Palácio dos Marqueses de Fronteira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Palácio Fronteira, em Lisboa, na atualidade.
O Palácio Fronteira em ilustração do século XIX.

O Palácio Fronteira, situado em Lisboa, foi construído entre 1671 ou 1672, como pavilhão de caça para João Mascarenhas, 1.º Marquês de Fronteira.

Apesar de alguns prédios altos serem visíveis à distância, continua a ocupar um lugar tranquilo, à beira do Parque Florestal de Monsanto. O palácio e o jardim têm belos azulejos cujos temas vão desde as batalhas às macacarias.

Embora o palácio ainda seja ocupado pelo 12.º Marquês de Fronteira (entre outros títulos), algumas das salas, como a biblioteca e o jardim podem ser visitados.

O palácio[editar | editar código-fonte]

A Sala das Batalhas tem belos painéis com cenas da Guerra da Restauração e um pormenor de D. João de Mascarenhas (2.º conde da torre entre outros títulos) que combate um general espanhol. Foi a sua lealdade a D. Pedro II, durante esse conflito, que o fez ganhar o título de marquês de Fronteira.

A Sala de Jantar está decorada com azulejos holandeses e com retratos da nobreza portuguesa.

A Sala de Juno ou Sala Imperio está decorada com frescos e retratos da nobreza portuguesa, de artistas como Domingos António de Sequeira.

A fachada da Capela, originalmente dos finais do século XVI e renovada no século XVIII, está adornada com pedras, conchas, vidros partidos e restos de porcelanas. Diz-se que essas peças foram usadas na inauguração do palácio e partidas para que ninguém utilizasse as peças onde o futuro Rei (D. Pedro) se tinha servido. No terraço da capela há nichos de azulejos decorados com figuras que personificam as artes e figuras mitológicas

O jardim[editar | editar código-fonte]

No jardins encontram-se painéis de azulejos representativos dos costumes campestres de cada estações do ano. De um dos lados do jardim principal existem azulejos exibem cavaleiros antepassados da família, reflectindo-se nas águas de um grande tanque. Uma escadaria de cada lado deste, leva a uma galeria onde os nichos decorativos contêm bustos de reis portugueses, com a excepção dos três Reis Filipes.

Visitas[editar | editar código-fonte]

As visitas ao interior do Palácio são obrigatoriamente guiadas, com início: De Junho a Setembro: 10h30, 11h00, 11h30, 12h00 De Outubro a Maio: 11h00, 12h00 As visitas ao jardins De segunda-feira a sexta-feira entre: 10h30m às 13h00 e das 14h30 às 17h00 Sábados: das 10h30 às 13h00

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Palácio dos Marqueses de Fronteira
Ícone de esboço Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.