciais ainda no primeiro turno.

No ministério, foi substituído por Ciro Gomes, que renunciara ao cargo de governador do estado do Ceará para assumir a pasta.

Ricupero foi então nomeado embaixador do Brasil na Itália e posteriormente eleito secretário geral da UNCTAD, pertencente à ONU, deixando o cargo em setembro de 2004, quando se aposentou como diplomata.

Atualmente é diretor da Faculdade de Economia da Fundação Armando Álvares Penteado, e presidente do Instituto Fernand Braudel, que promove pesquisas, debates e publicações sobre problemas institucionais como educação e segurança, política econômica, política energética, desenvolvimento econômico e relações internacionais.

Livros selecionados[editar | editar código-fonte]

Publicado abrange 48 obras em 58 publicações em quatro línguas e 400 explorações biblioteca:[4]

  • 2007 — A abertura dos portos
  • 2006 — A ONU no século XXI: perspectivas
  • 2004 — Beyond Conventional Wisdom in development policy: an Intellectual History of UNCTAD 1964-2004
  • 2001 — O Brasil e o dilema da globalização
  • 2000 — Rio Branco: o Brasil no mundo
  • 1998 — O ponto ótimo da crise. Rio de Janeiro: Ed. Revan. 10-ISBN 8571061513/13-ISBN 9788571061514; OCLC 254511468
  • 1995 — Visões do Brasi: ensaios sobre a história e a inserção internacional do Brasil. Rio de Janeiro;São Paulo: Ed. Record. 10-ISBN 8501043362/13-ISBN 9788501043368; OCLC 254090142
  • 1994 — A Nova inserção internacional do Brasil
  • 1994 — Estabilidade e crescimento: os desafios do real
  • 1993 — NAFTA and Brazil (with Sérgio Estanislav do Amaral, Robert Charles Kelso). Coral Gables, Florida: North-South Center, University of Miami. OCLC 29661557
  • 1992 — O Futuro do Brasil: a América Latina e o fim da guerra fria
  • 1991 — Brasil em mudança

Referências

  1. Ministério da Fazenda. Exposição de Motivos da MP do Plano Real (em português). Visitado em 29 de junho de 2008.
  2. JB Online; Marcello D'Angelo, Durval Guimarães e Marcos Seabra. FH assinou o real fora do governo (em português). Visitado em 2 de julho de 2008.
  3. O Escândalo da Parabólica. Youtube.com.
  4. WorldCat Identities: Ricupero, Rubens

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Fernando Henrique Cardoso
Ministro da Fazenda
1994
Sucedido por
Ciro Gomes
Precedido por
Fernando Coutinho Jorge
Ministro do Meio Ambiente e da Amazônia Legal
19931994
Sucedido por
Henrique Brandão Cavalcanti