Faye Dunaway

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde fevereiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.


Faye Dunaway
Faye Dunaway na premiere de "Baby Mama" em Nova York
Nome completo Faye Dunaway
Nascimento 14 de janeiro de 1941 (73 anos)
Bascom, Estados Unidos
Nacionalidade Estados Unidos norte-americana
Ocupação Atriz
Cônjuge Peter Woolf (1974 - 1979)
Terry O'Neill (1983 - 1987)
Oscares da Academia
Oscar de melhor atriz
1977 - Rede de Intrigas
Prêmios Globo de Ouro
Melhor Atriz (Drama)
1977 - Rede de Intrigas
Melhor Atriz Coadjuvante (Televisão)
1985 - Ellis Island
1999 - Gia - Fama & Destruição

Dorothy Faye Dunaway (Bascom, 14 de janeiro de 1941) é uma atriz norte-americana, uma das grandes estrelas do cinema nos anos 1960 e 70 e ganhou o Oscar de melhor atriz da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de 1976 por Rede de Intrigas.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Depois de estrear nas telas num pequeno papel no filme O Incerto Amanhã pelas mãos do diretor Otto Preminger, Faye Dunaway conheceu o estrelato instantâneo no papel de Bonnie Parker, com o mega sucesso de público e de crítica de Bonnie & Clyde: uma Rajada de Balas, filme produzido e estrelado por Warren Beatty em 1967, vencedor de vários oscares daquele ano e que a transformou numa celebridade internacional.

A partir daí sua carreira entrou em contínua ascensão e sua participação em Crown, O Magnífico, com Steve McQueen no ano seguinte a levou a ser uma das atrizes mais populares de Hollywood nos anos 70, estrelando grandes sucessos como Os Três Dias do Condor com Robert Redford, o celebrado filme de Roman Polanski Chinatown com Jack Nicholson, Os Olhos de Laura Mars com Tommy Lee Jones e Rede de Intrigas, o filme que lhe daria o Oscar de Melhor Atriz como Diana Christensen, uma manipuladora executiva de televisão, entre outros.

Apesar de seu grande talento, nos anos 80 os papéis importantes começaram a escassear e Dunaway fez poucos filmes, o mais notável deles, Mamãezinha Querida, em que teve uma impressionante atuação como Joan Crawford, a estrela de Hollywood dos anos 30 e 40, que foi retratada como uma megera na vida particular por sua filha, numa autobiografia que virou um best-seller nos Estados Unidos. Faye considerou que este filme arruinou sua carreira como atriz principal, porque seu desempenho foi "muito bom num papel odioso", que provocou grande antipatia entre o público cinéfilo.

Afastada das grandes produções, sua última participação em um filme de sucesso foi quando contracenou com seu ídolo Marlon Brando em Don Juan de Marco, em 1996, também com Johnny Depp no elenco no papel-título.

Possui uma estrela na calçada da fama desde 2 de outubro de 1996, localizada na Hollywood Boulevard.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Faye Dunaway ficou conhecida ao estrelar o filme de 1967 Bonnie and Clyde
  • Faye foi casada duas vezes, a primeira com Peter Wolf, cantor do grupo de rock J. Geils Band nos anos 70 e com o fotógrafo inglês Terry O’Neil, com quem teve um filho. Em 2005, seu ex-marido revelou à imprensa que o menino não era filho biológico deles, mas adotado, fato sempre negado por ela.
  • Numa gravação de um e-mail de voz, que circulou mundialmene pela Internet, Faye fala iradamente sobre o documentário que estava sendo feito sobre sua vida e nele reclama da inclusão no filme de uma entrevista com seu ex-marido O’Neil, descrito por ela como um grande mentiroso. Também expressa sua raiva por não ter sido mencionado o filme que ela trabalhou com o "maravilhoso" Marlon Brando, que o filme que fez com o premiado diretor iugoslavo Emir Kusturica, em que considerava ter estado brilhante, não tenha sido distribuído dignamente nos Estados Unidos e queria que fosse retirada qualquer menção a Mamãezinha Querida.
  • No filme de 2001, Thomas Crown - A Arte do Crime, com Pierce Brosnan, que é uma refilmagem do sucesso dos anos 60 com ela e Steve McQueen, Faye aparece fazendo o papel de psiquiatra de "Thomas Crown".

Principais trabalhos[editar | editar código-fonte]

[[Imagem:PL Balladyna Faye Dunaway Mirosław Baka dir Dariusz Zawiślak photo Marcin Morawiecki.jpg|thumb|right|220px|Faye Dunaway, Mirosław Baka, Balladyna

  • 2010 - Balladyna (Balladyna)
  • 2006 - Assalto Relâmpago (Cut Off)
  • 2005 - Fantasmas Nunca Dormen (Ghosts Never Sleep)
  • 2004 - O Último Adeus (Last Goodbye)
  • 2002 - Homem de Fé (The Calling / Man of Faith)
  • 2002 - Regras da Atração (The Rules of Attraction)
  • 2000 - Caminho Sem Volta (The Yards)
  • 1999 - Thomas Crown - A Arte do Crime (The Thomas Crown Affair)
  • 1999 - Joana D'Arc de Luc Besson (The Messenger: The Story of Joan of Arc)
  • 1998 - Gia - Fama & Destruição (Gia)
  • 1996 - Ciladas da Sorte (Albino Alligator)
  • 1996 - O Hóspede Quer Bananas (Dunston Checks In)
  • 1995 - Meu Filho, O Estuprador (A Family Divided)
  • 1994 - Don Juan DeMarco (Don Juan DeMarco)
  • 1993 - Um Sonho Americano (Arizona Dream)
  • 1990 - A Chave do Enigma (The Two Jakes)
  • 1987 - Barfly - Condenados Pelo Vício (Barfly)
  • 1984 - Ellis Island
  • 1981 - Mamãezinha Querida (Mommie Dearest)
  • 1979 - O Campeão (The Champ)
  • 1978 - Os Olhos de Laura Mars (Eyes of Laura Mars)
  • 1976 - Rede de Intrigas (Network)
  • 1974 - Inferno na Torre (The Towering Inferno)
  • 1974 - Chinatown
  • 1971 - Doc
  • 1970 - Pequeno Grande Homem (Little Big Man)
  • 1968 - Crown, O Magnífico (The Thomas Crown Affair)
  • 1967 - Bonnie & Clyde: uma Rajada de Balas (Bonnie and Clyde)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Faye Dunaway