Função analítica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Em matemática, uma função analítica é uma função que pode ser localmente expandida em séries de Taylor. Grosseiramente falando, funções analíticas são uma família mais ampla que a das funções polinomiais mas que ainda preserva certas propriedades destes. Classicamente falando, existem funções analíticas reais e funções analíticas complexas. O desenvolvimento da análise funcional ao longo do século XX levou ao surgimento de teorias de funções analíticas que assumem valores em um espaço de Banach complexo arbitrário.

Definição para funções reais[editar | editar código-fonte]

Seja um conjunto aberto na reta e uma função infinitamente derivável. Diz-se que é analítica se para cada ponto , existir uma vizinhança de tal que

Definição para funções complexas[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Função holomorfa

Seja um conjunto aberto no plano complexo e uma função infinitamente diferenciável. é dita analítica se para cada ponto , existir uma vizinhança de tal que

Diferenças entre funções analíticas reais e complexas[editar | editar código-fonte]

Existem algumas diferenças entre funções analíticas complexas e funções analíticas reais. Considere por exemplo a função: esta função é analítica em toda a reta como função real e analítica em todo o plano como função complexa. Observe no entanto que esta função é limitada na reta mas não o é no plano complexo. De fato, o teorema de Liouville garante que as únicas funções analíticas em todo o plano e limitadas são constantes.

Contra-exemplos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: exp(-1/x)

É possível construir funções reais infinitamente diferenciáveis mas que não são analíticas.

Vários contra-exemplos são construídos a partir de funções do tipo para . Pode-se provar que esta função (analítica) tem a notável propriedade que

Então, a função de domínio real é infinitamente diferenciável, mas não é analítica.