João José de Melo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

João José de Melo (cerca de 1700 - Goa, 10 de janeiro de 1774) foi um administrador colonial português, sendo o 75.º governador da Índia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

João de Melo era filho de Cristóvão de Melo, antigo governador da Índia e, como seu pai, foi vedor geral da Fazenda na colônia. Casou-se com Inácia Leonor de Vilhena e teve três filhos. Morreu no exercício do governo.

Governo[editar | editar código-fonte]

Enquanto vedor geral da Fazenda, após a saída do Conde da Ega do governo da Índia, compôs junto com Dom António Taveira da Neiva Brum da Silveira e com João Baptista Vaz Pereira, o 13.º Conselho de Governo da Índia, entre 1765 e 1768. As medidas de redução de despesas foram o grande legado deste Conselho[1].

Por carta régia de 12 de março de 1768, foi nomeado 75.º Governador da Índia. Em 1771, por entendimento da Metrópole de que não seria mais possível a formação do antigo Império Português, foi extinto o título de Vice-Rei e instituído o de Capitão-Geral. Durante seu governo, foram extintas a Companhia de Cavalos da Guarda do Vice-Rei, a Casa dos Contos de Goa, vários cargos do Palácio, entre eles a de Capitão da cidade, além da redução do ordenado do Governador, visando a redução de custos de manutenção. No lugar da Casa dos Contos, foi criada a Junta da Real Fazenda, com métodos de escrituração mais modernos[1].

Referências

  1. a b Manuel José Gabriel Saldanha (1990). História de Goa: História política 2.ª edição ed. [S.l.]: Asian Educational Services. pp. 221–222. ISBN 9788120605909 


Precedido por
Manuel de Saldanha e Albuquerque
Conselheiro de Governo Interino da Índia Portuguesa
com António Taveira da Neiva Brum da Silveira e João Baptista Vaz Pereira

17651768
Sucedido por
o próprio
Precedido por
Conselho de Governo Interino: o próprio, António Taveira da Neiva Brum da Silveira e João Baptista Vaz Pereira
Governador e Capitão-Geral da Índia Portuguesa
1768 - 1774
Sucedido por
Filipe de Valadares Sotomaior