Mocidade Alegre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados de Mocidade Alegre, veja Mocidade Alegre (desambiguação).
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2013). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mocidade Alegre
Fundação 24 de setembro de 1967 (51 anos)
Escola-madrinha Império do Samba[1]
Cores

Vermelho

Verde

Símbolo Casal de jovens (Mocidade) sambistas felizes (Alegre), sendo ele um batuqueiro e ela uma cabrocha
Bairro Bairro do Limão
Presidente Solange Cruz Bichara Rezende
Presidente de honra Juarez da Cruz (in memoriam)
Desfile de 2019
Enredo Ayakamaé - As Águas Sagradas do Sol e da Lua
Posição de desfile 3ª - 00:30
2 de Março
www.mocidadealegre.com.br

O Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Mocidade Alegre é uma Escola de Samba da cidade de São Paulo. Foi campeã do Grupo Especial por dez vezes, sendo a última em 2014. Intitula-se a "Morada do Samba".[1]

A escola é conhecida por carnavais de temática afro.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1950, um grupo de homens fantasiados de mulher saía pela ruas da Região Central de São Paulo. Esse grupo, formado por Juarez Cruz[1], seus irmãos Salvador Cruz[1], Carlos Cruz[2] e mais dois amigos[1]. Os três irmãos eram provenientes da cidade de Campos dos Goytacazes, no estado do Rio de Janeiro, e viviam em São Paulo desde 1948.[1] Na época, os criados do grupo carnavalesco viviam no bairro do Bom Retiro.[1]

Por causa de uma brincadeira, fazendo alusão a duas situações que aconteciam em São Paulo na época - a recuperação dos bondes e o fechamento dos prostíbulos do bairro do Bom Retiro pela Prefeitura - os foliões batizaram seu grupo em 1958 como "Bloco das Primeiras Mariposas Recuperadas do Bom Retiro".[1] Até então, somente homens participavam do grupo.[1] Em 1963, pela primeira vez, uma mulher desfilou, num ano onde seus integrantes saíram fantasiados de palhaços pela Avenida São João. Ao passarem em frente a um palanque reservado a imprensa, o locutor da Rádio América, Evaristo de Carvalho, disse, referindo-se ao grupo:

A partir dali, surgia o nome Mocidade Alegre.

Em 1964, o francês François Bellot, diretor do Supermercado Peg Pag, onde Juarez Cruz trabalhava desde 1955, solicitou a presença do grupo para animar uma festa em sua residência. A partir daí, o supermercado passou a ajudar o então bloco carnavalesco.[1] Por sugestão de François Bellot, em 1965 o grupo, pela primeira vez contando com as mulheres e filhos de seus fundadores, participou do Carnaval de Santos, onde havia um Carnaval de rua organizado, diferentemente do que acontecia na Capital.[1]

Em 1968, com a oficialização do Carnaval de São Paulo, finalmente foi criado o Grêmio Recreativo Mocidade Alegre.[1]

Campeã do então Grupo 3 em 1969, e do então Grupo 2 em 1970, a escola levou o título do então Grupo 1 (atual Grupo Especial) logo no seu primeiro ano nele, totalizando uma sequência de cinco anos de vitórias ininterruptas com o tricampeonato do Grupo Especial em 1973. Até a década de 1960, os ensaios da Mocidade eram realizados nas ruas da Vila Mariana. No entanto, como havia reclamações de moradores em relação aos ensaios, estes foram transferidos para um terreno de propriedade do Peg Pag, na Pompeia, até que em 1970, é inaugurada sua quadra na Avenida Casa Verde, no Limão.[1]

A escola ainda chegaria a ser campeã novamente em 1980, e a partir daí passaria por um longo jejum de 24 anos sem títulos, sem no entanto nunca ter caído para os grupos inferiores.

Na década de 2000, a Mocidade, já sob o comando da presidente Elaine Cristina Cruz Bichara, sobrinha do fundador Juarez, e filha de Carlos, irmão deste, contratou o intérprete Daniel Collête para interpretar seus sambas. Elaine faleceu em 2003 (ano em que a Mocidade foi vice-campeã), pouco tempo após terminar de ajudar a escrever a sinopse para o enredo de 2004, quando a escola voltou a conquistar um título do Grupo Especial. A partir daí a Mocidade Alegre voltou a figurar entre as grandes de São Paulo. Em 2006 houve um susto durante o desfile quando um defeito num mecanismo que faria sair faíscas de fogo da fantasia da rainha de bateria, Nani Moreira, fez com que essa tivesse algumas leves queimaduras, sem no entanto abandonar o desfile.[3]

A Mocidade voltou a ganhar o título de 2007, quando foi a última a desfilar, com um enredo leve sobre o riso, sendo o seu título reconhecido sem contestações pelas co-irmãs.

Em 2008, ainda sob o comando da presidente Solange Cruz Bichara, repatriou o intérprete Clóvis Pê. A Mocidade Alegre ficou em 2º lugar, somente atrás da Vai-Vai. As duas agremiações empataram rigorosamente com a mesma pontuação, mas a escola da Bela Vista conquistou o título ao obter 30 pontos (nota máxima) no Quesito Harmonia, definido em sorteio pouco antes da apuração como quesito desempate.

Presidente Solange Cruz Bichara, apuração 2010

Para 2009, a Mocidade fez a proposta ao seu carnavalesco (Zilkson Reis) para que integrasse uma Comissão de Carnaval, e este não aceitou, transferindo-se para a Gaviões da Fiel. A direção deu continuidade com a proposta, apresentando um enredo que abordava o órgão coração, conquistando mais um título.

No dia 3 de março, faleceu Juarez da Cruz, após passar mal no dia 24 de fevereiro, logo após a apuração dos votos que deu o título à escola. Juarez estava internado desde a ocasião em um hospital na Liberdade.[4]

Em 2010, na busca pelo 8º título, a Mocidade trouxe como enredo Da criação do universo ao sonho eterno do criador ... Eu sou espelho e me espelho em quem me criou. Um dos destaques da escola era a fantasia feita com leds, que fazia parte da comissão de frente, a fantasia teve destaque pois partes dela variava entra as cores: Azul, Vermelho e Verde. A Mocidade acabou perdendo o campeonato por 0,25 pontos para a Rosas de Ouro.

Em 2011 a Mocidade apresentou o enredo "Carrossel das Ilusões" a escola foi a terceira a desfilar no Anhembi. Como era de se esperar mais uma vez a agremiação inovou no mundo do Carnaval. Além da rainha de bateria Naninha, substituindo Nani Moreira, trouxe junto com a bateria várias passistas fantasiadas de Joaninhas, enquanto os integrantes da bateria vieram fantasiados de grilos falantes fazendo do desfile um marco na história do Carnaval. Veio com um dos mais belos desfiles do ano, sendo colocado por muitos como o melhor, porém um dos carros da escola não suportou o peso e acabou quebrando antes mesmo de entrar na avenida. Com esse problema a Mocidade que viria lutar pelo título acabou ficando apenas com um 7° lugar, ficando fora do desfile das campeãs. Algo que não acontecia desde o ano de 2002. Ao final do desfile em declaração à imprensa a presidente Solange Bichara, já sabendo do acontecido declarou emocionada.

Em 2012, com o enredo "Ojuobá - No Céu, os Olhos do Rei... Na Terra, a Morada dos Milagres... No Coração, Um Obá Muito Amado!" Levou para o sambódromo a mais importante obra de Jorge amado "Tenda dos Milagres", reconhecida no mundo inteiro. Aclamado pelo público e muito bem recebido pela comunidade, a Mocidade apresentou o maior desfile de sua trajetória, num dos carnavais mais "afros" da história da escola. Após o anúncio para as eliminatórias, durante o desenvolvimento do enredo, foram inscritos 21 sambas concorrentes.[5] No dia 11 de setembro de 2011 foi realizada a final para escolha do samba para o ano de 2012. Todos na escola se surpreenderam pela quantidade de espectadores presentes, chamando a atenção também da imprensa que registrou a reação do público ali presente, deixando todos os integrantes da escola emocionados. Foram apresentados quatro obras e numa disputa acirrada, venceu a parceria de Vitor Gabriel. A letra do samba caiu rapidamente na boca do povo sendo apontado como um dos melhores sambas do ano, tendo como destaque o refrão principal: "O rufar do tambor vai ecoar/Tenho sangue guerreiro, sou Mocidade/A luz de Ifá vai me guiar/Ojuobá espalha axé, felicidade".

Foi declarada a Campeã do Carnaval de 2012 após uma tumultuada apuração no dia 21/02 deste ano. A escola liderou a apuração até o último quesito quando um integrante de outra escola invadiu a praça da organização, onde anunciavam as notas, e rasgou os envelopes contendo as notas dos dois últimos jurados do quesito Comissão de frente[6]. Os diretores das escolas se reuniram com os diretores da Liga para decidir se seria dado ou não o título à Mocidade. Após mais de cinco horas foi decidido que a Mocidade é a campeã do Carnaval 2012[7].

Para 2013 trouxe um enredo que abordava a vontade que todo o ser humano teria de mudar o final de qualquer história, seja ela verdadeira ou ficcional. O bicampeonato veio depois de uma apuração tensa, que foi decidida no desempate com a Rosas de Ouro.[8].

Em 2014, na busca do tri consecutivo, a escola não pôde mais contar com o intérprete Clóvis Pê, por este assinado contrato com o Império Serrano do Rio de Janeiro e com a Unidos de Vila Maria que disputou o grupo de acesso em São Paulo.[9] Igor Sorriso, que defendeu a Tucuruvi no carnaval 2013[10], mas havia sido apoio de Clóvis Pê em 2012, assumiu o microfone principal. A Mocidade ousou nas cores, dos tons, soube abusar bastante do enredo escolhido: "Andar com fé eu vou, que a fé não costuma falhar." Foi um desfile impecável, com alegorias, fantasias, samba-enredo, primados pelo detalhismo e comunicação com o público.[11] E mais uma vez inovou quando toda a escola se ajoelhou no refrão: "De joelhos eu vou cantar, tenho fé de verdade vou além, na Mocidade, o samba diz amém." Ao final das contas, a escola foi aclamada campeã com folga do carnaval de São Paulo, conseguindo o segundo tricampeonato, sob as lágrimas convulsivas da presidente Solange Bichara.[12]

No ano de 2015, a escola homenageou a atriz Marília Pêra. O título do enredo foi "Nos palcos da vida, uma vida no palco... Marília". Em um desfile belíssimo, a agremiação entrou na passarela do samba como campeã, tendo em vista o luxo e o glamour das fantasias e das alegorias. E, mais uma vez, o carnaval da Mocidade Alegre surpreendeu a todos os presentes e, também, os telespectadores. Inclusive, a "morada do samba" foi novamente uma das mais cotadas ao título de campeã do carnaval de São Paulo, e assim conquistaria o seu tetracampeonato consecutivo e o 11º título da história da verde e vermelho, entretanto, ficou com o segundo lugar, em uma disputa acirradíssima (quesito à quesito) com a Escola de Samba Vai-Vai, que levou ao palco do samba a história da cantora Elis Regina e que foi a grande campeã de um dos carnavais mais disputados da história de São Paulo (carnaval 2015). Ademais, o título foi definido à Vai-Vai na última nota do último quesito (evolução).[13]

Em 2016, a escola apresentou mais um enredo afro, que teve como título: "Ayô - A Alma Ancestral do Samba". Houve sofisticação, luxo e paradonas da bateria de Mestre Sombra no desfile, sendo uma das favoritas ao título, mas a escola perdeu pontos justamente no quesito bateria e no quesito evolução, o que lhe garantiu o terceiro lugar na classificação geral. [14]. Em março do mesmo ano, a diretoria da escola comunicou a saída do carnavalesco Sidney França da agremiação. [4] Para ocupar o lugar, foi formada uma comissão de carnaval que será capitaneada por Leandro Vieira, carnavalesco campeão do carnaval do Rio de Janeiro pela Estação Primeira de Mangueira em 2016.

O enredo escolhido para 2017 é uma celebração dos 50 anos da escola, cujo título é "A vitória vem da luta, a luta vem da força, e a força, da união" que é um famoso bordão da presidente Solange Bichara. A escola levou para a avenida histórias de guerreiros e celebrou seu Jubileu de Ouro,a agremiação realizou um desfile impecável, contando com um samba-enredo memorável e empolgante, sendo um dos destaques da primeira noite de desfiles no entanto, acabou perdendo pontos importantes nos quesitos Fantasia, Bateria, Alegorias e Adereços e Samba-enredo, lhe rendendo um 6º lugar na classificação geral, ficando assim fora do desfile das campeãs.

Para 2018, a equipe do ano anterior foi mantida. Nesse ano o enredo homenageou a cantora Alcione, intitulado "A Voz Marrom que não deixa o samba morrer"[15]. O desfile mostrou a trajetória de Alcione além de prestar uma homenagem ao samba, relembrou também o repertório da cantora. Com refrão forte que cita 'Não deixe o samba morrer', a escola fez um desfile com técnica e canto perfeitos, na apuração ficou com a pontuação máxima e conquistando o vice-campeonato perdendo apenas no critério desempate.

A escola em 2019 escolhe o enredo "Ayakamaé - As águas sagradas do sol e da lua" o tema é uma lenda amazônica que conta a historia Rio Amazonas, na lenda o sol e a lua eram amantes que nunca conseguiam se encontrar, e das lágrimas da lua nasce o rio.[16] e o retorno de Igor Sorriso ao microfone oficial[17].

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Período Ref.
Juarez da Cruz 1967 - 1992 [1]
Carlos Augusto Cruz Bichara 1992 - 1998 [1]
Elaine Cristina Cruz Bichara 1998 - 2003 [1]
Solange Cruz Bichara Rezende 2003 - atualidade [1]

Presidente de honra[editar | editar código-fonte]

Período Nome Ref.
19922008 Juarez da Cruz (in memoriam)

Intérpretes[editar | editar código-fonte]

Carnavais Intérprete oficial Referências
1973 - 1977 Carioca [18][19]
1978 Nena [20]
1979 Juburu [21]
1980-1982 Portela [22][23]
1983 Sargento Garcia [24]
1984 Diniz da Baixada [25]
1985 Favela [26]
1986-1988 Juscelino Alves [27][28]
1989-1995 Carlão Maneiro [29][30]
1996-1997 Vaguinho [31][32]
1998 Nilson Valentim [33]
1999 Nilson Valentim e Neguinho da Beija-Flor [34]
2000 Clóvis Pê [35]
2001-2007 Daniel Collête [36][37]
2008-2013 Clóvis Pê [38][39]
2014-2016 Igor Sorriso [40][41]
2017-2018 Tiganá e Ito Melodia [42]
2019–presente Igor Sorriso [41][17]

Diretores[editar | editar código-fonte]

Período Diretor de Carnaval Direção geral de harmonia Mestre de Bateria Ref
2014 Comissão de Carnaval
Ariane Camilla, Edson Oliveira, Fábio Cavicchio Parra, Marcos Rezende
Ricardo Sonzin, Sidnei França, Solange Cruz Bichara Rezende e Vanderley Silva
Comissão de Harmonia
Ed Murphy, Erica Ferreira e Zangado
Mestre Sombra [43]
2015 Comissão de Carnaval
Ariane Camilla, Edson Oliveira, Fábio Cavicchio Parra, Marcos Rezende
Ricardo Sonzin, Sidnei França, Solange Bichara e Vanderley Silva
Erica Ferreira Mestre Sombra [44]
2016 Comissão de Carnaval
Alcineide Lopes, Ariane Camilla, Edson Oliveira, Erica Ferreira, João Lolla Jr
José Carlos Lopes, Marcos Resende, Solange Bichara Rezende, Janaina Lima, Sergio Silva
Fabio Carromeu, Vanderley Silva
Erica Ferreira Mestre Sombra
2017 Comissão de Carnaval
Alcineide Lopes, Ariane Camilla, Edson Oliveira, Erica Ferreira, João Lolla Jr
José Carlos Lopes, Marcos Resende, Solange Bichara Rezende, Janaina Lima, Sergio Silva
Fabio Carromeu, Vanderley Silva
Vanderley Silva Mestre Sombra [45]
2018-atual Junior Dentista Comissão de Carnaval
Anselmo Moreira, Daniel Sena, Dudu Teixeira
Mestre Sombra

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Período Coreógrafo Ref.
20022013 André Almeida [46][47]
20142015 Fagner Soares, Ricardo Santos, Robério Theodoro e Thiago Alves [44]
2016 Robério Theodóro e Thiago Alves [45]
2017 – atual Jhean Allex

Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira[editar | editar código-fonte]

Período Nome Ref.
2013 – atual Emerson Ramires e Karina Zamparolli [43][45]

Rainhas de Bateria[editar | editar código-fonte]

Período Nome Ref.
20002010 Nani Moreira [48]
2011 Marília Silva [49]
2012 – atual Aline Oliveira [50][51]

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Mocidade Alegre
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Ref.
1968 5º lugar 1-UESP Festival Indígena Comissão de Carnaval [52]
1969 Campeã Bloco especial Na Corte de Nero Comissão de Carnaval [53]
1970 Campeã Acesso Zumbi dos Palmares Raquel Trindade [54]
1971 Campeã Especial São Paulo e Seus Carnavais Álvaro Ribeiro e Ivo Rodrigues [55]
1972 Campeã Especial São Paulo, Trabalho, Seresta e Samba J. Muniz Júnior [56]
1973 Campeã Especial Odisseia de Uma Raça Edson Machado [18]
1974 3º lugar Especial Gamboa de Cima - Genaro de Carvalho Edson Machado [57]
1975 3º lugar Especial No Alto do Caaguaçu - Avenida Paulista Antes e Depois Edson Machado [58]
1976 4º lugar Especial Tributo de uma Época Edson Machado e Darcy Giorno Pereira [59]
1977 3º lugar Especial Uma Vida no Palco, Homenagem a Procópio Ferreira Edson Machado [19]
1978 3º lugar Especial Sonhando nos Braços de Morfeu Edson Machado [20]
1979 Vice-campeã Especial A Revolta dos Malês Edson Machado [21]
1980 Campeã Especial Embaixada de Bambas e Samba - A Festa do Povo Edson Machado [22]
1981 Vice-campeã Especial Visungo Canto de Riqueza Pedrinho Pinotti [60]
1982 5º lugar Especial "Malungos Guerreiros Negros" Pedrinho Pinotti [23]
1983 4º lugar Especial Ilusão do Fantástico Eldorado Raul Diniz [24]
1984 5º lugar Especial Império das Artes - Missão Artística Francesa Raul Diniz [25]
1985 7º lugar Especial Brasil, Menino Gigante Zé Berno e Thomáz [26]
1986 4º lugar Especial Apesar de Tudo, é Isso Aí Zé Berno e Thomáz [27]
1987 3º lugar Especial 50 Anos de Comunicação - Moraes Sarmento Tito Arantes [61]
1988 Vice-campeã Especial O Cientista Poeta - Paulo Vanzolini Tito Arantes [28]
1989 5º lugar Especial Seiva Dia Vida - Thermas Tito Arantes [29]
1990 6º lugar Especial A Nossa Pré-História. Quem Sou Eu? Tito Arantes [62]
1991 5º lugar Especial A História se Repete Renato Cabral [63]
1992 3º lugar Especial A Espada Dia Liberdade - "Jornal O Estado de S. Paulo" Mauricio Bichara [64]
1993 3º lugar Especial Marabha "a Pérola do Oriente" Mauricio Bichara [65]
1994 4º lugar Especial Somos Todos Irmãos Mauricio Bichara [66]
1995 7º lugar Especial Do Rock ao Samba - Todo Mundo Maluco Beleza Guilherme Resende [30]
1996 3º lugar Especial Uma História de Luxúria e Vaidade Vaniria Nejelschi [31]
1997 6º lugar Especial O Mago do Universo - Hans Donner Orlando Midaglia [32]
1998 4º lugar Especial Essas Maravilhosas Mulheres Ousadas Wagner Santos [33]
1999 7º lugar Especial Bahia...! Um Porto Seguro Wagner Santos [34]
2000 3º lugar Especial Historia Brasiliae, Cultura, Hábitos e Costumes de uma Holanda Tropical
Compositores: Biro-Biro, Di Verde e Estevam.
Wagner Santos [35]
2001 7º lugar Especial A Lenda da Lenda - do Fascínio de Ophir ao Mistério das Encantadas
Compositores: Ratinho - Biro-Biro - Ricardinho - Raphael - Gudi.
Alexandre Colla [36]
2002 8º lugar Especial Do Néctar dos Deuses ao Alimento de Homens e Feras, "Deleite-se ao Sabor do Leite" Nelson Ferreira [67]
2003 Vice-campeã Especial Omi - O Berço da Civilização Iorubá
Compositores: Tico, Imperial, Silvio Negão, Silva Oliveira e Fábio Bonfim
Nelson Ferreira [68]
2004 Campeã Especial Do Além-Mar à Terra da Garoa... Salve Esta Gente Boa
Compositores: Tico, Imperial, Silvio Negão, Fábio Bonfim, Biro Biro, Rafael.
Nelson Ferreira [69]
2005 3º lugar Especial Clara, Claridade... O Canto de Luz no Ylê da Mocidade
Compositores: Biro-Biro, Chiquinho LS, Ratinho e Zé do Gás.
Zilkson Reis [70]
2006 3º lugar Especial Das Lágrimas de Iaty Surge o Rio, do Imaginário Indígena a Saga de Opara. Para os Olhos do Mundo um Símbolo de Integração Nacional: Rio São Francisco
Compositores: Adilson, Branco, China da Morada, Daniel, Dukinha da Ladeira, Ruivo, Ulysses e Villela.
Zilkson Reis [71]
2007 Campeã Especial Posso Ser Inocente, Debochado e Irreverente... Afinal, Sou o Riso dessa Gente
Compositores: China, Grandini e Magrão.
Zilkson Reis [37]
2008 Vice-campeã Especial Bem-vindo a São Paulo. Sabe por quê? Porque São Paulo é Tudo de Bom!!!
Compositores: Biro-biro, China, Grandini, Hélio, Leandro, Marcelo E Ratinho.
Zilkson Reis [38]
2009 Campeã Especial Da Chama da Razão ao Palco das Emoções... Sou Máquina, Sou Vida... Sou Coração Pulsando Forte na Avenida
Compositores: China da Morada, Ferreira, Luis Roberto, Murillo TK, Pinheiro e Rafa.
Comissão de Carnaval
(Fábio Lima, Flávio Campello, Márcio Gonçalves e Sidnei França)
[72]
2010 Vice-campeã Especial Da criação do universo ao sonho eterno do criador ... Eu sou espelho e me espelho em quem me criou
Compositores: Murillo TK, Pinheiro, Ferreira, Luiz Roberto e Anderson.
Comissão de Carnaval
(Fábio Lima, Márcio Gonçalves e Sidnei França)
[73]
2011 7º lugar Especial Carrossel das Ilusões
Compositores: Douglas, Edmilson, Marcio Bueno, Igor Leal, Rodriguinho e Victor Alves.
Márcio Gonçalves e Sidnei França [74]
2012 Campeã Especial Ojuobá - No Céu, os Olhos do Rei... Na Terra, a Morada dos Milagres... No Coração, Um Obá Muito Amado!
Compositores: Vitor Gabriel, Fernando, Renato Guerra, Leandro Poeta, Thiago e Rodrigo Minuetto.
Márcio Gonçalves e Sidnei França [75][76]
2013 Campeã Especial A Sedução me fez provar, me entregar à Tentação... Da Versão Original, qual será o final?
Compositores: André Ricardo, Bruno Ribas, Fernando, Renato Guerra, Rodrigo Minuetto, Vitor Gabriel e Lucas Mascarenhas.
Márcio Gonçalves e Sidnei França [39]
2014 Campeã Especial Andar com fé eu vou que a fé não costuma falhar
Compositores: China da Morada, Ana Martins, Douglas Sabião, Márcio Bueno, Rodriguinho e Victor Alves.
Márcio Gonçalves e Sidnei França [40][77]
2015 Vice-campeã Especial Nos palcos da vida... Uma vida no palco: Marília
Compositores: Ana Martins, Douglas Sabião, Imperial, Márcio Bueno, Rodriguinho.
Márcio Gonçalves e Sidnei França
2016 3º lugar Especial Ayô - A Alma Ancestral do Samba
Compositores: Gui Cruz, Luciano Rosa, Portuga, Rafael Falanga, Rodrigo Minuetto e Vitor Gabriel.
Sidnei França [78]
2017 6º lugar Especial A vitória vem da luta, a luta vem da força, e a força, da união
Compositores: Gui Cruz, Imperial, Luciano Rosa, Portuga, Rafael Falanga, Reinaldo Marques, Rodrigo Minuetto e Vitor Gabriel.
Comissão de Carnaval
(Leandro Vieira, Paulo Brasil, Carlinhos Lopes, Neide Lopes)
[45]
2018 Vice-campeã Especial A voz Marrom que não deixa o samba morrer
Compositores: Biro Biro, Gui Cruz, Imperial, Luciano Rosa, Portuga, Rafael Falanga, Rodrigo Minuetto e Vitor Gabriel.
Comissão de Carnaval
(Paulo Brasil, Carlinhos Lopes, Neide Lopes)
[79]
2019 Especial Ayakamaé - As águas sagradas do sol e da lua
Compositores: Biro Biro, Turko, Gui Cruz, Maradona, Imperial, Portuga, Rafael Falanga, Rodrigo Minuetto e Vitor Gabriel.
Comissão de Carnaval
(Neide Lopes, Carlinhos Lopes, Paulo Brasil e Márcio Gonçalves)
[80][81]
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mocidade Alegre

Títulos[editar | editar código-fonte]

Títulos Mocidade Alegre
Divisão Total Ano
WikiCup Trophy Gold.png Grupo Especial 10 1971, 1972, 1973, 1980, 2004, 2007, 2009, 2012, 2013, 2014
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Grupo de Acesso 1 1970
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Bloco Especial 1 1969

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q Mocidade Alegre. «História». Consultado em 4 de maio de 2014 
  2. a b Sasp. «Mocidade Alegre». Consultado em 4 de maio de 2014. Arquivado do original em 5 de maio de 2014 
  3. G1 (18 de novembro de 2010). «Depois de 10 anos, Nani Moreira anuncia sua saída da bateria da Mocidade». Consultado em 4 de maio de 2014 
  4. «Morre fundador de escola campeã do carnaval 2009 em SP». 3 de março de 2009. Consultado em 4 de maio de 2014 
  5. SASP. «Eliminatórias 2012». Consultado em 4 de maio de 2014 
  6. G1 (21 de fevereiro de 2012). «Invasão e depredação interrompem apuração do carnaval de SP». 22h36. Consultado em 22 de setembro de 2013 
  7. G1 (22 de fevereiro de 2012). «Após confusão, Mocidade Alegre é campeã do carnaval de São Paulo». 08h47. Consultado em 22 de setembro de 2013 
  8. «Mocidade Alegre vence o carnaval 2013 em São Paulo e é bicampeã». 20h21. 12 de fevereiro de 2013. Consultado em 22 de setembro de 2013 
  9. SRZD-Carnaval/SP (3 de abril de 2013). «Exclusivo: Clovis Pê não é mais intérprete oficial da Mocidade Alegre». 01h20. Consultado em 22 de setembro de 2013 
  10. Site oficial da Mocidade Alegre. «Carta Aberta ao Intérprete Igor Sorriso». Consultado em 22 de setembro de 2013 
  11. http://bandfolia.band.uol.com.br/noticia.asp?m=100000667337
  12. http://oglobo.globo.com/rio/carnaval/2014/mocidade-alegre-tricampea-do-carnaval-de-sao-paulo-1-11783970
  13. http://www.mocidadealegre.com.br/index.php?id=1451
  14. http://g1.globo.com/sao-paulo/carnaval/2016/noticia/2016/02/veja-apuracao-do-grupo-especial-de-sao-paulo-no-carnaval-2016.html
  15. G1 (11 de fevereiro de 2018). «Mocidade Alegre desfila em São Paulo com enredo que Mangueira deve a Alcione». 12h29 
  16. G1 (13 de junho de 2018). «Mocidade Alegre leva lenda amazônica para o Anhembi no carnaval de 2019». 06h57 
  17. a b SASP. [“Nada Se Compara A Mocidade Alegre”, Diz Igor Sorriso Em Sua Volta Para A Escola Do Limão «"Nada Se Compara A Mocidade Alegre", Diz Igor Sorriso Em Sua Volta Para A Escola Do Limão»] Verifique valor |url= (ajuda). Consultado em 21 de outubro de 2018 
  18. a b SASP. «Mocidade Alegre 1973». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  19. a b SASP. «Mocidade Alegre 1977». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  20. a b SASP. «Mocidade Alegre 1978». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  21. a b SASP. «Mocidade Alegre 1979». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  22. a b SASP. «Mocidade Alegre 1980». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  23. a b SASP. «Mocidade Alegre 1982». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  24. a b SASP. «Mocidade Alegre 1983». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  25. a b SASP. «Mocidade Alegre 1984». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  26. a b SASP. «Mocidade Alegre 1985». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  27. a b SASP. «Mocidade Alegre 1986». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  28. a b SASP. «Mocidade Alegre 1988». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  29. a b SASP. «Mocidade Alegre 1989». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  30. a b SASP. «Mocidade Alegre 1995». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  31. a b SASP. «Mocidade Alegre 1996». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  32. a b SASP. «Mocidade Alegre 1997». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  33. a b SASP. «Mocidade Alegre 1998». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  34. a b SASP. «Mocidade Alegre 1999». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  35. a b SASP. «Mocidade Alegre 2000». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  36. a b SASP. «Mocidade Alegre 2001». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  37. a b SASP. «Mocidade Alegre 2007». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  38. a b SASP. «Mocidade Alegre 2008». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  39. a b SASP. «Mocidade Alegre 2013». Consultado em 22 de setembro de 2013 
  40. a b SASP. «Mocidade Alegre 2014». Consultado em 22 de setembro de 2013 
  41. a b Sambario. «Igor Sorriso». Consultado em 21 de outubro de 2018 
  42. «Grito de guerra de presidente vira tema de enredo em SP». Sambarazzo. 23 de abril de 2016. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  43. a b Sasp. «Carnaval 2014». Consultado em 4 de maio de 2014 
  44. a b [1]
  45. a b c d «Grito de guerra de presidente vira tema de enredo em SP». SRZD. 08 de maio de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)
  46. [2]
  47. [3]
  48. Estadão (14 de fevereiro de 2012). «Carnaval 2010: Nani Moreira tem problemas com fantasia». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  49. Terra (6 de março de 2011). «Aos 14 anos, rainha da Mocidade diz que desfila contra vontade do pai». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  50. Site Oficial da Mocidade Alegre. «Aline Oliveira é a nova Rainha da Mocidade Alegre». Consultado em 22 de setembro de 2013 
  51. OCarnavaldeSaoPaulo (22 de janeiro de 2013). «Conheça Aline Oliveira, a Rainha da Bateria da Mocidade Alegre». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  52. SASP. «Mocidade Alegre 1968». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  53. SASP. «Mocidade Alegre 1969». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  54. SASP. «Mocidade Alegre 1970». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  55. SASP. «Mocidade Alegre 1971». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  56. SASP. «Mocidade Alegre 1972». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  57. SASP. «Mocidade Alegre 1974». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  58. SASP. «Mocidade Alegre 1975». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  59. SASP. «Mocidade Alegre 1976». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  60. SASP. «Mocidade Alegre 1981». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  61. SASP. «Mocidade Alegre 1987». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  62. SASP. «Mocidade Alegre 1990». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  63. SASP. «Mocidade Alegre 1991». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  64. SASP. «Mocidade Alegre 1992». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  65. SASP. «Mocidade Alegre 1993». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  66. SASP. «Mocidade Alegre 1994». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  67. SASP. «Mocidade Alegre 2002». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  68. SASP. «Mocidade Alegre 2003». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  69. SASP. «Mocidade Alegre 2004». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  70. SASP. «Mocidade Alegre 2005». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  71. SASP. «Mocidade Alegre 2006». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  72. SASP. «Mocidade Alegre 2009». Consultado em 30 de outubro de 2013 
  73. SASP. «Mocidade Alegre 2010». Consultado em 22 de setembro de 2013 
  74. SASP. «Mocidade Alegre 2011». Consultado em 22 de setembro de 2013 
  75. SASP. «Mocidade Alegre 2012». Consultado em 22 de setembro de 2013 
  76. SASP. «Samba Concorrente #1444». Consultado em 4 de maio de 2014 
  77. Sasp. http://www.sasp.com.br/a_eliminatoria_samba.asp?rg_eliminatoria=1939. Consultado em 4 de maio de 2014  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  78. Redação SRZD (26 de abril de 2015). «Mocidade Alegre: conheça o enredo para 2016». SRZD - Carnaval/SP. Consultado em 26 de abril de 2015 
  79. «Alcione será o enredo da Mocidade para o próximo carnaval». Sasp. 19 de abril de 2017 
  80. Amantes do Carnaval (27 de maio de 2018). «Mocidade Alegre cantará uma lenda indígena em 2019» 
  81. G1 (13 de junho de 2018). «Mocidade Alegre leva lenda amazônica para o Anhembi no carnaval de 2019»