Escorpião I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Escorpião I
Faraó do Egito
Reinado Desconhecido, 
Predecessor Desconhecido
Sucessor Falcão Duplo
Tumba Tumba U-j; Umm el-Qa'ab, Abidos


Escorpião I foi o primeiro dos dois reis assim chamados do Alto Egito durante o período proto-dinástico. Seu nome pode se referir à deusa escorpião Serket. Acredita-se que viveu em Tinis um ou dois séculos antes do reinado do melhor conhecido rei Escorpião II de Hieracômpolis e é provavelmente o primeiro rei verdadeiro do Alto Egito. A ele pertence o túmulo U-j encontrado no cemitério real de Abidos, onde foram enterrados os reis tinitas. Sua tumba é notável por seu tamanho, quantidade de bens e pelos primeiros hieróglifos conhecidos;[1] este túmulo também reproduz um modelo de palácio.[2]

A tumba foi saqueada na Antiguidade, no entanto, foram encontradas muitas placas pequenas de marfim, cada uma com um furo para amarrá-la a alguma coisa, e cada uma marcada com um ou mais hieróglifos que é pensado serem nomes de cidades, talvez para prender nas oferendas e tributos que foram enviados por elas. Duas dessas placas parecem ter o nome das cidades de Buto e Bubástis, no delta do Nilo, mostrando que os exércitos do rei Escorpião I haviam penetrado na região. Na tumba do rei Escorpião I também foram encontrados inúmeros jarros de cerâmica importados contendo um resíduo amarelo consistente com vinho, datado de 3 150 a.C.; sementes, casca e polpa de uvas foram encontrados.[3]

Em Gebel Tjauty foi encontrado pelo professor John Darnell da Universidade de Yale um grafite que narra uma possível vitória de Escorpião I sob um líder regional vizinho que ele capturou. Na imagem é possível perceber a pessoa capturada com as mãos amarradas para trás ao lado do governante que esta segurando em uma mão uma clava e na outra a corda que aprisiona seu adversário. Também é possível perceber um pássaro bicando uma serpente (o que pode significar um símbolo de "vitória" ou então um nome/região; este símbolo é encontrado em outros locais), um escorpião e um falcão. Uma segunda interpretação da imagem sugere que a pessoa capturada representa de forma figurativa a conquista da elite naqadana que durante o período estava em declínio.[2] O rei derrotado ou o lugar é chamado no grafite de "Cabeça de Touro", uma marcação também encontrada no túmulo U-j.[4] Na Núbia foi encontrada uma pedra com um grafite de um grande escorpião atacando um homem com as mãos atadas às costas. Nesta cena também é visível a presença de dois arqueiros cada qual em uma ponta do grafite, observando a cena. Este grafite foi interpretado como sendo uma campanha punitiva do rei Escorpião I à Núbia.[5]

Precedido por
-
Faraó
?
Sucedido por
Falcão Duplo

Referências

  1. Ancient Egypt (em inglês). Página visitada em 24-11-2012.
  2. a b Dynasty 00 (em inglês). Página visitada em 24-11-2012.
  3. Ancient winemaking operation unearthed (em inglês). Página visitada em 24-11-2012.
  4. Secrets of Egypt - "Scorpion King" (em inglês). Página visitada em 24-11-2012.
  5. King Scorpion I (em inglês). Página visitada em 24-11-2012.

Ver também[editar | editar código-fonte]