TV Cidade (São Luís)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde agosto de 2014).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
TV Cidade
Rádio Ribamar Ltda.
TV Cidade
São Luís, Maranhão
Brasil
Tipo Empresa privada
Canais
6 VHF analógico
36 (6.1) UHF digital
Outros canais 11 e 411 HD (TVN)
6 e 519 HD (NET São Luís)
Sede Bandeira de São Luís.svg São Luís, MA
Rua Deputado Raimundo Vieira da Silva, Parque do Bom Menino - Centro
Slogan Se tem Maranhão, tem Cidade no ar
Rede Rede Record
Fundador Raimundo Vieira da Silva
Maria do Rosário Vieira da Silva
Pertence a Grupo Vieira da Silva (50%)
Grupo Rocha (50%)
Proprietário Marco Antônio Vieira da Silva
Roberto Rocha
Antigo proprietário Raimundo Vieira da Silva (1993-2007)
Luiz Rocha (1993-2001)
Acionista(s) Marco Antônio Vieira da Silva (sócio presidente)
Roberto Rocha (sócio majoritário)
Controlador Grupo Cidade de Comunicação
(ex-Grupo Vieira da Silva)
Presidente Marco Antônio Vieira da Silva
CNPJ 06.268.106/0001-57
Fundação 8 de setembro de 1993 (21 anos)
Prefixo ZYA 660
Cobertura Grande São Luís e áreas próximas e algumas partes do Maranhão
Redes anteriores Rede Bandeirantes
Rede Mulher
RedeTV!
Nome(s) anteriore(s) TV Ribamar
Potência 10 kW
Página oficial SuaCidade.com

TV Cidade é uma emissora de televisão brasileira sediada em São Luís, capital do estado do Maranhão. Opera nos canais 6 VHF e 36 UHF digital, e é afiliada à Rede Record. A emissora está no ar desde 1993, como sucessora da antiga TV Ribamar, criada em 1981. Desde que tinha este nome, a emissora era afiliada a Rede Bandeirantes, que em 2000 passava a ser retransmitida pela TV Praia Grande (hoje TV Maranhense). Com isso, tentou se afiliar com a Rede Record, que já tinha a TV São Luís de afiliada na cidade, mas a emissora teria ainda que resolver alguns percalços com a justiça para transmitir a nova rede. Por isso, se afiliou com a Rede Mulher (outra emissora da Central Record), mas em menos de dois meses vai para a RedeTV!. Somente em 2004, em meio a várias disputas judiciais dos sócios pela emissora, a TV São Luís troca de rede com a TV Cidade e ela passa a transmitir a Record até hoje. Em 8 de setembro de 2011, a emissora inaugurou o website SuaCidade.com, o portal do Grupo Cidade na internet.

A emissora iniciou as suas transmissões digitais em 2010, graças a um transmissor de 10 kW de potência que permite a ela transmitir o seu sinal analógico e digital num raio de 80 km em volta da torre.

Além da TV Cidade, o Grupo Vieira da Silva tem duas emissoras de rádio na Ilha de São Luís, a Rádio Cidade FM (99.1 MHz) e a Rádio Capital AM (1180 KHz), cobrindo a maior parte do norte e do centro-norte maranhense.

A TV Cidade segue normalmente a programação da Rede Record gerada diretamente de São Paulo, mas quando entra em vigência o Horário de Verão no centro-sul brasileiro, a emissora segue a programação da Rede Fuso da Record. Durante os sábados e domingos, a programação é transmitida em tempo real, devido ao fato dos programas desses dia terem em sua maioria classificação DJCTQ - L.svg ou DJCTQ - 10.svg.

História[editar | editar código-fonte]

TV Ribamar (1981-1993)[editar | editar código-fonte]

Entre 1992 a 1993, o nome TV Ribamar não agrada a direção e proprietários da emissora. Para atrair mais a atenção de anunciantes e telespectadores, eles decidem mudar o nome da emissora para TV Cidade, no mesmo dia em que a Rádio Cidade FM completa 12 anos no ar.[1]

Rede Bandeirantes (1993-2000)[editar | editar código-fonte]

Sucessora da TV Ribamar, a TV Cidade surge em 8 de setembro de 1993 (dia do aniversário de 391 anos da fundação da cidade de São Luís), e mantém a afiliação com a Rede Bandeirantes que tinha desde a época da antiga emissora. Mesmo assim, a emissora não tinha uma boa imagem, se comparada aos das suas concorrentes TVE Maranhão e TV Difusora, devido ao transmissor. Porém, mesmo assim tinha capacidade de disputar audiência com elas.

A administração da emissora (desde a TV Ribamar) ficou na responsabilidade dos filhos do Sr. Raimundo Lisboa Vieira da Silva: Marco Antonio, Fabiano e Paulo Sérgio. Nessa época Vieira da Silva era deputado federal, e o seu cargo exigia presença constante em Brasília, o que o impossibilitava de participar ativamente da direção da empresa.[1]

Na décadas de 90, tinha programação voltada à cidade de São Luís, mas também dava cobertura às notícias no interior, principalmente ao sinal que atingia.

Alguns anos após a sua fundação, a TV Cidade passou por problemas financeiros e não conseguia sanar os seus débitos, dentre eles os empréstimos feitos em moeda japonesa (ienes), para implantação da emissora. Então, o na época governador do estado, Luiz Rocha recebeu a proposta de Vieira da Silva, para a compra de 50% das cotas da Rádio Ribamar Ltda. Este dinheiro foi usado para a quitação dos financiamentos feitos pelo Banco do Brasil e Banco do Nordeste. Desde modo, com a entrada de Luiz Rocha como sócio na década de 80, a constituição acionária da Rádio Ribamar Ltda. ficou da seguinte forma: Raimundo Lisboa Vieira da Silva com 50% e Luiz Alves Coelho Rocha, também com 50%.[1]

Cquote1.svg (...) Mas como (...) Luiz Rocha era governador (...) e não podia receber essas cotas, não tinha como justificar os recursos financeiros que ele teria para investimento e compra de 50% da televisão. Ele passou para um outro sócio dele em Tocantins, chamado Luis Pires (...). Aproximadamente em 1989, nós autorizamos que Luis Pires passasse 50% das cotas da empresa para a propriedade de Luiz Rocha. Cquote2.svg
Marco Antônio, em 2006

O fato relatado acima por Marco Antônio, constituiria a primeira alteração contratual.

Por conta dos problemas financeiros da emissora, os equipamentos e o transmissor no final dos anos 70 e início dos anos 80 ficam mais de 10 anos sem nenhuma troca. Em razão disso, a imagem, som e até área de cobertura da emissora aos municípios no leste, oeste e sul da Ilha de São Luís ficam comprometidas, com uma restrição de até 60 km.

Em 1996, segundo jornais da época (entre eles O Imparcial e O Estado do Maranhão), a emissora iria investir em novos equipamentos e novo transmissor para melhoria de som e imagem. No mês de setembro, a emissora surpreendeu aos telespectadores com a melhora da qualidade. A inauguração dos novos equipamentos ocorreu no aniversário de 13 anos da emissora, fato noticiado em jornais da época.

No mesmo ano, entrava no ar, o programa adolescente Caras & Bocas, que ia ao ar aos sábados, das 10hs30min até o meio-dia. O programa visitava semanalmente colégios públicos e particulares, com bandas ou grupos covers de famosos e locais. Entre as revelações feitas pelo programa estiveram SambaCeuma (primeiro grupo de pagode formado por estudantes no Brasil) e as bandas de rock metal Paul Time (primeira banda de rock a surgir em São José de Ribamar, mas o primeiro grupo de rock maranhense a ter vários clipes exibidos na MTV Brasil) e Daphne (primeiro grupo de rock gerundivamente maranhense). Atualmente essas bandas de rock já não existem mais. O programa saiu do ar em 2006, devido as reformulações feitas na emissora.

Durante a década de 90, começa a rivalizar com outro grupo de comunicação, o Grupo Zildêni Falcão, dono da TV São Luís, afiliada a Rede Manchete, que em 1997, a trocou pela Rede Record, por conta da crise da emissora que a levaria a falência em 1999. Também nessa década, tinha programação local entre às 13-15hs pelo Cidade Aberta, apresentado por Chico Viana e das 19h-19h30 com o telejornal Rede Cidade, apresentado por Humberto Martins.

Entre fevereiro de 1999 a outubro de 2000, entrava no ar o programa de variedades Etcetera, exibido das 12h30min até as 13 horas. No mesmo ano, com a saída do Chico Viana do comando do Cidade Aberta (onde ficou por quase 10 anos) para ir à TV São Luís, assume o comando do programa, quatro apresentadores, entre eles dois filhos de Vieira da Silva.

Em 2000, a emissora muda a programação: às 12hs30min, passa a exibir clipes musicais (embora exibisse por alguns minutos nesse mesmo horário em 1999). Às 13hs era exibido o Etcetera, e o Cidade Aberta passava a ter apenas 1 hora de duração (13h30-14h30). E por último, era exibido o Reggae Point, programa de reggae.

Rede Mulher (Agosto a Novembro de 2000)[editar | editar código-fonte]

No início de 2000, publicações de jornais afirmavam que a TV Praia Grande se interessa a Rede Bandeirantes e a TV Cidade a Rede Record, sendo que inicialmente as emissoras negaram as informações.

Mas alguns meses depois, após quase 19 anos de parceria, a Band não renova o contrato de afiliação. Porém, a saída da Band da TV Cidade acontece no momento em que a rede passou a ficar na 4ª posição em audiência nacional em 1998, o que levou algumas de suas afiliadas a lhe deixarem pelo SBT ou pela Rede Record.

Depois da não-renovação do contrato de afiliação, a Cidade se interessa pela Rede Record, que por sua vez tinha como afiliada a TV São Luís desde 1997, mas não estava satisfeita com o desempenho da emissora. Como já havia assinado contrato com a Rede Record, pois a Bandeirantes não havia renovado, a TV Cidade pretendia transmitir a Rede Record já em 2000, mas isto não aconteceu.

Cquote1.svg (...) alguns percalços de ordem política nos impediram de transmitir o sinal da Rede Record em 2000. Cquote2.svg
Marco Antônio, em 2006

Devido a problemas políticos, a TV Cidade não pode transmitir a Record já naquele ano, pois a Record já tinha a TV São Luís de afiliada na cidade e que não permitia que emissoras de políticos em brigas transmitissem o seu sinal.

Além do fato de que a TV Cidade foi escolhida pela Record para ser umas das emissoras maranhenses que em um futuro próximo pudessem ampliar o sinal da emissora, com "emissoras similares ao nome" que existem no interior, mas sem nenhuma ligação ao Grupo Vieira da Silva (Coroatá, Araioses e São Bernardo).

Então, foi liberado o sinal da Rede Mulher (rede comprada pelo dono da Record, Edir Macedo em 1999), até que se corrigisse o impasse. Arriscou-se ao mesmo tempo a disputa entre os grupos Vieira da Silva e Zildêni Falcão pelo sinal da Rede Record, pois o contrato da TV São Luís com a Record venceria em junho de 2001.[1]

A transmissão da Band pela TV Cidade foi feita até o 12 de agosto. A última atração apresentada na rede pela afiliada foi a Sessão Discovery Channel.[2] Após o término da atração, por volta da meia-noite do dia 13 de agosto, a emissora saiu do ar. A TV Praia Grande demorou quase uma hora para colocar o sinal da nova rede no ar, que se iniciou com o filme Os Amantes da Nina.[2] Já a TV Cidade só entrava no ar no início da manhã transmitindo a Rede Mulher.

A Rede Mulher se orgulhava pelo fato de atingir todas as capitais brasileiras e também algumas no interior dos estados. A TV Cidade informava nos comerciais e pelas notas publicadas nos jornais de São Luís que a transmissão com a nova rede de televisão era provisória.

O motivo disso acontecer era porque na visão dos proprietários da TV Cidade, a Rede mulher não era um canal competitivo (a emissora passava muitos programas religiosos da IURD e independentes, que não davam audiência), apesar de permitir a possível ampliação de programas locais com tempo. Portanto optaram por uma outra emissora, a RedeTV!, que até então era retransmitida pela TV Praia Grande até o dia 12 de agosto. Iniciaram-se as negociações para a nova afiliação.[1]

RedeTV! (2000-2004)[editar | editar código-fonte]

O início das brigas (2000-2004)[editar | editar código-fonte]

No dia 20 de novembro de 2000, por volta das 23 horas, a TV Cidade começa a transmitir a RedeTV!, que ficou por mais 2 meses sem o sinal na região. Apesar de não conseguir a Record, a TV Cidade passa a ser RedeTV! e anuncia em intervalos comerciais, jornais e até outdoors: "A TV Cidade agora é RedeTV!".

No ano de 2001, ocorrem os falecimentos dos primeiros sócios da emissora, a primeira geração da controladora da TV Cidade: no dia 8 de março, o ex-governador Luiz Rocha e semanas depois, Maria do Rosário Almeida Vieira da Silva, esposa de Raimundo Vieira da Silva. Com a morte de ambos, a sociedade ficou apenas com Raimundo Vieira da Silva de sócio remanescente.[1] (ver Controvérsias).

A partir da morte de Maria do Rosário, os desentendimentos entre pai e filhos, que nunca haviam ocorrido, começam a surgir: Fabiano, Marco Antônio e Paulo Sérgio, se achavam no direito de administrar a empresa pelo inventário da mãe. Eles entraram na Justiça para interditar a entrada do pai na empresa, alegando que o mesmo não tinha condições de coordená-la, por conta da grave saúde.

Essa briga entre os filhos com o pai pela TV perdurou durante todo o ano de 2001, e se agravou em 2002, quando os filhos chegaram a agredir o próprio pai dentro da emissora. Os funcionários da TV Cidade flagraram a agressão, e revoltados, quase lincharam os irmãos que conseguiram fugir para não serem espancados. Praticamente no mesmo dia, eles iniciaram uma greve na emissora, tirando-a do ar para denunciar o seu sucateamento por horas, fato noticiado pela imprensa.

Em meio a esta confusão, Vieira da Silva, procurou auxílio junto à família de Luiz Rocha, para ver se havia possibilidade de analisar o contrato em 2002:

Cquote1.svg Ele estava chamando a gente para podermos juntos tocar a empresa Cquote2.svg
Roberto Rocha, em 2006.

Com a finalidade de regularizar a situação dos herdeiros do espólio do pai falecido, Roberto Rocha contratou um advogado, que analisou e orientou Terezinha Rocha, viúva de Luiz Rocha, a fazer um ofício e enviá-lo a Raimundo Vieira da Silva, para que o mesmo reconhecesse a ocupação legal dos herdeiros do espólio.

Cquote1.svg Isto foi feito dentro da lei com autorização judicial do inventário de Balsas, com a homologação da alteração contratual pelo Ministério das Comunicações e arquivado na Junta Comercial Cquote2.svg
Roberto Rocha, em 2006

A partir de então, começaram os problemas jurídicos entre as famílias da Vieira da Silva e Rocha, desta vez, a segunda geração que controla a TV: Insatisfeitos com a nova situação, os filhos de Vieira da Silva, entraram novamente na Justiça, desta vez, com objetivo de tomar posse da propriedade, mas lhes-foi negado. Recorreram ao Tribunal de Justiça do Maranhão e conseguiram.

O advogado Moreira Serra Junior (que inicialmente defendia a causa dos filhos) perdeu o prazo de recorrer no STJ. O processo transitou em julgado, interferindo na decisão do TJ do Maranhão, que determinou que um dos filhos fosse inventariante. Dessa forma, mais uma vez, Vieira da Silva procura a ajuda de Roberto Rocha e oferece 25% das suas cotas da empresa, em troca de sua ajuda financeira.

Em meio à disputa entre os familiares, em junho de 2001, entrava no ar às 20hs, o programa político 30 Minutos (daí o nome da duração total do programa), direto de Brasília, mas alguns problemas de transmissão via satélite levaram a emissora a dar destaque político local apenas no Maranhão. No entanto, o horário escolhido pela emissora, era das novelas e do TV Fama.

Em 2002, novos ajustes do transmissor e melhoria em alguns equipamentos, levam a emissora a atingir por mais alguns quilômetros. No mesmo ano até 2003, com as mudanças da programação da RedeTV!, a emissora reduz as horas da programação para menos de 5 horas. Programas saíram do ar e outros foram para a TV São Luís e TV Praia Grande (atual TV Maranhense).

No dia 31 de janeiro de 2003, Edson Vidigal, então vice-presidente do Supremo Tribunal de Justiça (e maranhense de Caxias), deu duas liminares no período de sua presidência: uma para Raimundo Vieira da Silva voltar para TV e a outra para voltar a Rádio. Depois da decisão, os filhos alegam que havia decisão de partilha legalmente elaborada (registrada e assinada em cartório) em que 50% das cotas da Rádio Ribamar Ltda. pertenciam a eles e os imóveis da família pertenciam ao seu pai, recorreram ao STJ e ao TJ e obtiveram ganho de causa.

Cquote1.svg Depois de uma semana da decisão, que favoreceu aos filhos, o pai saiu da Rádio, mas continuou na TV Cquote2.svg
Roberto Rocha, em 2006

Porém, Roberto Rocha interpôs com um recurso judicial, junto ao Ministério da Comunicações em Brasília, para que um técnico regulamentasse o processo e finalmente pudesse ser legalmente um dos sócios da empresa. O processo foi enviado para que o então Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva o referendasse, onde ficam os sócios da empresa: Terezinha Rocha, Roberto Rocha e Raimundo Vieira da Silva. No final do mesmo ano, Roberto Rocha chamou o seu sócio, Raimundo Vieira, para fazer o acerto de contas pelo valor pago referente aos 25% das cotas.

Entre janeiro a junho, fortes chuvas seguidas de um forte calor (de julho a dezembro), prejudicaram o transmissor melhorado em 2002, obrigando a emissora a reduzir a potência, com a consequência da redução de alcance em até 60 km.

Entre março de 2003 até 31 de março de 2004, era exibido o noticiário com comentários políticos Visão Crítica (entre 19h15-19h45), cortando o programa de pegadinhas de João Kléber. Uma fato curioso nesse programa: o apresentador Gilberto Lima declarou que a emissora está sucateada e com equipamentos ultrapassados (referindo-se às reformas feitas em 1996 e às disputas entre as famílias Vieira da Silva e Rocha).

Entre setembro de 2003 a 31 de março de 2004, a TV São Luís e a TV Cidade passaram a transmitir juntas, a programação local de madrugada da Igreja Universal do Reino de Deus. A inusitada transmissão foi por conta dos grupos Vieira da Silva e Zildêni Falcão deixaram de lado as históricas rixas televisivas.

Rede Record (Desde 2004)[editar | editar código-fonte]

O fim das brigas (2004-2006)[editar | editar código-fonte]

Na madrugada do dia 1º de abril de 2004, acontece uma nova troca de redes: a TV São Luís sai do ar após o Jornal da Record - 2ª Edição, e pela manhã entra no ar transmitindo a RedeTV!. Já a TV Cidade continua ao ar após a exibição do Programa Amaury Jr., colocava no ar o programa local da IURD e pela manhã entra no ar transmitindo o Fala Brasil da Rede Record.

Cquote1.svg O contrato com o grupo Zildene, [sic] não foi renovado com a Rede Record, e com a TV Cidade, não foi cumprido Cquote2.svg
Marco Antônio, em 2006

Todavia, a TV Cidade e a Rede Record, ainda tinham interesses em comum. Os problemas de ordem política foram resolvidos: a Record ficou para os Vieira da Silva, a RedeTV! para o Zildeni Falcão.

Depois da afiliação com a Record, Raimundo Vieira da Silva volta atrás na sua decisão de venda das cotas e reconcilia-se com os filhos. Juntos eles recorrem ao TJ de Brasília e no TJ do Maranhão, para que o documento assinado pelo então presidente Lula, que reconhecia Roberto Rocha como sócio da TV Cidade, fosse desfeito. Então Lula, por pressão de José Sarney (que era desafeto de Roberto Rocha), que ameaçou deixar de apoiar o seu governo, desfaz o ato.

Cquote1.svg Conseguiram ganhar e até hoje, 2006, o grupo Vieira da Silva, administra a empresa TV Cidade. É lamentável que alguém tenha 75% das cotas de uma empresa e seja impossibilitado de administrá-la Cquote2.svg
protestou Roberto Rocha, em 2006

Segundo Marco Antônio, Rocha não tinha comprovante de que ele comprou e nunca teria conseguido apresentar provas:

Cquote1.svg Nós nunca contestamos que o espólio de Luiz Rocha tenha 50%, o que nos queremos é que o espólio respeite que a outra parte tem 50% das cotas Cquote2.svg
Marco Ântonio, em 2006

Na manhã do dia 19 de dezembro, a emissora entrava no ar com um novo transmissor que passava a atingir novos municípios, como Pinheiro, Central do Maranhão, Guimarães, Mirinzal, Cedral, São Vicente Ferrer, Cajapió, São João Batista, Anajatuba, Itapecuru Mirim, Presidente Vargas, Nina Rodrigues e Humberto de Campos.

2007[editar | editar código-fonte]

Em 30 de julho de 2007, morreu em São Luís, o presidente e fundador da emissora, Raimundo Vieira da Silva, de falência múltipla dos órgãos.[3] Os filhos Marco Antônio Vieira da Silva, Fabiano Vieira da Silva e Paulo Sérgio Vieira da Silva, assumiram a direção da emissora nos cargos de presidente, vice e diretor de TV, respectivamente.

Entre agosto a outubro, a emissora faz uma reestruturação total, com novos cenários, novos programas, além do potente transmissor, fato que a fez ganhar a fama de ser a emissora com o melhor sinal da ilha. Essas mudanças ocorreram porque antes disso, ela era TV quase "amadora" e a Rede Record, uma emissora em intensa expansão estava insatisfeita com o desempenho da TV Cidade como geradora de rede para todo o estado do Maranhão.

2008[editar | editar código-fonte]

Também em meio à reformas, de agosto a março de 2008, surgem boatos pela imprensa, de que a emissora poderá perder a afiliação com a Rede Record. A rede estava insatisfeita com o desempenho da TV Cidade como cabeça de rede e julga que as disputas entre as famílias Vieira da Silva e Rocha pelo controle da emissora, estão bloqueando o crescimento da Record no estado, levando os dirigentes da Rede Record, a pretender adotar a TV Difusora como nova afiliada no estado. Na prática, a TV Cidade poderia ser afiliada ao SBT. A TV Difusora chegou a pensar em trocar o SBT pela Record (devido às mudanças da rede nos horários da tarde e noite, algumas sem aviso prévio, prejudicando a programação local) para ampliar o sinal da nova rede (O Maranhão era um dos estados brasileiros com a menor cobertura da rede no país, com poucas afiliadas e retransmissoras), e ao mesmo tempo, ocorriam reformas intensas nos estúdios (com os telejornais sendo ajustados para o modelo newsroom inspirado na Record).Esses boatos sobre troca de afiliação entre as emissoras geraram várias publicações pela imprensa maranhense.[4] , Mas no entanto, a troca não aconteceu.

Em 8 de setembro, foi inaugurado o primeiro site da emissora, a TV Cidade Canal 6, no aniversário de 24 anos da emissora.

Em 2 de junho de 2008, a emissora estreou uma nova programação colocando no ar a versão local do Balanço Geral (apresentado por Sérgio Murilo) e o novo Jornal da Cidade (no ar desde 2002), que tem como âncora Daniela Bandeira, o programa humorístico A Tarde é Nossa e o policial Comando Cidade. Em 27 de fevereiro de 2009, o Comando Cidade foi exibido pela última vez, pois foi transferido para a TV Maranhense, sendo renomeado para Comando em Ação em 2 de março.

No dia 9 de junho, o Balanço Geral deixou de ser exibido, por estar no mesmo horário dos jogos da Eurocopa, transmitida com exclusividade pela Rede Record, o que prejudicou a audiência do programa já no mês da estréia. Somente no início de julho, com o término da Eurocopa, o programa voltou a ser definitivamente exibido. Atualmente o programa é o mais assistido do estado segundo o Ibope.

2009[editar | editar código-fonte]

Em 2 de março de 2009, no lugar do Comando Cidade (exibido pela última vez em 27 de fevereiro, pois foi transferido para a TV Maranhense com novo nome de Comando em Ação), foi colocado o programa religioso Nosso Tempo, realizado pela Igreja Universal do Reino de Deus (com 15 minutos) e a volta do Cidade Aberta, também com 15 minutos. No entanto, ao contrário que se esperava, o formato antigo do Cidade Aberta não voltou, apenas com o apresentador (não se sabe qual) fazendo duros ataques contra o então governador Jackson Lago[5] (ver Controvérsias).

Em abril, a emissora está presente em 34 municípios maranhenses.[6]

Em 8 de setembro, foi inaugurado o segundo site da emissora, o Cidade Sat, no aniversário de 26 anos da emissora. Em outubro, a Região dos Cocais começou a receber o sinal da Cidade pela TV Alecrim, com sede no Município de Caxias. Em 9 de novembro, no lugar do Nosso Tempo e do Cidade Aberta, estreou o programa policial Qual é a Bronca?, com Oswaldo Maia.

Era Digital (2010)[editar | editar código-fonte]

Primeiro logo feito para a era digital

Em 2010, o tempo de duração dos programas locais da IURD foi reduzido. E o programa Balanço Geral passa a ser o mais assistido do Maranhão em seu horário de exibição.

Em 21 de julho, a TV Cidade e a Rádio Difusora AM foram sorteadas pelo TRE para gerar para todo o Maranhão, a Propaganda Eleitoral. A emissora já tinha o sinal de satélite há anos e também algumas repetidoras no interior do Estado, que possibilitou a sua candidatura.[7]

No dia 10 de junho, a emissora deu início a fase de testes para a transmissão digital, através do Canal 36, tornando-se a segunda emissora da região a iniciar as transmissões (a primeira foi a TV Mirante).

Depois de saber que a TV Mirante (afiliada a Rede Globo) iniciara suas transmissões digitais, a Record enviou às pressas transmissor digital para que a sua afiliada possa concorrer a altura da emissora dos Sarney. O transmissor emprestado pela rede paulista tem 2,5 kW e será substituído por outro com os mesmos 10 kW da sua principal concorrente. Em termos de produção digital, é a mais bem equipada emissora do maranhão. A TV Cidade não possuía um switcher que possibilitasse cortes automáticos para o sinal HD da rede. Sendo assim, optou por transmitir toda a programação da Record em SD esticado, inclusive a programação local, provisoriamente.

2011[editar | editar código-fonte]

No dia 14 de outubro de 2011, a TV Cidade transmite a cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos de 2011, disputados em Guadalajara, no México, com a imagem em definição baixa e esticada que a região estava acostumada a ver no sinal HD. Mas no dia seguinte, a emissora surpreende os telespectadores ao transmitir as primeiras competições do dia em HD, fazendo os cortes do sinal SD para o HD e vice-versa manualmente, ainda durante o programa Esporte Fantástico. Mas por causa de problemas com o áudio do sinal em alta definição, ela se vê obrigada a voltar a exibir a programação em SD. Ainda no mesmo dia, durante o programa O Melhor do Brasil, o problema com o áudio foi resolvido e desde então ela transmite a programação da Rede Record em HD de maneira irregular, com blocos ora em SD, ora em HD.

Com o início do horário de verão na metade de outubro, a programação em alta definição recebida pelo satélite fica prejudicada devido ao "delay" feito com equipamentos em SD pela própria Record para adequação dos horários dos programas as regras de classificação indicativa do DEJUS (Rede Fuso). A emissora tem um equipamento capaz de gravar a programação da Record em HD, mas a matriz paulista determina que as suas afiliadas devem transmitir a programação da Record Fuso em SD. Desse modo, de segunda a sexta, as atrações em HD ficam restritas apenas ao Fala Brasil, Hoje em Dia e o Jornal da Record. Durante os sábados e domingos, a programação segue a rede, ocasionalmente em HD.

No dia 25 de outubro, deixa de exibir a programação local em 4:3 esticado, para exibir no formato padrão (4:3 com barras pretas laterais).

Em 8 de setembro, lança novo logo, incorporando o termo TV Cidade HD. O lançamento ocorre aos 30 anos da emissora, contando na época em que ela se chamava TV Ribamar.

Em novembro, o apresentador do programa policial Qual é a Bronca?, Oswaldo Maia, foi afastado e posteriormente demitido pela emissora. A demissão foi por causa do apoio de Oswaldo a greve da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros por melhores salários para forçar uma negociação com a governadora do Estado, Roseana Sarney[8] [9] (ver Controvérsias).

2012[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2012, a emissora passa a exibir os comerciais e se torna a emissora oficial do evento musical de rock e metal, Metal Open Air, ou MOA. O evento, que foi realizado em São Luís nos dias 20, 21 e 22 de abril, terminou conturbado[10] (ver Controvérsias).

Em fevereiro, a TV Nativa de Imperatriz, passa a retransmitir toda programação local da TV Cidade. No mesmo mês, a emissora entra na concorrência para a transmissão do Campeonato Maranhense de Futebol de 2012 junto com a TV Mirante, a TV Difusora e a TV Guará. A licitação foi ganha pela TV Difusora

Em 29 de março, a emissora tira o canal digital do ar, que volta a ser operado no dia seguinte, às 18hs. A interrupção na transmissão ocorreu por causa da instalação do novo e mais potente transmissor de 10 kW. O aviso foi feito em intervalos comerciais durante a programação.

Em Junho, o Fala Maranhão e o Balanço Geral ganham novos cenários e vinhetas adequadas aos padrões da Rede Record. No mesmo mês, a TV Cidade passa a exibir o Plantão SuaCidade.com e o De Olho no Português, apresentado pelo professor de português Jader Cavalcante.

Em 13 de agosto, estreou o programa de variedades ChegAí, apresentada por Carol Carvalho. O programa fala sobre tendências do universo da moda, decoração, beleza, educação, incluindo a cultura no Maranhão. Os telespectadores participam durante o programa através do Facebook, Twitter, pelo portal de voz e sms e no SuaCidade.com.[11] Com a estréia do programa, o Balanço Geral passou a ter 1h30 de duração.

Em 13 de outubro, a cidade de Caxias passa a receber pelo canal 3, a programação local direto de São Luis da Cidade, através da TV Sinal Verde, após quatro anos pela TV Alecrim.

Em 16 de outubro a emissora saiu do ar entre as 6 e 8 horas da manhã para troca de transmissor. Os apresentadores de programas locais já avisavam sobre saída do ar diariamente, praticamente uma semana antes do ocorrido.

2013[editar | editar código-fonte]

O ano de 2013 começou triste para a TV Cidade: Na noite do dia 23 de janeiro, o assistente de estúdio do Balanço Geral MA e do Qual é a Bronca?, Wadson Costa (mais conhecido como "Cof-Cof"), foi morto com 10 tiros enquanto estava lanchando na Praça da Saudade, no bairro da Madre Deus. As suspeitas do crime foram de crime passional, pois há algum tempo, Costa vinha se relacionando com a ex-namorada do presidiário da Penitenciária de Pedrinhas. Quando este soube, ordenou que dois pistoleiros fossem ao encontro de Wadson para assassina-lo. Wadson foi levado para o Socorrão I, mas não resistiu e morreu. Ele foi velado no Hospital Portuguez e foi enterrado no Cemitério do Gavião no dia seguinte.[12] Em pesar, o presidente do Grupo Cidade, Marco Antônio Vieira da Silva, declarou que toda a direção estava de luto pela morte de seu funcionário. O Balanço Geral exibiu uma matéria contando a história de trabalho de Wadson Costa na TV Cidade, e ao final, muito emocionado, Sérgio Murilo encerrou o programa.[13]

Em 6 de março, um dos suspeitos apontados como assassino de Cof-Cof, foi solto por falta de provas e por não estar no local na hora do crime. Além disso, uma das testemunhas do caso, foi assassinada. A Polícia Civil acredita que seja queima de arquivo ou foi vítima de acerto de contas, já que a testemunha estava presa.

Em 21 de março, o suspeito da morte de Cof-Cof foi pego em São Luís. Ele é identificado como Rogério Cantanhede Luis Andrade Júnior, e confessou que mandou matar o assistente de estúdio devido a desentendimentos entre ele e sua ex-namorada, que estava em um relacionamento com Costa.[14]

No mês de março, é anunciado pela TV Cidade que toda a equipe de produção do programa Salto Alto (que era apresentado na TV Maranhense) foi contratada para fazer parte do Programa ChegAí. Com isso, a partir do dia 8 de abril, a blogueira Daniele Bacelar passou a apresentar um quadro sobre moda no programa, denominado Cidade Fashion. Neste quadro, são apresentadas dicas de beleza e moda para os telespectadores, além da cobertura dos eventos do gênero que acontecem em São Luís (nos mesmos moldes programa Salto Alto).[15] Com a contratação da equipe, o antigo programa apresentado por Daniele Bacelar na TV Maranhense acaba sendo extinto.

Em julho, o Portal SuaCidade.com lançou outra divisão do portal: O SuaComunidade.com. Neste portal, os moradores dos bairros de São Luís e adjacências poderão fazer denúncias sobre irregularidades existentes na comunidade, além de enviar vídeos que poderão ficar disponíveis no site ou exibidos nos telejornais da TV Cidade. Logo o site virou uma das ferramentas da população para denunciar o descaso do poder público com a população, além de mostrar a criminalidade que acontece em algumas áreas da cidade.

Em 27 de julho, voltou o programa TV Kamaleao. Após ter passado um ano na TV Maranhense, o programa simplesmente deixou de ir ao ar na emissora ao final do mês de junho. Após terem se passado algumas semanas, começaram a ir ao ar na TV Cidade chamadas que anunciavam a re-estréia do programa em 27 de julho. Logo após isso, caracterizou-se a extinção do programa na TV Maranhense.

Em 15 de dezembro, estreou o programa sobre negócios Negócios & Cia., apresentado por Laércio da Silva Jr. O programa trata sobre os assuntos do ramo, além de contar com debates com os profissionais da área.

2014[editar | editar código-fonte]

A emissora exibe nota de presar pelo assassinato do assessor de Roberto Rocha, ocorrido em 6 de outubro, um dia depois que Rocha foi eleito senador, em um crime que apesar ter o assassino preso, investigações apontam que ele não agiu sozinho.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Disputas entre Famílias Vieira da Silva e Rocha[editar | editar código-fonte]

Em março de 2001, com o falecimento dos primeiros sócios da década 80, época da TV Ribamar, iniciou-se problemas jurídicos entre familiares Vieira da Silva e Rocha, da segunda geração que controla a TV. Nesse mês, morreu no dia 8, o ex-governador Luiz Rocha, a sociedade ficou apenas com sócio remanescente, Raimundo Vieira da Silva. Semanas depois, morreu também a senhora Maria do Rosário Almeida Vieira da Silva, esposa do sócio Vieira da Silva.[1]

A partir da morte de Maria do Rosário, os desentendimentos entre pai e filhos, até então nunca ocorrido, começam a surgir. Fabiano Vieira da Silva, Marco Antônio Vieira da Silva e Paulo Sérgio Vieira da Silva, filhos de Raimundo Vieira da Silva, se achavam no direito de administrar a empresa pelo inventário da mãe. Entraram na Justiça maranhense para interditar a entrada do pai na empresa, alegando que o mesmo não tem condições de coordená-la, por conta da grave saúde.[1]

Essa briga entre filhos com o pai pela TV perdurou durante 2001 e se agravou em 2002, quando ocorreu as agressões físicas dos filhos contra o pai dentro da emissora.[1] Revoltados contra a agressão covarde do proprietário idoso por filhos, alguns dos funcionários da emissora quase lincharam os irmãos e filhos do Vieira da Silva (que conseguiram fugir da emissora para não serem espancados). Em protesto, fizeram greve na emissora e interromperam a programação da RedeTV!, já no dia seguinte para denunciar o sucateamento da emissora e agressão por horas, fato noticiado pela imprensa maranhense.

Em meio a esta confusão, Raimundo Vieira da Silva, procurou auxílio junto à família de Luiz Rocha. “Ele estava chamando a gente para podermos juntos tocar a empresa”, afirma o Roberto Rocha em 2006.[1]

Com a finalidade de regularizar a situação dos herdeiros do espólio de seu pai, Rocha contrata advogado, que analisa contrato e orientou Terezinha Rocha (esposa do falecido Luiz Rocha) a fazer oficio e enviá-lo ao Vieira da Silva, para que o mesmo reconhecesse a ocupação legal dos herdeiros do espólio. “Isto foi feito dentro da lei com autorização judicial do inventário de Balsas, com a homologação da alteração contratual pelo Ministério das Comunicações e arquivado na Junta Comercial.[1]

Insatisfeitos com nova situação, os filhos de Raimundo Vieira da Silva, entraram novamente na Justiça, desta vez, com objetivo de tomar posse da propriedade. A princípio, foi negado, porém eles recorreram ao Tribunal de Justiça do Maranhão e conseguiram assumir a empresa. Isso aconteceu porque o advogado Moreira Serra Junior, que inicialmente defendia a causa dos filhos, perdeu o prazo de recorrer no Supremo Tribunal de Justiça (STJ). O processo transitou em julgado, interferindo na decisão do TJ do Maranhão, que determinou que um dos filhos fosse inventariante.[1]

Dessa forma, mais uma vez, Vieira da Silva procura ajuda do Roberto Rocha e oferece 25% das suas cotas da empresa, em troca de sua ajuda financeira.[1]

“No dia 31 de janeiro de 2003, Edson Vidigal, então vice-presidente do Supremo Tribunal de Justiça [e maranhense de Caxias,] deu duas liminares no período de sua presidência: uma para Raimundo Vieira da Silva voltar para TV e a outra para voltar a Rádio”, disse Rocha.[1]

Em contrapartida, os filhos de Raimundo Vieira alegaram que havia uma decisão de partilha legalmente elaborada, registrada e assinada em cartório, em que os 50% das cotas da Rádio Ribamar Ltda. pertenciam a eles e os imóveis da família pertenciam ao seu pai. Então eles recorreram ao STJ e ao TJ e obtiveram ganho de causa. “Depois de uma semana da decisão, que favoreceu aos filhos, o pai saiu da Rádio, mas continuou na TV”.[1]

Roberto Rocha interpôs com um recurso judicial, junto ao Ministério da Comunicação em Brasília, para que o técnico regulamentasse o processo, e finalmente pudesse ser legalmente um dos sócios da empresa. Posteriormente enviaram o processo para que o Presidente da República, Lula o referendasse.[1]

Ficaram sócios da Rádio Ribamar Ltda.:[1]

  • Terezinha Rocha
  • Roberto Rocha
  • Raimundo Vieira da Silva

Durante 2003, tentou-se organizar a empresa, que no final do ano, o ex-deputado Roberto Rocha chamou o seu sócio, Raimundo Vieira da Silva, para fazer o acerto de contas pelo valor pago referente aos 25% das cotas.[1]

No entanto, em 2004, Raimundo Vieira da Silva volta na sua decisão de venda das cotas e reconcilia-se com os filhos, que juntos recorreram ao TJ de Brasília e do Maranhão, para que o documento assinado por então presidente Lula, que o reconhecia Roberto Rocha, como sócio da TV Cidade, fosse desfeito. Então Lula, por pressão de José Sarney (que tinha desavenças políticas e pessoais com Roberto Rocha) pois ameaçou deixar apoiar o governo (na época atingido pelo escândalo de corrupção) desfaz o ato.[1]

“Conseguiram ganhar e até hoje, 2006, [na época, 2006 era o atual ano da entrevista] o grupo Vieira da Silva, administra a empresa TV Cidade”. “É lamentável que alguém tenha 75% das cotas de uma empresa e seja impossibilitado de administrá-la”, protesta Roberto Rocha.[1]

Segundo Marco Antonio, o Roberto não tem comprovante de que ele comprou e nunca conseguiu apresentar provas. ”Nós nunca contestamos que o espólio de Luiz Rocha tenha 50%, o que nos queremos é que o espólio respeite que a outra parte tem 50% das cotas”.[1]

Atualmente, a disputa corre na justiça e a família Vieira da Silva detém o controle da empresa.

Jackson Lago "é corrupto!"[editar | editar código-fonte]

Gerou polêmica a volta do Cidade Aberta, em 2 de março de 2009, na qual o apresentador[quem?] (que quase sempre acompanhado com outro apresentador e advogado[quem?]) acusam diariamente com ofensas e acusações (algumas sem provas), o então governador Jackson Lago de ser "desonesto", "incompetente", "corrupto", há "corrupção no governo de Jackson Lago" e os seus integrantes, inclusive responsabilizam ele por todos os problemas que o estado atravessa (corrupção, analfabetismo, clientelismo, nepotismo, entre outros), mesmo sabendo que esses problemas sempre existiam antes dele assumir o governo.[5]

As acusações deles contra o então governador como se fossem novas "denúncias" contra o governo geraram suspeitas que a TV Cidade, que até então tinha postura neutra ao governador Lago, passou se opor em meio às denúncias graves de uso e desvio de dinheiro público aos aliados, ao iniciar campanha de difamação anti-Lago e o apoio à Roseana Sarney, que perdeu para ele em 2006.

Na época dessas acusações, tramitava no TSE, o processo na qual Jackson Lago era acusado de abuso de poder e de campanha que o elegeu governador em 2006, que em 16 de abril de 2009, perdeu o mandato juntamente com vice. A denúncia foi publicada pelo Jornal Pequeno.[5]

No entanto, menos de duas semanas depois da cassação de Lago, por motivos desconhecidos e obscuros, o programa deixou de ser exibido na emissora e a dupla de apresentadores-acusadores foi demitidos.

Ameaças do governo e demissão de Osvaldo Maia em 2011[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2011, o apresentador do programa policial Qual é a Bronca?, Oswaldo Maia foi afastado e posteriormente demitido pela emissora (inicialmente foi noticiado que ele foi posto em férias sem aviso prévio ou pedido do próprio), na qual o programa foi assumido provisoriamente pelo Sérgio Murilo (apresentador do Balanço Geral). Os motivos foram os comentários sobre greve da Polícia Militar por melhores salários para forçar negociação com o governo da Roseana Sarney, o que gerou ameaças por parte do Governo do Estado. A imprensa local tratou o caso como tráfico de influência por parte do governo.[8] [9] Em 16 de janeiro de 2012, Jeisael Marx assumiu como novo apresentador do Qual é a Bronca?. O posicionamento crítico continuou.

Metal Open Air[editar | editar código-fonte]

Entre janeiro a abril de 2012, a emissora passa a divulgar comerciais do evento de rock Metal Open Air, mais conhecido como M.O.A., tornando-se a emissora oficial do evento a ser realizado em três dias em Parque Independência, de 20 a 22 de abril.

No entanto, entre 20 a 22 de abril, a emissora não noticiou inúmeros cancelamentos e problemas de estrutura no evento de rock, pois se restringiu a mostrar apenas as poucas bandas que se apresentaram. A emissora tinha como diretor de jornalismo Natanael Jr., dono de uma das empresas que organizaram o evento. Natanael foi demitido e Glauce Telles assumiu a direção de jornalismo.[10]

Em 22 de abril de 2013, exatamente um ano depois do evento, Natanael Jr. e os oito envolvidos, responsáveis pelo evento, foram denunciados pelo Ministério Público Estadual, que pediu indiciamento de todos os responsáveis do evento. O MP pediu indiciamento por diversos crimes, entre eles o estelionato (famoso pelo artigo 171), bloqueio dos bens dos envolvidos e o pedido de prisão dos responsáveis.

Curiosamente, a TV Cidade não foi incluída pelo processo.

Programas[editar | editar código-fonte]

Além de retransmitir a grade nacional da Rede Record, a TV Cidade produz os seguintes programas:

Telejornais[editar | editar código-fonte]

  • Qual é a Bronca?: Programa Policial, com Jeisael Marx. De Segunda a Sexta, das 7h00 às 8h00;
  • Fala Maranhão: Telejornal, com Liziane Martins e Camila Aranha. De Segunda a Sexta, das 8h00 às 8h45;
  • Balanço Geral MA: Jornalístico, com Sérgio Murilo. De Segunda a Sexta, de 12h30 às 14h00;
  • Jornal da Cidade: Telejornal, com Ailton Nunes. De Segunda a Sexta, das 19h45 às 20h30.
  • Plantão SuaCidade.com: Plantão jornalístico, com Marcos Martins. De Segunda a Sexta, durante a programação;

Programas[editar | editar código-fonte]

  • ChegAí: Programa de variedades, com Carol Carvalho. De Segunda a Sexta, das 14h00 às 14h30;
  • TV Kamaleão: Humorístico, com a Turma do Kamaleão. Sábado, das 13h00 às 13h30;
  • A Tarde É Nossa: Humorístico, com o elenco da peça teatral "Uma Linda Quase Mulher". Sábado, das 13h30 às 14h;
  • Entrevista com Moreira Serra Jr.: Talk-show de economia, com o advogado Moreira Serra Júnior. Domingo, das 8h00 às 9h00;
  • Programa Sucesso: Programa de variedades, com Rejany Braga. Domingo, das 10h00 às 10h45;
  • Negócios & Cia.: Programa sobre negócios, com Laércio da Silva Jr.. Domingo, das 10h45 às 11h00;
  • De Olho no Português: Didático, com o professor Jáder Cavalcante. Todos os dias, durante a programação;
  • Programação IURD local: Religioso, todas as madrugadas após a edição nacional do Fala que Eu Te Escuto, e de Segunda a Sexta, das 12hs às 12h30.

Além da exibição desses programas, a TV Cidade transmite junto com a TV Difusora e a TV São Luís o sorteio do título de capitalização Mara Cap, às 9h00.

Cobertura[editar | editar código-fonte]

Essa é a lista de cidades e municípios cobertas pela TV Cidade.[6]

Grande São Luís
Demais Municípios
  • Alcântara[20]
  • Anajatuba
  • Arari
  • Axixá[21]
  • Bacabeira
  • Bacurituba
  • Bequimão
  • Cachoeira Grande
  • Cajapió
  • Cantanhede
  • Cedral
  • Central do Maranhão
  • Cururupu
  • Guimarães
  • Humberto de Campos[22]
  • Icatu
  • Matinha
  • Mirinzal
  • Morros[23]
  • Palmeirândia
  • Peri Mirim
  • Presidente Juscelino[24]
  • Primeira Cruz[25]
  • Rosário[26]
  • Santa Rita[27]
  • Santo Amaro do Maranhão
  • São Bento
  • São João Batista
  • São Vicente Ferrer
  • Viana (Canal 5)[28]

Via satélite[editar | editar código-fonte]

Cidade Sat[29]
Frequência: 03970 L
SR: 3333
Banda C

Emissoras do Grupo Vieira da Silva[editar | editar código-fonte]

Além da TV Cidade, o Grupo Vieira da Silva tem mais três empresas:

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u Referências retiradas abaixo:
    Amanda Lea Soares BARBOSA, Danielle Morais ALMEIDA, Lucio da Silva FARIAS, Polyanna Bittencourt CORREIA e Renato Vilar Sá PEREIRA. DE TV RIBAMAR À TV CIDADE Histórico e polêmica atual sobre sua concessão. São Luís: Universidade Federal do Maranhão-UFMA, 2006.
    Que por vez baseou buscas em outras fontes publicadas e entrevistas abaixo:
    • Marco ANTONIO. Entrevista sobre a história da TV Cidade .São Luis, 22 mar. 2006.
    • Roberto ROCHA. Entrevista sobre a disputa acionaria na TV Cidade. São Luis, 18 mar. 2006.
    • Raimundo Vieira da Silva SILVA. “Amor” “Ilusão”. São Luis, LithoGraf (gráfica), 1997.
  2. a b PROGRAMAÇÃO DE TV Folha de S. Paulo (12 de agosto de 2000). Visitado em 08-04-2013. Nota: Apenas detalha atrações e os horários corretos.
  3. Fundador do Grupo Cidade de Comunicação recebe homenagem da ALEMA Sua Cidade (5 de setembro de 2012, 17:48). Visitado em 08-09-2012.
  4. Décio Sá (12 de agosto de 2007). Edinho Lobão retoma controle da TV Difusora Globolog.[ligação inativa] Web Archive em 23-06-2009
  5. a b c Dr. Pêta (31 de março de 2009). Cartas ao Dr. Pêta Jornal Pequeno.
  6. a b o Atlas de Cobertura 2009 da REDE RECORD. Rede Record (abril de 2009). Visitado em 08-09-2013.
  7. Kássia Brito (22-06-2010). TV Cidade e Rádio Difusora vão gerar a programação eleitoral O Imparcial. Visitado em 20-08-2010.
  8. a b Louremar Fernandes (13 de janeiro de 2012). Greve dos Militares faz vítima na Imprensa Louremar. Visitado em 25-10-2012.
  9. a b Apresentador de TV é afastado por defender causa dos militares PEC 300 (Novembro de 2011). Visitado em 25-10-2012.
  10. a b Teresa Dias (12-05-2012 (Atualizado em 16-05-2012)). Além de insatisfação do público, MOA deixa dívidas com tradutores e outros serviços O Imparcial. Visitado em 25-10-2012.
  11. ChegAÍ chegou com tudo na TV Cidade SuaCidade.com (13 de agosto de 2012, 14:41). Visitado em 01-01-2012.
  12. Gilberto Lêda (24-01-2013). Morre assistente de estúdio da TV Cidade que levou dez tiros Blog do Gilberto Lêda. Visitado em 24-01-2013.
  13. Sua Cidade (24-01-2013). Homenagem da TV CIDADE para "Cof Cof" Portal Sua Cidade.com. Visitado em 24-01-2013.
  14. Redação do Imparcial (21-03-2013). Assassino do assistente de estúdio, Cof Cof, foi encontrado hoje, 21 O Imparcial. Visitado em 26-03-2013.
  15. Daniele Bacelar (07-04-2013). Cidade Fashion estreia na TV Cidade Blog da Dani Bacelar. Visitado em 24-04-2013.
  16. Vários Autores (2008). Listando canais de São Luís (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  17. Vários Autores (2014). Listando canais de Paço do Lumiar (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  18. Vários Autores (2014). Listando canais de São José de Ribamar (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  19. Vários Autores (2014). Listando canais de Raposa (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  20. Vários Autores (2014). Listando canais de Alcântara (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  21. Vários Autores (2011). Listando canais de Axixá (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  22. Vários Autores (2014). Listando canais de Humberto de Campos (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  23. Vários Autores (2014). Listando canais de Morros (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  24. Vários Autores (2014). Listando canais de Presidente Juscelino (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  25. Vários Autores (2014). Listando canais de Primeira Cruz (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  26. Vários Autores (2011). Listando canais de Rosário (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  27. Vários Autores (2011). Listando canais de Santa Rita (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  28. Vários Autores (2010). Listando canais de Viana (MA) Portal BSD. Visitado em 20-10-2014.
  29. CANAIS DO SATÉLITE SES 4 (BANDA C)

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]