Hino à Alegria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Schiller.

O Hino à Alegria, ou Ode à Alegria (em alemão Ode an die Freude), é o nome do poema escrito por Friedrich Schiller em 1785 e cantado no quarto movimento da 9.ª sinfonia de Beethoven.

Neste poema Schiller expressa uma visão idealista da raça humana como irmandade, uma visão que tanto este como Beethoven partilhavam.

Em 19 de Janeiro de 1972 o hino de Beethoven foi oficialmente adotado pelo Conselho da Europa. Geralmente é tocado sem letra, pois a música é uma linguagem universal e per se obtém o mesmo efeito de como se fosse cantada. O Hino expressa os ideais de liberdade, paz e solidariedade, ideais que a Europa e as suas instituições como um todo querem e ambicionam prosseguir. Na altura, Herbert von Karajan compôs os três arranjos oficiais: um para piano, um para instrumentos de sopro e outro para orquestra. Em 1985 a União Europeia adotou o mesmo símbolo com todos os significados a este inerentes, sendo ela a sucessora do Conselho da Europa.

Este hino não substitui os hinos nacionais dos países-membros, mas sim pretende celebrar o lema da União Europeia na sua plenitude e celebrar os valores que todos os países se comprometem ao aderir a esta União.

O hino é entoado em cerimonias oficiais da União Europeia, e em vários tipos de manifestações e eventos de carácter europeu. Seu uso não se resume, no entanto, exclusivamente à União Europeia, mas a toda a Europa como uma ideia alargada.

Em muitos países como na Alemanha e no Japão a Nona Sinfonia é executada em Concertos no Reveillon.

A peça central do quarto movimento da Nona Sinfonia é o canto: Ode à Alegria, um texto baseado no Ode à Alegria de Friedrich von Schiller.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.


Tradução[editar | editar código-fonte]

Ode à Alegria, de Friedrich von Schiller, tradução do original, tal como se canta na nona sinfonia de Ludwig van Beethoven.

(Barítono)
Oh amigos, mudemos de tom!
Entoemos algo mais agradável
E cheio de alegria!
(Barítonos, quarteto e coro)
Alegria, mais belo fulgor divino,
Filha de Elíseo,
Ébrios de fogo entramos
Em teu santuário celeste!
Teus encantos unem novamente
O que o rigor do costume separou.
Todos os homens se irmanam
Onde pairar teu vôo suave.
A quem a boa sorte tenha favorecido
De ser amigo de um amigo,
Quem já conquistou uma doce companheira
Rejubile-se conosco!
Sim, também aquele que apenas uma alma,
possa chamar de sua sobre a Terra.
Mas quem nunca o tenha podido
Livre de seu pranto esta Aliança!
Alegria bebem todos os seres
No seio da Natureza:
Todos os bons, todos os maus,
Seguem seu rastro de rosas.
Ela nos dá beijos e as vinhas
Um amigo provado até a morte;
A volúpia foi concedida ao humilde
E o Querubim está diante de Deus!
(Tenor solo e coro)
Alegres, como voam seus sóis
Através da esplêndida abóboda celeste
Sigam irmãos sua rota
Gozosos como o herói para a vitória.
(Coro)
Abracem-se milhões de seres!
Enviem este beijo para todo o mundo!
Irmãos! Sobre a abóboda estrelada
Deve morar o Pai Amado.
Vos prosternais, Multidões?
Mundo, pressentes ao Criador?
Buscais além da abóboda estrelada!
Sobre as estrelas Ele deve morar.

Letra mais conhecida do Ode á Alegria: Escuta irmão esta canção da alegria Um canto alegre de quem espera um novo dia. Vem,canta, sonha cantando, Vive esperando um novo sol Em que os Homens voltarão a ser irmãos.

Outras versões[editar | editar código-fonte]

O hino de Beethoven também virou hino nacional de Rodésia, hino da Alemanha quando em certas ocasiões os times da Alemanha Oriental e Ocidental agiram juntos nos Jogos Olímpicos e foi cantado no segundo filme dos The Beatles Help!, em 1971 no filme A Clockwork Orange de Stanley Kubrick e em outros filmes. De 1996 até 1998 foi hino da World Wrestling Federation e em 2005 virou o hino da Copa Libertadores.[1] O hino está usado também no jogo Peggle. Existem várias versões de bandas como "A Song of Joy" de Miguel Ríos "Road to Joy (Bright Eyes song)" de Bright Eyes. Em 1907 o poeta Henry van Dyke (EUA) escreveu seu hino "Joyful, Joyful We Adore Thee" que fez muito sucesso nas igrejas. Também versões portuguesas existem em várias igrejas, entre outros nos hinários Hinário luterano (Exultantes te adoramos), Cantai todos os povos ("Tuas obras te coroam"; hinário antigo Salmos & Hinos, no qual constam outros compositores famosos e inclusive, Martinho Lutero) e Cantor Cristão (Jubilosos te adoramos). Em 2012 estreou a adaptação dessas ao Final da Nona Sinfonia com coral, solistas e orquestra de Axel Bergstedt.[2]


Outras composições sobre o mesmo poema[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. No youtube o hino pode ser achado se busca por "Hino da Copa das Libertadores"
  2. No youtube aparece sob título " Ludwig van Beethoven: Nona Sinfonia (Final) com coral "Exultantes te adoramos" (Adaptação)"


Ver Também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.