Kahramanmaraş

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde maio de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Turquia Kahramanmaraş
Maraş, Markasi, Germanícia Cesareia, Germanikeia
 
—  Distrito (ilçe)  —
Avenida do centro da cidade
Avenida do centro da cidade
Mapa dos distritos da província de Kahramanmaraş
Mapa dos distritos da província de Kahramanmaraş
Kahramanmaraş está localizado em: Turquia
Kahramanmaraş
Localização de Kahramanmaraş na Turquia
37° 35' N 36° 56' E
Região Mediterrâneo
Província Kahramanmaraş
Administração
 - Governador (kaymakam) Şükrü Kocatepe [1]
 - Prefeito (belediye başkanı) Mustafa Poyraz (2009, AKP) [2]
Área [3]
 - Distrito (ilçe) 3 017 km²
Altitude 70 m (230 pés)
População (2012)[4]
 - Distrito (ilçe) 558 664
    • Densidade 185,17/km2 
 - Urbana 443 575
Código postal 46000
Prefixo telefónico 344
Sítio Governo distrital: www.kahramanmaras.gov.tr
Prefeitura: www.kahramanmaras.bel.tr

Kahramanmaraş é uma cidade e distrito (em turco: ilçe) do sul-sudeste da Turquia. É a capital da província homónima e faz parte da Região do Mediterrâneo. O distrito tem 3 017 km² de área e em 2012 a sua população era de 558 664 habitantes (densidade: 185,2 hab./km²), dos quais 443 575 moravam na cidade.[4]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O primeiro nome da cidade foi Markasi ou Marqasi, quando era a capital do reino sírio de Gurgum (também conhecido como Gumgum ou Gamgum), que existiu nos primeiros séculos do 1º milénio a.C..[carece de fontes?] Durante o período helenístico passou a ser chamada em grego: Γερμανίκεια; transl.: Germanikeia, que foi depois romanizado para Germanícia Cesareia (em latim: Germanicia Caesarea).[5]

Os Árabes chamaram-lhe Marʻaš (em árabe: مرعش‎; AFI[ˈmarʕaʃ]), que é também o nome em siríaco (ܡܪܥܫ) e deu origem a Maraix, Marache ou Marash nas línguas europeias ocidentais e foi usado pelos cruzados. O nome em turco foi Maraş ("Marache") até 1973, quando foi adicionado "Kahraman" (herói), uma menção à vitória das forças nacionalistas turcas sobre as tropas de ocupação francesas na batalha de Maraş em 1900.[carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

Germanícia Cesareia ou Germanikeia fez parte dos impérios romano e bizantino durante vários séculos antes de ser tomada pelos muçulmanos em 638 d.C.

Maraş foi utilizada como base para incursões árabes por toda a Ásia Menor e foi destruída diversas vezes nas batalhas contra os bizantinos. Foi reconstruída pelo califa omíada Muawiya I (r. 661–680) e expandida pelo califa abássida Harun al-Rashid (r. 786–809). Esteve também nas mãos dos Tulúnidas, Ikchídidas e Hamdanidas antes de ser reconquistada em 962 pelos Bizantinos sob o comando de Nicéforo II Focas.

Após a derrota do imperador bizantino Romano IV Diógenes na Batalha de Manziquerta, em 1071, Filareto Bracâmio, um ex-general bizantino fundou um principado que se estendia de Antioquia até Edessa, com capital em Germanícia.

Germanícia foi novamente capturada por Balduíno I de Jerusalém em 1098 durante a Primeira Cruzada e se tornou parte do Condado de Edessa. De acordo com Mateus de Edessa, ela foi destruída por um terremoto no qual morreram 10 000 pessoas, um número provavelmente exagerado. Em 1135, os Danismendidas cercaram sem sucesso a cidade, sem conseguir conquistá-la. Balduíno de Germanícia morreu numa guerra em 1146 quando tentava recuperar Edessa ao lado de Joscelino II de Edessa das mãos do soberano zengida Nur ad-Din. Seu sucessor, Reinaldo de Germanícia, também morreu na guerra, na batalha de Inab contra os Zengidas. Por fim, o Mesud I, do Sultanato de Rum, a conquistou em 1149.

Maraş foi novamente capturada pelos Zengidas em 1151 e recapturada pelos Seljúcidas no ano seguinte. Novamente recapturada pelos Zengidas, a cidade foi deixada para Melias da Arménia, seu colaborador. Finalmente, em 1182, a cidade passou para as mãos dos Aiúbidas.

Em 1253, Maraş foi conquistada pelas forças do Reino Arménio da Cilícia logo após a invasão da Anatólia pelos Mongóis do Ilcanato. A cidade foi deixada aos Armênios na condição de vassalos das forças mongóis. Mais uma vez, Maraş foi capturada, agora por al-Ashraf Khalil, o sultão mameluco em 1292, sendo recapturada por Hethum II da Arménia Cilícia em conjunto com os Mongóis. Voltou para os Mamelucos em 1304.

Maraş foi governada pelos Dulcadiridas, como vassalos dos Mamelucos, entre 1337 e 1515, quando foi anexada ao Império Otomano. Durante o período de domínio otomano, foi a capital do eyalet de Dulcadir até à primeira metade do século XIX, quando passou a ser a capital de um sanjak (subprovíncia) do vilaiete de Alepo até 1918.

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. Kahramanmaraş İlı (em turco). yerelnet.org.tr. YerelNET. Página visitada em 18 de maio de 2013.
  2. Kahramanmaraş Beledıyesı (em turco). www.yerelnet.org.tr. YerelNET. Página visitada em 18 de maio de 2013.
  3. Districts of Turkey (em inglês). www.statoids.com. Administrative Divisions of Countries ("Statoids") (2 de fevereiro de 2008). Página visitada em 18 de maio de 2013. Cópia arquivada em 26 de maio de 2010.
  4. a b Base de dados do sistema de registo de população baseada em moradas (ABPRS) (em turco). www.tuik.gov.tr. Instituto de Estatística da Turquia (TURKSTAT). Página visitada em 18 de maio de 2013.
  5. Cumhuriyet, 20 de dezembro de 2010 p.20

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Kahramanmaraş
  • Kahramanmaraş (em turco). kurumsal.kulturturizm.gov.tr. Portal institucional do Ministério da Cultura e Turismo. Página visitada em 18 de maio de 2013.


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Turquia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.