Cabeções de Vila Prudente

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
G.R.C.E.S. Cabeções da Vila Prudente
Fundação 15 de novembro de 1968 (50 anos)
Escola-madrinha Estação Primeira de Mangueira
Cores
Verde
Rosa
Símbolo Cabeça com uma coroa
Bairro Vila Prudente
Presidente André Reis
Desfile de 2019
Enredo Eu não Quero Final Feliz, eu Quero ser Feliz a Vida Inteira

O Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Cabeções da Vila Prudente é uma escola de samba de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

Durante a década de 1960, surgiu a necessidade de criar um bloco carnavalesco no bairro da Vila Prudente, importante reduto operário da cidade de São Paulo. E em 15 de Novembro de 1968 os irmãos Vitorino e Sérgio Pizzo, juntamente com os irmãos Alécio e Florindo Cavalheiro, juntaram-se a comerciantes e amigos moradores do bairro e criaram o Bloco Crarnavalesco dos Cabeções da Vila Prudente, bloco muito animado que tinha até uma sede própria, localizada a Rua Cavour 319, no próprio bairro. O Bloco era tão animado que o próprio prefeito da cidade na época, o sr Faria Lima, solicitou que o bloco desfila-se por dois dias no carnaval oficial da cidade, no Vale do Anhangabaú, isso apenas com 3 meses após sua fundação oficial.

Fez história no carnaval paulistano no início da década de 1970 como um bloco sólido e empolgante, mas se agigantou tanto que não tinham mais concorrentes a altura para disputar com o "Cabeções". Desta forma, em 1971, desfilou junto as escolas de samba do segundo grupo, não disputando nenhum título. Porém, com esse contratempo, sua diretoria se reuniu e, em 30 de Julho de 1971, oficialmente tornou-se Escola de Samba. Por pertencer a um bairro tipicamente operário, recebeu incentivo de diversas indústrias e comércios da região e desfilou oficialmente como escola no carnaval de 1972, com mais de 300 componentes.

O Cabeções tornou-se conhecido e popular até mesmo no Rio de Janeiro e fora do Brasil. O samba-enredo defendido por Dom Marcos no carnaval de 1981 "Do Iorubá ao reino de Oyó" é lembrado e cantado em muitas rodas de samba cariocas até hoje e entrou num disco recente do cantor Leandro Learth.

Durante o início da década de 1980, outra escola de samba do bairro, o Príncipe Negro, conversou com sua diretoria para fazer uma fusão das escolas, devido a desentendimentos entre componentes das duas agremiações e dificuldades financeiras para os desfiles. O propósito dessa união era fortalecer as duas entidades e propiciar ao bairro da Vila Prudente uma escola de samba grande e que disputa-se os títulos com as demais de igual para igual. Com esse intuito, fundou-se em 11 de Maio de 1982 a União Independente da Vila Prudente, presidida pelo sr. Arcílio Antunes, e que contá-va com uma mescla das cores e símbolos das duas entidades no pavilhão.

No carnaval de 1984, o interprete Dom Marcos, cria do Cabeções, encantou a Av. Tiradentes com um samba em homenagem a cantora Elis Regina, falecida no ano anterior, intitulado: "Elis Regina, o som da festa eterna desta musa". Entretanto, a União não apresentou um bom desfile, ficando apenas nas posições intermediarias. Já no ano seguinte, em 1985 outro belissimo samba, mas que infelizmente resultou no decesso da escola. Devido ao resultado negativo, alguns componentes antigos da escola Príncipe Negro deixam a União e se instalam no bairro da Cid. Tiradentes, no extremo leste da cidade, reorganizando a agremiação com a denominação de Príncipe Negro da Cid. Tiradentes.

Com o passar dos anos, o bairro deixou de ser operario, e isso refletiu diretamente no comportamento e mentalidade da escola, que encontrou dificuldades em arrecadação de verbas para os desfiles e de componentes para os eventos. Todavia, em meados de 2013 para 2014, os componentes da antiga Cabeções da Vila Prudente retomam os trabalhos, tendo seus ensaios próximos ao metrô Vila Prudente e a Rua Capitão Pacheco e Chaves, no próprio bairro.

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Cabeções de Vila Prudente
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Intérprete Ref.
1970 Campeã 3 [1]
1971 Acesso Brasil, um gigante [2]
1972 3º. Lugar Acesso Brasil Independente [3]
1973 Campeã Acesso [4]
1974 8º. Lugar Especial Mar sem horizonte [5]
1975 4º. Lugar Acesso História da Mãe D'Água [6]
1976 5º. Lugar Acesso Histórias e Lendas do Rio Grande do Sul [7]
1977 6º. Lugar Acesso [8]
1978 Campeã Acesso Coroação de um rei negro [9]
1979 12º. Lugar Especial Década de Ouro Eliana de Lima [10]
1980 Campeã Acesso Crenças Fantásticas [11]
1981 10º. Lugar Especial Do Iorubá ao Reino de Oyó Dom Marcos [12]
1982 7º. Lugar Acesso Quem não tem Balangandãs não vai ao Bonfim [13]
Fundiu-se com a Príncipe Negro de Vila Prudente para surgir a União Independente de Vila Prudente
2016 8º. Lugar 4-UESP Cabeções canta os quatro elementos naturais em verde e rosa

Compositor: Lucas Mascarenhas

Lucas Mascarenhas
2017 9º lugar 4-UESP Bahia de todos os santos por todos os cantos Beto Jóia
2018 8º lugar 4-UESP Imigrantes e Refugiados O Sonho de um Mundo Sem Fronteiras Comissão de Carnaval Everaldo Batata e Paulinho Vieira [14]
2019 9º Lugar Bairros 2 Eu não Quero Final Feliz, eu Quero ser Feliz a Vida Inteira Thayná Rodrigues e Luana Santos [15][16]

Referências

  1. «Carnaval 1970 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  2. «Carnaval 1971 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  3. «Carnaval 1972 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  4. «Carnaval 1973 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  5. «Carnaval 1974 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  6. «Carnaval 1975 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  7. «Carnaval 1976 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  8. «Carnaval 1977 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  9. «Carnaval 1978 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  10. «Carnaval 1979 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  11. «Carnaval 1980 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  12. «Carnaval 1981 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  13. «Carnaval 1982 - Cabeções de Vila Prudente - SASP». Consultado em 29 de março de 2016 
  14. «Grupo 4». UESP. Consultado em 25 de janeiro de 2018 
  15. «Central do Carnaval 2019». SASP. Consultado em 25 de janeiro de 2019 
  16. «Central Carnaval». SASP. Consultado em 25 de janeiro de 2019 
Ícone de esboço Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.