Koo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Koo (desambiguação).
Koo
Tipo de sítio
Proprietário(s) Bombinate Technologies Pvt Ltd.
País de origem Índia
Idioma(s) multilíngue
Lançamento 2020
Endereço eletrônico kooapp.com

Koo é um microblog indiano e um serviço de rede social, baseado em Bengaluru, na Índia.[1][2][3] Em maio de 2021, estava avaliado em mais de 100 milhões de dólares.[4] O site de microblogging foi cofundado pelos empresários Aprameya Radhakrishna e Mayank Bidawatka. Radhakrishna fundou o serviço de reserva de táxi online TaxiForSure, que foi posteriormente vendido para a Ola Cabs. Embora o aplicativo tenha sido lançado no início de 2020, sua participação e a subsequente vitória do Atmanirbhar App Innovation Challenge do governo.[5]

Antes do Koo, sua holding — Bombinate Technologies Pvt Ltd — lançou e está operando o Vokal, um aplicativo de perguntas e respostas compatível com idiomas vernáculos indianos. De acordo com dados da Crunchbase, a empresa levantou financiamento da Série A em 2018 de um grupo de investidores, incluindo Blume Ventures, Kalaari Capital e Accel Partners India. Na última rodada de financiamento anunciada no início deste mês, a 3one4 Capital, ex-CFO da Infosys TV Mohandas Pai, também se juntou à lista dos que investem na Bombinate Technologies.

História[editar | editar código-fonte]

Crescimento inicial[editar | editar código-fonte]

De acordo com as estatísticas fornecidas pelo provedor de análise Sensor Tower, o Koo viu 26 laques (2,6 milhões) de instalações de lojas de aplicativos indianas em 2020, em comparação com 2,8 crores (28 milhões) de instalações observadas no Twitter. De 6 a 11 de fevereiro, as instalações do Koo aumentaram rapidamente. A popularidade do aplicativo aumentou após um impasse de uma semana entre o Twitter e o governo da Índia sobre a recusa do Twitter em bloquear contas que criticavam o partido governante do país durante o protesto dos agricultores indianos de 2020–2021.[6][7] O governo exigiu que o Twitter bloqueasse as contas de centenas de ativistas, jornalistas e políticos, acusando-os de espalhar desinformação.[7] O Twitter cumpriu a maioria das ordens, mas recusou algumas, alegando liberdade de expressão.[6] Após esse impasse, muitos ministros de gabinete, como Piyush Goyal e vários funcionários do governo, mudaram-se para o Koo e pediram aos apoiadores que o seguissem. Isso levou a um aumento na base de usuários do Koo.[6] Em abril de 2021, Ravi Shankar Prasad se tornou o primeiro ministro com 25 laques de seguidores no Koo.[8]

A plataforma foi a alternativa preferida ao Twitter na Nigéria depois que o país proibiu indefinidamente o Twitter por excluir um tweet do presidente nigeriano Muhammadu Buhari.[9] O tuíte ameaçava reprimir os separatistas regionais "no idioma que eles entendem". O Twitter alegou que a postagem violava as regras do Twitter, mas não deu mais detalhes. O Twitter foi oficialmente banido na Nigéria em 5 de junho de 2021. O governo da Nigéria criou sua conta oficial no Koo cinco dias depois, em 10 de junho.[10]

Financiamento[editar | editar código-fonte]

A partir de maio de 2021, os investidores do Koo incluem Accel Partners, Kalaari Capital,[11] Blume Ventures, Dream Incubator, 3one4 Capital, Blume Ventures, IIFL e Mirae Asset. Em 26 de maio de 2021, o Koo levantou 30 milhões de dólares em financiamento da Série B, liderado pela Tiger Global.[12][13][14] Depois de levantar 30 milhões de dólares da Tiger Global, a avaliação do Koo aumentou, atingindo mais de 100 milhões de dólares, acima dos 25 milhões de dólares em fevereiro.[15] A Shunwei Capital vendeu toda a sua participação na Koo em março de 2021.[16]

Incidentes de segurança[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2021, um especialista em segurança cibernética mostrou uma violação de dados no aplicativo, mas a empresa rejeitou a reclamação.[17]

No dia 19 de novembro de 2022, a conta de Felipe Neto foi invadida na plataforma.[18][19] O aplicativo se desculpou por falhas, disse que dados de usuários estão seguros, e informou que trabalha para melhorias na plataforma.[20][21] O próprio hacker informou sobre supostas "falhas de segurança" e pediu para que não o processasse, e que a plataforma era facilmente vulnerável a ataques. O influenciador afirmou que iria processar o hacker.[22][23]

Koo no Brasil[editar | editar código-fonte]

Alguns usuários nos escreveram dizendo o que Koo queria dizer em português. Ficamos preocupados inicialmente, mas depois pensamos que na verdade era uma boa coincidência, pois só ajudaria a espalhar a palavra mais rapidamente, pois mais pessoas falariam sobre isso, mesmo que fosse de uma forma engraçada. Nós até perguntamos [em enquete no Twitter] se deveríamos mudar o nome, mas a maioria das pessoas disse que não.

Aprameya Radhakrishna em entrevista à Extra em 2022.[24]

Depois de crises envolvendo a aquisição do Twitter por Elon Musk, o Koo se tornou uma rede social atrativa para usuários brasileiros.[25] Segundo um dos fundadores, Aprameya Radhakrishna, até o dia 16 de novembro, apenas dois mil usuários brasileiros utilizavam o Koo, o que colocava o Brasil na posição 75 da lista dos países com mais usuários únicos vitalícios. Apenas no dia 18, mais de um milhão de brasileiros se registraram na rede social, o que colocou o Brasil na segunda posição da lista.[24] O Koo recebeu tantas inscrições e comentários que o site apresentou instabilidades.[25] Personalidades como Felipe Neto, Casimiro, Bruno Gagliasso e Pocah criaram suas contas na rede social.[26] No entanto, virou piada e se tornou meme no Brasil devido ao seu nome que tem a mesma pronúncia de "cu", termo vulgar para ânus.[27] O Koo fez uma enquete no Twitter perguntando aos brasileiros se o nome da rede social deveria ser modificado, o que foi reprovado.[24] "Koo" conquistou o Top 3 dos trending topics do Twitter no Brasil.[26]

Interface e recursos[editar | editar código-fonte]

Logotipo[editar | editar código-fonte]

O logotipo do Koo é um pássaro amarelo, similar ao seu principal concorrente. O design do pássaro foi simplificado em 14 de maio de 2021.[28]

Experiência de usuário[editar | editar código-fonte]

A interface do Koo é semelhante à do Twitter, permitindo que os usuários categorizem suas postagens com hashtags e marquem outros usuários em menções ou respostas. O Koo usa uma interface amarela e branca.[29][30]

Em 4 de maio de 2021, o Koo introduziu um novo recurso chamado "Falar com o tipo", que permite aos usuários criar uma postagem com o assistente de voz do aplicativo.[31]

Koo marca as contas verificadas com um tique amarelo.[32][33]

Línguas suportadas[editar | editar código-fonte]

Koo foi lançado pela primeira vez em Kannada[34] e suporta Hindi, Inglês, Tamil, Telugu, Assamese,[35] Marathi, Bangla, e Gujarati.[36] Em 20 de novembro de 2022, a plataforna lançou uma versão em português para a comunidade lusófona, em especial ao Brasil. [37]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Ao mesmo tempo que a rede social se tornou viral, há preocupações sobre sua moderação de conteúdo, pois grupos aliados do governo indiano e integrantes de extrema-direita já criaram seus perfis para atacar muçulmanos e outras etnias minoritárias no país.[38]

  • 2020 — Koo obteve a classificação 2 no 'Atmanirbhar Bharat App Innovation Challenge' do governo da Índia na categoria Social.[39]
  • 2021 — Koo foi classificado entre os 3 principais produtos de mídia social na região APAC (Ásia–Pacífico) de acordo com o relatório Amplitude.[40]
  • 2022 — O CEO do Koo, Aprameya Radhakrishnan, foi reconhecido como um dos 100 principais transformadores globais de tecnologia[41]

Referências

  1. «Will double headcount; lot of headroom for growing user base: Koo». The Hindu (em inglês). PTI. 9 de maio de 2021. ISSN 0971-751X. Consultado em 27 de maio de 2021 
  2. «Indian entrepreneurs back Koo app as Chinese investor exits». The Economic Times. 12 de fevereiro de 2021. Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  3. Pratap, Ketan (10 de fevereiro de 2021). «Desi microblogging platform Koo will have to cover a lot of ground to be Twitter alternative». Consultado em 18 de novembro de 2022 
  4. Mishra, Digbijay (26 de maio de 2021). «Koo's valuation rises five times in three months in new funding round». The Economic Times. Consultado em 18 de novembro de 2022 
  5. «Chingari, YourQuote and Koo are the winners of the Aatmanirbhar App Innovation Challenge». Indulge Express (em inglês). IANS. 31 de agosto de 2020. Consultado em 18 de novembro de 2022 
  6. a b c Rai, Saritha (17 de fevereiro de 2021). «Twitter's clash with India government gives boost to local rival»Subscrição paga é requerida. The Japan Times. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  7. a b Perrigo, Billy (11 de novembro de 2022). «Elon Musk Has Inherited Twitter's India Problem». Time (em inglês). Consultado em 18 de novembro de 2022 
  8. «Ravi Shankar Prasad becomes first minister with 10 lakh followers on domestic Twitter "Koo"». Gadgets Techly360. 9 de abril de 2021. Consultado em 18 de novembro de 2022 
  9. Mukul, Pranav (14 de junho de 2021). «Explained: Nigerian govt joins Koo; what this means for Twitter's India-made rival». The Indian Express. Consultado em 23 de junho de 2021 
  10. Alawadhi, Neha (10 de junho de 2021). «Koo expands its wings, govt of Nigeria joins microblogging platform». Business Standard. Consultado em 23 de junho de 2021 
  11. «Koo Has A Chinese Investor Who Is Exiting, Says Founder Aprameya Radhakrishna». Moneycontrol. 11 de fevereiro de 2021. Consultado em 18 de novembro de 2022 
  12. «Koo raises $30mn funding led by Tiger Global». The Hindu (em inglês). PTI. 26 de maio de 2021. ISSN 0971-751X. Consultado em 27 de maio de 2021 
  13. «Twitter under fire, Koo announces $30 million fundraise: why it's significant». The Indian Express (em inglês). 26 de maio de 2021. Consultado em 27 de maio de 2021 
  14. «Koo raises $30 million funding led by Tiger Global». India Today (em inglês). 27 de maio de 2021. Consultado em 27 de maio de 2021 
  15. Singh, Manish (26 de maio de 2021). «Tiger Global leads $30 million investment in Indian Twitter rival Koo». TechCrunch. Consultado em 18 de novembro de 2022 
  16. Mishra, Digbijay (18 de março de 2021). «Koo's Chinese investor sells entire stake». Times of India. Consultado em 18 de novembro de 2022 
  17. KVN, Rohit (11 de fevereiro de 2021). «French cyber expert shows data leak on Koo app, company denies any breach». Deccan Herald (em inglês). Consultado em 9 de maio de 2021 
  18. Felipe Neto tem conta no Koo App hackeada; empresa se desculpa por falha, TecMundo
  19. Hacker invade conta de Felipe Neto no Koo e se justifica: "Péssima segurança", Terra
  20. Hacker invade perfil de Felipe Neto no Koo: 'Será processado criminalmente, UOL
  21. Felipe Neto tem conta roubada no Koo, recupera e processa hacker, Metrópoles
  22. Felipe Neto leva susto ao ter Koo invadido por hackers: 'Intacto por enquanto', Notícias da TV
  23. Hacker invade perfil de Felipe Neto no Koo, Brasil 247
  24. a b c «Entrevista: fundador do Koo conta como notou brasileiros e fala dos rumos do app». Extra Online. Consultado em 19 de novembro de 2022 
  25. a b Digital, Olhar; Barros, Matheus (18 de novembro de 2022). «As pessoas estão trocando o Twitter pelo Koo; entenda». Olhar Digital. Consultado em 18 de novembro de 2022 
  26. a b «Conheça o Koo! Rede social indiana viraliza entre os famosos». POPline. 18 de novembro de 2022. Consultado em 19 de novembro de 2022 
  27. Canaltech (18 de novembro de 2022). «O que é Koo? Conheça a rede rival do Twitter que está bombando». Canaltech. Consultado em 19 de novembro de 2022 
  28. Ajmal, Anam (13 de maio de 2021). «Koo App: Homegrown social media app Koo launches new logo». The Times of India. TNN. Consultado em 18 de novembro de 2022 
  29. Singh, Saurabh (7 de agosto de 2020). «Made in India Twitter alternative Koo wins government's app innovation challenge in social category». Financial Express. The Indian Express. Consultado em 18 de novembro de 2022 
  30. «Twitter's clash with government gives boost to Koo app». Hindustan Times. Bloomberg. 17 de fevereiro de 2021 
  31. «Koo Launches New 'Talk To Type' Feature For Indian Languages». Moneycontrol. 4 de maio de 2021. Consultado em 18 de novembro de 2022 
  32. Talakokkula, Karthik (11 de fevereiro de 2021). «How to get Verified Account on Koo (Verified Account)». Android Nature (em inglês). Consultado em 25 de junho de 2021 
  33. «Like blue tick, Now Koo App will give Yellow Tick to verified users!». Gadgets Techly360. 28 de julho de 2022. Consultado em 18 de novembro de 2022 
  34. «Koo is now the largestmicro blog in Kannada». The Hindu. 24 de setembro de 2020. Consultado em 12 de maio de 2021 
  35. Rawat, Aman, ed. (16 de junho de 2021). «Nomoskaar Assam! Koo launches app in Assamese as Twitter comes under fire». Zee News. Consultado em 17 de junho de 2021 
  36. «Official website» [ligação inativa] 
  37. «Koo agora está disponível em português; saiba como mudar o idioma». Terra. 21 de novembro de 2022. Consultado em 21 de novembro de 2022 – via Canaltech 
  38. «Com crise do Twitter, brasileiros decidem entrar no Koo, aplicativo indiano». Universo Online. Grupo Folha. 18 de novembro de 2022. Consultado em 18 de novembro de 2022 
  39. «MyGov Announces Winners of 'AatmaNirbhar Bharat App Innovation Challenge'; Encourages the Spirit of Self-Reliance & Innovation». Press Information Bureau, Ministry of Electronics and IT. 7 de agosto de 2020. Consultado em 18 de novembro de 2022. Cópia arquivada em 19 de novembro de 2021 
  40. «Koo among top 3 hottest social media products in APAC». BusinessToday.in. 17 de novembro de 2021. Consultado em 18 de novembro de 2022. Cópia arquivada em 19 de novembro de 2021 
  41. «Koo's co-founder and CEO Aprameya Radhakrishna recognized among top 100 global tech changemakers». ANINews (em inglês). 13 de maio de 2022. Consultado em 18 de novembro de 2022 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]