Manuel Joaquim de Almeida Coelho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Manuel Joaquim de Almeida Coelho
Nascimento 9 de novembro de 1792
Desterro,
Santa Catarina,
Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves
Morte 27 de fevereiro de 1871 (78 anos)
Desterro,
Santa Catarina,
Império do Brasil
Nacionalidade  Brasileiro
Progenitores Mãe: Lauriana Joaquina de Almeida Correa
Pai: Manuel Coelho Rodrigues
Casamento dos progenitores novembro de 1785
Parentesco (irmão) Joaquim de Almeida Coelho
Cônjuge Tomasia Francisca da Gama d'Eça e Almeida
Filho(s) Maria Joaquina, Luiza Adelaide, Pe. Manoel de Almeida Coelho Gama D'Eça e Natália Cândida
Ocupação militar, escritor e historiador
Principais trabalhos Memória histórica da província de Santa Catarina (1856)
Serviço militar
Patente major
Unidades Regimento de Infantaria de Linha da Ilha de Santa Catarina
Conflitos Guerra contra Artigas

Manuel Joaquim de Almeida Coelho (Desterro, 9 de novembro de 1792Desterro, 27 de fevereiro de 1871) foi um militar, escritor e historiador brasileiro. [1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do brigadeiro Manuel Coelho Rodrigues e Lauriana Joaquina de Almeida Correa. Seus avós paternos são Francisco coelho Rodrigues e D. Maria Úrsula do Canto (ambos dos Açores), e maternos, o alferes de cavalaria de milícia Antônio Correa Lisboa (natural de Cadaval, Portugal) e D. Maria Leonarda d'Almeida (natural de Óbidos, Portugal). [2]

Casou-se com D. Tomasia Francisca da Gama d'Eça e Almeida, filha do brigadeiro José da Gama Coelho d'Eça e de D. Maria Joaquina da Conceição Coimbra. Deste consórcio nasceram: Maria Joaquina (1836 - 1860), Luiza Adelaide (1838 - 1862), o padre Manoel de Almeida Coelho Gama D'Eça (1840 - 1872) e Natália Cândida. [2]

Revista das tropas destinadas a Montevidéu na Praia Grande (obra de Jean-Baptiste Debret). Almeida Coelho participou da Guerra contra Artigas (1816 - 1820)

Reformou-se no posto de Major, com o soldo de Capitão de la de Linha, a 31 de maio de 1849. [2]

Foi Secretário da Câmara Municipal do Desterro de 5 de maio de 1850 a 16 de dezembro de 1864. [2]

Foi deputado à Assembleia Legislativa Provincial, na 7ª Legislatura (1848-1849).

É considerado o patrono dos historiadores catarinenses.

É patrono da cadeira 30 da Academia Catarinense de Letras.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Descrição sucinta de algumas madeiras mais conhecidas no mercado da cidade do Desterro (1849)
  • Memória histórica do extinto regimento de infantaria de linha da província de Santa Catarina (1853)
  • Memória histórica da província de Santa Catarina (1856) [3]
  • Biografia dos Srs. Coronel Fernando da Gama Lobo Coelho o seu filho o brigadeiro José da Gama Lobo d'Eça (1859)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Manuel Joaquim de Almeida Coelho». www.portalcatarina.ufsc.br. Consultado em 19 de abril de 2018 
  2. a b c d Piazza, Walter F. ALMEIDA COELHO E SUA CONTRIBUIÇÃO HISTORIOGRÁFICA. [S.l.: s.n.] 
  3. Coelho, Manoel Joaquim de Almeida (1856). Memoria historia da provincia de Santa Catharina. [S.l.]: J.J. Lopes 


Precedido por
Logo academia.gif ACL - patrono da cadeira 30
Sucedido por
Lucas Alexandre Boiteux
(fundador)


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.