Varig Nordeste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nordeste Linhas Aéreas S.A.
IATA
JH
ICAO
NES
Indicativo de chamada
Nordeste
Fundada em --
Principais centros
de operações
Rio de Janeiro, Salvador
Outros centros
de operações
Recife, Fortaleza, Natal, João Pessoa, Campina Grande
Programa de milhagem Smiles
Serviço VIP --
Aliança comercial
Frota 00 aeronaves
Destinos 15 (localidades) localidades
Companhia
administradora
--
Sede Brotas, Salvador
Sítio oficial www.voenordeste.com.br

A Varig Nordeste era a marca da Nordeste Linhas Aéreas S.A., companhia aérea brasileira extinta e antiga subsidiaria da Varig S.A., também extinta.

Devido ao fato de não poder operar voos com a própria marca, que foi cedida juntamente a unidade produtiva que hoje está sob o domínio da VRG Linhas Aéreas S.A., a Fundação Ruben Berta criou a Flex Linhas Aéreas S.A., que chegou a operar voos regulares comissionados pela Gol Transportes Aéreos S.A. mas atualmente, encontra-se temporaneamente desativada.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1975, o Governo Federal criou o SITAR, com o objetivo de aumentar o número de cidades do interior servidas por vôos regulares. Cinco regiões foram delimitadas, ficando cada uma delas reservada para a exploração comercial por uma empresa regional. À Nordeste Linhas Aéreas S.A. coube unir a região aos estados do Minas Gerais e Nordeste. A companhia foi criada em sociedade do Governo da Bahia, Transbrasil S.A. e VOTEC. Entrou os anos 80 colecionando acidentes aéreos com seus Embraer 110 Bandeirante e problemas entre os sócios, até ser adquirida pelo Grupo Coelho (da família do ex-governador da Bahia Nilo Coelho). Em 1991 a companhia foi pioneira do uso do Fokker 50 no Brasil ao arrendar a seronave com o registro PH-JXK. Em 1992 adquiriu um Embraer 120 Brasília melhorando seus serviços e com a intenção de operar apenas com esse tipo de avião.

Em 1995 o sucesso chegou quando a Rio-Sul adquiriu o controle da Nordeste dando a empresa uma nova identidade corporativa, e adicionando a frota aeronaves de tipo Boeing 737-500, Fokker 50 e Embraer 120, através de um plano de retirada imediáta dos Embraer 110 Bandeirante remanescentes. Até 2002 experimentou apenas crescimento e sucesso chegando a operar quase 8 Boeing 737, das séries 500 e 300. Posteriormente a empresa foi completamente cedida à VARIG S.A., bem como rotas e funcionários, porém o nome ainda era visto nas fuselagens pelo Brasil afora.

Com a Recuperação Judicial da controladora VARIG S.A. e de suas subsidiárias, estabeleceu-se judicialmente que razão social da Nordeste Linhas Aéreas S.A., fosse utilizada para a retomada das operações da extinta VARIG S.A., porém sem poder utilizar a marca da mesma e com o afastamento da Fundação Ruben Berta do controle da empresa. No ano de 2009 a Fundação Ruben Berta, contemporaneamente ao fim da Recuperação Judicial da VARIG S.A., retomou judicilamente o controle da Flex Linhas Aéreas S.A., atual denominação social da extinta Nordeste Linhas Aéreas S.A.

Frota[editar | editar código-fonte]

Frota histórica da Nordeste [1]
Aeronave Quantidade Período de uso
Boeing 737-300 3 2001-2005
Boeing 737-500 4 1995-2005
Embraer EMB-110 13 1984-1995
Embraer EMB-120 6 1992-2001
Embraer ERJ-145 3 2000-2002
Fokker 50 6 1992-2001
Total 35

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.