Waffen-SS

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Waffen-SS
Logo-WaffenSS.jpg
Emblema da Waffen-SS
País Alemanha Nazi Alemanha Nazi
Missão Panzer
Cavalaria Motorizada
Cavalaria
Infantaria
Infantaria de Montanha
Polícia
Denominação Flag Schutzstaffel.svg Schutzstaffel
Criação 1933
Extinção 1945
Lema Meine Ehre heißt Treue
(Minha Honra chama-se Lealdade) e, gravado em todas as Facas HJ, dadas a cada homem da Waffen SS na sua graduação, "Blut und Ehre" (Sangue e Honra)
História
Guerras/batalhas Segunda Guerra Mundial
Logística
Efetivo 38 Divisões
Comando
Comandantes
notáveis
Josef Dietrich
Paul Hausser
Theodor Eicke
Felix Steiner
Kurt Meyer
Sede
Guarnição SS Führungshauptamt, Berlin
Dois soldados da Waffen-SS, um deles armados com sua metralhadora MP40.

As Waffen-SS tem sua fundação derivada da chamada Schutzstaffel (SS) no início do Partido Nazista como forma de proteção a Adolf Hitler em um período conturbado politicamente (as décadas de 20 e 30 do século XX). Hitler exigia que sua tropa de elite fosse composta por cidadãos com comprovada origem germânica, uma condição fisica e mental excepcional e que cumprissem as normas da ideologia nazista. Para isso colocou à frente da tropa especial Heinrich Himmler, que em alguns anos, mais exatamente em 1933, conseguiu aliciar nada menos do que 52.000 homens para o seu exército. Com a ascensão da organização, Himmler conseguiu anexar aos seus domínios o Ordnungspolizei (a polícia regular), e o Sicherheitspolizei (a polícia de segurança). O Sicherheitspolizei foi dividido mais adiante no Kriminalpolizei ou Kripo (a polícia Criminal) e o Geheime Staatspolizei ou Gestapo (a polícia secreta), todas subordinadas ao escritório de Segurança Geral do Reich.[1]

Suas implicações eram as seguintes:

  • Tropas regulares (Verfügungstruppe, SS-VT) servindo como tropas de elite lutando ao lado da Wehrmacht (e muitas vezes liderando as operações da Segunda Guerra Mundial)
  • Guarda pessoal de Hitler, Leibstandarte Adolf Hitler (LAH)
  • Controlo de Guetos

Crimes de guerra e atrocidades[editar | editar código-fonte]

Em geral a Waffen-SS não esteve diretamente envolvida no Holocausto, à medida que a Allgemeine-SS foi a maior responsável pelos campos de exterminio, ainda que muitos membros da Allgemeine e também da SS-Totenkopfverbände tenham se tornado posteriormente membros da Waffen-SS, formando assim o núcleo inicial da Divisão SS Totenkopf. Muitos membros e unidades da Waffen-SS foram responsáveis por crimes de guerra contra civis e soldados aliados. Para os membros que não tomaram parte nos crimes, foi estabelecido o equivalente moral à uma "culpa por associação" com os que perpetradores. Depois da guerra, a Schutzstaffel foi regulada como uma organização criminosa pelo governo alemão, pela inegável evidência da responsabilidade por inúmeros massacres e outros crimes de guerra e crimes contra a humanidade. Formações como a Dirlewanger, Brigada Kaminski e muitas outras unidades estiveram envolvidas na limpeza étnica e/ou assassinato político de milhares de civis por toda a Europa. Episódios como o Affair Houtman ou assassinatos perpetrados por Heinrich Boere são exemplos da sistemática brutalidade com a qual a SS tratava os civis nos países conquistados pela Alemanha Nazista. Os mais infames e sangrentos incidentes foram compilados abaixo numa lista:

  • Massacre de Wormhoudt pela 1ª Divisão SS Leibstandarte SS Adolf Hitler, 1940, Bélgica
  • Massacre de Le Paradis pela 3ª Divisão SS Totenkopf, 1940, França
  • Massacre de Oradour-sur-Glane pela 2ª Divisão SS Das Reich, 1944, França
  • Massacre de Ochota pela SS Brigada Kaminski, 1944, Polônia
  • Massacre de Wola pela 36ª Divisão Waffen Grenadier da SS, 1944 Polônia
  • Massacre de Huta Pieniacka pela 14ª Divisião de Granadeiros da SS, Polônia
  • Massacre de Tulle pela SS Das Reich, 1944, França
  • Massacre de Marzabotto pela 16ª Divisão de Granadeiros da SS Reichsführer-SS, 1944, Itália
  • Massacre de Malmedy pela Kampfgruppe Peiper da 1ª SS Panzer, 1944, Bélgica
  • Massacre de Ardeatine por dois oficiais da SS, 1944, Itália
  • Massacre de Distomo pela 4ª Divisão SS Polizei, 1944, Grécia
  • Massacre de Sant'Anna di Stazzema pela 16ª Divisão de Granadeiros SS Reichsführer-SS, 1944, Itália
  • Massacre da Abadia de Ardenne pela 12ª Divisão Panzer SS Hitlerjugend, 1944, França

Qualidade das divisões[editar | editar código-fonte]

Muitas divisões são vistas por historiadores como de elite, principalmente aquelas com maior número de Alemães. Essas divisões foram caracterizadas por terem uma moral extremamente alta e habilidade no combate, assim como comprometimento aos ideais da Cruzada contra o Bolchevismo.

Essas divisões incluíam LSSAH, Das Reich, Totenkopf, a multi-nacional Wiking, a Hohenstaufen, a Frundsberg, e a Hitlerjugend.

Apesar da alta taxa de casualidades, essas unidades mantiveram sua fama até o fim da guerra. Já as unidades formadas durante o período final da guerra tinham qualidade inferior, e algumas das tropas Freiwillige foram acusadas de revolta contra seus comandantes e o regime nazista - veja, por exemplo, 13.Waffen-Gebirgs-Division der SS Handschar (kroatische Nr.1)

Divisões[editar | editar código-fonte]

Tanque Tiger I da companhia Das Reich da Waffen-SS, durante a Batalha de Kursk.
Homens da Waffen-SS na Rússia, em 1942.


Flag of Germany 1933 -- Divisões da Waffen-SS -- SS runes


Literatura[editar | editar código-fonte]

  • Davies, W.J.K.. German Army Handbook 1939–1945. 2nd U.S. Edition. ed. New York: Arco Publishing, 1981. ISBN 0-668-04291-5.
  • Munoz, Antonio J.. Forgotten Legions: Obscure Combat Formations of the Waffen-SS. [S.l.]: Axis Europa, Inc., 1991. ISBN 0-7394-0817-8.
  • Quarrie, Bruce. Hitler's Samurai: The Waffen-SS in Action. [S.l.]: Arco Pub. 161 pp., 1983. ISBN 0-668-05805-6.
  • Reitlinger, Gerald. The SS: Alibi of a Nation, 1922–1945. [S.l.]: Da Capo Press 502 pp., 1989. ISBN 978-0306803512.
  • Rikmenspoel, Marc J.. Waffen-SS Encyclopedia. [S.l.]: Aberjona Press. 307 pp., 2004. ISBN 978-0971765085.
  • Stein, George H.. The Waffen-SS: Hitler's Elite Guard at War 1939–1945. [S.l.]: Cornell University Press. 330 pp., 1966. ISBN 0-8014-9275-0.
  • Wegner, Bernd. The Waffen-SS: Organization, Ideology and Function. [S.l.]: Blackwell Publishers, 1990. ISBN 0-631-14073-5.
  • Williamson, Gordon. Loyalty is my Honor. [S.l.]: Motorbooks International. 192 pp., 1995. ISBN 0-7603-0012-7.

Referências

  1. Bender, Roger James; Taylor, Hugh Page. Uniforms, Organization, and History of the Waffen-SS, Volume 2. [S.l.]: R. James Bender, 1971.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]