Acadêmicos do Tatuapé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Acadêmicos Do Tatuapé
Fundação 26 de outubro de 1952 (66 anos)[1]
Escola-madrinha Império Serrano[1]
Cores

Azul

Branco

Símbolo Agogô (oficial)
Tatu[1] (Mascote)
Bairro Tatuapé[1]
Presidente Eduardo dos Santos
Desfile de 2019
Enredo Bravos Guerreiros: Por Deus, pela honra, pela justiça e pelos que precisam de nós
Posição de desfile 5ª - 03:55
1 de Março
www.academicosdotatuape.com.br

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos do Tatuapé é uma escola de samba da cidade de São Paulo. É a atual bicampeã do Grupo Especial de São Paulo. A escola foi criada em 1952, com o nome de Unidos de Vila Santa Isabel, em 1964, com a mudança de sua sede para a Rua Antonio de Barros, passou a chamar-se Acadêmicos do Tatuapé. Atualmente a Tatuapé está sediada na Rua Melo Peixoto, no bairro de mesmo nome.

A Acadêmicos do Tatuapé contribuiu muito para a divulgação do samba em São Paulo, armando rodas de samba na Praça da Sé, sua bateria era muito respeitada e acompanhava bem os sambas que Mano Décio cifrava em sua viola que tinha quatro cordas a menos para ficar mais próxima do efeito de percussão. É a atual bicampeã do Grupo Especial do Carnaval paulista.

História[editar | editar código-fonte]

A escola foi fundada em 1952 com o nome de Unidos de Vila Santa Isabel.

Osvaldo Vilaça, o Mala, acompanhava o tio Mano Décio da Viola, um dos fundadores do Império Serrano, todos os anos no Rio de Janeiro para ajudá-lo a armar os enredos da verde e branco de Madureira. Com ele ia junto o figurinista Álvaro Ribeiro. Em 1964 o Mala voltou para São Paulo e, depois de mudar a sede da escola para a Rua Antonio de Barros, na época a principal rua do bairro, também alterou o nome da agremiação para Acadêmicos do Tatuapé.

A escola foi então por duas vezes (1969 e 1970) terceira colocada no desfile do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo (na época Grupo I) com os enredos "Império Tropical" e a "A Cama de Gonçalo", respectivamente. Nos anos 1980 viveu uma fase de declínio, culminando em 86 com a paralisação de suas atividades. Em 1991, já com Roberto Munhoz na presidência, a azul e branco do Tatuapé iniciou a caminhada de volta ao cenário do samba paulistano. Em 92 voltaram aos desfiles no grupo de seleção (na época vaga aberta) que marcaram o começo de uma fase de três anos de sucessivos bons resultados (1 campeonato e 2 vice-campeonatos). Em 95 voltaram a desfilar no sambódromo paulistano, já no Grupo II da UESP.

  • 2003

Em 2003, a escola foi a Campeã do grupo de acesso, levando 3 notas 10 (dez), em todos os quesitos, com um enredo que falava do abacaxi. Depois de 28 anos, finalmente voltou ao Grupo Especial de São Paulo, ficando na frente de escolas como Pérola Negra, Tom Maior, Imperador do Ipiranga e Mancha Verde, todas favoritas àquele ano.

  • 2004

Em 2004, no carnaval temático em homenagem aos 450 anos da cidade de São Paulo, a Tatuapé trouxe como seu enredo o próprio bairro, e um dos fatos marcantes, foi que a Tatuapé foi a única escola juntamente com a Império de Casa Verde a tirar 5 notas 10 (dez ), no quesito de alegoria, um feito extraordinário se tratando de uma escola recém chegada ao grupo Especial, terminando em 9º ( nono ) lugar, entre 16 escolas, a frente de grandes escolas, como Camisa Verde e Branco, Leandro de Itaquera, Unidos do Peruche, Gaviões da Fiel e Vai-Vai.

  • 2005

Já em 2005, com enredo sobre o Pará, não repetiu o bom resultado, terminado em décimo terceiro lugar. Porém é de se destacar que nesse ano seu samba-enredo muito agradável de se escutar na voz de Nilson Valentim esteve entre as músicas mais tocadas nas rádios paraenses, e assim como em 2004 a Acadêmicos do Tatuapé, desfilou com a maior ala de baianas do Brasil, eram 200 baianas em uma só ala, fato inédito até os dias de hoje. Sem falar que naquele ano a escola chegou a desfilar com 4.000 componentes, uma das maiores daquele ano.[carece de fontes?]

  • 2006

Em 2006, usando como tema de seu carnaval o Cooperativismo, a escola teve dificuldades, inclusive financeiras, e acabou rebaixada. Já no grupo de acesso, em 2008, recebeu certo destaque na mídia por ter criado o cargo de "Rei da Bateria".[2]

  • 2009

Para o carnaval de 2009, a escola trouxe como rainha de bateria a ex-BBB Jaqueline Khury[3] e cinco anos depois, novamente homenageou seu bairro, em enredo desenvolvido pelo carnavalesco Fábio Carneiro. Naquele ano, o carnavalesco abandonou a escola às vésperas do carnaval, e uma comissão de carnaval assumiu o cargo às pressas, não evitando a 8º colocação, com 329 pontos e consequente rebaixamento para o terceiro grupo.

  • 2010

Em 2010, com o retorno de Diretores afastados da escola desde 2007, com destaque para Eduardo dos Santos, Erivelto Coelho e Antonio Castro, entre outros, resgataram a auto estima da escola[carece de fontes?], trazendo vários amantes da agremiação de volta. Naquele ano, foi trazido para o time de canto Royce do Cavaco. A escola sagrou-se campeã do Grupo I da UESP com 2 pontos e meio à frente da segunda colocada, com notas foram fracionadas.

  • 2011

No ano de 2011 a escola do Tatuapé contratou o conceituado intérprete Preto Jóia, sendo a 2º escola a desfilar em 6 de março de 2011, um domingo, levando à avenida um dos sambas mais comentados pela crítica e ganhando uma pesquisa popular do site SASP, como melhor samba de enredo do Grupo de Acesso.[carece de fontes?]

  • 2012

Em 2012 homenageou a cantora Leci Brandão, além do aniversário de 60 anos da agremiação, com o enredo. [4] às vésperas de gravar o CD oficial do Samba-Enredo. A final do samba ficou marcada na história da escola[carece de fontes?], com a presença da homenageada, que esteve ativamente participando dos preparativos. No desfile oficial a cantora, compositora e deputada estadual foi aplaudida de pé pelos foliões presentes no Anhembi. A Comissão de Frente trouxe guardiões e um casal de gafieira, além do primeiro casal de Mestre Sala e Porta Bandeira, Diego e Jussara, estreando na escola. As alegorias e fantasias retrataram a vida e obra da artista; o seu nascimento, representado no abre alas, a trajetória musical e artística e sua ligação com a Estação Primeira de Mangueira. Um dos destaques foi a passagem da ala das baianas, que com muita simpatia e dedicação, mesmo com o horário avançado da madrugada, emocionaram o público. Um desfile compacto e o bom trabalho da harmonia, garantiram uma apresentação tranquila e sem problemas. A grande homenageada veio na última alegoria. Neste ano ficou em 2º lugar do grupo de acesso de SP com 179,3 pontos de 180 pontos possíveis, superando a Leandro de Itaquera devido ao quesito de desempate, comissão de frente. No desfile das campeãs, à convite da diretoria da Tatuapé, junto ao primeiro casal de Mestre Sala e Porta Bandeira da escola, Diego e Jussara, desfilou também o casal da co-irmã Leandro de Itaquera, em respeito ao maravilhoso desfile, a pontuação e ao fato das duas escolas terem lutado ponto a ponto até o final da apuração, num belo gesto de amizade e união.[5]

  • 2013

A escola retornou para a elite do Carnaval Paulistano, abrindo o Carnaval 2013 com uma nova homenagem a uma cantora, desta vez, Beth Carvalho.[6] A homenageada não pode desfilar pois estava hospitalizada.[7][8] A escola terminou em 11° lugar, permanecendo na elite, fato raro no carnaval de São Paulo, pois foram poucas as vezes que uma escola abriu o carnaval de sexta-feira e não foi rebaixada.

  • 2014

No ano de 2014, abordou como tema de seu carnaval a devoção a São Jorge, para fazer dupla de cantores com Vaguinho, a escola reforçou o carro de som com o Wander Pires, que defendeu o samba campeão nas eliminatórias e no carnaval paulistano defendia a Vai-Vai. Outro fato histórico no carnaval e na história da agremiação foi que a Bateria ( qualidade Especial ) foi a única a tirar todas as notas máximas desse quesito. Com um belo desfile, a escola foi apontada como uma das favoritas ao título, chegou a liderar a apuração até o sexto quesito, mas acabou em 6° lugar.

  • 2015

Em 2015, a escola trouxe o enredo "Ouro, Símbolo da Riqueza e Ambição", onde contou a história desse minério no Brasil, explorou o universo místico que o envolve, passando por diversos períodos da história para ilustrar a importância e a marcante presença do ouro nas civilizações. Embora tenha feito um desfile marcante e muito rico, a escola ultrapassou o tempo limite permitido do desfile (65 minutos), encerrando sua apresentação com 66 minutos. A agremiação foi penalizada com a perda de 1,1 ponto antes do início da apuração mas garantiu sua presença no Grupo Especial em 2016, alcançando o 12º lugar, fato histórico no carnaval paulistano, pois devido ao seu grande espetáculo no desfile fez com que a agremiação permanecesse no grupo Especial mesmo com uma penalização tão grande.

  • 2016

No carnaval de 2016, a escola homenageou uma das grandes escolas de samba cariocas, a Beija-Flor de Nilópolis no ano em que se completa 40 anos do primeiro título da agremiação. Celsinho Mody foi anunciado como o novo cantor da escola e o sucesso da escola foi absoluto, com um desfile emocionante, a escola obteve o melhor resultado da história até então, o inédito vice-campeonato, perdendo por uma diferença de três décimos (0,3) para a Império de Casa Verde.

  • 2017

Em 2017, a escola foi campeã do grupo especial do Carnaval de São Paulo, após conquistar o vice-campeonato em 2016. Com um desfile histórico e perfeito contou a história da Mãe África, a vitória veio apenas na última nota do último quesito (samba-enredo), quando empatou com a Dragões da Real na pontuação final e vencendo no critério de desempate.[9]

  • 2018

Em 2018, a escola troca de carnavalesco chegando Wagner Santos, a saída da coreografa e a manutenção dos outros quesitos, optou por homenagear o estado do Maranhão, Maranhão: Os Tambores Vão Ecoar Na Terra da Encantaria, a escola mostrou a culinária, as lendas, as belezas naturais, e também a música. Com uma apresentação muito elogiada, a Tatuapé foi consagrada bicampeã do Carnaval paulistano somando pontuação máxima junto com Mocidade Alegre, Mancha Verde e Tom Maior, vencendo o carnaval no desempate. [10]

  • 2019

Para 2019, a escola renova com as principais peças do seu time que conquistou o Bi-campeonato. Como já é tradicional no dia 23/04 dia de São Jorge, apresenta seu enredo: “Bravos Guerreiros. Por Deus, pela honra, pela justiça e pelos que precisam de nós” assinado pelo carnavalesco Wagner Santos, a escola vai falar de guerreiros que estão nas páginas da história e também homenagear os brasileiros, considerados guerreiros do cotidiano.[11]

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Osvaldo Vilaça "Mala" 1952 - 1985
Álvaro Casado 1985 - 1990
Roberto Munhoz 1990 - 2014
Eduardo dos Santos 2014 - atualidade [12]

Intérpretes[editar | editar código-fonte]

Carnavais Intérprete oficial Ref.
1977 Didi
1992-2002 Lira Brasa
2003 Dom Marcos
2004-2005 Nilson Valentim
2006-2007 Celsinho Mody [13]
2008 Nilson Valentin e Fabiano Tennor
2009 Juninho Berin
2010 Royce do Cavaco [14]
2011 Preto Jóia [15]
2012-2013 Vaguinho [16]
2014-2015 Vaguinho e Wander Pires [17][16]
2016 - Atual Celsinho Mody [13]

Diretores[editar | editar código-fonte]

Período Diretor de Carnaval Diretor geral de harmonia Mestre de bateria Ref.
2010-2016 Erivelto Coelho / Eduardo dos Santos / Toninho / Higor Silva / Edu Sambista Edu Sambista Higor [12]
2017- 2019 Erivelto Coelho / Eduardo dos Santos / Toninho / Higor Silva / Edu Sambista Giba e Fabiana Higor

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Período Nome Ref.

2009-2011

Marcelo Vieira [18]
2012-2017 Mônica Oliveira [12]
2018-2019 Leonardo Helmer [19]

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Período Nome Ref.
2012-atual Diego e Jussara [20]

Corte de bateria[editar | editar código-fonte]

Período Rainha Rei Princesa Ref.
2005 Valeska Reis
2006 – 2007 Gaby Viana
2009 Jaque Khury [3]
2010 – 2013 Eliane Beretta Daniel Manzioni
2014 – 2015 Gil Jung Daniel Manzioni [21][22]
2016 Thainá Souza Daniel Manzioni
2017 Andréa Capitulino Daniel Manzioni Priscila Araújo
2018 Andréa Capitulino Priscila Araújo

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Acadêmicos do Tatuapé
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Ref.
1968 Vice-campeã Acesso Legião Paulista Geraldo Filme
1969 3º lugar[nota 1] Especial Império Tropical Álvaro Ribeiro
1970 3º lugar Especial A Cama do Gonçalo Álvaro Ribeiro e Carlos Queiróz Telles
1971 5º lugar Especial Amador Bueno-rei por um dia Álvaro Ribeiro
1972 7º lugar Especial Festa do Bonfim Mano Décio
1973 8º lugar Especial O Brasil recebe a África Júlio Alves
1974 9º lugar Especial O negro na formação do Brasil Mano Décio
1975 7º lugar Acesso Viagem à Hiléia brasileira João Ribeiro
1976 4º lugar Acesso Mãe sereia Osvaldo Villaça
1977 12º lugar Especial Noite de festa Jangada
1978 7º lugar Acesso Juca Mulato João Carlos Camargo
1979 9º lugar Acesso Embu no tempo da assombração Raquel Trindade
1980 12º lugar Acesso Cidadão Samba Jangada
1981 10º lugar 1-UESP A Rosalina, "a Nossa Costureira" Álvaro Ribeiro
1982 5º lugar 2-UESP A Tenda dos Milagres Cridinho e Willian Penteado
1983 10º lugar 2-UESP Amurê-o Casamento Malê Maria Francisca da Silva
1984 Desclassificada 2-UESP Carnaval de Todos os Tempos João Ribeiro
1985 Campeã Grupo de Seleção[nota 2] Eternas Batucadas João Ribeiro e Álvaro Ribeiro
1986 9º lugar 2-UESP Meu Chic Tatuapé, De Brás Cubas ao Pequeno Polegar Álvaro Ribeiro
De 1987 a 1990 Não desfilou
1991 5º lugar Grupo de Seleção-A Eternos Carnavais Álvaro Ribeiro
1992 3º lugar Grupo de Seleção-B Guaraná, a fruta do amor Eduardo dos Santos
1993 Campeã 4-UESP O Sonho de Voar Gilson e Elaine
1994 Vice-campeã 3-UESP Eu te amo José Carlos
1995 9º lugar 2-UESP A Tá na mão Flávio Albuquerque e Wanderley Loureiro
1996 Campeã 2-UESP São Luiz do Maranhão e Sua História Eduardo dos Santos
1997 4º lugar 1-UESP A Vicente Mateus Eduardo dos Santos
1998 7º lugar 1-UESP A Arte Negra na Bahia Edson Machado
1999 8º lugar 1-UESP A Tatuapé em 4 tempos Edson Machado
2000 5º lugar 1-UESP A Vida, tudo começou assim Vaníria Nejelschi
2001 Vice-campeã 1-UESP Que Rei Sou Eu? Babú Energia
2002 6° lugar Acesso Baiana Guia, festa, lenda e magia. Salvador a Capital da alegria Babú Energia
2003 Campeã Acesso Abram Alas Para o Rei Abacaxi Babú Energia
2004 9° lugar Especial Agradeço ao índio, que cuidou, a você que desbravou, e a todos que fizeram crescer. Tatuapé minha vida meu amor Babú Energia
2005 13° lugar Especial Pará, a Heróica história de nossa história, berço cultural de nosso povo. Hernane Siqueira
2006 14° lugar Especial Cooperativismo, união para o bem comum. Uma grande nação se faz com cooperação Comissão de Carnaval
2007 6° lugar Acesso Uirapuru, Deus do mundo alado, pássaro encantado
Compositores: Luiz Verso e Prosa, Guga Mercadante, Michel, Anderson Lagrilinha, André Samambaia, Fernando Minoru, Gigante e Paulinho Colella.
Comissão de Carnaval
2008 6° lugar Acesso Por mares naveguei, em Águas Claras eu cheguei. Tatuapé, de felicidade, transbordei!
Compositores: Tiganá, Arnaldo, Nenê, Zé Boy, Russo e Celsinho.
Hernane Siqueira
2009 8º lugar Acesso Tatuapé somos nós!
Compositores: André Ricardo, Rodolfo Minueto, Edinho Gomes, Rodrigo Minueto e Nando Do Cavaco.
Fábio Carneiro
2010 Campeã 1-UESP As Quatro Estações Comissão de Carnaval
2011 6° lugar Acesso O domingo é especial Comissão de Carnaval
2012 Vice-campeã Acesso Tatuapé 60 anos - Da arte do samba, nasci para comunidade, defesa e essência. sou guerreira! sou Leci Brandão!
Compositores: André Ricardo, Celson Mody, Giovanni Viterbo, JL, Rodolpho Minuetto, Rodrigo Minuetto e Vitor Gabriel.
Mauro Xuxa
2013 11° lugar Especial Beth Carvalho, a madrinha do samba
Compositores: André Ricardo, Luciano e Vaguinho.
Mauro Xuxa
2014 6º lugar Especial Poder, fé e devoção. São Jorge Guerreiro
Compositores: Márcio André, Márcio André Filho e Vaguinho.
Mauro Xuxa [23]
2015 12º lugar Especial Ouro, símbolo da riqueza e ambição
Compositores: Rodrigo Minuetto, Vaguinho, Flavinho Segal e Vitor Gabriel.
Mauro Xuxa [24][25]
2016 Vice-campeã Especial É ela, a deusa da passarela - Olha a Beija-Flor aí gente!
Compositores: Samir Trindade, Jr. Beija-Flor, Marcelo Valencia, Thiago Alves, Leandro Augusto, Wagner Rodrigues, Vaguinho, Raphael Neto, Chefia, Marcelo Alemão e Chico Sousa.
Mauro Xuxa
2017 Campeã Especial Mãe África conta a sua história: do berço sagrado da humanidade à abençoada terra do grande Zimbábwe
Compositores: Fabiano Tenor, Mike Candido e Luiz Fernando Ramos.
Flávio Campello
2018 Campeã Especial Maranhão, os tambores vão ecoar na terra da encantaria
Compositores: Fabiano Tenor, Mike Candido e Luiz Fernando Ramos.
Wagner Santos [19]
2019 Especial Bravos Guerreiros: Por Deus, pela honra, pela justiça e pelos que precisam de nós
Compositores: Fabiano Tenor, Mike Candido e Luiz Fernando Ramos.
Wagner Santos [11][26]

Notas

  1. Empatado com a Lavapés
  2. Na época Vaga Aberta

Títulos[editar | editar código-fonte]

Títulos Acadêmicos do Tatuapé[27]
Divisão Total Ano
WikiCup Trophy Gold.png Grupo Especial 2 2017, 2018
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Grupo de Acesso 1 2003
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Grupo I - UESP 1 2010
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Grupo II - UESP 1 1996
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Grupo IV - UESP 1 1993
São Paulo Grupo de Seleção 1 1985

Premiações[editar | editar código-fonte]

Troféu Nota 10[editar | editar código-fonte]

A Acadêmicos do Tatuapé recebeu três prêmios do Troféu Nota 10 do jornal Diário de São Paulo, sendo dois pelo Grupo Especial e um pelo Grupo de Acesso:

Pelo Grupo Especial:

  • Melhor Bateria: 2006.
  • Melhor Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: 2006 (com Daniel e Virgínia )
  • Melhor enredo: 2014
  • Melhor ala de crianças: 2015
  • Melhor samba-enredo: 2017
  • Melhor samba-enredo: 2018
  • Melhor enredo: 2017
  • Melhor Harmonia: 2017
  • Melhor intérprete: 2017 ( Celsinho Mody )

Pelo Grupo de Acesso:

  • Melhor casal de Mestre-sala e Porta Bandeira: 2012 (com Diego e Jussara )

Prêmio Melhor do Acesso[editar | editar código-fonte]

O Prêmio Melhor do Acesso premia os melhores de cada categoria do Grupo de Acesso de São Paulo. A Acadêmicos do Tatuapé foi a primeira escola a ganhar o prêmio da categoria Melhor Escola em 2003, na estreia da premiação. A escola já levou onze prêmios tendo disputado o grupo nos anos de 2003, 2007, 2008, 2009, 2011 e 2012. Recebeu tais prêmios:

  • Melhor Escola: 2003.
  • Melhor Bateria: 2008.
  • Melhor Samba-Enredo: 2012.
  • Melhor Enredo: 2003, 2011 e 2012.
  • Melhor Fantasia: 2012.
  • Melhor Comissão de Frente: 2012.
  • Melhor Time de Canto: 2011 com Preto Joia e 2012 com Vaguinho.
  • Melhor Ala das Baianas: 2003.

Referências

  1. a b c d Sasp. «G.R.E.S. Acadêmicos do Tatuapé». Consultado em 27 de abril de 2014 
  2. Estadão
  3. a b EGO. «Jaqueline Khury é coroada rainha de bateria da Acadêmicos do Tatuapé». Consultado em 11 de Abril de 2009 
  4. Vaguinho é o novo intérprete da Tatuapé
  5. «Nenê de Vila Matilde e Acadêmicos do Tatuapé vencem no Acesso». Carnaval 2012. 21 de fevereiro de 2012 
  6. Equipe SRZD. «Leci Brandão recebe homenagem da Tatuapé». Consultado em 20 de Fevereiro de 2012 
  7. Equipe SRZD. «Tatuapé abre a noite das Campeãs comemorando o retorno ao Especial». Consultado em 24 de Fevereiro de 2012 
  8. Raul Machado. «Beth Carvalho será enredo da Acadêmicos do Tatuapé em 2013». Consultado em 8 de Maio de 2012 
  9. «Vice-campeã de 2016, Acadêmicos do Tatuapé consegue título inédito» 
  10. «É bi! Acadêmicos do Tatuapé é novamente a campeã do Carnaval de São Paulo» 
  11. a b G1 (24 de abril de 2018). «Acadêmicos do Tatuapé terá enredo sobre guerreiros na luta pelo tri do carnaval de SP» 
  12. a b c [1]
  13. a b «Celsinho Mody». Sambario Carnaval. Consultado em 31 de outubro de 2018 
  14. «Royce do Cavaco». Sambario Carnaval. Consultado em 31 de outubro de 2018 
  15. «Preto Jóia». Sambario Carnaval. Consultado em 31 de outubro de 2018 
  16. a b «Vaguinho». Sambario Carnaval. Consultado em 31 de outubro de 2018 
  17. «Wander Pires». Sambario Carnaval. Consultado em 31 de outubro de 2018 
  18. [2]
  19. a b Sasp (23 de abril de 2017). «Maranhão é o enredo da campeã de 2017». 20h38 
  20. [3]
  21. Julio César, para o SRZD-Carnaval/SP (3 de outubro de 2012). «Tatuapé tem nova Rainha de Bateria». 18h58. Consultado em 4 de dezembro de 2013 
  22. [4]
  23. «Tatuapé: veja a logomarca oficial do enredo para 2014». SRDZ. 11 de março de 2013. Consultado em 11 de março de 2013 
  24. SRZD-SP (24 de abril de 2014). «Acadêmicos do Tatuapé: veja fotos da festa de lançamento do enredo 2015». 01h38 
  25. G1 (8 de janeiro de 2014). «Acadêmicos do Tatuapé: 'Ouro, símbolo da riqueza e ambição'» 
  26. Folia do Samba (23 de abril de 2018). «Conheça o enredo do Acadêmicos do Tatuapé para 2019». 22h40 
  27. G.R.E.S. Acadêmicos do Tatuapé. «Carnaval G.R.E.S. Acadêmicos do Tatuapé». Consultado em 13 de fevereiro de 2018