Royce do Cavaco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Royce do Cavaco
Informações pessoais
Nome completo Royce Todoverto
Data de nasc. 8 de outubro de 1961 (57 anos)
Local de nasc. São Paulo,  São Paulo, Brasil Brasil
Informações profissionais
Escola atual Rosas de Ouro
Escolas de samba
Anos Escolas
1982-1986
1983-1994
1995-2005
1999
2000
2001
2001
2006
2007-2011
2010
2012-2016
2012
2017-
Águia de Ouro
Rosas de Ouro
X-9 Paulistana
Morro da Casa Verde
Pérola Negra
Império de Casa Verde
Camisa 12
Tom Maior
Nenê de Vila Matilde
Tatuapé
X-9 Paulistana
Vila Alemã
Rosas de Ouro
Última atualização: domingo, 16 de dezembro de 2018

Royce do Cavaco,[1] nascido Royce Todoverto (São Paulo, 8 de outubro de 1961) é cavaquinista, cantor e compositor brasileiro, considerado um dos maiores intérpretes de sambas-enredo. Ocupa o posto de intérprete oficial da Rosas de Ouro, escola para onde retornou após 22 anos. Porém já teve passagens pela Águia de Ouro, X-9 Paulistana, Nenê de Vila Matilde, Acadêmicos do Tatuapé e Tom Maior.[2]

Carreira carnavalesca[editar | editar código-fonte]

Intensamente ligado ao carnaval paulistano, Royce passou a fazer parte do mundo do samba ainda jovem, quando tocava seu cavaco nas rodas de samba formadas durante os jogos de futebol de várzea na capital paulista, acompanhando os irmãos. Dessa forma, conheceu muitos nomes nas escolas de samba Mocidade Alegre e Rosas de Ouro, passando a frequentar esta última e a integrar a ala de compositores. No entanto, passou a ter destaque um pouco mais tarde, quando venceu sua primeira composição de samba-enredo na Águia de Ouro em 1982, sendo também o intérprete da agremiação naquele mesmo ano. Em 1983 tornou-se intérprete oficial da Rosas de Ouro, onde permaneceu até 1994, sendo campeão 6 vezes (1983, 1984, 1990, 1991, 1992, 1994). Depois foi para a X-9 Paulistana, e lá foi campeão duas vezes (1997 e 2000).

Como compositor, Royce foi autor de muitos sambas-enredo, sendo cinco deles para a Águia de Ouro, entre 1982 e 1986, período em que esteve na agremiação da Vila Pompéia (esteve por lá também em 1993 como intérprete) e também na Rosas e em outras agremiações, como a Juventude Alegre, de Piraju, onde teve um samba-enredo de sua autoria no carnaval este ano (o último samba-enredo vencedor do músico no carnaval paulistano foi o de 2003, na X-9). Ganhou o Prêmio Nota 10 (entregue pelo jornal Diário de São Paulo aos melhores do Carnaval Paulistano) de Melhor Intérprete nos anos de 2006, 2009 e 2011.

Carreira fora do carnaval[editar | editar código-fonte]

Royce do Cavaco
Informação geral
Nome completo Royce Todoverto
Também conhecido(a) como Royce do Cavaco
Nascimento 8 de outubro de 1961 (57 anos)
Origem São Paulo,  São Paulo
País Brasil Brasil
Gênero(s) Samba, samba-enredo e Pagode
Instrumento(s) cavaquinho
Período em atividade 1981 — atualmente

Royce é um dos intérpretes de samba-enredo que optou pela carreira de cantor profissional e pode ser visto fazendo apresentações o ano todo. Tem um estilo inconfundível, e possui em seu trabalho a influência do samba carioca sem perder a tradição de sua terra. E foi fazendo carreira solo que conseguiu projetar sua imagem em todo o Brasil. Royce gravou seu primeiro disco no ano de 1988, após ter conquistado o segundo lugar em um concurso de pagode promovido pela Rádio Manchete um ano antes.

Mas seu maior sucesso até hoje na mídia foi a música Frente a Frente, que ficou seis meses nas primeiras colocações das rádios. Foi nessa ocasião que o músico atingiu o auge de sua carreira, na segunda metade da década de 1990, quando chegou a gravar quatro álbuns consecutivamente (1994 a 1997).

Também já compôs alguns sucessos, entre eles Dádiva de Deus, Coisa do Destino, Ter e Não Ter e Receio, ao lado do amigo e também compositor Sidnei Castello Branco, o Sidão.

Paralelamente à função de intérprete, depois de mais de quatro anos sem gravar, em 2006 lançou mais um álbum, o nono de sua carreira, cuja música de trabalho é o sucesso Não é Hora Prá Chorar. Em 2009, lançou em agosto a música Lição de Amor, tema do personagem Clemente, do ator Bemvindo Sequeira, na novela Bela, a Feia. A canção é a primeira do artista incluída em uma trilha sonora de novela.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 1988 – Nova Manhã
  • 1990 – Coração Feito Menino
  • 1992 – A Saudade Dói
  • 1994 – Ter e Não Ter
  • 1995 – Frente a Frente
  • 1996 – Meu Coração É Teu
  • 1997 – Atração Fatal
  • 2001 – O Som Brasileiro
  • 2006 – Da Magia da Avenida aos Palcos da Vida

Referências