Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas Medalha Nobel
Prêmios Nobel prize medal.svg Nobel da Paz (2007)

O IPCC ( ou Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) estabelecido em 1988 pela Organização Meteorológica Mundial e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) para fornecer informações científicas, técnicas e sócio-econômicas relevantes para o entendimento das mudanças climáticas. Seus impactos potenciais e opções de adaptação e mitigação.

O IPCC não realiza novas pesquisas nem monitoriza dados relacionados a mudança climática nem recomenda políticas climáticas.

Definição de mudança do clima segundo o IPCC[editar | editar código-fonte]

O IPCC define a mudança climática como uma variação estatisticamente significante em um parâmetro climático médio ou sua variabilidade, persistindo um período extenso (tipicamente décadas ou por mais tempo). A mudança climática pode ser devido a processos naturais ou forças externas ou devido a mudanças persistentes causadas pela ação do homem na composição da atmosfera ou do uso da terra.[1]

Grupos de trabalho[editar | editar código-fonte]

O IPCC tem três grupos de trabalho e uma equipe especial sobre inventários nacionais de gases do efeito estufa (GEE).

  • Grupo de Trabalho I: avalia os aspectos científicos do sistema climático e de mudança do clima
  • Grupo de Trabalho II: avalia a vulnerabilidade dos sistemas socio-econômicos e naturais diante da mudança climática assim como as possibilidades de adaptação a elas
  • Grupo de Trabalho III: avalia as opções que permitiriam limitar as emissões de GEE

Cada Grupo de trabalho assim como a equipe especial tem dois presidentes, um de um país desenvolvido e outro de um país em desenvolvimento, e uma unidade de apoio técnico.

Os três grupos preparam relatórios de análise nos seguinte temas:

  • Informação científica a respeito de mudança climática
  • Impactos ambientais e socio-econômicos da mudança climática
  • Formulação de estratégias de resposta (mitigação e adaptação)

Climate Change 2220[editar | editar código-fonte]

Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Ambiente.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde outubro de 2009.

No começo de 2007, o IPCC lançou o quarto relatório de avaliação sobre mudanças climáticas, chamado de Climate Change 2007[2] (Mudança climática 2007 - AR4), que foi lançado em quatro seções:

Para cada seção, o IPCC lançou o relatório principal e uma versão resumida, conhecida como Summary for Policymakers (Resumo para os elaboradores da política).

O Summary for Policymakers (SPM) do grupo I foi publicado em 2 de fevereiro de 2007[3] e revisado em 5 de fevereiro de 2007[4] . Houve ainda em 6de fevereiro de 2007 um press release.[5] O relatório completo do Grupo I [6] foi publicado em março. Os principais pontos de conclusão foram que[7] :

  • O aquecimento do sistema climático é inequívoco.
  • A maioria dos aumentos observados na temperatura média global desde meados do século XX são muito parecidos aos aumentos observados nas concentrações de gases do efeito estufa antropogênico.
  • O aquecimento antropogênico e aumento do nível dos oceanos continuarão a aumentar por séculos devido as escalas de tempo associadas aos processos climáticos e de realimentação, mesmo se a cocencentração dos gases do efeito estufa pernanecerem estabilizadas.
  • A probabilidade de que isto seja causado apenas por processos climáticos naturais é menor que 5%.
  • A temperatura mundial poderá aumentar entre 1,1 e 6,4 °C durante o século XXI (tabela 3) e que:
    • O nível do mar provavelmente se elevará entre 18 a 59 cm [tabela 3].
    • Há um nível de confiança maior que 90% de que haverá mais derretimento glacial, ondas de calor e chuvas torrenciais.
    • Há um nível de confiança maior que 66% de que haverá um aumento nas secas, ciclones tropicais e marés altas elevadas.
  • Tanto a emissão passada como a futura de dióxido de carbono antropogênico continuarão a contribuir para o aquecimento e o aumento do nível dos oceanos por mais de mil anos.
  • Concentrações atmosféricas globais de dióxido de carbono, metano, e óxido nitroso têm aumentado significativamente como resultado de atividades humanas desde 1750.

O relatório do terceiro grupo de trabalho (mitigação) foi lançado na cidade de Banguecoque da Tailândia que mostrou seguinte:

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Yunus e Banco Grameen
Nobel da Paz
2007
com Al Gore
Sucedido por
Martti Ahtisaari
Ícone de esboço Este artigo sobre a ONU é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.