Martinho José Calado e Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Martinho José Calado e Silva
prefeito interino (vice-presidente da intendência) de Florianópolis
Período 24 de novembro de 1892
a 31 de dezembro de 1892
Antecessor Francisco da Silva Ramos
Sucessor Germano Wendhausen
Dados pessoais
Nascimento 12 de dezembro de 1855
Morte 6 de agosto de 1914 (58 anos)
Florianópolis,
Santa Catarina,
Brasil
Filhos Martinho José Calado Júnior
Partido Partido Republicano Catarinense
Profissão jornalista

Martinho José Calado e Silva[1] ([onde?], 12 de dezembro de 1855Florianópolis, 6 de agosto de 1914) foi um jornalista e político brasileiro.

Proprietário de um jornal em Desterro, com o qual Cruz e Sousa manteve estreitos laços. [2] Que rendeu à Calado e Silva uma homenagem do Poeta Negro em O Moleque. [2]

Nunca se cala o Calado
E sempre o Calado, fala
Calado que não se cala,
Nunca se cala o Calado,
Calado ser ser calado,
Calado que é tão falado...
Nunca se cala o Calado
E sempre o Calado, fala.

Foi prefeito de Florianópolis, de 24 de novembro a 31 de dezembro de 1892.

Representação na cultura[editar | editar código-fonte]

É patrono da cadeira 35 da Academia Catarinense de Letras.

Em São José, cede o nome para a rua Martinho Calado.

Referências

  1. Pela grafia arcaica, Martinho Joze Callado e Silva.
  2. a b Alves, Uelington Farias (16 de outubro de 2015). Cruz e Sousa: Dante negro do Brasil. [S.l.]: Pallas Editora. ISBN 9788534705806 


Precedido por
Francisco da Silva Ramos
Prefeito de Florianópolis
1892
Sucedido por
Germano Wendhausen
Precedido por
Logo academia.gif ACL - patrono da cadeira 35
Sucedido por
Haroldo Genésio Calado
(fundador)


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.