Rafinha Bastos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rafinha Bastos
Rafinha Bastos no Palco Principal do Campus Party Brasil 2012.
Foto: Cristiano Santanna
Nome completo Rafael Bastos Hocsman
Nascimento 5 de dezembro de 1976 (42 anos)
Porto Alegre, RS
Nacionalidade brasileiro
Estatura 2,00m[1][2]
Progenitores Mãe: Iolanda Bastos
Pai: Júlio Roberto Hocsman
Cônjuge Junia Carvalho (2004-2017)
Filho(s) Tom Carvalho Hocsman
Ocupação Jogador de basquete, humorista, apresentador, repórter, jornalista, empresário, roteirista, ator e youtuber
Principais trabalhos Página do Rafinha
CQC
A Liga
Agora É Tarde
Chamado Central
Tá Rindo do Quê?
Rafinha Bastos
Internet: O Filme
Servidor(es) YouTube
Inscritos + 2 milhões
Visualizações + 270 milhões
Website www.rafinhabastos.com.br

Canal de Rafinha Bastos no YouTube

YouTube Silver Play Button 2.svg
100 mil
inscritos.
YouTube Gold Play Button 2.svg
1 milhão
de inscritos.

Rafael Bastos Hocsman (Porto Alegre, 5 de dezembro de 1976), mais conhecido como Rafinha Bastos, é um jogador de basquete, humorista, apresentador, repórter, jornalista, empresário, roteirista, ator e YouTuber brasileiro. É um dos precursores do movimento da comédia stand-up no Brasil, assim como Diogo Portugal, Bruno Motta, Danilo Gentili, Marcelo Mansfield, entre outros. Foi eleito pelo The New York Times como personalidade mais influente do Twitter em 2011, com mais de um milhão e seiscentos seguidores. Hoje possui 11,5 milhões de seguidores no Twitter e 2,2 milhões de inscritos em seu canal no YouTube.

Como jogador de basquete, foi campeão Gaúcho com a SOGIPA-RS, em 2000.[3]

Graduou-se em jornalismo na PUC-RS.[4] Seu primeiro trabalho em televisão deu-se na Rede Manchete em 1996, logo após, entrou na TVE RS, uma emissora de TV pública do Rio Grande do Sul. Em 2001, entrou para a RBS TV. Produzia vídeos independentes para sua página de humor na internet, a Página do Rafinha, na qual fazia paródias de videoclipes famosos da época. Ganhou sucesso na internet e com a esperança de levar sua página para a TV, foi para São Paulo. Em São Paulo começou a fazer comédia stand-up, chamando atenção da mídia, e com isso acabou sendo contratado pela Band e passou a apresentar o CQC, e depois A Liga, de 2008 a 2011, quando se envolveu em uma polêmica em que preferiu se afastar da emissora.

Em 2012, Rafinha passou pela RedeTV! como apresentador e produtor executivo do Saturday Night Live, e lançou seu programa A Vida de Rafinha Bastos na FOX. Alegando que sua função era apenas incrementar produtos e comediantes à televisão brasileira, Rafinha deixou o SNL no final daquele ano.[5] No ano seguinte, ele estreou em seu canal no YouTube o programa de entrevistas Oito Minutos e retornou ao programa A Liga como participação especial.[6] Em 2014, ele voltou para a Band para encabeçar o talk show Agora É Tarde, anteriormente apresentado por Danilo Gentili.[7] Em 2015 passou a criar conteúdo para o canal Multishow. Já no ano seguinte lançou o programa Tá Rindo do Quê? com Marcelo Marrom e no mesmo ano Chamado Central, que teve sua segunda temporada exibida no ano de 2017.

Ele é proprietário do bar Comedians, juntamente com Danilo Gentili e Italo Gusso, em que se apresentam humoristas com shows de stand-ups.[8] Já apresentou e gravou dois shows solo de stand-up. Em 2010 gravou A Arte do Insulto no bar Comedians e em 2014 gravou o Péssima Influência no Teatro Bradesco.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Nasceu em família de origem judaica, filho de Júlio Roberto Hocsman, um médico e de Iolanda Bastos, uma dona de casa,[9] Rafinha formou-se como jornalista pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) em 1999.[4] Sua veia artística, segundo ele, veio depois de acompanhar seu pai as entrevistas de TV, em citação disse: "As primeiras vezes em que eu estive na TV foi acompanhando meu pai. Ficava lá, olhando as câmeras."[2]

Carreira como Jogador de Basquete[editar | editar código-fonte]

Em 1999, após a conclusão do seu curso superior, viajou para os Estados Unidos com planos de investir em uma outra carreira: a de jogador de basquete. Com 2,01m de altura, e jogando como pivô, ele praticou este esporte profissionalmente até 2001, quando tinha vinte e cinco anos.[4] Competiu na Liga Universitária Norte-Americana (NCAA) pela Chadron State College.

Em 2000, ele era pivô da Sogipa-RS que foi campeã do Campeonato Gaúcho daquele ano.[3] O Clube venceu a final do campeonato gaúcho daquele ano contra o Corinthians de Santa Cruz e conquistou a vaga para a Liga Nacional de Basquete. Rafinha em entrevista disse: "Nenhuma realização profissional vai trazer aquela euforia de volta, nunca".[9]

Ele era um cara de time. Ajudava muito na defesa e já era o divertido da turma. Fomos campeões em 2000 e ele nos ajudou muito.[3]
Antonio Fernando Krebs Junior, treinador da equipe do Sogipa-RS de 2000.

Além de ter conquistado o Campeonato Gaúcho pela Sogipa-RS, Rafinha ainda defendeu as cores da equipe no Campeonato Brasileiro de Basquete de 2000 e 2001, chegando a jogar contra Anderson Varejão (à época atleta do Franca) e Nenê Hilário (á época atleta do Vasco)[3].

Naquela época, Rafinha já dava seus primeiros passos na carreira de humorista, trabalhando em emissoras do Rio do Grande do Sul[3].

"Infelizmente o basquete não é um esporte que paga muito bem os medianos (risos). Joguei profissionalmente sim durante alguns anos, mas senti que meu futuro não estava ali. Acho que eu não tinha bola pra viver bem do basquete. Fiz faculdade de jornalismo pensando em trabalhar como comentarista nas transmissões do basquete. Esse era o meu sonho. Sempre que me aparece a oportunidade de comentar os jogos, eu vou. Me vejo nesse lugar um dia... Quem sabe..."[3]
Rafinha Bastos

Títulos[editar | editar código-fonte]

Sogipa-RS
  • Campeonato Gaúcho - 1 vez (2000)[3]

Carreira como Artista[editar | editar código-fonte]

Rafinha Bastos na cidade de Santos em agosto de 2010.

1997-99: Primeiros trabalhos e Página do Rafinha[editar | editar código-fonte]

Quando estudava na Chadron State College, teve seu primeiro contato com a comédia stand-up.[10]

Neste mesma época, ele resolveu criar uma página na internet para estabelecer comunicação com seus amigos brasileiros e fazer humor. O site cresceu e acabou transformando-se na Página do Rafinha, sendo posteriormente incorporado ao conteúdo humorístico do Globo.com. Nos vídeos que produzia para a página, satirizava artistas como Kelly Key (a qual tem uma paixão que ele não esconde), Sandy e Junior, Britney Spears e até grupos clássicos dos anos 1970 e 1980, como Village People e ABBA, dublando e interpretando as músicas. As produções tinham edição, direção e interpretação de Rafinha. Foi o primeiro projeto independente de vídeo da Internet brasileira.[4]

2000–03: A ida para São Paulo[editar | editar código-fonte]

Na sua volta ao Brasil em 2000, ele trabalhou no site ClicRBS, onde ficou até 2001.[9]

Em 2001, ele mudou-se para a RBS TV e passou a integrar o elenco de outro time do Rio Grande do Sul, A ULBRA.[11]

Em fevereiro de 2003, após um acidente de carro, Rafinha se mudou para a cidade de São Paulo, com o dinheiro do seguro de seu carro — cerca de oito mil reais. Seu objetivo: Levar o humor de seu site para a TV.[2]

2003–07: O recomeço[editar | editar código-fonte]

Em SP, trabalhou como produtor do programa Canal Aberto, apresentado por João Kléber, foi locutor de telessexo e chegou a apresentar programas online.[2]

Em 2004, ele foi contratado para VJ e DJ numa festa de São Paulo chamada Trash 80.[2] Ao mesmo tempo, ele mergulha no mercado publicitário. Em um teste conhece Marcela Leal. Os dois se unem a Marcelo Mansfield e estreiam o show de comédia stand-up "Mondo Canne".

Em 2005, os dois se unem a Márcio Ribeiro, Henrique Pantarotto e Oscar Filho, e inauguram o Clube da Comédia Stand Up.

Em 2006, começou a fazer parte da série da GNT, Mothern.[9] Em 2007, Rafinha passa a apresentar com radialista Dani Taranha o programa de rádio Privê 89 da rádio 89 FM de São Paulo.[4] e ajuda na criação do espetáculo de humor "Improvável".

2008–11: CQC e A Liga[editar | editar código-fonte]

Ao assistirem o seu show de stand-up A Arte do Insulto, produtores da Rede Bandeirantes chamaram Rafinha para participar do Custe o Que Custar (CQC). Em 2008, ele estréia na bancada ao lado de Marcelo Tas e Marco Luque.[2] Também fazia as reportagens do quadro "Proteste Já".[12] Em 2010, Rafinha passou a integrar o programa A Liga, exibido pela mesma emissora.[12] Ele saiu dos dois programas em 2011 devido a uma piada feita sobre o filho de Wanessa Camargo. A emissora o suspendeu por duas semanas e Rafinha pediu demissão. Em explicação no Facebook ele disse: "Um dia após a confirmação da minha suspensão (amplamente divulgada pela imprensa), eu pedi demissão e nunca cogitei em voltar atrás". (sic)[13] CQC ja foi diversas vezes indicado como melhor programa.[14][15][16][17]

Em 2011, foi eleito pelo jornal The New York Times como a personalidade mais influente do Twitter.[18] Segundo a revista norte-americana Variety, o comediante faria carreira nos EUA.[19][20] No mesmo ano ele lança seu DVD A Arte do Insulto que conquistou o DVD de ouro (60.000 cópias em apenas 60 dias). A estréia do DVD se deu com uma transmissão do show pelo Youtube. O evento marca a primeira trasmissão em realtime do site no Brasil. Entre 2011 e 2017, cinco piadas de Rafinha Bastos repercutiram negativamente na imprensa (ver Críticas e controvérsias envolvendo Rafinha Bastos).

2012: A Vida de Rafinha Bastos e SNL[editar | editar código-fonte]

Segundo o colunista Ricardo Feltrin do site F5, do jornal Folha de S. Paulo, o humorista estaria em fase final as negociações com o Grupo Fox para produzir um reality show para o canal Fox que teria estreia em fevereiro de 2012.[21][22]

Em 14 de fevereiro de 2012 o canal FX anunciou a contratação do humorista para a série de TV, A Vida de Rafinha Bastos. Apenas o piloto foi realizado pela produtora Mixer,[23] o restante foi realizado pela Zeppelin Filmes.[24] O nome anunciado anteriormente dado a atração era O Estranho Mundo de Rafinha Bastos.[25] Também havia sido anunciado que ele estaria fazendo acordo com a RedeTV! para ocupar o horário que era do programa Pânico na TV, que em 2012 rescindiu o contrato com a RedeTV! por atrasar seguidas vezes o pagamento dos salários do elenco.[26] Em 29 de fevereiro de 2012, Rafinha pelo Twitter anunciou sua contratação pela RedeTV!.[27]

Um dia após, a RedeTV! confirmou sua contratação, e que além de apresentador o Saturday Night Live (SNL) ele também iria fazer parte da produção executiva.[28][29] O programa estreou no domingo em 27 de maio de 2012, e sua audiência foi considerada baixa, estando na quinta colocação na medição do IBOPE, com 0,9 ponto na Grande São Paulo.[30] Pelos críticos, ele foi razoavelmente criticado, com Breno Cunha do NaTelinha dizendo que não tinha como avaliar o programa, com o primeiro bloco sendo sensacional e o segundo uma tragédia.[31] Maurício Stycer do UOL, disse que o programa tinha uma cara própria, porém "resta(ria) saber o que o público vai achar".[32]

Após cinco meses no programa SNL, Rafinha Bastos anunciou no dia 23 de outubro de 2012 que deixaria a Rede TV. Segundo ele, só estava na produção do programa a fim de implementar a versão brasileira para TV e encontrar novos comediantes.[5]

2013–14: Retorno à Band e Agora É Tarde[editar | editar código-fonte]

Rafinha Bastos na Campus Party Brasil de 2013.

Em fevereiro de 2013, estreou o canal Oito Minutos no YouTube onde faz entrevistas. Sua primeira entrevista foi com o apresentador Carlos Alberto de Nóbrega.[33]

Em 2013, ele foi convidado do quadro "Dois Dedos de Prosa" do Programa do Ratinho conquistando o segundo lugar na audiência e levantando boatos que ele poderia ser contratado pelo SBT.[34] Dias após, foi confirmado que ele estava fazendo matérias para a Eyeworks.[35] Ainda de acordo, ele estaria fazendo apenas participações no programa e que não haveria uma possibilidade do retorno dele ao CQC.[36]

Em 2014, após a saída de Danilo Gentili da Band, alguns sites noticiaram a contratação de Rafinha pela Band para apresentar o Agora É Tarde,[37] fato negado pelo mesmo, afirmando em seu Twitter que nem mesmo sua presença no programa A Liga estava garantida.[38] Em 14 de janeiro, Diego Guebel anunciou a contratação do humorista para apresentar o programa.[39] Após, ele confirmou sua contratação em um post na rede social.[7]

Em fevereiro de 2014, saiu o trailer do filme Copa de Elite, que tem a participação de Rafinha no papel de René Rodrigues. O filme tem a previsão de estreia para abril de 2014.[40]

2015-presente: Rescisão de contrato e estreia no Multishow[editar | editar código-fonte]

Em 23 de março de 2015 foi anunciado o fim do programa e o último episódio foi exibido no dia 27 de março de 2015. A emissora ocupou o horário com seriados americanos. No dia 4 de julho, foi anunciado que Bastos e Band acabaram rescindindo o contrato, alegando que não haveria novos projetos a curto ou médio prazo para o humorista.[41]

Em 23 de outubro de 2015 foi anunciado como novo contratado do Multishow para o programa Tá Rindo do Quê?, com produção da Floresta. Nele Bastos e Marcelo Marrom e um comediante convidado viajam cidades do Brasil para montar um show stand-up com os costumes da região.[42] Foram gravados 20 episódios em sua primeira temporada que estreou em 16 de maio de 2016.[43]

Em abril foi transmitida a unica edição do Rafinha Bastos Show, um talkshow ao vivo do comediante, logo após foi divulgado no seu Twitter que ele e o ator Evandro Rodrigues, iniciam as gravações da série Chamado Central, que primeiramente foi colocada em seu canal do YouTube.[44] Em janeiro de 2017, gravou a segunda temporada da série.[45] Em 23 de fevereiro de 2017, estreou nos cinemas Internet: O Filme, no qual Rafinha atuou e foi roteirista.

Solos de Stand-Up[editar | editar código-fonte]

De 2006 até 2010 apresentou, no bar Comedians, seu primeiro show solo de aproximadamente 1 hora, A Arte do Insulto. Em 2010, com a ilustre presença de Vera Holtz na plateia, Rafinha gravou seu show solo em DVD. Porém, logo que lançado, a APAE processou Bastos por causa de uma piada feita no show, e depois de longas disputas judicias, foi proibida a comercialização de seu DVD no começo de 2012. Já um ano e meio depois, no dia 9 de junho, Rafinha publicou no seu canal no YouTube o show solo incompleto, que em respeito a decisão judicial retirou duas piadas.

Já a partir de 2011 começou a preparar e apresentar seu segundo show solo de stand-up, o Péssima Influência. No dia 16 de novembro de 2014, no teatro Bradesco (zona oeste de São Paulo), gravou o show em DVD.[46]

Outros empreendimentos[editar | editar código-fonte]

Em 2010, ao lado de seu colega de comédia Danilo Gentili e o produtor Italo Gusso, abriu na Rua Augusta, em São Paulo, o primeiro clube de comédia do Brasil, chamado de Comedians.[8] O local é o primeiro e maior bar de comédia do Brasil, além de ter como molde as tradicionais casas americanas do gênero stand-up.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Apesar de ser judeu, não se considera seguidor pois vai poucas vezes à sinagoga.[9] É torcedor fanático do Sport Club Internacional, tendo sido escolhido como mais um cônsul cultural do clube durante partida final do Campeonato Brasileiro de 2009. Foi casado com a enfermeira Júnia Carvalho[47] de 2004 a 2017. Os dois tiveram um filho, chamado Tom.[2][9]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Notas
2005 Os Ricos Também Choram Médico 2 episódios
2006–08 Mothern Marcelo
2009 Descolados Valter 2 episódios
As Olívias Léo 2 episódios
2008–11 CQC Apresentador
2011 Olívias na TV Pedro Henrique 1 episódio
2012 Saturday Night Live Brasil Apresentador
2012-13 A Vida de Rafinha Bastos Apresentador
2010-11-13 A Liga Apresentador
2014-15 Agora É Tarde Apresentador
2016–17 Chamado Central Sérgio Marcos
2016 Tá Rindo do Quê? Apresentador
2017 Ultimate Beastmaster Brasil Apresentador[48] Netflix
Eu, Ela e um Milhão de Seguidores Michel Goldenberg[49] também Idealizador

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Notas
2007 Amigas Odair Curta-metragem
2012 O Riso dos Outros Ele mesmo Documentário
2013 Mato Sem Cachorro Dr. Roberto
2014 Copa de Elite René Rodrigues
2015 Superpai Gilson Co-roteirista
O Tempo[50] Curta-metragem
2016 Mais Forte que o Mundo Marcos Loro
2017 Internet: O Filme Cesinha Passos também Roteirista

Internet[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Notas
2006–presente Rafinha Bastos Apresentador Youtube
2013-2016 Oito Minutos Apresentador Youtube
2014 O Segredo do Molho Político[51][51] Média-metragem lançado no Youtube
2017-presente Ilha de Barbados Apresentador[52] Youtube

Videoclipe[editar | editar código-fonte]

Ano Título Artista Notas
2014 "Dois Perdidos" Luiza Possi também Diretor do clipe[53]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Notas
2004 Mondo Cane Stand-up
2006–10 A Arte do Insulto Stand-up lançado em DVD[54]
2008 Improvável Vários
2011 Apenas Uma Boa Pessoa Apresentado somente uma vez durante o festival Risadaria[54]
2011–14 Péssima Influência Lançado no Youtube dia 05/05/2015
2018 Últimas Palavras[55] Stand-up

Discografia[editar | editar código-fonte]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Premiação Nomeação Trabalho Resultado Ref
2007 Prêmio Jovem Brasileiro Melhor Ator – Série Mothern Venceu [56]
2010 Meus Prêmios Nick Twitter do Ano @rafinhabastos Indicado [57]
2012 Meus Prêmios Nick Humorista Saturday Night Live Brasil Indicado [58]
2013 Shorty Awards Comediante Youtube Venceu [59]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://revistamarieclaire.globo.com/Marieclaire/0,6993,EML1686070-1731,00.html
  2. a b c d e f g Rodrigues, André (maio de 2011). «A Graça de um Herege». Rolling Stone (56). Consultado em 22 de fevereiro de 2014 
  3. a b c d e f g uolesportevetv.blogosfera.uol.com.br/ Não é piada: Rafinha Bastos foi melhor que Varejão em jogo profissional
  4. a b c d e «Rafinha Bastos». Os Paparazzi. 4 de novembro de 2010. Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  5. a b «Rafinha Bastos deixa a RedeTV!, após cinco meses». Terra. Ofuxico. 23 de outubro de 2012. Consultado em 23 de outubro de 2012 
  6. Batista, João Gabriel (5 de agosto de 2013). «Rafinha Bastos é confirmado em "A Liga", na Band». NaTelinha. Universo Online; Ne10. Consultado em 5 de agosto de 2013 
  7. a b Vaquer, Gabriel (17 de janeiro de 2014). «Com piada, Rafinha Bastos confirma que apresentará o "Agora é Tarde"». NaTelinha. Universo Online; NE10. Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  8. a b Ferreira, Heloisa (16 de agosto de 2010). «Danilo Gentili e Rafinha Bastos abrem casa de stand up no modelo americano». iGirl. Internet Group. Consultado em 26 de dezembro de 2013 
  9. a b c d e f Farias, Márcia. «Ame-o ou deixe-o». Coletive.net. Consultado em 23 de janeiro de 2014. Cópia arquivada em 23 de janeiro de 2014 
  10. CQC - Integrantes
  11. Luar Xavier (25 de abril de 2012). «Relembre as polêmicas envolvendo Rafinha Bastos». Plugado na Web. Consultado em 15 de setembro de 2012. Arquivado do original em 23 de outubro de 2012 
  12. a b «A Liga, novo programa de Rafinha Bastos na Band». Consultado em 14 de abril de 2010. Arquivado do original em 17 de abril de 2010 
  13. «Rafinha Bastos terá reality show na TV paga». AdNews. 26 de janeiro de 2012. Consultado em 2 de fevereiro de 2012. Arquivado do original em 28 de janeiro de 2012 
  14. Troféu Imprensa 2008. Chance de Gol. Página visitada em 17 de Abril de 2015.
  15. Troféu Imprensa 2009. Chance de Gol. Página visitada em 17 de Abril de 2015.
  16. Troféu Imprensa 2010. Chance de Gol. Página visitada em 17 de Abril de 2015.
  17. Troféu Imprensa 2011. Chance de Gol. Página visitada em 17 de Abril de 2015.
  18. Leonhardt, David. «A Better Way to Measure Twitter Influence». The New York Times (em inglês). 24 de março de 2011. Consultado em 25 de março de 2011 
  19. Mariana Riscala (18 de novembro de 2011). «Rafinha Bastos quer investir em carreira nos EUA». Jovem Pan Online. Consultado em 21 de novembro de 2011 [ligação inativa]
  20. Marcelo Cajueiro (17 de novembro de 2011). «Rafinha Bastos: Rio comic named Web's top tweeter» (em inglês). Variety. Consultado em 23 de novembro de 2011. Arquivado do original em 22 de janeiro de 2012 
  21. Ricardo Feltrin (27 de novembro de 2011). «Rafinha Bastos negocia contrato com canal Fox». Folha.com. Consultado em 28 de novembro de 2011 
  22. Rafinha Bastos deve trocar Band pela Fox, MSN, acessado em 28 de novembro de 2011.
  23. «FX confirma contratação de Rafinha Bastos». AdNews. 14 de fevereiro de 2012. Consultado em 14 de fevereiro de 2012 
  24. «HOMEPAGE». Zappelin. Consultado em 29 de maio de 2012 
  25. Keila Jimenez (26 de janeiro de 2012). «Rafinha Bastos terá reality show na TV paga». Folha de S.Paulo. AdNews. Consultado em 2 de fevereiro de 2012. Arquivado do original em 28 de janeiro de 2012 
  26. «Rede TV! negocia com Rafinha Bastos para ocupar horário do 'Pânico na TV' ». Consultado em 29 de fevereiro de 2012. Arquivado do original em 27 de fevereiro de 2012 
  27. «Pelo Twitter, Rafinha Bastos confirma que foi contratado pela RedeTV!». Na Telinha. 29 de fevereiro de 2012. Consultado em 29 de fevereiro de 2012. Arquivado do original em 5 de março de 2012 
  28. Miguel Arcanjo Prado (1 de março de 2012). «Rafinha Bastos dá a volta por cima e ganha o Saturday Night Live na RedeTV!». R7. Consultado em 1 de março de 2012 
  29. Janaina Nunes (1 de março de 2012). «Rafinha Bastos vai produzir versão brasileira do 'Saturday Night Live'». Yahoo!. Consultado em 1 de março de 2012 
  30. Alberto Pereira Jr. (29 de maio de 2012). «Rafinha Bastos copia piada sobre desculpas; Dr. Rey dá mais ibope que 'SNL'». Folha.com. F5. Consultado em 29 de maio de 2012 
  31. Breno Cunha (27 de maio de 2012). «O Observador: "Saturday Night Live" estreia de maneira confusa». UOL. Na Telinha. Consultado em 28 de maio de 2012. Arquivado do original em 30 de maio de 2012 
  32. Maurício Stycer (27 de maio de 2012). «"Saturday Night Live" estreia com piadas sobre Xuxa, "Pânico" e a própria RedeTV!». UOL. Consultado em 27 de maio de 2012 
  33. «Após ter programa cancelado, Rafinha Bastos aposta na internet». Universo Online. Consultado em 1 de março de 2013 
  34. Cunha, Breno (16 de julho de 2013). «Entrevista de Rafinha Bastos fortalece boatos de sua ida para o SBT». NaTelinha. Universo Online, Ne10. Consultado em 2 de agosto de 2013 
  35. Ricco, Flávio; Nery, José Carlos (2 de agosto de 2013). «Rafinha começa gravar na Cuatro Cabezas». UOL Entretenimento. Universo Online. Consultado em 2 de agosto de 2013 
  36. «Após sua saída em 2011, Rafinha Bastos retorna para a Band». F5. Folha de S. Paulo. 5 de agosto de 2013. Consultado em 5 de agosto de 2013 
  37. Castro, Daniel (8 de janeiro de 2014). «Rafinha Bastos deve assumir Agora É Tarde no lugar de Danilo Gentili». Notícias da TV. Universo Online. Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  38. Falcheti, Fabrício (9 de janeiro de 2014). «Rafinha Bastos nega que irá assumir o "Agora é Tarde": "não fechei nada"». NaTelinha. Universo Online; NE10. Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  39. «Diretor da Band confirma Rafinha Bastos como novo apresentador do "Agora É Tarde"». F5. Folha.com. 14 de janeiro de 2014. Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  40. «Copa de Elite - Filme 2013». AdoroCinema. AlloCiné. Consultado em 13 de fevereiro de 2014 
  41. Rafinha Bastos e a Band rescindem contrato (4/07/2015). UOL. Página visitada em 4 de Julho de 2015
  42. (4/11/2015). UOL. Página visitada em 5 de Novembro de 2015
  43. Padiglione, Cristina (16 de maio de 2016). «'Tá Rindo de Quê?', com Rafinha Bastos no Multishow, mapeia o riso». Estadão. Consultado em 29 de maio de 2016 
  44. «Rafinha Bastos explica que talk show de um episódio era brincadeira». ZH Entretenimento. Grupo RBS. 19 de abril de 2016. Consultado em 29 de maio de 2016 
  45. «Elenco de 'Chamado Central' posa nos bastidores do programa». O Dia. 10 de abril de 2017. Consultado em 15 de agosto de 2017 
  46. «Rafinha Bastos apresenta stand-up e grava DVD em SP». Guia Folha. 5 de novembro de 2014. Consultado em 31 de dezembro de 2014 
  47. «No "MTV Sem Vergonha", Rafinha Bastos diz que "pegaria os irmãos Sandy e Junior". Rafinha segue o estilo de vida Straight Edge» 🔗. Universo Online. 26 de outubro de 2012. Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  48. «Netflix estreia 'Ultimate Beastmaster', seu 1º reality show». Uol. Consultado em 26 de dezembro de 2017 
  49. «Com Rafinha Bastos e Paloma Duarte, série trata do amor em tempos de blogs e internet». Uai. Consultado em 26 de dezembro de 2017 
  50. «O Tempo. Curta-metragem de Marcelo Galvao». Porta Curtas. Consultado em 26 de dezembro de 2017 
  51. a b É uma crítica poética, diz Rafinha de filme (1/10/14). Band.com.br. Página visitada em 14 de Abril de 2015.
  52. «PC Siqueira, Rafinha Bastos e Cauê Moura lançam canal no YouTube juntos». Ofuxico. Consultado em 26 de dezembro de 2017 
  53. «Rafinha Bastos estrela clipe ao lado de Luiza Possi». Correio do Estado. Consultado em 26 de dezembro de 2017 
  54. a b 'Piadas estão mais lapidadas', diz Rafinha Bastos, que lança DVD e novo show no Risadaria (22/03/11) Arquivado em 10 de abril de 2015, no Wayback Machine.. UOL. Página visitada em 8 de Abril de 2015.
  55. «Rafinha Bastos apresenta espetáculo em Campinas». Paulínia Vip. Consultado em 26 de dezembro de 2017 
  56. Rafinha Bastos - Biography. Internet Movie Database. Página visitada em 16 de Abril de 2015.
  57. «Divulgados os finalistas dos Meus Prêmios Nick». Diário do Grande ABC. Consultado em 26 de dezembro de 2017 
  58. «Divulgados concorrentes dos Meus Prêmios Nick». Diário do Grande ABC. Consultado em 26 de dezembro de 2017 
  59. «Brasileiros se destacam no Shorty Awards, o 'Oscar' do Twitter». G1. Globo.com. 10 de abril de 2013. Consultado em 15 de abril de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons