Hino à Alegria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Schiller.

O Hino da Alegria, ou Ode à Alegria (em alemão Ode an die Freude), é um poema escrito por Friedrich Schiller em 1785 e tocado no quarto movimento da 9.ª sinfonia de Ludwig van Beethoven.

Neste poema Schiller expressa uma visão idealista da raça humana como irmandade, uma visão que tanto este como Beethoven partilhavam.

Letra[editar | editar código-fonte]

Freude, schöner Götterfunken,
Tochter aus Elysium,
Wir betreten feuertrunken,
Himmlische, dein Heiligtum!

Deine Zauber binden wieder
Was die Mode streng geteilt;
Alle Menschen werden Brüder
Wo dein sanfter Flügel weilt.

Wem der große Wurf gelungen
Eines Freundes Freund zu sein;
Wer ein holdes Weib errungen
Mische seinen Jubel ein!

Ja, wer auch nur eine Seele
Sein nennt auf dem Erdenrund!
Und wer's nie gekonnt, der stehle
Weinend sich aus diesem Bund!

Alegria, sois Divina
filha de Elísio
tornais ébria a Poesia
inspirais Dionísio

Nem costumes ou tradição
Vos reduzem o Encanto
criais-nos um mundo irmão
insuflais nosso Canto

Feliz de quem alcançou
ser-se amigo dum amigo
Quem doce dama ganhou
jubile-se comigo

Quem um só ente conquistou
seja citado no mundo
mas se na Alegria falhou
ficai só moribundo!

A tradução a cima, de João Pimentel Ferreira, é uma tentativa de ser fidedigna ao espírito do poema original de Schiller, respeitando também a rima e a métrica do poema.[1]

Legado[editar | editar código-fonte]

Em 19 de janeiro de 1972 o hino de Beethoven foi oficialmente adotado pelo Conselho da Europa. Geralmente é tocado sem letra, pois a música é uma linguagem universal e per se obtém o mesmo efeito de como se fosse cantada. O hino expressa os ideais de liberdade, paz e solidariedade, ambicionados pelo continente europeu e suas instituições como um todo. Na altura, Herbert von Karajan compôs os três arranjos oficiais: um para piano, um para instrumentos de sopro e outro para orquestra. Em 1985 a União Europeia adotou o mesmo símbolo com todos os significados a este inerentes, sendo ela a sucessora do antigo Conselho da Europa.

Este hino não substitui os hinos nacionais dos países-membros, mas funciona como uma forma de celebração do lema da União Europeia na sua plenitude e exalta os valores que todos os países se comprometem ao aderir a esta União.

Ele é entoado em cerimonias oficiais da União Europeia, e em vários tipos de manifestações e eventos que envolvem a instituição. Seu uso não se resume, no entanto, exclusivamente à União Europeia, mas a toda a Europa como uma ideia alargada.

Em muitos países como na Alemanha e no Japão a Nona Sinfonia é executada em Concertos no Reveillon.

A peça central do quarto movimento da Nona Sinfonia é o canto: Ode à Alegria, um texto baseado no Ode à Alegria de Friedrich von Schiller.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

Referências

  1. Ferreira, Publicada por João Pimentel. «Hino à Alegria em Português». Vera Veritas. Consultado em 1 de setembro de 2021 

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.