Tomazinho Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tomazinho
Escudo do Tomazinho FC.gif
Nome Tomazinho Futebol Clube
Alcunhas Cruzmaltino de Meriti
Fundação 2 de janeiro de 1930 (84 anos)
Estádio Brasil Josias José da Silva (Beronhão)
Presidente Brasil Malaquias Silva de Jesus (Quinha)
Treinador Brasil Ziza
Competição Rio de Janeiro Campeonato Carioca - Série C
Kit left arm thinblacklower.png Kit body vasco0910h.png Kit right arm thinblacklower.png
Kit shorts whiteblack Penalty09.png
Kit socks thinsidesonwhite.png
Uniforme
titular
Kit left arm whitesmalllower.png Kit body vasco0910a.png Kit right arm whitesmalllower.png
Kit shorts blackwhite Penalty09.png
Kit socks thinwhitesides.png
Uniforme
alternativo
editar

Tomazinho Futebol Clube é uma agremiação esportiva da cidade de São João de Meriti, no estado do Rio de Janeiro, fundada a 2 de janeiro de 1930.

Equipe profissional do Tomazinho em 2011

História[editar | editar código-fonte]

Após disputar por décadas os campeonatos promovidos pela Liga Desportiva de São João de Meriti sob a denominação de Filhos de Tomazinho Futebol Clube, estréia finalmente no profissionalismo, ao participar do Campeonato Estadual da Terceira Divisão do Rio de Janeiro, em 1982, ficando na terceira colocação de sua chave na fase inicial, não se classificando para a seguinte. Sob a presidência de Ílson Ruiz, o Tomazinho já havia sido pentacampeão meritiense amador de 1980 a 1984.

Em 1983, fica em quinto na sua chave e também não se habilita para a fase final do certame. Em 1984, lidera a primeira fase em sua chave e se classifica para a fase final, à qual fica em quinto na classificação geral. Os promovidos foram Clube Esportivo Rio Branco, de Campos e o Royal Sport Club, de Barra do Piraí.

Sede do Tomazinho Futebol Clube

Em 1985, lidera novamente a primeira fase na sua chave, composta de times do Sul do estado e da Baixada Fluminense. Na fase final fica em terceiro lugar, sendo promovidos o Porto Alegre Futebol Clube e o Central Sport Club, de Barra do Piraí.

Em 1986, faz a melhor campanha da sua história. Sagra-se campeão invicto da Terceira Divisão de Profissionais sob o comando técnico de João Paulo Nizzo. Na primeira fase é o segundo colocado, atrás somente da Associação Atlética Volantes. Na fase final é o primeiro colocado, sendo promovido com o vice-campeão Esporte Clube Nova Cidade, que começava a sua heróica trajetória rumo à Primeira Divisão.

Malaquias Silva de Jesus (Quinha), o presidente

O clube cruzmaltino de São João de Meriti disputou a Segunda Divisão de 1987 até 1990 com campanhas modestas. Em 1987, fica em último lugar no primeiro turno. No segundo é apenas décimo entre doze equipes. Subiram Volta Redonda Futebol Clube e Friburguense Atlético Clube.

Em 1988, fica em último lugar nos dois turnos em um campeonato composto por quatorze agremiações, que não promoveu o descenso para a Terceira Divisão. Em 1989, é nono colocado entre quatorze equipes no primeiro turno. No segundo, é sétimo.

Em 1990, fica em oitavo, último, no primeiro turno no grupo "A", não se classificando para a fase final.

Em 1991, a FFERJ transformou a Segunda Divisão em Módulo "B" da Primeira, contudo sem haver cruzamento com o grupo "A", composto pelos clubes da elite do futebol do Rio de Janeiro. Somente os doze melhores do campeonato anterior se habilitaram a disputar, ficando de fora o Tomazinho, Rio das Ostras Futebol Clube, Tamoio Futebol Clube e Araruama Esporte Clube, que acabaram compondo a nova Segunda Divisão com vinte e quatro clubes, que foi formada basicamente com os convidados oriundos da Terceira do ano anterior. Nesse novo módulo o Tomazinho ficou em quarto lugar na classificação geral de seu grupo na primeira fase, se classificando para a seguinte. Nesta, que foi dividida em dois grupos de seis equipes, o time de São João de Meriti ficou em último na sua chave. Foram promovidos Saquarema Futebol Clube e Entrerriense Futebol Clube.

Vista do estádio Josias José da Silva (Beronhão)

Em 1992, é apenas o sexto colocado na sua chave, composta de sete equipes, só superando o Esporte Clube Nova Cidade, já de volta ao ostracismo, após a sua meteórica fase de ascensão que culminou com a chegada à Primeira Divisão.

Em 1993, é apenas sétimo entre oito equipes em sua chave no primeiro turno. No segundo, repete a mesma colocação, ficando longe, muito longe do quadrangular final que deveria promover Bayer Esporte Clube e Barra Mansa Futebol Clube.

Em 1994, sempre na Segunda Divisão, é apenas sexto em uma chave composta de nove agremiações, não passando da primeira fase.

Em 1995, se licencia dos campeonatos de âmbito profissional.

Em 1997, ensaia uma volta, mas acaba não participando do Campeonato Estadual da Segunda Divisão, na prática a Quarta Divisão, visto que o terceiro era Módulo Intermediário e o segundo se chamava Divisão Especial.

Volta apenas aos campeonatos profissionais em 2000 na Quarta Divisão, chamada de Segunda Divisão, ficando na penúltima colocação, sexto entre sete equipes. O campeão foi o Casimiro de Abreu Esporte Clube.

Em 2001, advém um novo período de ausência dos campeonatos profissionais, promovidos pela FFERJ.

Formação campeã juvenil invicta da Liga de Desportos de São João de Meriti de 1976

Em 2003, retorna à Terceira Divisão. A campanha é ruim e o clube fica em último na sua chave, sendo rebaixado para uma eventual Quarta Divisão que jamais viria a acontecer no ano seguinte.

Em 2004, disputa novamente a Terceira Divisão ficando em quarto lugar em uma chave com cinco equipes. No ano seguinte desiste de participar do campeonato. Em 2006, ensaia uma participação, mas declina com a tabela já divulgada.

Volta em 2008, contudo a campanha é novamente insuficiente. É o penúltimo apenas de sua chave na fase preliminar do campeonato, superando apenas o União Central Futebol Clube.

Em 2009, se licencia do Campeonato Estadual da Terceira Divisão, preferindo disputar o campeonato da Liga Independente de Clubes de São João de Meriti e os certames promovidos pela Liga de Desportos de Nova Iguaçu.

Ainda em 2009, se sagra vice-campeão da Taça de Nova Iguaçu, categoria de juniores, promovida pela Liga de Desportos de Nova Iguaçu, perdendo a finalíssima para o Bayer Esporte Clube.

Equipe principal do Tomazinho em 2010

Em 2010, não reune condições financeiras para disputar o Campeonato Estadual da Série C de Profissionais. Parcela uma dívida de 45 mil reais com a FFERJ em trinta prestações de 1.500 reais. O déficit advém do último ano (2008) em que disputou a Terceira Divisão, sendo fruto de uma má parceria. Disputa o Torneio de Verão, certame amador promovido pela Liga de Desportos de Nova Iguaçu.

Suas cores são preto e branco, com uma cruz de malta vermelha, nos moldes do Club de Regatas Vasco da Gama. Revelou em 1987 o volante Válber, que após jogar no São Cristóvão de Futebol e Regatas, se destacaria no São Paulo Futebol Clube, seleção brasileira e outros times do Brasil.

Possui praça de esportes própria, o Josias José da Silva (Beronhão), que no entanto, não é mais adequado para jogos oficiais de campeonatos profissionais.

Campeão Estadual invicto da Terceira Divisão[editar | editar código-fonte]

Equipe campeã invicta da Terceira Divisão de 1986

Em 1986, o Tomazinho sagrou-se campeão estadual invicto da Terceira Divisão de Profissionais. Na época a presidência estava a cargo do falecido Ílson Ruiz, o qual contou com o maciço apoio de dirigentes como Eloir Viana, Ílson Martins, José Antonio do Carmo Lopes (Tutuca) e Paulo Sérgio da Silva Fernandes.

Entre os atletas se destacaram Zeca Pagodinho e Tozzi, o qual hoje é treinador. Na vitoriosa campanha Paulo Nizzo foi o técnico e Amandio Augusto Pereira Filho, o preparador físico. Naquele ano Flamengo e Vasco decidiram o Campeonato Estadual numa melhor de quatro jogos no Maracanã. Na terceira partida, Tomazinho e União Esportiva Coelho da Rocha foram convidados a jogar a preliminar: o primeiro, que possui trajes quase idênticos aos do Gigante da Colina, contra o segundo, com um uniforme similar ao São Paulo Futebol Clube.

Ao contrário do Vasco original, que perdeu aquela partida por 2 a 0 e o título para o rival, o Cruzmaltino de São João de Meriti empatou em 0 a 0. Ao término da última fase, somou 14 pontos e se sagrou campeão invicto da competição.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Municipais[editar | editar código-fonte]

  • São João de Meriti Meritiense (L. D. S. J. M.): 7 vezes 1976, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984 e 1996;
  • São João de Meriti Copa São João de Meriti (L. D. S. J. M.): 1976;
  • São João de Meriti Taça São João de Meriti (L. D. S. J. M.): 2 vezes 1997 e 1998;
  • São João de Meriti Troféu Moacir de Carvalho (L. D. S. J. M.): 1984;
  • São João de Meriti Troféu Edson Barbosa da Cunha (L. D. S. J. M.): 1984;
  • São João de Meriti Troféu Geraldo Careca (L. D. S. J. M.): 1997;

Outras Categorias[editar | editar código-fonte]

  • Campeão da Liga de Desportos de Nova Iguaçu de Juniores: 2008
  • Campeão Juvenil (invicto) da Liga de Desportos de São João de Meriti: 1976

Campanhas em Destaque

  • Vice-Campeão da Taça de Nova Iguaçu (Juniores): 2009
  • Vice-campeão do Torneio de Verão da Liga Desportiva de Nova Iguaçu (Juvenil): 2008
  • Vice-Campeão do Torneio 15 de Novembro (Juvenil): 2008
  • Vice-Campeão da Primeira Copa Verão: 2008
  • Vice-campeão da Liga Desportiva de Nova Iguaçu (Juniores): 2007
  • Vice-campeão da Taça Otojanes Coutinho (Masters): 2004
  • Vice-campeão do Primeiro Torneio 15 de Novembro: 1996
  • Campeão da Taça Cidade de Nova Iguaçu (Juniores): 2013

Curiosidade[editar | editar código-fonte]

Sala de troféus

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fonte[editar | editar código-fonte]

  • VIANA, Eduardo. Implantação do futebol Profissional no Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Editora Cátedra, s/d.