The Cable Guy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Cable Guy
O Melga (PT)
O Pentelho (BR)
Pôster promocional
 Estados Unidos
1996 • cor • 96[1] min 
Direção Ben Stiller
Produção Judd Apatow
Andrew Licht
Jeffrey A. Mueller
Roteiro Lou Holtz Jr.
Elenco Jim Carrey
Matthew Broderick
Leslie Mann
Gênero Comédia de humor negro
Idioma Inglês
Música John Ottman
Cinematografia Robert Brinkmann
Edição Steven Weisberg
Estúdio Brillstein-Grey Entertainment
Distribuição Columbia Pictures
Lançamento Estados Unidos 14 de junho de 1996
Portugal 19 de julho de 1996
Orçamento US$47 milhões[1]
Receita US$102,825,796[1]
Página no IMDb (em inglês)

The Cable Guy (no Brasil: O Pentelho / em Portugal: O Melga) é um filme americano de 1996, uma comédia de humor negro dirigida por Ben Stiller, com os atores Jim Carrey, Matthew Broderick, Leslie Mann e Jack Black.[2]

Esse filme é famoso pelo fato de Jim Carrey ter recebido pagamento de 20.000.000 de dólares, até então a mais alta quantia paga a um ator de comédia.[3]

Este filme é também conhecido por ser o primeiro trabalho de Judd Apatow como um produtor de cinema, por ter atores do Frat Pack, com Jack Black como o amigo de Steven, Rick, Owen Wilson como o encontro de Robin, Stiller como os atores mirins Sam e Stan Sweet, Leslie Mann como Robin, e Andy Dick como o apresentador do Medieval Times.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Após romper com sua namorada Robin (Leslie Mann) já que ela o trocou por outro, Steven (Matthew Broderick) consegue um novo apartamento e oferece 50 dólares ao instalador de TV á cabo (Jim Carrey) para que instale determinados canais de graça em sua TV. Deste momento em diante o instalador que atende pelo nome fictício de Chip Douglas e é um sujeito muito solitário que quer desesperadamente um amigo, vê a idéia de Steven como um ato de bondade e aproveita a oportunidade para tentar conquistá-lo, de tal forma que cola no seu pé e tenta se infiltrar e promover as mais inimagináveis situações e acaba provocando uma série de transtornos na vida pessoal e profissional de Steven.

Steven logo descobre rumores sobre Chip Douglas ser uma identidade falsa e esse mesmo Chip ter fama de louco e excêntrico, o que faz jus a Chip ser uma pessoa certamente insuportável, por esta razão suas investidas para com Steven sempre acabam falhando e este começa a fazer de tudo para evitá-lo. Mesmo assim, Chip vai mais além, tentando se mostrar melhor que outros amigos de Steven e inclusive destruindo o encontro de Robin com seu novo namorado.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Primeira vez que o roteirista Lou Holtz Jr. teve a ideia para The Cable Guy foi enquanto trabalhava como promotor em Los Angeles, declarando que uma vez que ele viu a cara do cabo no corredor do apartamento de sua mãe, ele começou a pensar "O que ele está fazendo aqui tão tarde?" O roteiro se tornou o foco de uma guerra de lances, vencido pela Columbia Pictures, a um preço de US$1 milhão. Chris Farley foi anexado a estrela do filme, mas desistiu devido a dificuldades de agenda. Jim Carrey juntou-se à produção, recebendo um então recorde de US$20 milhões para estrelar o filme. Após a assinatura do Carrey, Columbia contratou Judd Apatow para produzir. O estúdio negou o interesse de Apatow na direção, mas aceitou a sugestão de convidar Ben Stiller, estrela de seu show homônimo em que Apatow tinha trabalhado.[4] [5]

O roteiro original de Lou Holtz Jr. era uma comédia leve, descrito por Apatow como "um filme de amigo chato no estilo What About Bob?", onde o Cable Guy era um perdedor simpático que invade a vida do assinante a cabo, mas nunca em uma maneira fisicamente ameaçadora. Carrey, Apatow e Stiller gostaram da configuração de "alguém que é muito inteligente, com tecnologia invadindo a vida de alguém", e optaram por adicionar palhaçada e mais tons escuros, transformando-se em uma sátira de thrillers como Cape Fear, Unlawful Entry e The Hand That Rocks the Cradle. O diálogo também se encaixa no estilo de Carrey de comédia.[6]

Holtz escreveu quatro textos adicionais, cada um mais escuro do que o anterior, antes de deixar o projeto. Apatow assumiu a escrita, mas ele não foi creditado por não cumprir o sistema de crédito de roteiro da WGA sobre o quanto um produtor teve que trabalhar para ser creditado como escritor também.[6] Apatow e Stiller visitaram Carrey enquanto ele estava filmando Ace Ventura: When Nature Calls na Carolina do Sul, e ao longo de alguns dias, descarregaram um conjunto de peças que foram adicionados ao script, e como Carrey quis fazer esse personagem.[5] O roteiro final tinha elementos tão perturbadores que a Columbia tinha muitas queixas em algumas cenas. Por sua vez Apatow declarou que o estúdio não especificamente pediu o afastamento, "mas levamos [as cenas] como parte da evolução natural de nosso processo criativo". Stiller afirmou que ele gravou em cada cena com "uma versão escura e uma versão light", e que ele estava surpreso que o estúdio não se opôs ao fim violento.[6] [7]

A sequência de luta no Medieval Times entre Chip (Jim Carrey) e Steven (Matthew Broderick) é uma homenagem ao episódio Amok Time de Star Trek (série original) - incluindo o uso de armas Vulcan (Lirpa), o diálogo, e a música de fundo.[8] Director Ben Stiller admitiu ser fã de Star Trek.[9]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Resposta da crítica[editar | editar código-fonte]

The Cable Guy é considerado como tendo um tom mais escuro do que a maioria dos trabalhos anteriores de Carrey. O público teve reações mistas para esta mudança de tom para Carrey e críticos de cinema deram críticas mistas. Rotten Tomatoes dá ao filme uma pontuação de 54% com base em 56 comentários.[10]

O filme estava em J. Hoberman em seu Top 10 de melhores do ano.[11] Roger Ebert incluiu The Cable Guy em sua lista de piores de 1996,[12] embora seu colega Gene Siskel discordou, chamando-o de "um filme muito bom. (Carrey) melhor desde The Mask".

O filme também foi notado por suas semelhanças com o telefilme australiano The Plumber (1979), que foi escrito e dirigido por Peter Weir, que viria a dirigir Carrey em The Truman Show (1998).

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

O filme arrecadou $19,806,226 em sua semana de estreia. O filme arrecadou um total $60,240,295 no mercado interno norte-americano, e $42,585,501 fora dos EUA, fazendo um total de $102,825,796 de bruto mundial. Apesar da percepção crítica que o filme foi um fracasso, ele obteve um lucro acima do seus $47 milhões de orçamento de produção.[1] Ele ganhou status de cult, como entre os cinéfilos. [5] [7]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

1997 MTV Movie Awards

1997 Kid's Choice Awards

Home media[editar | editar código-fonte]

The Cable Guy foi lançado em VHS em 3 de dezembro de 1996, DVD em 15 de setembro de 1997 e Blu-ray em 1 de março de 2011.

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Cable Guy:
Original Motion Picture Soundtrack
Trilha sonora de Vários artistas
Lançamento 21 de maio de 1996
Gravação 1995-1996
Gênero(s) Trilha sonora
Gravadora(s) Columbia

The Cable Guy: Original Motion Picture Soundtrack é a trilha sonora oficial.[13] Trata-se de músicas inéditas, em grande parte, de bandas de rock alternativo e heavy metal, e inclui a primeira gravação solo de Jerry Cantrell do Alice in Chains. A trilha sonora inclui a versão de Jim Carrey de Jefferson Airplane de "Somebody to Love", que foi realizada por ele no filme. Ele também inclui uma música de $10,000 Gold Chain, um projeto do guitarrista solo Mike McCready do Pearl Jam. No entanto, ele não inclui "More Human than Human" de White Zombie, que é destaque em uma cena dramática do filme.

"Leave Me Alone" de Cantrell serviu como veículo promocional da trilha sonora e tinha um vídeo da música. Este contou com várias filmagens de The Cable Guy de forma escura típica do estilo de Cantrell. Ele também tinha o rosto assombrado de Jim Carrey chegando de uma tela de televisão que Cantrell observa. Enquanto o álbum como um todo não foi bem recebido, Stephen Thomas Erlewine de Allmusic observou que "Leave Me Alone" positivamente "rocks tão duro quanto qualquer pista de Alice in Chains".

A faixa "Standing Outside a Broken Phone Booth with Money in My Hand" ganhou popularidade por sua aparição no filme e chegou a #1 na Billboard Modern Rock Tracks, em 1996.

Lista da trilha[editar | editar código-fonte]

  1. "I'll Juice You Up" – Jim Carrey
  2. "Leave Me Alone" – Jerry Cantrell
  3. "Standing Outside a Broken Phone Booth with Money in My Hand" – Primitive Radio Gods
  4. "Blind" – Silverchair
  5. "Oh! Sweet Nuthin'" (The Velvet Underground cover) – $10,000 Gold Chain
  6. "End of the World is Coming" – David Hilder
  7. "Satellite of Love" – Porno for Pyros
  8. "Get Outta My Head" – Cracker
  9. "Somebody to Love" – Jim Carrey
  10. "The Last Assassin" – Cypress Hill
  11. "This Is" – Ruby
  12. "Hey Man, Nice Shot" (Promo-Only Remix) – Filter
  13. "Unattractive" – Toadies
  14. "Download" – Expanding Man
  15. "This Concludes Our Broadcast Day" – John Ottman

Posições nas paradas[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

Ano Single Gráfico Posição
1996 "Leave Me Alone" Hot Mainstream Rock Tracks 14

Referências

  1. a b c d The Cable Guy (1996) Box office mojo IMDB (1996-08-30). Visitado em 2012-03-12.
  2. O Pentelho : Elenco, atores, equipe técnica, produção (em português) Adoro Cinema. Visitado em 12 de Outubro de 2012.
  3. Jim Carrey Guia da semana. Visitado em 12 de Outubro de 2012.
  4. (May 24, 1996) "The 1996 Summer Movie Preview: June".
  5. a b c Rabin, Nathan (March 1, 2011). INTERVIEW: Judd Apatow The A.V. Club. Visitado em April 6, 2014.
  6. a b c Welkos, Robert W.. "Humor Too Dark for Its Own Good?", The Los Angeles Times, June 25, 1996.
  7. a b Sellers, John (March 4, 2011). Judd Apatow Tells Us the Legend of The Cable Guy, the Bomb That Wasn't Vulture. Visitado em April 6, 2014.
  8. ''Cable Guy'' trivia Whosdatedwho.com. Visitado em 2012-03-12.
  9. Star Trek 30th Anniversary Special, October 6, 1996
  10. The Cable Guy Rotten Tomatoes Flixster. Visitado em 2012-03-12.
  11. J. Hoberman's Top Ten Lists 1977-2006 Eric C. Johnson. Visitado em April 6, 2014.
  12. "The Worst Films of 1996". Siskel & Ebert. syndicated.
  13. The Cable Guy: Original Motion Picture Soundtrack Amazon.com. Retrieved March 24, 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]