Independente Tricolor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Independente
Fundação 13 de maio de 1987 (31 anos)[1]
Escola-madrinha Império de Casa Verde
Cores

Vermelho

Branco

Preto
Símbolo São Paulo, o santo
Bairro Vila Guilherme[2][3]
Presidente Alessandro Oliveira Santana "Batata"[1]
Patrono Campos Machado
Carnavalesco Leno Vidal e Marco Aurélio Ruffin
Intérprete oficial Rafael Pínah
Diretor de carnaval Márcio André
Diretor de harmonia Demis Roberto
Diretor de bateria Klemen Gioz
Rainha da bateria Mariana Pedro
Mestre-sala e porta-bandeira Cleydson Ferreira e Verônica Guimarães
Coreógrafo Luiz Romero
Desfile de 2019
Enredo Para sempre vou te amar
Posição de desfile 2ª - 22:00
3 de Março
Site Oficial

GRCES Independente Tricolor é uma escola de samba de São Paulo, ligada à Torcida Tricolor Independente, uma torcida organizada do São Paulo Futebol Clube.[4]

História[editar | editar código-fonte]

No início da década de 2000, a Torcida Independente começou a se organizar para participar do Carnaval de São Paulo, a exemplo de outras agremiações, tais como Gaviões da Fiel e Torcida Jovem do Santos. Para tanto foi criado o Bloco Independente, com estatuto separado da torcida.

Porém, após uma confusão em 2003, com integrantes do Pavilhão 9 e da Mancha Verde[5], o bloco foi excluído do carnaval pela UESP.

Afastado durante anos, o bloco transformou-se em escola de samba, mas não competia, nem participava do carnaval oficial. Em 2009, incorporou a Malungos, e adotando a denominação "Grêmio Recreativo Cultural e Escola de Samba Malungos Independente", participou do Carnaval 2010, desfilando pelo grupo 4 do carnaval paulistano (equivalente à sexta divisão), e subindo para o grupo 3.[4]

Em 2011, desfilou com o enredo "O que que a Bahia tem?", permanecendo no grupo 3 da União das Escolas de Samba Paulistanas.

Em 2012 a escola passou a se chamar apenas "Grêmio Recreativo e Cultural Escola de Samba Independente Tricolor" e desfilou na Vila Esperança com o enredo "As Sete Novas Maravilhas do Mundo", ficando com a segunda colocação no grupo 3 da UESP, assim subindo para o grupo 2.

Em 2013 a escola desfilou no autódromo de Interlagos. A agremiação levou para a avenida um enredo sobre o baralho, conquistando o título do grupo 2 da UESP, e ganhando assim o direito de desfilar no sambódromo paulistano no carnaval seguinte.

Em 2014 fez a sua estreia no grupo 1 da UESP, e se sagrou novamente campeã com o enredo "Canção paulistana", uma homenagem a algumas das mais famosas canções que homenageiam a sua cidade. Com o novo título, obteve o direito de desfilar pelo grupo de acesso da Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo no ano seguinte.

Em 2015 a escola de samba Independente fez a sua estreia no grupo de acesso do carnaval de São Paulo. A agremiação que foi a primeira a desfilar, foi surpreendida com uma forte chuva e desfilou a maior parte do seu tempo enfrentando problemas de infraestrutura do sambódromo. Uma queda de energia, causou danos ao sistema de som e deixou diversos pontos da passarela sem iluminação, dificultando a visão de alguns jurados espalhados pelas torres de julgamento da pista de desfiles. A entidade fez um grandioso carnaval, mas acabou sendo prejudicada com tais acontecimentos e superou o rebaixamento após uma reunião com os representantes das agremiações pertencentes à Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo. Ficou constatado que o desfile da escola foi prejudicado, pois a entidade não desfilou em condições técnicas iguais às condições das demais entidades. Com isso, a escola de samba Independente se manteve no grupo de acesso para o carnaval de 2016.

Em 2016 a Independente desfilou com o enredo "O que conta no faz de conta" e realizou um dos melhores desfiles da noite, brigando diretamente por uma vaga no grupo especial. A escola terminou a apuração com o 3º lugar do grupo de acesso do carnaval paulistano, superando as adversidades do carnaval anterior com a realização de um belíssimo desfile.

Em 2017, a Independente desfilou com o tema "É mentira", que propôs uma sátira às mentiras do dia a dia, de forma lúdica e surpreendente. O enredo fez uma abordagem sobre os mentirosos da política nacional, relembrou alguns dos mais conhecidos contos infantis, também trouxe diversas lendas populares e as mentiras da natureza com animais que se camuflam e enganam seus predadores. A agremiação realizou o melhor desfile de sua historia e foi apontada pela crítica como candidata a uma vaga no Grupo Especial, o que acabou se confirmando na apuração. A escola conquistou o vice-campeonato do Grupo de Acesso na última nota do último quesito julgado (samba de enredo) e garantiu a sua estreia no grupo de elite do carnaval de São Paulo em 2018.

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Alessandro Oliveira Santana - "Batata" ?-atualidade [6]

Diretores[editar | editar código-fonte]

Período Diretor de Carnaval Diretor geral de harmonia Mestre de bateria Ref.
2014 Pê Santana Alexandre Augusto Kinkas [6]
2015 Pê Santana Ricardo Fervorini Kinkas [7]
2016 Pê Santana Alexandre Augusto Kinkas
2017 Pê Santana Cesar Sarti Klemen Gioz
2018 Mestre Adamastor Demis Roberto Klemen Gioz

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Período Nome Ref.
2014 Júlio César [6]
2015 Igor Maxmiliano [7]
2016-2017 Taiana Freitas
2018 Anderson Rodrigues
2019- Luiz Romero

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Período Nome Ref.
2012 Leonardo Silva e Simone Alcântara
2013 Junior Carraro e Simone Alcântara
2014 João Carlos e Laís Moreira [6]
2015 – 2016 Daniel Vitro e Jessika Barbosa [7]
2017 – 2018 Cley Ferreira e Lenita Magrini
2019 – Cley Ferreira e Verônica Guimarães

Corte de bateria[editar | editar código-fonte]

Período Rainha Madrinha Musa Ref.
2012 – 2013 Márcia Andrade
2014 – 2017 Helena Soares Mariana Pedro [6][8]
2018 Sheila Mello Mariana Pedro [9]
2019 – Mariana Pedro

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Independente Tricolor
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Intérprete Ref.
2010 Campeã 4-UESP São Paulo, hábitos e tradições
Compositores: Pedrinho Sem Braço, Fabiano Sorriso e Marquinhos Boldrini.
[10]
2011 7º lugar 3-UESP O que a Bahia tem?
Compositores: Lito do Cavaco, Betinho e Bezerra Caxambu
[11]
2012 Vice-campeã 3-UESP A Independente apresenta: as sete novas maravilhas do Mundo
Compositores: Rafael Pínah e Pê Santana
Fábio Gouveia Pê Santana
2013 Campeã 2-UESP No carnaval da alegria, a Independente dá as cartas: a magia do baralho no tabuleiro da vida
Compositor: Pê Santana
Fábio Gouveia Pê Santana
2014 Campeã 1-UESP Canção Paulistana - Quando a inspiração, a saudade e a esperança juntas cantam por ti, São Paulo!
Compositor: Pê Santana
Fábio Gouveia Pê Santana [12]
2015 8º lugar Acesso Bravos, à luta!
Compositores: Pê Santana, Vaguinho, Claudio Russo, Marcio André e Baianinho
André Rodrigues Pê Santana [13]
2016 3º lugar Acesso O que conta no faz de conta?
Compositores: Pê Santana, Rafael Pínah, Marcio André e Vagner Mariano
Alex Fão Pê Santana e Rafael Pínah
2017 Vice-campeã Acesso É Mentira!
Compositores: Rafael Pínah e Pê Santana
Vinicius Freitas Pê Santana e Rafael Pínah
2018 13° lugar Especial Em cartaz: Luz, câmera e… terror. Uma produção Independente!
Compositores: Pê Santana, Rafael Pínah, Márcio André, Rodrigo Minuetto e Rodolfo Minuetto.
André Cezari, Anderson Rodrigues e Roberto Monteiro Pê Santana e Rafael Pínah [14][15]
2019 Acesso Para sempre vou te amar Leno Vidal e Marco Aurélio Ruffin Rafael Pínah

Títulos[editar | editar código-fonte]

Grupo 1-UESP 2014
Grupo 2-UESP 2013
Grupo 4-UESP 2010

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre carnaval, integrado ao Projeto Carnaval é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.