Ordu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Turquia Ordu
Cotiora, Kotyoron, Ordou
 
—  Distrito (ilçe)  —
Vista de Ordu desde a colina de Boztepe
Brasão de armas de Ordu
Brasão de armas
Mapa dos distritos da província de Ordu
Mapa dos distritos da província de Ordu
Ordu está localizado em: Turquia
Ordu
Localização de Ordu na Turquia
40° 59' N 37° 53' E
Região Mar Negro
Província Ordu
Administração
 - Governador (kaymakam) Orhan Düzgün [1]
 - Prefeito (belediye başkanı) Seyıt Torun (2009, DSP)[2]
Área [3]
 - Distrito (ilçe) 303,6 km²
Altitude 5-130 m (-422 pés)
População (2012)[4]
 - Distrito (ilçe) 186 000
    • Densidade 612,65/km2 
 - Urbana 147 913
Código postal 52000
Prefixo telefónico 452
Sítio Governo distrital: www.ordu.gov.tr
Prefeitura: www.ordu.bel.tr
Rua do centro de Ordu

Ordu é uma cidade e um distrito (em turco: ilçe) portuária situada na costa do mar Negro da Turquia. É capital da província homónima e faz parte da região do Mar Negro. Tem 303,6 km² de área e em 2012 a sua população era de 186 000 habitantes (densidade: 612,6 hab./km²), dos quais 147 913 moravam na cidade.[4]

Atualmente a população é constituída por turcos e minorias de georgianos étnicos (em turco: gürcüler), arménios muçulmanos (ou hemichis; em turco: hemşinliler) e ainda um pequeníssimo número de descendentes de gregos que se recusaram a deixar a região apesar do genocídio dos gregos pônticos e da troca de populações entre a Grécia e a Turquia em 1923.[nt 1]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O primeiro povoado de que há registos na área foi a colónia grega de Cotiora (ou Kotyora ou Kotyoron),[5] que alguns acreditam que tenha origem num topónimo local anterior, Kut.[6] Os otomanos instalaram uma grande base militar perto da atual cidade no século XV, a que chamaram Bayramlı. O nome Ordu pode ter origem na forte presença militar na área, que se prolongou até ao século XX. Ordu significa exército ou campo militar em turco[5] e é também a designação usada para "tenda" pelas tribos turcas e Mongóis[nt 1] (algo muito usado pelos militares). A palavra tem a mesma raiz de wikt:horda em português, que tem origem no tártaro "orda".[7] No passado, também se usou a grafia Ordou.[5]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Ordu situa-se à beira de uma praia rochosa à beira do mar Negro, 60 km a leste de Ünye e 40 km a oeste de Giresun. É dominada a ocidente pelo monte Boztepe, uma montanha densamente florestada, com 550 metros de altitude. A região costeira entre Ünye, Ordu e Giresun é conhecida pela suas avelãs e paisagens verdejantes. A produção de avelã e a indústria a ela ligada constituem a principal atividade económica local.[nt 1]

A cidade tem um porto que, apesar de pequeno, tem capacidade para navios de grandes dimensões. É por vezes chamada de Pequena Paris (Küçük Paris), devido às supostas semelhanças das suas ruas e de alguns dos seus edifícios mais elegantes.[nt 1]

Politicamente, Ordu é tradicionalmente mais liberal do que outras cidades do mar Negro. Ao contrário do que acontece na maioria dos centros urbanos da região, onde nos últimos anos predomina o partido islamista moderado AKP, o partido mais votado é geralmente o Partido Republicano do Povo (CHP), de inspiração kemalista e esquerdista e em 2009 as eleições municipais foram ganhas pelo pequeno Partido da Esquerda Democrática (DSP).[nt 1]

O principal eixo da cidade é a Avenida Atatürk (Atatürk Bulvarı), que percorre a zona costeira a noroeste e oeste e atravessa a parte oriental do centro. Este dispõe de zonas pedonais, áreas residenciais modernas e edifícios comerciais. Não restam muitas casas do período otomano e os edifícios mais antigos datam do século XIX. A antiga igreja arménia do na extremidade ocidental do centro foi convertida num centro cultural.[nt 1]

Junto à estrada para Samsun ergue-se uma igreja arménia restaurada que foi usada como prisão. Foi construída no século XVIII ou XIX, provavelmente foi originalmente dedicada à festa ortodoxa do Hypapante.[8] [nt 1]

Entre outros locais de interesse turísticos destacam-se a Paşaoğlu Konağı, um palacete onde funciona um museu etnográfico, algumas casas antigas no centro histórico e as mesquitas Yalı Camii (também chamada Aziziye Camii), Atik İbrahim Paşa Camii (também chamada Orta Cami, construída em 1770), Efirli Camii e Eski Pazar Camii, esta última com um hamam anexo.[nt 2]

Em 2006 foi aberta uma universidade[9] e em 2011 foi inaugurado um teleférico com mais de dois quilómetros no monte Boztepe.[10] Em julho de 2011 foi iniciada a construção do aeroporto Ordu-Giresun, numa ilha artificial 15 km a leste da cidade. A inauguração está prevista para 2014.[11]

A cozinha local tem influências turcas e georgianas. Os pratos mais típicos são à base de peixe e de couve. Algumas das especialidades locais são, por exemplo, produtos de avelã como nougat (espécie de torrão) e chocolate, hamsi (um prato de anchova ou boqueirão do mar Negro), pancar çorba (sopa de acelga ou beterraba), mısır ekmek (literalmente: pão egípcio; de milho) e su börek (folhado de queijo).[nt 1]

A música tradicional local é típica da região do mar Negro, e o principal instrumento é o kemençe do mar Negro (Karadeniz kemençe), também chamado lira pôntica.[nt 1]

O principal clube de futebol local é o Orduspor, que em 2011-2012 jogou na Süper Lig, a primeira divisão turca. Disputa os seus jogos no Estádio 19 Eylül (Estádio 19 de setembro), um estádio multiusos inaugurado em 1967 e com capacidade para 11 024 espetadores.[nt 1]

Clima[editar | editar código-fonte]

Gráficos de temperatura e precipitação em Ordu entre 1961 e 1990

O clima é de transição entre os tipos oceânico e subtropical húmido (Cfb/Cfa na classificação de Köppen-Geiger), como a maior parte da costa oriental turca do mar Negro.[nt 2] Os verões são húmidos e quentes e os invernos são frios e chuvosos, sem temperaturas extremas, oscilando as máximas entre 27 °C (em julho e agosto) e os 10-12 °C entre dezembro e março; as temperaturas mínimas oscilam entre os 3,6 e os 5,7 °C entre dezembro e março e pouco menos de 20 °C em julho e agosto.[12]

A precipitação é elevada e mais ou menos distribuída ao longo de todo o ano, embora um pouco menos intensa nos meses de verão e mais intensa no outono e primavera. A queda de neve é comum entre dezembro e março, registando-se normalmente uma ou duas semanas de neve, que pode ser intensa. Como no resto da costa turca do mar Negro, a água do mar é fria, oscilando entre os 8 e os 20 °C ao longo do ano.[12]

História[editar | editar código-fonte]

Os achados arqueológicos mais antigos encontrados na área datam de cerca de 1 500 a.C. No século VIII ou VII a.C., gregos da colónia de Sinope, fundada por colonos de Mileto,[13] [14] [15] [16] estabeleceram na área de Ordu a colónia de Cotiora, uma das várias colónias Mileto criadas ao longo da costa do mar Negro. A colónia foi estabelecida em território dos Tibarenos. Cotiora foi o local onde os gregos da "Marcha dos Dez Mil", descrita por Xenofonte, que dela fez parte, estiveram 45 dias antes de partirem para a Ásia.[17] Segundo a lenda, os Argonautas aportaram ali na sua viagem para a Cólquida.[nt 1] A eles se deve o nome do cabo Jasão, situado a poucos quilómetros a noroeste da cidade (Jasão era o líder dos Argonautas) e onde também há vestígios de um antigo povoado.[6]

Ficheiro:Ordu Tashbashi Church.jpg
A antiga igreja ortodoxa de Tashbashi, em Ordu

Entre 280 a.C. e 63 d.C. a região pertenceu ao Reino do Ponto, passando depois a integrar o Império Romano.[6] Depois de pertencer durante vários séculos aos impérios romano e bizantino, a região esteve sob o domínio dos turcos Danismendidas entre 1095 e 1175.[nt 1] Foi conquistada pelos Seljúcidas em 1214 e 1228. Em 1346 passou para as mãos do beilhique Hacı Emiroğulları e em 1461, com a queda do Império de Trebizonda, foi integrada no Império Otomano. Os otomanos fundaram uma nova cidade como um posto militar, a que deram o nome de Bayramlı, situado perto de Eskipazar, 5 km a oeste da cidade atual.[nt 2]

No início do século XIX Ordu era uma pequena cidade portuária, onde a maioria da população era constituída por gregos pônticos. Nas décadas seguintes cresceu rapidamente, devido às leis otomanas que obrigaram os turcos nómadas a fixarem-se na região.[nt 1] Em 1869 o nome da cidade foi mudado para Ordu e foram reunidos os distritos de Bolaman,Perşembe, Ulubey, Hansamana (Gölköy) e Aybastı.[nt 2] Em 1883 um incêndio de grandes proporções fez grandes estragos na cidade,[nt 1] nomeadamente nas importantes instalações que o exécito otomano ali mantinha.[6]

Durante e após a guerra russo-turca de 1877-1878, instalaram-se na região muitos turcos que fugiram das suas terras no Cáucaso que foram ocupadas pelos Russos.[6] [nt 1] Em 1921 a cidade fazia parte do sanjak (subprovíncia) otomono de Trebizonda e tinha 13 000 habitantes (5 500 gregos, 5 000 turcos e 2 500 Arménios).[5] Depois das perseguições dos gregos no Império Otomano a partir de 1913, quando houve grandes confrontos étnicos, durante a Primeira Guerra Mundial e da troca de populações entre a Grécia e a Turquia em 1923, os gregos ainda subsistiam deixaram Ordu. A província de Ordu foi criada em 17 de abril de 1920.[6] [nt 1]

Notas

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p Trechos baseados no artigo «Ordu» na Wikipédia em alemão (acessado nesta versão).
  2. a b c d Trechos baseados no artigo «Ordu» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão).

Referências

  1. Ordu İlı (em turco) yerelnet.org.tr YerelNET. Visitado em 11 de maio de 2013.
  2. Ordu Beledıyesı (em turco) www.yerelnet.org.tr YerelNET. Visitado em 11 de maio de 2013.
  3. Districts of Turkey (em inglês) www.statoids.com Administrative Divisions of Countries ("Statoids") (2 de fevereiro de 2008). Visitado em 26 de maio de 2010. Cópia arquivada em 26 de maio de 2010.
  4. a b Base de dados do sistema de registo de população baseada em moradas (ABPRS) (em turco) www.tuik.gov.tr Instituto de Estatística da Turquia (TURKSTAT). Visitado em 11 de maio de 2013.
  5. a b c d Kontogianni, Pantelis M. (1921), Papoutsy, Mary, ed. (em inglês), The Geography of Kotyora (Ordou) in 1921 Along the Southern Shore of the Black Sea, Hellenic Communication Service, http://www.helleniccomserve.com/kotyora.html, visitado em 11 de maio de 2013 
  6. a b c d e f Ordu ılı Tarıhı (em turco) www.karalahana.com. Visitado em 11 de maio de 2013.
  7. horda Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora www.infopedia.pt.
  8. Sinclair, Thomas A. (1989) (em inglês), Eastern Turkey. An Architectural and Archaeological Survey, 2, Londres: The Pindar Press, p. 116, ISBN 0-907132-33-2 
  9. T.C. Ordu Ünıversıtesı (em turco) odu.edu.tr. Visitado em 11 de maio de 2013.
  10. New Urban Gondola System Opens in Ordu, Turkey (em inglês) gondolaproject.com (25 de julho de 2011). Visitado em 11 de maio de 2013.
  11. Turkey lays the foundation stone for Europe's first artificial island airport (em inglês) www.middleeastmonitor.com Middle East Monitor (25 de julho de 2011). Visitado em 11 de maio de 2013.
  12. a b Resmi İstatistikler (İl ve İlçelerimize Ait İstatistiki Veriler) (em turco) www.dmi.gov.tr Meteoroloji Genel Müdürlüğü (Direção Geral de Meteorologia). Visitado em 11 de maio de 2013.
  13. Graham, A.J. (1958), "The Date of the Greek Penetration of the Black Sea" (em inglês), BICS V: 25ff 
  14. Drews, Robert (1976), "The earliest Greek settlements on the Black Sea" (em inglês), JHS (96): 18-31, 18f 
  15. Ehrhardt, Norbert, Milet und seine Kolonien 
  16. Akurgal, Ekrem (1956), Vorläufiger Bericht über die Ausgrabungen in Sinope 
  17. Brownson, Carleton L., ed., 5.5, "Anábase" (em inglês), www.Perseus.tufts.edu V, http://www.perseus.tufts.edu/hopper/text?doc=Perseus:text:1999.01.0202:book=5:chapter=5&highlight=cotyora, visitado em 11 de maio de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ordu
  • Ordu (em turco) kurumsal.kulturturizm.gov.tr Portal institucional do Ministério da Cultura e Turismo. Visitado em 11 de maio de 2013.