Batalha dos Países Baixos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha dos Países Baixos
Segunda Guerra Mundial
Rotterdam.jpg
O centro de Roterdã em ruínas após o bombardeio alemão.
Data 10 de maio de 1940 - 17 de maio de 1940
Local Países Baixos
Resultado Vitória da Alemanha nazista
Combatentes
 Países Baixos
França França
 Reino Unido
Alemanha Nazi Alemanha Nazista
Comandantes
Países Baixos Henri Winkelman
Países Baixos Jan Joseph Godfried van Voorst tot Voorst
França Henri Giraud
Alemanha Nazi Fedor von Bock
Forças
9 divisões
700 armas[1]
1 tanque
32 carros blindados[2]
145 aeronaves[3]
Total: 280.000 homens
22 divisões
1.378 armas
759 tanques
830 aeronaves[4]
Total: 750.000 homens
Baixas
2.332 KIA (Exército neerlandês)[5]
8.000–9.000 feridos[5]
216 KIA franceses[5]
43 KIA britânicos[5]
Mais de 2.000 civis mortos[5]
2.000–2.250 KIA[5]
7.000–7.500 feridos[5]
225–275 aeronaves perdidas[5]
1.350 prisioneiros para a Inglaterra[5]

A Batalha dos Países Baixos (em neerlandês: Slag om Nederland) foi uma parte da Batalha da França, a invasão alemã da região dos Países Baixos (Bélgica, Luxemburgo e Países Baixos) e da França durante a Segunda Guerra Mundial. A batalha durou de 10 de maio 1940 até as principais forças neerlandesas se renderem no dia 14 do mesmo mês. As tropas neerlandesas da província da Zelândia continuaram a resistir à Wehrmacht até 17 de maio, quando a Alemanha completou a ocupação de todo o país.

A Batalha dos Países Baixos viu um dos primeiros grandes usos de pára-quedistas para ocupar alvos cruciais antes da chegada das tropas terrestres à área. A Luftwaffe alemã utilizou pára-quedistas na captura de vários dos principais aeroportos dos Países Baixos e em torno de cidades-chave, tais como Roterdã e Haia, com o objetivo de rapidamente invadir o país e imobilizar as forças locais.

A batalha terminou logo após o devastador bombardeio de Roterdã pela Luftwaffe alemã e da subsequente ameaça dos alemães de bombardear outras grandes cidades neerlandesas se as forças do país se recusassem a se render. O Estado-Maior neerlandês sabia que não podia parar os bombardeiros e se rendeu, a fim de evitar que outras cidades sofressem o mesmo destino de Roterdã. Os Países Baixos permaneceram sob ocupação alemã até 1945, quando o último território da nação foi libertado.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Goossens, armamentos neerlandês: Artillery, waroverholland.nl
  2. Goossens, armamento neerlandês: vários, waroverholland.nl
  3. Goossens, armamentos neerlandês: aviões militares, waroverholland.nl
  4. Hooton 2007, p. 48
  5. a b c d e f g h i Goossens, Balance Sheet, waroverholland.nl
Ícone de esboço Este artigo sobre batalhas (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.