Ragnar Lodbrok

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Ragnar Calças Peludas)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ragnar Lodbrok
Rei lendário da Suécia
Ragnar consegue Aslauga, como imaginado por August Malmström.
Esposas Lagertha
Tora Borgarhjört
Aslauga
Descendência Ivar, o Desossado
Biorno Flanco de Ferro
Halfidano
Sigurdo Serpente no Olho
Ubba Ragnarsson
Hivtserk Camisa Branca
Pai Sigurdo, o Anel
Religião Religião nórdica

Ragnar Lodbrok ou Ragnar Calças Peludas (em dinamarquês: Regnar Lodbrog; em sueco: Ragnar Lodbrok; em nórdico antigo: Ragnarr Loðbrók; LITERALMENTE Ragnar Calças Felpudas) foi um rei lendário da Dinamarca e da Suécia, que teria reinado durante os séculos VIII e IX. [1] [2] [3] [4]

Segundo a Saga de Ragnar Lodbrok, as "calças felpudas" (lodbrok) de Ragnar Lodbrok eram umas calças de pele de lobo, fervidas em breu, confecionadas para ele enfrentar e matar a serpente monstruosa e muito venenosa que guardava a princesa Tora Borgarhjort. [5]

Ragnar Lodbrok é apresentado pelo cronista dinamarquês Saxão Gramático, no século XIII, como sendo jarl do rei Horik 1. da Dinamarca, embora tendo origem na dinastia sueca dos Inglingos. Tanto Saxão quanto a saga islandesa Saga de Ragnar Lodbrok descrevem Ragnar como filho do igualmente lendário Sigurdo, o Anel, um rei da Suécia que teria conquistado a Dinamarca. Todavia, os cronistas não concordam com o local de residência principal de Ragnar, se a Suécia ou a Dinamarca.[1][4]

Segundo a lenda, Ragnar foi casado três vezes: com a skjaldmö Lagertha, com a bela Tora Borgarhjort, e com Aslauga. Diz-se ter sido parente do rei dinamarquês Godofredo e filho do rei sueco Sigurdo, o Anel. Tornou-se rei e distinguiu-se por muitas invasões e conquistas. Há duas histórias diferentes sobre sua morte. Uma delas é que ele foi capturado por seu inimigo, o rei Ela da Nortúmbria, e morto ao ser jogado em um poço cheio de cobras. Seus filhos o vingaram invadindo a Inglaterra com o Grande Exército Pagão.[6] A outra foi que Ragnar morreu de uma combinação de cólera e ferimentos que sofreu ao tentar invadir Paris.[7]

Historicidade[editar | editar código-fonte]

Como uma figura lendária, cuja vida não aparece em fontes escritas contemporâneas, a historicidade de Ragnar não é muito clara. Em seu comentário ao livro de Saxão Gramático, denominado Feitos dos Danos, Hilda Ellis Davidson observa que a cobertura da lenda de Ragnar no volume IX do Feitos, aparenta ser uma tentativa de consolidar muitos dos eventos e histórias confusas e contraditórias conhecidas do cronista para o reinado de um rei, Ragnar. É por isso que muitos atos atribuídos a Ragnar no Feitos podem ser associados, através de outras fontes, a várias figuras, algumas das quais mais historicamente documentadas. Entre os candidatos para o "Ragnar histórico" incluem-se:

Até agora, as tentativas de vincular firmemente o lendário Ragnar com um ou vários desses homens falharam devido às dificuldade em conciliar os vários eventos e respetivas cronologias. No entanto, a tradição de um herói viquingue chamado Ragnar (ou similar) que causou estragos em meados do século IX na Europa e que gerou muitos filhos famosos é notavelmente persistente, e alguns dos seus aspetos são cobertos por fontes relativamente fiáveis, como a Crônica Anglo-Saxônica. De acordo com Davidson, em 1979, "alguns estudiosos nos últimos anos têm vindo a aceitar pelo menos parte da história de Ragnar como baseada em fatos históricos".[8]

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

  • Ragnar Lodbrok inspirou um personagem da decalogia "Crônicas Saxônicas" do autor inglês Bernard Cornwell, Ragnar o intrépido, um conde (jarl) dinamarquês que participa da invasão à Grã-Bretanha. A obra ainda utiliza, como personagens, Ivar e Ubba, Filhos de Ragnar, e referidos como os irmãos Lodbrok.

Referências

  1. a b Jonna Louis-Jensen. «Regnar Lodbrog» (em dinamarquês). Den Store Danske Encyklopædi (Grande Enciclopédia Dinamarquesa). Consultado em 5 de novembro de 2018 
  2. The Vikings: Voyagers of Discovery and Plunder. [S.l.]: Osprey Publishing. 19 de março de 2008. p. 106. ISBN 978-1-84603-340-7 
  3. Mark Harrison (29 de julho de 1993). Viking Hersir 793-1066 AD. [S.l.]: Osprey Publishing. p. 16. ISBN 978-1-85532-318-6 
  4. a b Orrling, Karin (1995). «Ragnar Lodbrok». Vikingatidens ABC (em sueco). Estocolmo: Museu Histórico de Estocolmo. p. 207. 184 páginas. ISBN 91-7192-984-3 
  5. Johnni Langer. «Dicionário de História e Cultura da Era Viking». Livros Google. Consultado em 5 de novembro de 2018 
  6. Holman 2003, p. 220.
  7. Henrikson, Alf; Björn Berg (1963). «Ragnar Lodbrok». Svensk historia (em sueco). Estocolmo: Bonnier. p. 65-70. 1062 páginas. ISBN 91-0-055344-1 
  8. a b Davidson 1980, p. 277.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Sigurd Ring?
Rei da Suécia
Séc. VIII-IX
Sucedido por
Östen Beli

Ligações externas[editar | editar código-fonte]