Eurasianismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Eurasianismo (em russo: Евразийство) foi um movimento cultural e político da Rússia, cultivado principalmente nas comunidades de emigrantes. Seus principais teóricos foram Nikolai Daniliévski e Konstantin Leontiev.

História[editar | editar código-fonte]

O eurasianismo nasceu dentro da comunidade de emigrantes que fugiram da Guerra Civil Russa (1918-1921). O movimento defendia a ideia de que a civilização russa não pertencia à categoria europeia e que a Revolução de Outubro foi uma reação indispensável à rápida modernização da sociedade russa. Os adeptos do movimento, entretanto, eram contrários ao ateísmo e ao socialismo que os bolcheviques defendiam, e imaginavam que seria possível substituir o governo soviético por uma ordem que desenvolvesse uma autoridade religiosa separada da autoridade da Europa.

Neo-eurasianismo[editar | editar código-fonte]

O neo-eurasianismo é uma escola que popularizou-se nos anos seguintes à dissolução da União Soviética. Esse novo movimento considera a Rússia mais próxima culturalmente da Ásia do que da Europa. A escola inspirou-se no eurasianismo dos anos 1920 para estabelecer a nova ideia.

A defesa russa contra a Geórgia, na Guerra da Ossétia, em 2008, foi um exemplo da influência das ideias neo-eurasianistas, que valorizam o domínio russo sobre o Cáucaso. [1]

Na Turquia[editar | editar código-fonte]

O neo-eurasianismo ganhou alguns seguidores do setor nacionalista na Turquia. Líderes partidários de esquerda adotaram algumas das ideias do eurasianismo russo para seus partidos. Alguns analistas afirmam que os ultranacionalistas e uma elite secular vem se aproximando cada vez mais do eurasianismo. [2]

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

<references>

  1. Pirchner, Herman (2005). Reviving Greater Russia?: The Future of Russia's Borders with Belarus, Georgia, Kazakhstan, Moldova and Ukraine University Press of America [S.l.] ISBN 0-7618-3200-9. 
  2. [1] Emre Uslu: Turkish military: a source of anti-Americanism in Turkey. Today's Zaman, July 31, 2011.