TV Brasil Oeste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Band Cuiabá)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2010). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
TV Brasil Oeste
Rádio e Televisão Brasil Oeste Ltda.
Rua Mestre Teodoro Lourenço da Costa
Cidade de concessão Cuiabá, MT
Canais
8 VHF analógico
40 UHF digital
Rede RBTV
Rede(s) anterior(es) Rede Tupi (1979-1980)
Rede Bandeirantes (1980-2009)
Rede 21 (2009-2013)
CNT (2013-2015)
TV Cultura (2015)
Pertence a Grupo Futurista de Comunicação
Fundação 26 de abril de 1978 (40 anos)
Prefixo ZYA 943
Nome(s) anteriore(s) Band Cuiabá (2005-2009)
Emissoras irmãs
Cobertura Maior parte de Mato Grosso
Potência 31,6 Kw
Página oficial Tv Brasil Oeste

TV Brasil Oeste, mais conhecida como TBO é uma emissora de televisão brasileira com sede em Cuiabá, Capital do Mato Grosso. A emissora é afiliada à RBTV e opera no canal 8 VHF.

História[editar | editar código-fonte]

Concessão[editar | editar código-fonte]

Júlio Campos que era prefeito de Várzea Grande (no Mato Grosso) de 1973 até 1977, entrou na concorrência no novo canal de TV em Cuiabá, depois que o Governo Federal publicou edital para o canal na cidade, que até então existia a TV Centro América. Posteriormente, ganhou a concorrência.

Inauguração[editar | editar código-fonte]

A emissora teve sua inauguração em 26 de abril de 1978, e em 15 de março de 1979, após testes de sinais e áudio, a TV Brasil Oeste entrou no ar para transmitir ao vivo a posse do governador Frederico Campos (que governou o Mato Grosso por 4 anos). Inicialmente, retransmitiu a programação da Rede Tupi. Após sua extinção em 1980, passou a ser então uma das primeiras afiliadas da recém-inaugurada Rede Bandeirantes.

O Início e auge da TBO[editar | editar código-fonte]

Durante os 10 anos, a emissora foi a única afiliada à Bandeirantes no Mato Grosso, até que Júlio Campos foi eleito senador em 1990 e conseguiu as primeiras retransmissoras da TBO, ampliando o sinal da Bandeirantes.

Em 1996, Júlio Campos (que na época era PFL-MT e sócio da emissora) conseguiu outras 4 retransmissoras. Ele recebeu autorização (por meio de portarias assinadas em 15 de agosto e em 28 de agosto), para instalar retransmissoras de TV (RTV) em Alta Floresta, Chapada dos Guimarães, Rondonópolis e Sinop.[1]

Em 1998, Campos foi candidato a governador, mas perdeu a eleição para Dante de Oliveira (PSDB) que foi reeleito.

A TBO a partir de 2009[editar | editar código-fonte]

Em 16 de maio de 2009, a TV Cidade Verde de Cuiabá passou ser afiliada da Bandeirantes e a TBO passa ser Rede 21. Antes disso, a Família Campos terceirizou a administração da emissora para o empresário Luiz Carlos Beccari, presidente do Grupo Cidade Verde de Comunicação.

A emissora passou ser afiliada à Rede 21, rede que teve praticamente toda a grade alugada pela Igreja Mundial do Poder de Deus, do apóstolo Valdemiro Santiago.

Após um certo período em que a emissora passou no controle da igreja, voltou a ser administrada pelo Grupo Futurista, da família Campos, e a colocar o seu antigo nome na programação, mantendo ainda a transmissão da Rede 21.

Apesar de contar com 22 horas diárias de programas desenvolvidos pela Igreja Mundial do Poder de Deus, a TV Brasil Oeste começou a retomar o seu jornalismo e passou a veicular, diariamente, o Jornal da Tarde. O telejornal foi ao ar por vários meses às 15h. Depois passou para as 13h.

Em 2012 a programação da Igreja Mundial começou a diminuir na grade da TV Brasil Oeste.

TBO perde antiga diretora[editar | editar código-fonte]

Em 1º de dezembro de 2012, a diretora geral do Grupo Futurista de Comunicação, Isabel Coelho Pinto Campos, faleceu após 8 anos de tratamento de câncer no útero, com metástases. Esposa do então deputado federal Júlio Campos, foi primeira-dama da cidade de Várzea Grande e do Estado de Mato Grosso, bem como exerceu cargos públicos como presidente da Fundação de Promoção Social (Prosol) e secretária de Educação de Várzea Grande. Na comunicação, participou da implantação e inauguração da Rádio Industrial AM, a primeira de Várzea Grande, comandou a reestruturação e modernização do extinto jornal O Estado de Mato Grosso, tornando-o primeiro a ser impresso pelo sistema off-set e em cores e dirigiu a TV Brasil Oeste, tornando esta a primeira emissora a transmitir via satélite para todo o Estado.

2013: Transição Rede 21 e CNT[editar | editar código-fonte]

No dia 17 de janeiro de 2013, quinta-feira, a TBO passou a transmitir o sinal da Central Nacional de Televisão, a CNT. Nessa transição, apenas permaneceu como programação regional o Jornal da Tarde, de própria produção, sendo transmitido em edição diária às 13h e reprisada às 18h.

Durante o ano de 2013, a emissora ganhou atrações, e passou a contas com os apresentadores Everton Pop[2], Priscila Hauer, Jajah Neves, Radamés Alves, Onofre Júnior, Fábio Senna, Éder Moraes[3], Igor Taques e Claudia Campello, entre outros. A TBO voltou também a transmitir, em horários limitados, a programação da IMPD, encerrando a cessão com a igreja de Valdemiro Santiago em agosto de 2015.

2014: Uma nova TBO[editar | editar código-fonte]

A partir de novembro de 2014, a TV Brasil Oeste passou por mais uma importante mudança. A administração da empresa foi repassada por Júlio Campos para um novo grupo. O empresário e suplente a Deputado Estadual Ueiner Neves de Freitas, conhecido publicamente como Jajah Neves, assumiu a presidência da TBO, tendo então o empresário Henry Kenner como seu vice-presidente. Uma grande reforma estrutural começou a ser colocada em prática e muitos investimentos foram efetivados, inclusive preparando a emissora para a digitalização.

Novos programas entraram no ar, em 1º de dezembro de 2014. São eles: Café da Manhã com Radamés, A Cara do Povo com Ademar Jajah, Linha de Fogo - com Messias Nogueira, e Fatos e Boatos - com Adriano Guedes e Ariane Valadão; ainda na programação de segunda a sexta-feira, a grade conta com o programa MT é Mais, apresentado por Onofre Jr.

Nos finais de semana, além do Programa Jajah Neves, Chora Viola - com Radamés Alves, Variedades - com João Oliveira, Concurseiros - com Luiz Antonio e Ponto de Vista - com Onofre Jr., entraram no ar Câmera Show com Enison Bispo e a edição especial do A Cara do Povo.

2015: TV Cultura[editar | editar código-fonte]

A partir de 10 de fevereiro de 2015, a TBO passa a ser afiliada da TV Cultura de São Paulo. Então, com uma ampla grade de programação local, a emissora conta, segundo o diretor-presidente Jajah Neves, também com uma rede de conteúdo excelente, "um fator determinante para que mantivesse a meta de programação que consolide o canal como a emissora dos que vivem em Mato Grosso."

Com a afiliação da TBO, noticiada surpreendentemente pela imprensa local e nacional, o sinal da TV Cultura, até então restrito pela TV Estrela (Canal 17 UHF), que só era sintonizado em Cuiabá e Várzea Grande (perto da capital) e região metropolitana da capital, passa a ser distribuído para outras cidades, como Rondonópolis, Sinop, Alta Floresta e Chapada dos Guimarães.[4] Na Região Metropolitana de Cuiabá – que engloba as cidades de Várzea Grande, Santo Antônio de Leverger, Barão de Melgaço, Nossa Senhora do Livramento , Poconé, Acorizal, Jangada , Nobres e Rosário Oeste, além da capital –, a programação da TV Cultura dividirá espaço com atrações jornalísticas da TBO. Já em Rondonópolis, Pedra Preta , Guiratinga, São José do Povo, Tesouro, Sinop, Santa Carmem, Chapada dos Guimarães e Alta Floresta, a retransmissão da grade da Cultura será 100%. No entanto, ocorria uma situação inusitada: a repetidora instalada em Rondonópolis não retransmitia a TV Cultura na integra, pois grande parte da programação retransmitia a Rede Mundial.

Segundo o portal do grupo da rede geradora, o CMais, com a expansão do seu sinal dentro do Estado, a Cultura chega a um alcance de 102 milhões de pessoas em todo o Brasil, estando atualmente em 20 estados. Com essa parceria, é previsto também o intercâmbio de conteúdo jornalístico, cooperação técnica e projetos de coprodução.[5] Entretanto, a filiação durou pouco tempo – 10 meses -, e a TV Cultura deixa de ser exibida no canal 8, voltando então para o canal 17, antes apenas com uma imagem estática com a logomarca da emissora paulista.

2015-atualmente: Rede Brasil[editar | editar código-fonte]

Em dezembro de 2015, a emissora se desfilia da TV Cultura e transfere-se para a RBTV. A partir daí, abre-se uma confusão nessa área: A TV Cuiabá já estava retransmitindo a emissora. Sabendo que outro canal estava em mesma rede e na mesma cidade, a direção da TV Cuiabá entrou com ação judicial contra a TBO. Procurado, o diretor-presidente Jajah Neves disse que a filiação seria com outra rede, a TV União do Ceará, mas esta não tem seu sinal levado ao ar pelo canal cuiabano.[6]

No ano de 2016, um desfalque mais uma vez polemiza a TBO: Jajah Neves deixa a emissora em 25 de janeiro, deixando a função de diretor-presidente e tirando os seus dois programas - Fiscal do Povo e Programa Jajah Neves - da programação. O provável motivo foi as críticas que recebeu, porém ele publicou nas redes sociais que já migrou para a TV Mato Grosso, dizendo que "a luta continua" e "continuarei sendo o “fiscal do povo” levando para a tela da TV o que o povo quer e precisa saber".[7]

Interrogado por ter arrendado a TBO, Jajah resopndeu que não a comprou, somente "administrou por um certo período". Desde quando começou, ele assumia não só a direção da TBO, mas também as rádios Jovem Pan (antiga Antena FM) e Industrial AM.[8]

Referências