Colorado do Brás

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Colorado do Brás
Fundação 1 de outubro de 1975 (45 anos)
Escola-madrinha Camisa Verde e Branco[1]
Cores
Símbolo Pandeiro com um desenho de uma bola de futebol dentro
Bairro Brás
Presidente Antônio Carlos Borges (Ká)
Desfile de 2021
Enredo Carolina: A Cinderela Negra do Canindé
www.coloradodobras.com.br

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Colorado do Brás é uma tradicional escola de Samba do Carnaval de São Paulo. Em sua história destacam-se as passagens pelo Grupo Especial de São Paulo nas décadas de 80 e 90, retornando em 2019 após 25 anos desfilando por grupos de acesso.

Foi fundada a partir da torcida de um time de futebol de várzea na década de 70. Ao longo dos anos esteve associada a alguns dos maiores sambistas da cidade de São Paulo, como Geraldo Filme, Dom Marcos e Mestre Lagrila. Possuiu uma das maiores quadras de São Paulo na Avenida Carlos de Campos, antes de perdê-la por dificuldades financeiras. Atualmente a escola não possui uma quadra social e seus ensaios ocorrem na Rua Itaqui, em frente a sua sede, no bairro do Canindé.

É mais conhecida entre os sambistas por seu samba-enredo do carnaval de 1988, "Catopês do Milho Verde, de escravo a rei da festa", considerado um dos melhores sambas da história do Carnaval de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Colorado do Brás foi fundado em 01 de outubro de 1975, no bairro do Brás em São Paulo, a partir de uma reunião entre amigos que tinham por objetivo divulgar a cultura popular brasileira e desenvolver projetos sociais para atender a comunidade mais carente da região[2]. Seu nome foi herdado de um time de futebol de várzea do qual alguns de seus fundadores participavam[3].

Sua estreia nos desfiles de carnaval aconteceu no ano de 1976 com o tema "Canudos: Seu Povo, Sua História", mas seu primeiro título ocorreu em 1979 com o enredo "Esse Brás Menino"[4]. Após uma rápida ascensão a escola conquistou três acessos e chegou ao grupo principal do Carnaval de São Paulo em 1986, com a conquista do vice-campeonato da segunda divisão de 1985 com o enredo: "Raízes"[5].

Durante sua primeira passagem pelo Grupo Especial alcançou sua melhor posição até hoje: um 6º lugar no desfile de 1987, com o enredo "Apocalipse Carnaval"[6]. Entretanto, ganhou mais reconhecimento pelo seu desfile do ano de 1988, devido ao sucesso de seu samba-enredo "Catopês do Milho Verde, de escravo a rei da festa", sobre os quilombolas catopês tradicionais que se apresentam nas Festas de Agosto em homenagem à Nossa Senhora do Rosário, na cidade de Montes Claros, Minas Gerais. Parte da obra, que também abordava a liberdade do povo negro no ano do centenário da Abolição da Escravatura no Brasil, foi utilizada pela CNBB após o Carnaval como hino da Campanha da Fraternidade daquele ano, que tinha como tema o combate ao racismo[7]. Seus compositores foram: Dom Marcos, Roná Gonzaguinha, Edinho, Xixa e Minho. Até hoje o samba é um dos mais reconhecidos pela crítica especializada, sendo considerado um clássico e um dos melhores sambas-enredo de todos os tempos na cidade[8]. Em 2011 foi adicionado ao repertório do álbum "Ensaio de Escola de Samba" do cantor Leandro Lehart, que tinha como objetivo reapresentar clássicos do samba paulista para as novas gerações[9]. Todo o sucesso do samba de 1988 não impediu a queda da escola, que voltou ao Grupo de Acesso em 1989.

Em 1991, a escola conquistou um espaço social localizado na Rua Carlos de Campos, no bairro do Pari, se reestruturou e retornou ao Grupo Especial em 1992. A sua segunda passagem pelo Grupo Especial foi mais curta e no ano de 1994 a escola já desfilaria de novo pelo Grupo de Acesso. No final da década de 1990 um novo declínio, reflexo de sucessivas administrações conturbadas que levaram ao encerramento dos projetos sociais e à posterior perda da quadra. A escola passou então mais de uma década disputando divisões inferiores.

Em 2008 a escola conquistou um novo espaço na Rua Miguel Paulo Capalbo, no bairro do Pari, que passou a ser seu berço desde a década de 90[3]. Entretanto, esse espaço também foi perdido posteriormente. No mesmo ano a escola desfilou no Anhembi pelo Grupo 1 da União das Escolas de Samba de São Paulo (terceira divisão) e reeditou o aclamado samba "Catopês do Milho Verde, de escravo a rei da festa", terminando na 5ª colocação. No carnaval de 2009 a Colorado apresentou o enredo "De Janeiro a Janeiro, a Colorado faz a festa o ano inteiro", porém por falta de componentes foi penalizada e ficou na 12ª colocação, caindo mais uma divisão. Outro descenso em 2010 levou à escola a sua pior posição na história, a disputa da quinta divisão em 2011.

Leandro Donato Nascimento assume a presidência em 2011 e reorganiza a escola. Sob nova gestão a Colorado ganha o título do Grupo III no mesmo ano, é vice-campeã do Grupo II em 2012, voltando a desfilar no Sambódromo do Anhembi. Em 2013, apresentando um enredo sobre direitos trabalhistas em parceria com a CUT[10], foi campeã do Grupo I e conquistou uma vaga no Grupo de Acesso da LIGA-SP (segunda divisão) após 10 anos.

Um outro resultado histórico veio em 2014, quando a escola conseguiu permanecer no Acesso terminando a apuração em 5º lugar. Após bons resultados em 2015 e 2016, a escola comemorou três anos seguidos na segunda divisão do carnaval paulistano, algo que não acontecia em 17 anos.

Durante as preparações para o carnaval 2017 o então vice-presidente, Antônio "Ka" Carlos, foi eleito presidente, mantendo a mesma equipe em diversos setores da escola. A evolução nos resultados foi mantida em 2017, quando o enredo "Luz, câmera, ação... a Colorado apresenta: a 'Roliúde' no sertão" foi apresentado e levou a escola a disputar as primeiras posições até o último quesito. O resultado foi um terceiro lugar em um empate com a segunda colocada, escola de samba Independente, que conquistou o acesso superando a Colorado do Brás no critério desempate[11]. A ascensão ao Grupo Especial veio em 2018, com o enredo "Axé - Caminhos que levam a Fé", que rendeu a escola o vice-campeonato do Grupo de Acesso e o retorno à primeira divisão após 25 anos[12].

Em 2019, com um enredo homenageando o Quênia, a escola teve o árduo trabalho de abrir os desfiles do Grupo Especial da sexta-feira. O título do enredo era "Hakuna Matata - Isso é viver", inspirado na expressão queniana que ficou famosa mundialmente pelo seu uso no filme de animação O Rei Leão. A escola terminou a apuração na 11ª colocação, mantendo-se no Grupo Especial. No ano seguinte, o enredo foi "Que Rei Sou Eu?", sobre o Rei Dom Sebastião I de Portugal e as lendas sobre seu desaparecimento que ocorreu em 1578[13]. Ao final da apuração a escola terminou na 12ª colocação.

A escritora, poetisa e compositora Carolina Maria de Jesus será o tema da Colorado do Brás para o carnaval de 2021. O enredo foi entitulado "Carolina: a Cinderela Negra do Canindé", trazendo como principais elementos a história de superação da figura central e sua conexão com o bairro onde hoje a escola está sediada[14].

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Brasão[editar | editar código-fonte]

O brasão da Colorado do Brás é formado pelo nome da escola, acompanhado de um pandeiro e uma bola de futebol, em referência à origem da escola de samba, que foi criada por um grupo de torcedores de um clube de futebol de várzea. Também apresenta os escritos: "Samba: 01/10/75" e "Futebol: 05/03/60", em referência às datas de fundação da escola de samba e do clube de futebol homônimo, respectivamente.

Cores[editar | editar código-fonte]

As cores da Colorado do Brás são o vermelho e o branco, também herdados do clube de futebol homônimo que deu origem à escola.

Títulos[editar | editar código-fonte]

A Colorado do Brás disputou a divisão principal do Carnaval de São Paulo em oito ocasiões, sua melhor colocação foi um sexto lugar no ano de 1987, com o enredo "Apocalipse Carnaval". Porém, sua exibição mais destacada entre os sambistas ocorreu no ano de 1988 com o enredo "Catopês do Milho Verde, de Escravo a Rei da Festa", que rendeu à escola um nono lugar na classificação geral.

Em divisões inferiores a escola chegou a vice-campeonato da segunda divisão em duas ocasiões (1985 e 2018) e possui quatro títulos, três deles da terceira e um da quinta divisão.

Títulos da Colorado do Brás
Divisão Total Ano
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Terceira Divisão 3 1979 (Grupo 3), 2000 (Grupo 1A-UESP) e 2013 (Grupo 1-UESP)
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Quinta Divisão 1 2011 (Grupo 3-UESP)

Prêmios[editar | editar código-fonte]

A escola de samba Colorado do Brás recebeu muitos prêmios por suas exibições no carnaval paulistano ao longo de sua história, com destaque para os desfiles de 2017 e 2018 no Grupo de Acesso paulistano, que renderam 10 e 8 troféus de variadas premiações respectivamente. No ano de 2020 a escola foi premiada pelo Troféu Nota 10 como a Melhor Evolução do Grupo Especial[15]. Já no Prêmio SRZD foi nomeada ao troféu de Melhor Comissão de Frente junto de Mocidade Alegre e Gaviões da Fiel[16].

Troféu Nota 10[editar | editar código-fonte]

  • Evolução: 2020

Prêmio SRZD[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Samba-Enredo: 2018 (Grupo de Acesso)
  • Melhor Comissão de Frente: 2019 (Nomeado) e 2020 (Nomeado).

Prêmio Estrela do Carnaval[editar | editar código-fonte]

  • Desfile do Ano: 2018 (Grupo de Acesso)
  • Melhor Enredo: 2017 e 2018 (Grupo de Acesso)
  • Melhor Samba-Enredo: 2017 e 2018 (Grupo de Acesso)
  • Melhor Comissão de Frente: 2018 (Grupo de Acesso)
  • Melhor Intérprete: 2018 (Chitão Martins - Grupo de Acesso)

Prêmio Melhor do Acesso[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Escola: 2017
  • Melhor Enredo: 2017 e 2018
  • Melhor Samba-Enredo: 2017
  • Melhor Comissão de Frente: 2017
  • Melhor Harmonia: 2017
  • Melhor Fantasia: 2017
  • Personalidade: 2018 (3º Casal Mestre-Sala e Porta-Bandeira)

Prêmio No Mundo do Samba[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Ala Das Crianças: 2013

Prêmio Troféu Garra[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Bateria: 2015
  • Melhor Carnavalesco: 2015
  • Melhor Casal de Mestre Sala e Porta Bandeira: 2016
  • Melhor Intérprete: 2016 (Chitão Martins).
  • Ala Musical: 2017.
  • Sambista de Ouro: 2017 (Vagner Aneas).

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidente[editar | editar código-fonte]

Nome Período Ref.
Percival Maricato 1975 - 1997
Antônio Almeida Andrade 1997 - 1999
Zé Carlos Amaral da Silva 1999 - 2003
Maria Martha de Oliveira "Dona Marta" 2003 - 2005
Antônio Carlos Costa Elison "Ney" 2005 - 2009
Carlos Antônio Rodrigues Carlinhos" 2009 - 2011
Leandro Donato 2011 - 2015 [17]
Antônio Carlos Borges (Ká) 2015 - atualidade [18]

Intérprete[editar | editar código-fonte]

Carnavais Intérprete oficial Ref.
1986 Serjão
1987-1988 Dom Marcos
1989-1994 Serjão
1995 Rose
1996-1997 Serjão
1998-1999 Carlinhos Simpatia
2000-2001 Fredy Vianna
2002-2003 Benson e Carlinhos Simpatia
2004 Edilson e Carlinhos Simpatia
2005-2006 Fredy Vianna
2007 Nilson Valentim
2008 Fredy Vianna
2009-2010 Pê Santana e Rafael Pinah
2011 Thiago Melodia
2012-2015 Rodrigo Atração e Chitão Martins
2016-presente Chitão Martins

Mestre de Bateria[editar | editar código-fonte]

Período Mestre de bateria Ref.
N/A Lagrila
2000 Nei, Buiu e Barata
2001 Clodoaldo
2002 Barata e Rodrigo
2003 André Luiz
2004 Barata, Buiu, Rodrigo
2005 - 2006 Clodoaldo
2007 Rogério, Barata e Rodrigo
2008 André Luiz
2009 - 2015 Rogério e Rodrigo [17][19]
2016 - 2017 Bola e Allan Meira
2018 - 2020 Allan Meira

Diretorias de Carnaval e Harmonia[editar | editar código-fonte]

Ano Diretor de Carnaval Diretor de Harmonia Ref.
2011 - 2012 Danilo Dantas, Patchoco e Leandro Donato Alexandre Conceição
2013 Patchoco, Leandro Donato Comissão de Harmonia
2014 Danilo Dantas, Patchoco, Leandro Donato Cabelo
2015 Danilo, Patchoco, Lucas Donato, André União e Ka Cabelo e Israel
2016 Jairo Roizen Comissão de Harmonia
2017 Jairo Roizen, Ronny Potolski, Thiago Morganti e Marcelo Guedes Comissão de Harmonia
2018 Israel Santos e Marcelo Bracco Ulisses Ozzetti
2019 Jairo Roizen Ulisses Ozzetti
2020 Jairo Roizen Diego de Oliveira Gonzaga, João Daniel Alves Ferreira e Natália Garrido

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Período Nome Ref.
2011 Eliana Bel
2012
2013
2014 Guilherme Almeida [17]
2015 Marcelo Souza [20]
2016 Kelson Barros Wangles
2017
2018
2019
2020

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Período Rainha Ref.
2010 Gilson Santos e Adriana Costa
2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017 Ruhanan Pontes e Ana Paula Sgarbi
2018 Ruhanan Pontes e Janny Moreno
2019 Ruhanan Pontes e Ana Paula Sgarbi
2020

Corte de Bateria[editar | editar código-fonte]

Período Rainha Madrinha Musa Rei Princesa Rainha Mirim Ref.
2004-2007 Natália Nascimento - - - - -
2008 Natália Nascimento Rose Caetano Tainá Caldas - -
2009 - 2011 Natália Nascimento Rose Caetano - Fábio Prates - - [21]
2012 Natália Nascimento - Priscila Reis - Júlia Paixão
2013 Natália Nascimento - Priscila Reis - Júlia Paixão Yasmin Lagatta
2014 Natália Nascimento - Priscila Reis - Poliana Oliveira Yasmin Lagatta
2015 Natália Nascimento - Fiama Amorim - - Yasmin Lagatta
2016 Natália Nascimento - Fiama Amorim - - Yasmin Lagatta
2017 Natália Nascimento Muriel Quixaba - - - Yasmin Lagatta
2018 Muriel Quixaba Rosângela Barbosa - - - Yasmin Lagatta
2019 Muriel Quixaba - - - Yasmin Lagatta Izabelly Quixaba
2020 Muriel Quixaba Camila Prins - - Yasmin Lagatta Izabelly Quixaba [22][23]

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Colorado do Brás
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Ref.
1976 12º lugar 3-UESP Canudos: Seu Povo, Sua História

Compositores: -

Percival Maricato
1977 12º lugar 3-UESP Stanislaw Ponte Preta e o Samba do Criolo Doido

Compositores: -

Percival Maricato
1978 3º lugar 3-UESP Sítio do Pica-Pau Amarelo

Compositores: -

Daniel da Ilha
1979 Campeã 3-UESP Esse Brás Menino

Compositores: -

José Gomes
1980 4º lugar 2-UESP O Circo Chegou

Compositores: Rubão e Naur

Pedro Luís Pinotti
1981 8º lugar 2-UESP O Nosso Calendário

Compositores: Gengo e Odair Fala Macio

Gueis e Jorginho
1982 4º lugar 2-UESP Adoniran Barbosa

Compositores: Rubão

Percival Maricato
1983 5º lugar 2-UESP Conversa de Botequim

Compositores: Rubão

Percival Maricato
1984 3º lugar 2-UESP Revolta da Chibata

Compositores: -

Alexandre Meio
1985 Vice-campeã 2-UESP Raízes

Compositores: -

Alexandre Meio
1986 8º lugar Especial Ah!, Se eu Fosse Noé

Compositores: Dom Marcos, Roná Gonzaguinha e Xixa

José Maria Zolesi
1987 6º lugar Especial Apocalipse Carnaval

Compositores: Dom Marcos, Roná Gonzaguinha e Xixa

Érica Pinotti [24]
1988 9º lugar Especial Catopês do Milho Verde, de Escravo a Rei da Festa

Compositores: Dom Marcos, Roná Gonzaguinha, Edinho, Xixa e Minho.

Caio, Minoru
1989 5º lugar 1-UESP Ilha Bela, "Lendas e Mistérios"

Compositores: Armando da Mangueira, Miltão e Wagner

Alexandre Meio
1990 6º lugar 1-UESP Com o Chico na avenida

Compositores: Toninho Sereno, Vitché e Nelson Dalla Rosa

Gueis e Jorginho
1991 Vice-campeã 1-UESP Do jeito que o Diabo gosta

Compositores: -

José Gomes
1992 8º lugar Especial A cara do Pai, a cara da Mãe

Compositores: Nilton da Flôr e Filipin

Percival Maricato
1993 11º lugar Especial Mascaradas Ilusão da Vida

Compositores: Léo, Hugo Bispo, Joel, Wagner, Toninho, Odair e Edilson

Pedro Luís Pinotti
1994 9º lugar Acesso Quilombrás

Compositores: Paulinho de Nagô e Murilo Gimenez (De Nassau)

Geraldo Filme
1995 Vice-campeã 1-UESP Deu a Louca no Xingu

Compositores: Wagner, Rubão, Toninho e Aílton

Benê Silva
1996 7º lugar Acesso Ao Mestre com Carinho, Geraldo Filme

Compositores: Giba Chalé, Paulinho de Nagô, Serjão da Colorado, Zé Luiz e Everson SONN

José Gomes e Éverson
1997 7º lugar Acesso Goaió - Um Sonho de Liberdade

Compositores: Dedé do Cavaco e César Ribeiro

Vaniria Najelschi e Claudemir Benazi
1998 6º lugar Acesso Pirapora Pirou

Compositores: Paulinho Nagô, Carlinhos, Ton Canindé e Adriano F. Cor

Pedro Bonami
1999 7º lugar Acesso Em busca da verdade e do equilíbrio surge uma nova era

Compositores: Cagoba, Ivan, Benson e André Luiz

Tito Arantes
2000 Campeã 1-UESP Amazonas Guerreiras no Mito, Guerreiras na Vida

Compositores: Maurinho da Mazzei, Tchello Lima, Fredy Vianna e Anderson Salgadinho

Eduardo Caetano
2001 6º lugar Acesso Brás um bairro, um mundo

Compositores: Neco Paulicéia, Luis Ferracini, Pagodinho do Cavaco e André Sanches

Eduardo Caetano
2002 8º lugar Acesso Passo a passo da Seda o caminhar

Compositores: Paulinho 21, Edson Lis, Fábio Matos e Luís

Pedrinho Pinotti
2003 Vice-campeã 1-UESP Metamorfose Bantu

Compositores: Jorge Chocolate e Rodrigo Mota

Lucas Pinto
2004 8º lugar Acesso Da Nobreza ao Popular, São Paulo dá Uma Colher de Chá

Compositores: Toninho 21, Xina, Dom Marcos, Beto Góis, André de Paula, Ronny, Digão e Serginho

Gilson Tavares
2005 6º lugar 1-UESP Xavante! Guerreiro Gigante

Compositores: Deco, Márcio Pessi e Vitor Gabriel

Mauro de Oliveira
2006 3º lugar 1-UESP Tempo e o Vento, Suas Causas e Efeitos

Compositores: Turco, Maradona, Luís Ferracini, Fredy Vianna e Didi Sensação

Léo Santos e Lacunha
2007 5º lugar 1-UESP Negro, o grande ventre que gerou seus filhos, atravessando o mar aqui chegou. No esplendor de uma raça, essa cultura germinou

Compositores: Vitor Gabriel, Celsinho, Imperial e Biel Carioca

Eduardo Caetano
2008 5º lugar 1-UESP Catopês do Milho Verde, de escravo a rei da festa

Compositores: Dom Marcos, Roná Gonzaguinha, Edinho, Xixa e Minho

Lucas Pinto
2009 12º lugar 1-UESP De Janeiro a Janeiro, a Colorado faz a festa o ano inteiro.

Compositores: Pê Santana, Rafael Pínah e Paulinho Sorriso

Armando Barbosa
2010 12º lugar 2-UESP Da descoberta a chama da razão a Colorado descobre o fogo

Compositores: Pê Santana, Animal e Rafael Pínah

Fábio Gouveia
2011 Campeã 3-UESP Deu a Louca no Planeta

Compositores: Marcio Pessi, Edson Dafféh e Calado

Danilo Dantas
2012 Vice-campeã 2-UESP Quem sonha não desiste de lutar

Compositores: Márcio Pessi, Edson Dafféh, Chitão Martins, Sidney Melodia e Calado.

Danilo Dantas
2013 Campeã 1-UESP O trabalho enobrece o homem... Lutas, direitos e conquistas de um povo vencedor!

Compositores: André União, Fredyy Vianna, Juninho Been, Wladimir Nascimento

Danilo Dantas
2014 5º lugar Acesso De onde vem a alegria dessa gente?
Compositores: Vitor Gabriel, Rodrigo Minuetto, Rodolfo Minuetto e Guilherme Cruz
Danilo Dantas [17][25]
2015 5º lugar Acesso Maktub - Estória de mil e uma histórias
Compositores: V. Gabriel, Minuetto, Gui Cruz, F. Segal, Portuga, Luciano, Marçal, Reinaldo, César, Lucas Mascarenhas
Danilo Dantas [19]
2016 7º lugar Acesso Transformando a Química Da Vida
Compositores: Marcos Thiago, Rapha Maslionis e Cacá Camargo
Danilo Dantas
2017 3° lugar Acesso Luz, câmera, ação... a Colorado apresenta: a 'Roliúde' no Sertão
Compositores: Thiago Morganti, Ronny Potolski, Sukata, Igor Vianna, Michel Mammoccio, Tubino, Willian Tadeu, Luís Butti, Walter Jr, Lo Robson, André Valêncio, Diley, André Filosofia, Victor Alves e Meiners
Leonardo Catta Preta
2018 Vice-campeã Acesso 1 Axé! Caminhos que levam à fé
Compositores: Marcio Pessi, Edson Dafféh, Gilson Caffé, Magrão da Caprichosos e Hermes Sobral
Leonardo Catta Preta [26]
2019 11° lugar Especial Hakuna Matata – Isso é viver
Compositores: Márcio Pessi, Edson Dafféh, Evandro Bocão, André Diniz Pereira e Marcelo Valência
Leonardo Catta Preta [27]
2020 12º lugar Especial Que rei sou eu?
Compositores: Márcio Pessi, Edson Dafféh, Evandro Bocão, Moisés Santiago, Marcelo Valença e André Diniz
Leonardo Catta Preta [28]
2021 Especial Carolina: A Cinderela Negra do Canindé

Compositores: Thiago Morganti, Sukata, Turko, Rafa do Cavaco, Claudio Mattos, Maradona, Luan, Valêncio e Thiago Meiners

André Machado [29]

Referências

  1. «Cópia arquivada». Consultado em 26 de maio de 2014. Arquivado do original em 7 de janeiro de 2016 
  2. «SASP - Colorado do Brás». Consultado em 5 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 24 de janeiro de 2009 
  3. a b «Colorado do Brás - Site Oficial - História». Colorado do Brás. Consultado em 12 de setembro de 2020 
  4. «Colorado do Brás - Site Oficial - Carnaval 1979». Consultado em 2 de setembro de 2020 
  5. «Colorado do Brás - Site Oficial - Carnaval 1985». Consultado em 2 de setembro de 2020 
  6. «Colorado do Brás - Site Oficial - Carnaval 1987» 
  7. «CNBB - Campanha da Fraternidade 1988». Consultado em 2 de setembro de 2020 
  8. «Os 10 maiores sambas do carnaval paulista». Pedro Migão. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  9. «Revista Espaço Acadêmico. Leandro Lehart - Ensaio de Escola de Samba». Consultado em 2 de setembro de 2020 
  10. «CUT e Colorado do Brás no Carnaval 2013». Consultado em 2 de setembro de 2020 
  11. «X-9 Paulistana é campeã do Grupo de Acesso. Independente também sobre.». Folha de S. Paulo. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  12. «Águia de Ouro e Colorado do Brás sobem para elite do Carnaval de São Paulo». Jornal SP Norte 
  13. «Colorado do Brás mostra que veio para ficar com desfile sobre Dom Sebastião». UOL. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  14. «'Carolina: A Cinderela Negra do Canindé' é o título do enredo da Colorado do Brás para o Carnaval 2021». Site Carnavalesco. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  15. «Mocidade Alegre é campeã do Troféu Nota 10 do Diário de São Paulo». Portal IG. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  16. «Prêmio SRZD: Conheça o resultado da edição 2020». Portal SRZD. Consultado em 2 de setembro de 2020 
  17. a b c d «Cópia arquivada». Consultado em 26 de maio de 2014. Arquivado do original em 12 de março de 2014 
  18. Site Oficial da Colorado do Brás. «OBRIGADO LE, BOA SORTE KA!» 
  19. a b «Ficha Técnica - Colorado do Brás». www.coloradodobras.com.br 
  20. «'Se derraparem, beliscamos vaga no Especial', diz carnavalesco da Colorado». SRZD - Sidney Rezende 
  21. Colorado do Brás. «Rainha da Bateria da Colorado é eleita 2ª princesa da corte da UESP.». Consultado em 12 de junho de 2020 
  22. G1. «Colorado do Brás leva mito de Dom Sebastião, madrinha trans e histórias de superação para desfile». Consultado em 12 de junho de 2020 
  23. Folha. «Muriel Quixaba anuncia que não será mais rainha de bateria da Colorado do Brás». Consultado em 12 de junho de 2020 
  24. «SASP - Carnavais Colorado do Brás». Consultado em 22 de março de 2016. Arquivado do original em 3 de abril de 2016 
  25. «Cópia arquivada». Consultado em 26 de maio de 2014. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  26. http://sasp.com.br/index.php/colorado-do-bras-anuncia-enredo-2018
  27. G1 (22 de abril de 2018). «Colorado do Brás terá enredo sobre o Quênia na volta à elite do carnaval de SP» 
  28. Carnavalesco (11 de maio de 2019). «Conheça o enredo da Colorado do Brás para o Carnaval 2020» 
  29. Mattos, Matheus (2 de abril de 2020). «'Carolina: A Cinderela Negra do Canindé' é o título do enredo da Colorado do Brás para o Carnaval 2021»