Gonçalves Dias (Maranhão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Gonçalves Dias
Bandeira de Gonçalves Dias
Brasão de Gonçalves Dias
Bandeira Brasão
Hino
Fundação Não disponível
Gentílico gonçalvino
Prefeito(a) Vilson Andrade[1] (PCdoB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Gonçalves Dias
Localização de Gonçalves Dias no Maranhão
Gonçalves Dias está localizado em: Brasil
Gonçalves Dias
Localização de Gonçalves Dias no Brasil
05° 09' 03" S 44° 17' 56" O05° 09' 03" S 44° 17' 56" O
Unidade federativa  Maranhão
Mesorregião Centro Maranhense IBGE/2008 [2]
Microrregião Presidente Dutra IBGE/2008 [2]
Distância até a capital 340 km
Características geográficas
Área 875,975 km² [3]
População 17 485 hab. IBGE/2010[4]
Densidade 19,96 hab./km²
Altitude 130 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,568 baixo PNUD/2000 [5]
PIB R$ 50 201,00 mil IBGE/2009[6]
PIB per capita R$ 2 968,55 IBGE/2009[6]
Página oficial

Gonçalves Dias é um município brasileiro do estado do Maranhão. Localiza-se na Microrregião de Presidente Dutra, Mesorregião do Centro Maranhense. O município tem 17.485 habitantes (2010) (8.676 homens e 8.809 mulheres). Desse total, 7.778 pessoas vivem na área urbana e 9.707 na zona rural (Censo 2010 do IBGE);e com 875,97 km². Foi criado em 1958.

Espaço geográfico[editar | editar código-fonte]

O município de Gonçalves Dias está localizado na região dos cocais, a 340 km de São Luis. O município de Gonçalves Dias possui 112 povoados, 2 bairros e 1 vila. É banhado pelo rio Codozinho (periódico) e possui cerca de 20 açudes municipais. As cidades mais próximas são Dom Pedro, Governador Acher, Governador Eugenio Barros e Presidente Dutra. O único meio de transporte para se chegar até o município é rodoviário e o acesso é feito pela BR 135 e MA 256, que se se encontra asfaltada em condições regulares.

O território do município é rico em palmeiras de coco babaçu. Além de embelezar o horizonte do município, o babaçu é fonte de sobrevivência de grande parte da população rural.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1921, Luís de Sena Leal, conhecido como Luís Cantuária, travou com o cearense Manuel Bernardino uma sangrenta batalha no povoado de Mata Velha, município de Dom Pedro. Luís Cantuária escapou do massacre e, em outubro de 1922, refugiou-se na localidade de Cupim, então município de Caxias. Estava acompanhado de Raimundo Pedrosa, Raimundo Almira, Pedro e Antônio Pedrosa, com suas respectivas famílias. Ali, fixaram residência em um local conhecido por Alto do Patinzal, nome derivado de sua principal vegetação.

Mais tarde o lugar passou a ser denominado Centro dos Pedrosas. Seus primeiros comerciantes foram Bento Chaves, Mariano Costa e Álvaro Cantanhede, (oriundos do município de Caxias), o Tenente Coronel Joaquim Leite Guimarães, vindo do município de Passagem Franca, Antônio Coimbra Sobrinho, do estado do Piauí, e Prudêncio Alves Feitosa, do município de Tauá, estado do Ceará. Além deles, um imigrante sírio, João de Assis, também estabeleceu-se no povoado.

Em 1946 foi criado o cartório distrital, que teve como escrivão Pedro de Sousa Santiago, depois substituído por João Pereira de Incarnação. O juiz de paz era Bernadino Kirieleison da Costa, conhecido por Becá.

A primeira escola pública foi criada em 1954, dirigida pela professora Maria da Providencia Leite Guimarães.

Na campanha de 1950 o candidato a governador, Eugênio Barros, visitou o povoado e recebeu dos moradores a reivindicação para transformá-lo em cidade. Isto ocorreu somente em 1958, quando foi aprovado o projeto de lei nº 1.715 de 31 de dezembro, apresentado pelo então deputado estadual Paulo Rocha Matos. O novo município recebeu o nome de Gonçalves Dias, pelo fato de pertencer anteriormente à cidade de Caxias, cidade natal do poeta Antônio Gonçalves Dias.

No dia 19 de fevereiro de 1959 foi instalado solenemente o município de Gonçalves Dias. Seu primeiro prefeito interino foi Prudêncio Alves Feitosa, que assim o governou de agosto a meados de 1960. Já no dia 3 de outubro de 1960 foi eleito o primeiro prefeito efetivo, Raimundo Nonato Braid. Também em 1960 foi instalado o primeiro posto de saúde, tendo como médico Hermes César Tavares Monteiro, cearense da cidade de Crato.

Sistema econômico[editar | editar código-fonte]

As principais atividades produtivas do município estão na agricultura, que tem entre as principais o coco babaçu, arroz, feijão, milho, farinha e a melancia. Para o escoamento da produção são utilizados caminhões e até animais. Por estar na região dos cocais, a estação do coco babaçu é uma das principais atividades dos habitantes da zona rural, que usam a palha e vendem a amêndoa para ajudar na renda familiar. Para a maioria das famílias esta é a única fonte de renda.

O setor que mais cresce no município é agricultura e a pecuária, que absorvem 60% da população ativa no mercado de trabalho. Em seguida vêm os serviços e o comércio, com 20% cada.

O município tem como principal empregador a prefeitura, considerando que esta emprega 460 funcionários, comprometendo 55% do FPM (fundo de participação dos municípios). Devido à mão-de-obra desqualificada e à pouca oferta de vagas, o desemprego é um dos principais problemas no município, chegando a quase 60% da população ativa.

Vários órgãos do governo estão no município, para ajudar em sua infra-estrutura. Entre eles estão: CAEMA, CEMAR, COMABA, ECT (Empresa de Correios e Telégrafos) e FNS e, na área financeira, o Banco do Brasil e Lotérica (CEF).

Como serviço de hospedaria, a cidade possui dois hotéis na região central e um motel. Possui duas rádios comunitárias (principal meio de comunicação local). A radiofusão está ao alcance de todo município. A Rede Globo é a única emissora de televisão local; o acesso a outros canais é facultado somente via antena parabólica.

A cidade de Gonçalves Dias e como muitas outras do interior do Maranhão é integrada no meio político, a existência de três famílias mas que na verdade formam uma só comprovam isso, essas famílias são as principais lideranças políticas do município as quais são: Cardoso, Barros e Dias. A família Cardoso já obteve diversos representantes no poder como por exemplo: João Afonso Cardoso, Raimundo José Fernandes Cardoso e Pedro Afonso Cardoso, a família Barros e que também leva o sobrenome Dias já tiveram Baltazar Dias Barros,Aristeu Dias Barros e Aurino Dias Barros, a família Dias já tiveram, Francisco Gonçalves Dias, Rosita Fernandes Dias e Vadilson Fernandes Dias, assim sendo uma oligarquia sem tempo limite de término, pois seus sucesivos herdeiros almejam e tem total capacidade de governarem o município na lista temos Pedro Afonso Cardoso Neto, Baltazar Dias Neto, João Afonso Cardoso Neto e Francisco Gonçalves Dias Neto.

Cultura e lazer[editar | editar código-fonte]

A principal manifestação folclórica do município é o dia Santo Reis, Festa do Divino

O município comemora a festa de sua padroeira, Nossa Senhora das Graças. com um grande festejo, que reúne milhares de pessoas, inclusive de outras cidades vizinhas.

Como atrativo natural o município oferece o rio Codozinho (localizado no povoado de Chapadinha) e alguns açudes que se transformam em balneários para o lazer das pessoas.

Na culinária os principais pratos são maria-isabel e o baião-de-dois.

Também está na cultura a fabricação artesanal de jacá, paraca, tapati e outros utensílios que são confeccionados com a utilização de taboca, palha de babaçu e tucum.

Referências

  1. Resultado Final eleições 2012 no Maranhão. Página visitada em 13/01/2013.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  4. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 de dezembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]