Roberto I de Parma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roberto I de Parma
Duque de Parma e Piacenza
Robert I duke of parma.jpg
Governo
Consorte Maria Pia de Bourbon-Duas Sicílias
Maria Antonia de Bragança
Casa Real Casa de Bourbon-Parma
Dinastia Bourbon
Vida
Nascimento 9 de Julho de 1848
Florença
Morte 16 de novembro de 1907 (59 anos)
Viareggio
Sepultamento Villa Borbone, Viareggio
Filhos Maria Luísa
Fernando
Luísa
Henrique
Imaculada
José
Teresa
Pia
Beatriz
Elias
Anastássia
Augusto
Maria das Neves
Sixto
Francisco Xavier
Francisca
Zita
Félix
René
Maria Antonia
Isabel
Luís
Henriqueta
Caetano
Pai Carlos III de Parma
Mãe Luísa de França

Roberto Carlos Luís Maria de Bourbon-Parma (em italiano Roberto Carlo Luigi Maria di Borbone-Parma) (Florença, 9 de julho de 1848 - Viareggio, 16 de novembro de 1907), foi o último soberano do extinto Ducado de Parma e Piacenza.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Família[editar | editar código-fonte]

Segundo filho do duque Carlos III de Parma e da princesa Luísa de França, Roberto nasceu numa época de grandes mudanças políticas na Europa, que afetariam diretamente sua vida. Seus avós paternos foram o duque Carlos II de Parma (rei da Etrúria, como Luís II e duque de Luca, como Carlos I) e Maria Teresa de Saboia; e seus avós maternos foram Carlos Fernando de Bourbon, Duque de Berry e Maria Carolina de Bourbon-Duas Sicílias. Tinha uma irmã mais velha, Margarida (mais tarde casada com Carlos, Duque de Madri, pretendente carlista ao trono espanhol); e dois irmãos mais novos, Alice (Grã-duquesa da Toscana pelo seu casamento com Fernando IV) e Henrique, Conde de Bardi.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Roberto nasceu no mesmo ano em que as Revoluções Liberais varriam a Europa e, especialmente, a Península Itálica. Nesse período, seu pai (então legítimo herdeiro do trono) teve que fugir do Ducado, abdicando em favor de Roberto em 1849.

Sua infância foi marcada por outros acontecimentos trágicos, como o assassinato de seu pai, em 1854, quando Roberto tinha somente seis anos de idade. Em 1859 os Ducados de Parma, Placência e Gustalla uniram-se ao Grão-ducado da Toscana e ao Ducado de Módena e Reggio para formar as Províncias Unidas da Itália Central, finalmente anexado ao Reino da Sardenha em março de 1860. Roberto perdeu sua posição, mantendo o status de Duque Titular de Parma.

Apesar de ter perdido o trono, tanto ele quanto sua família tiveram uma vida tranquila, em suas numerosas propriedades de Schwarzau am Steinfeld, próximo à Viena, e da Villa Pianore em Luca, onde residiu até o fim da vida. Posteriormente herdou de seu tio, Henrique V de França, o Castelo de Chambord.

Casamentos e descendência[editar | editar código-fonte]

Primeiro casamento[editar | editar código-fonte]

Sua fortuna o tornou um excelente partido para as princesas européias em idade para o casamento, mas a eleita foi sua prima, a princesa Maria Pia de Bourbon-Duas Sicílias, pertencente ao ramo napolitano da Casa de Bourbon, filha de Fernando II das Duas Sicílias e Maria Teresa Isabel da Áustria. A cerimônia de casamento realizou-se em Roma, em 5 de abril de 1869. A princesa morreu de febre puerperal, uma semana após dar à luz seu 12º filho. Seis dos doze filhos do casal foram declarados incapacitados mentais pela segunda esposa do duque após a morte deste, em 1907.

  1. Maria Luísa de Bourbon-Parma (1870-1899), princesa de Parma, casou-se com Fernando de Saxe-Coburgo-Gotha, Príncipe Regente e, mais tarde, Czar da Bulgária (como Fernando I). Com descendência.
  2. Fernando de Bourbon-Parma (1871-1872), príncipe de Parma.
  3. Luísa Maria de Bourbon-Parma (1872-1943), princesa de Parma, declarada incapacitada mental.
  4. Henrique de Bourbon-Parma (1873-1939), duque titular de Parma (1907-1939); declarado incapacitado mental.
  5. Maria Imaculada de Bourbon-Parma (1874-1914), princesa de Parma, declarada incapacitada mental.
  6. José de Bourbon-Parma (1875-1950), duque titular de Parma (19391950); declarado incapacitado mental.
  7. Maria Teresa de Bourbon-Parma (1876-1959), princesa de Parma, declarada incapacitada mental.
  8. Maria Pia de Bourbon-Parma (1877-1915), princesa de Parma; declarada incapacitada mental.
  9. Maria Beatriz de Bourbon-Parma (1879-1946), princesa de Parma, casou-se com Pietro Lucchesi Palli, com descendência.
  10. Elías I de Parma (1880-1959), regente titular de Parma por seus irmãos (1907-1939 e 1939-1950) e duque titular de Parma (1950-1959); casou-se com a arquiduquesa Maria Ana de Áustria-Teschen, com descendência.
  11. Maria Anastássia de Bourbon-Parma (1881-1881), princesa de Parma.
  12. Augusto de Bourbon-Parma (1882-1882), príncipe de Parma.

Segundo casamento[editar | editar código-fonte]

Roberto casou-se em segundas núpcias, em 15 de outubro de 1884, em Zell am See (Austria), com Maria Antonia de Bragança, infanta de Portugal, filha do rei deposto Miguel I de Portugal e de Adelaide de Löwenstein-Wertheim-Rosenberg. Dessa união nasceram outros doze filhos:

Roberto I de Parma com sua segunda esposa, Maria Antonia de Bragança, e dezessete de seus filhos, em 1906.
  1. Maria das Neves de Bourbon-Parma (1885-1959), princesa de Parma; tornou-se monja beneditina.
  2. Sixto de Bourbon-Parma (1886-1934), príncipe de Parma, casou-se com Hedwige de La Rochefoucauld.
  3. Francisco Xavier de Bourbon-Parma (1889-1977), duque titular de Parma (1974-1977) e pretendente carlista ao trono da Espanha.
  4. Francisca de Bourbon-Parma (1890-1978), princesa de Parma; tornou-se monja beneditina.
  5. Zita de Bourbon-Parma (1892-1989), princesa de Parma; pretendia tornar-se monja, mas casou-se com Carlos I da Áustria e IV da Hungria, tornando-se a última imperatriz da Áustria e rainha da Hungria.
  6. Félix de Bourbon-Parma (1893-1970), príncipe de Parma, casou-se com sua prima, a grã-duquesa Carlota de Luxemburgo.
  7. René de Bourbon-Parma (1894-1962), príncipe de Parma; casou-se com a princesa Margarida da Dinamarca, com descendência.
  8. Maria Antonia de Bourbon-Parma (1895-1977), princesa de Parma; tornou-se monja beneditina.
  9. Isabel de Bourbon-Parma (1898-1984), morreu solteira.
  10. Luís de Bourbon-Parma (1899-1967), príncipe de Parma, casou-se com a princesa Maria Francisca de Saboia, com descendência.
  11. Henriqueta de Bourbon-Parma (1903-1987), nasceu surdo-muda e morreu solteira.
  12. Caetano de Bourbon-Parma (1905-1958), príncipe de Parma, casou-se com a princesa Margarida de Thurn e Taxis, divorciando-se posteriormente.

Morte[editar | editar código-fonte]

Roberto I faleceu em Viareggio (Luca), em 16 de novembro de 1907, aos 59 anos de idade. Seu corpo foi sepultado na Villa Borbone, em Viareggio.

Nota[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Willis, Daniel, The Descendants of Louis XIII, Clearfield Co., Inc., Baltimore, Maryland, 1999, ISBN 0-8063-4942-5, p. 342.
  • Hammond, Beate, "Maria Theresia, Elisabeth, Zita - Jugendjahre großer Kaiserinnen", Ueberreuter 2002