Der Untergang

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Der Untergang
A Queda: Hitler e o Fim do Terceiro Reich (PT)
A Queda: As Últimas Horas de Hitler (BR)
Pôster de divulgação
 Alemanha
 Itália
 Áustria

2004 • cor • 155 min 
Direção Oliver Hirschbiegel
Produção Bernd Eichinger
Roteiro Bernd Eichinger
Joachim Fest
Traudl Junge
Melissa Müller
Elenco Bruno Ganz
Alexandra Maria Lara
Corinna Harfouch
Ulrich Matthes
Juliane Köhler
Thomas Kretschmann
Género Drama
Idioma alemão
russo
Música Stephan Zacharias
Cinematografia Rainer Klausmann
Edição Hans Funck
Distribuição Alemanha Constantin Films
Brasil Europa Filmes
Lançamento Alemanha 16 de Setembro de 2004
Áustria 17 de Setembro de 2004
Portugal 21 de Abril de 2005
Itália 29 de Abril de 2005
Brasil 6 de Maio de 2005
Orçamento 13.500.000[1]
Receita US$ 92.180.910[1]
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Der Untergang (no Brasil, A Queda: As Últimas Horas de Hitler; em Portugal, A Queda: Hitler e o Fim do Terceiro Reich) é um filme alemão de 2004, que mostra os útimos dez dias da vida de Adolf Hitler no Führerbunker em 1945.

O filme foi escrito por Bernd Eichinger, baseado nos livros escritos pelo historiador Joachim Fest, pela secretária pessoal de Hitler, Traudl Junge, por Gerhardt Boldt, Ernst Günther Schenck e Siegfried Knappe.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Em 1942 um grupo de secretárias é levado a Adolf Hitler na Toca do Lobo. Após ditar para ela em um jeito indulgente e paternal, Hitler escolhe Traudl Junge para ser uma de suas secretárias particulares.

O filme avança até o aniversário de 56 anos de Hitler, no dia 20 de abril de 1945. Junge é acordada no Führerbunker pelo som da artilharia soviética. Mais tarde, os generais Wilhelm Burgdorf e Karl Koller confirmam para um surpreso Hilter que o Exército Vermelho está a apenas 12 km do centro de Berlim. Depois, Reichsführer-SS Heinrich Himmler e seu ajudante Hermann Fegelein imploram para que Hitler saia da cidade. Entretanto ele declara "eu os vencerei em Berlim ou enfrentarei minha queda". Himmler deixa Berlim com a intenção de negociar termos de rendição com os Aliados, sem o conhecimento de Hitler.

Enquanto isso, o Dr. Ernst Günther Schenck recebe ordens do Alto Comando para evacuar Berlim, como parte da Operação Clausewitz. Schenck pede a um general da SS para ficar e cuidar dos feridos e famintos. O general concorda. Schenck é encarregado pelo Brigadeführer Wilhelm Mohnke de levar todos os suprimentos médicos que ele consigua para a Chancelaria do Reich. Enquanto faz isso, Schenck e seu ajudante vão a um hospital para procurar suprimentos. Eles se aproximam de uma posição de tanque onde um comandante de panzer os informa que todos já sairam do hospital, e para terem cuidado com as tropas russas na área. Dentro do hospital, Schenck encontra o porão cheio de pacientes idosos e enfermos. Após pegar todos os suprimentos disponíveis, Schenck e seu ajudante tentam, sem sucesso, impedir uma execução sumária de dois homens idosos pela Feldgendarmerie.

Em outra parte da cidade, um grupo da Juventude Hitlerista continua uma batalha sem esperança contra os tanques soviéticos. Peter, um menino do grupo, recusa o pedido do pai para desertar e sair da cidade. Mais tarde, a unidade de Peter recebe a Cruz de Ferro do próprio Hitler.

Dentro do bunker, Hitler discute seu novo plano de terra queimada com seu arquiteto e amigo pessoal, Albert Speer. Speer implora por piedade para o povo alemão, dizendo que o plano de Hitler vai levá-los para a Idade Média. Hitler responde dizendo que o povo alemão se mostrou fraco e não merece sobreviver. Speer confessa que ele desobedeceu algumas vezes suas ordens, porém ele recebe permissão para sair da cidade. Eva Braun ignora os pedidos de Fegelein para deixar Berlim e faz uma festa para os habitantes do bunker na Chancelaria, porém a artilharia soviética termina com a festa.

No dia seguinte, o general Helmuth Weidling é erroneamente acusado de ordenar a retirada para o oeste e é chamado no bunker. Achando que vai ser executado, Weidling se explica para Burgdorf e Hans Krebs, apenas para descobrir que ele foi nomeado Comandante da Defesa da Área de Berlim, para sua insatisfação. Na sala de conferências do bunker, Hitler é informado sobre a desintegração das defesas de Berlim. Ele anuncia que o general da Waffen-SS Felix Steiner vai chegar logo e levar o Exército Vermelho para fora da cidade. Entretanto, ele é informado que Steiner não conseguiu mobilizar homens o suficiente. Visivelmente abatido, Hitler dispensa todos com a exceção de Joseph Goebbels, Martin Bormann e os Generais Wilhelm Keitel, Alfred Jodl, Krebs e Burgdorf.

Hitler fica furioso e grita com todos na sala, sendo ouvido em por todos no lado de fora. Ele acusa a Wehrmacht de sabotá-lo desde o dia um. Ele grita que os soldados são todos covardes e traidores. Ele expressa arrependimento de não ter executado seus oficiais, como Joseph Stalin fez durante o Grande Expurgo. No final, entretanto, ele senta em sua cadeira e admite que a guerra está perdida, porém expressando que prefere morrer do que abandonar Berlim.

Nesse tempo, Mohnke está lutando no front com suas tropas enquanto observa um grupo de civis voluntários correr para a morte no meio da rua. Ele pergunta a um de seus ajudantes sobre o relatório da situação. O oficial informa que os civis são membros da Volkssturm e estão sob comando direto de Goebbels. Aborrecido, Mohnke ordena que os membros da Volkssturm sejam retirados da rua, assumindo resposanbilidade pela ação.

Mohnke retorna a Chancelaria para confrontar Goebbels sobre a Volkssturm. Goebbels está na sala de comunicações do bunker conversando com sua esposa Magda. Goebbels pede para ela trazer seus filhos para o bunker e para não trazer muitos brinquedos e pijamas, já que eles não são mais necessários. Mohnke fala para Goebbels que a Volkssturm são dispensáveis para os russos. Em resposta, Goebbels diz que sua crença na "vitória final" compensa sua falta de armas e experiência de combate. Mohnke diz que sem armas, suas mortes não tem sentido. Goebbels informa a Mohnke que ele não tem pena por eles, dizendo que "O povo alemão escolheu seu destino e agora suas pequenas gargantas estão sendo cortadas".

O fisíco da SS, Ernst-Robert Grawitz, cujo pedido anterior para deixar Berlim havia sido negado, retorna a seu apartamento e mata a família e ele mesmo com uma granada. Mais tarde, Hitler, Braun, Junge e Gerda Christian discutem vários meios de suicídio, enquanto Krebs, Burgdorf e outros militares estão bebendo. Hitler propõe um tiro na boca, e Braun menciona cianeto. Hitler dá a Traudl e a Gerda uma cápsula de cianeto para cada uma. Braun e Magda Goebbels escrevem cartas de despedida. Eva para sua irmã Gretl Braun, e Magda para seu filho adulto, de outro casamento, Harald Quandt. As crianças soldados lutam nas ruas de Berlim, em vão. Peter testemunha a morte de seus companheiros e volta para casa com seus pais, para descobrir que eles foram mortos por esquadrões da morte.

Hitler perde a noção da realidade. Keitel recebe ordens para encontrar o Almirante Karl Dönitz, que Hitler acredita estar reunindo tropas no norte. Oberscharführer Rochus Misch, o operador de rádio de Hitler, recebe um telegrama de Hermann Göring, chefe da Luftwaffe e sucessor designado de Hitler. Bormann lê o telegrama para Hitler, no qual Göring pede permissão para assumir comando do Reich e pede resposta para as 22:00, horário que ele assumirá o comando na falta de resposta. Walther Hewel tenta justificar as ações de Göring, porém Bormann e Goebbels declaram as ações de Göring como traição. Hitler ordena que Göring seja preso e removido de seu posto.

Hitler chama o General Robert Ritter von Greim e sua amante Hanna Reitsch no bunker. Ele nomeia von Greim como Comandante da Luftwaffe, ordenando que ele a reconstrua. Durante o jantar, Hitler recebe um relatório informando que Himmler tentou negociar um acordo de rendição com os Aliados. Traído por um homem que ele confiava, Hitler novamente é tomado pela raiva. Ele ordena que von Greim e Reitsch deixem Berlim, se encontrem com Dönitz, que Hitler está convencido ele que está reunindo tropas para um grande ataque junto com o Marechal Albert Kesselring, para garantir que Himmler seja morto.

Hitler deseja falar com Fegelein sobre a traição de Himmler, porém Fegelein desertou e planeja sair do país. ele é achado em seu apartamento pelas tropas da SS e é preso. Apesar dos pedidos de Braun para poupar a vida de seu cunhado, Hitler o declara traidor. Fegelein é executado por um batalhão de tiro.

Weidling relata que os russos estão avançando por todos os lados. Não há soldados e suporte aéreo. Mohnke relata que o Exército Vermelho está a apenas 400 metros da Chancelaria do Reich e que as defesas podem segurar o avanço russo por mais um dia ou dois. Antes de sair, Hitler afirma a seus oficiais que o General Walther Wenck salvará a todos. Após sair da sala de conferência, Weidling pergunta aos outros generais se é realmente possível que Wenck ataque. Eles concordam que é impossível que Wenck tenha sucesso.

No dia seguinte, Hitler dita um testamento pessoal para Junge antes de se casar com Braun. Hitler ordena que Goebbels saia de Berlim, porém ele ignora as ordens. Quando o ajudante de Hitler, Otto Günsche, traz uma resposta de Keitel dizendo que Wenck entá cercado e não pode continuar o assalto em Berlim, Hitler afirma que ele nunca vai se render. Ele também proíbe todos os seus oficiais de se render sobre pena de execução. Ao sair da sala de conferência, Hitler manda que Günsche queime seu corpo junto com o de Eva Braun.

Braun dá um de seus melhores casacos a Junge e faz ele prometer que vai sair do bunker. Hitler faz sua última refeição em silêncio com Constanze Manziarly e suas secretárias. Ele se despede de todos no bunker e vai para seu quarto com Braun. Apesar de Magda implorar para que ele mude de ideia, Hitler diz que "amanhã, milhões de pessoas me amaldiçoarão, porém o destino tomou seu curso".

Hitler e Braun cometem suicídio no quarto. Seus corpos são carregados pelas escadas até a saída de emergência do bunker na superfície. Com gasolina eles são incinerados no jardim da Chancelaria fora do bunker. Da entrada do bunker, os oficiais fazem a última saudação nazista sobre as chamas. Krebs lidera uma pequena delegação até as linhas russas para negociar termos de rendição com o Tenente General Vasily Chuikov. Chuikov diz que os soviéticos aceitarão apenas uma rendição incondicional, porém Kerbs não tem autoridade para garantir os termos e volta para o bunker. Não conseguindo compreender um mundo sem o Nacional Socialismo, Joseph e Magda Goebbels envenenam seus seis filhos e deixam o bunker. Goebbls atira em sua esposa antes de atirar em si mesmo.

As pessoas que ainda estão no bunker concordam que eles precisam quebrar o cerco soviético. Krebs e Burgdorf cometem suicídio e o resto começa a evacuar. A maioria dos sobreviventes do bunker tentam fugir porém são mortos pela infantaria soviética. Weidling então transmite a todos os soldados e civis que o Führer está morto. Ele pede um cessar-fogo com o Chuikov, já que qualquer hora de batalha a mais apenas adiará o inevitável.

Enquanto isso, Schenck e Hewel ficam com Mohnke e o resto das tropas da SS, debatendo o que fazer quando as tropas soviéticas chegarem. Schenck tenta raciocinar com Hewel, que havia prometido a Hitler que ele cometeria suicídio. Quando as noticias de que Berlim se rendeu chegam, Hewel e outros oficiais de SS se matam, como prometido, para horror de Schenck.

No caos da queda da cidade, Junge consegue passar pelas linhas russas, escapando de Berlim com uma bicicleta junto com o menino soldado Peter. O destino dos sobreviventes é mostrado antes dos créditos finais.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

Algumas cenas do filme foram usadas como paródias logo após o seu lançamento, fazendo um enorme sucesso, em especial no Youtube. Uma cena em particular, que mostra Hitler irritado tendo um ataque de fúria com seus generais, proporcionou várias sátiras na internet sobre politicos, desportistas e outras personalidades.[2]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Alemanha Bambi Awards

Estados Unidos Santa Barbara International Film Festival

Alemanha Bavarian Film Awards

Inglaterra London Critics Circle Film Awards

Indicações[editar | editar código-fonte]

União Europeia European Film Awards

Alemanha German Film Awards

Estados Unidos Chlotrudis Awards

Espanha Goya

  • Melhor Filme Europeu (2004)

Estados Unidos Oscar

  • Melhor Filme Estrangeiro (2005)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.