Psirico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Psirico
Informação geral
Origem Salvador, BA
País  Brasil
Gênero(s) Pagode, arrocha, axé, samba
Período em atividade 1997—presente
Gravadora(s) Som Livre
Página oficial Página Oficial
Integrantes Márcio Victor (vocal)
Samuel (percussão)
Serginho (percussão)
David (percussão)
Jadsom (percussão)
Zezeu (percussão)
Alissom (percussão)
Neneu (cavaquinho e guitarra)
Netinho (guitarra)
André (guitarra)
Paulo (bateria)
Luisinho (contra-baixo)
Paulo (teclado)
Ex-integrantes Guga de Paula

Psirico é uma banda de pagode com um estilo que mistura samba-pop-percussão e arrocha de Salvador, na Bahia.[1] O grupo foi fundado em 1997,[2] mas só obteve projeção no carnaval de 2004, com a música "Sambadinha".[3]

As músicas do grupo possuem tipicamente letras sensuais, ou de duplo sentido, e coreografia própria, mas também falam de dor e superação, marca do vocalista que prega que sua música é "feita pro povo".[4] O grupo é liderado por Márcio Victor, percussionista famoso por trabalhos anteriores com grandes artistas da música brasileira, como Caetano Veloso, Marisa Monte, João Bosco, Carlinhos Brown, Gilberto Gil, Ivete Sangalo e Daniela Mercury.[5] [2] Sua marca registrada é o uso de um megafone durante suas apresentações, e o típico ruído de uma sirene que o instrumento produz.[carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

Segundo o cantor Márcio Victor, a banda surgiu como uma brincadeira, após ensaios para quadrilha de festa junina[6] . Amigos que tocavam percussão saindo andando pelas quadras a tocar, e alguma meninas os seguiam, e faziam coro com a música. Assim que o grupo passava, algumas pessoas gritavam em coro "lá vai o psirico ali". A frase e o termo incomum, que acabou virando o nome da banda, chamaram a atenção de Márcio Victor. Ele percebeu que ali havia uma tendência diferente do axé que era feito naquele momento, e decidiu criar o grupo.

Com o destaque em 2004 com a canção "Sambadinha", ganhou o Troféu Dodô e Osmar como banda revelação do carnaval soteropolitano no mesmo ano.[7] Desde então tornaram-se uma das principais atrações do carnaval de Salvador e micaretas pelo Brasil. Obteve grande sucesso novamente com a canção "Mulher Brasileira (Toda Boa)".[7] Em 2014 o grupo consagrou-se com a canção "Lepo Lepo", tendo uma repercussão muito grande pelo Brasil, com sua letra e coreografia irreverente.[8] A repercussão da canção rendou ao grupo a maior exposição de mídia televisiva na folia de 2014, superando o medalhão Ivete Sangalo e Chiclete com Banana cujo vocalista Bell Marques esteve em ritmo de despedida para iniciar carreira solo.[9] Tal feito se repetiu na folia de 2015, dessa vez com o impulso da fatídica operação que o vocalista Márcio Victor teve que se submeter para a retirada do apêndice cecal, e ter puxado bloco um dia depois.[10] [11]

Discografia[editar | editar código-fonte]

DVDs[editar | editar código-fonte]

  • DVD - 10 Anos - Ao Vivo em Salvador. Som Livre. 2012.
  • DVD - Ao Vivo em São Paulo. Unimar Music. 2007.[7]

CDs[editar | editar código-fonte]

  • 10 Anos - Ao vivo em Salvador. Som Livre. 2012
  • MPB - Macumba Popular Brasileira. Independente. 2006.[7]
  • Orquestra de Panela. Independente. 2006.[7]
  • O Furacão da Bahia Ao Vivo. Pato Discos. 2004.[7] [3]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Troféu Dodô e Osmar[editar | editar código-fonte]

Troféu Caymmi[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Melhor CD Samba/ Pagode: O Furacão da Bahia Ao Vivo (2004)[7]

Troféu Band Folia[editar | editar código-fonte]

  • Banda Revelação do Carnaval: 2004[7] [3]
  • Melhor Cantor Revelação do Carnaval: Márcio Victor (2004)[7] [3]
  • Melhor Música: "Lepo Lepo" (2014)[12]

Troféu Bahia Folia [editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]