Grande Prêmio da Europa de 2012 (Fórmula 1)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Prêmio da Europa de F-1 de 2012
Circuit Valensia street.svg
Mapa do circuito.
Detalhes da corrida
Categoria Fórmula 1
Data 24 de junho de 2012
Nome oficial Grand Prix of Europe[1]
Local Circuito Urbano de Valência
Percurso 5,419 km
Total 57 voltas / 308,883 km
Pole
Piloto
Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault
Tempo 1:38.086
Volta mais rápida
Piloto
Alemanha Nico Rosberg Mercedes
Tempo 1:42.163 (na volta 54)
Pódio
Primeiro
Espanha Fernando Alonso Ferrari
Segundo
Finlândia Kimi Räikkönen Lotus-Renault
Terceiro
Alemanha Michael Schumacher Mercedes

O Grande Prêmio da Europa de 2012 foi a oitava corrida da temporada de 2012 da Fórmula 1.[2] A prova disputada no dia 24 de junho no Circuito Urbano de Valência, em Valência na Espanha pela quinta vez, teve como vencedor o piloto espanhol Fernando Alonso.[1] O recorde dessa corrida é que foi o primeiro e único pódio do alemão hepta campeão mundial Michael Schumacher.

O piloto alemão Sebastian Vettel pole position de 2012 foi o vencedor da edição anterior, seguido de Fernando Alonso e de Mark Webber. Os pilotos ativos que que já venceram o Grande Prêmio da Europa são Fernando Alonso, Felipe Massa, Michael Schumacher e Sebastian Vettel. A volta mais rápida da prova pertence a Timo Glock com o tempo de 1:38.683 no ano de 2009.[1]

Relatório[editar | editar código-fonte]

Treino classificatório[editar | editar código-fonte]

Q1 — primeira parte

Assim que foi dado início ao treino, alguns pilotos logo foram para a pista. Ricciardo foi o primeiro a sair dos boxes e tentar tempo. Senna foi o primeiro a fazer volta mais rápida, depois superado por Grosjean, Di Resta, Raikkonen e Massa, mais rápido que todos esses na primeira tentativa, com o tempo de 1m39s634mil. Aos 8 minutos de sessão, o alemão Schumacher superou seu tempo fazendo 1m39s577mil.[3]

Em mais uma tentativa dos pilotos da Ferrari, ambos foram batidos por Hamilton, com 1m39s169mil. Massa garantiu o segundo lugar e Alonso foi o terceiro. Quando faltavam cerca de 6 minutos para o fim, Vettel partiu para sua volta rápida, mas na primeira tentativa foi apenas o sexto colocado. Já Webber, foi o 16º.[3]

Senna era o 18º colocado no final do Q1 e precisava marcar bom tempo para garantir-se na próxima fase. Com isso, ele calçou os pneus macios e foi em busca de um melhor tempo. Com o pneu macio ele fez 1m39s449mil, o quinto tempo, sendo que logo ele foi superado por Perez e Di Resta, também garantidos no Q2. Quem caiu para a 18ª posição foi o australiano Webber, que precisou acelerar mesmo com tráfego à frente. Ele fez duas tentativas, mas, em ambas, foi atrapalhado pelo tráfego e acabou desistindo, sendo eliminado no Q1, com a 18ª posição. Além disso, ele sofreu com problemas na asa móvel.[3]

O venezuelano Maldonado foi o mais rápido da sessão, usando o pneu mais macio, e fez o tempo de 1m38s825mil. Os eliminados foram Vergne, Webber, Petrov, De La Rosa, Karthikeyan e Pic. Glock, com problemas estomacais sequer foi para a pista e Kovalainen conseguiu colocar o carro da Caterham no Q2. 1,2 segundos separaram o primeiro do 17º colocado.[3]

Q2 — segunda parte
Vetel foi o pole position.

Os dois carros da Ferrari foram para a pista assim que o sinal verde acendeu em Valência, bem como Senna e metade dos pilotos que participaram da sessão. Desta vez Alonso foi mais rápido que Massa, porém ambos ficaram aquém do esperado. Di Resta foi mais rápido que ambos e depois até o brasileiro Senna. O alemão Rosberg passou à liderança também momentos depois com o tempo de 1m38s504mil, com Raikkonen em segundo.[3]

Faltando 5 minutos para o final da sessão Alonso foi o primeiro piloto entre as grandes equipe a arriscar com pneus macios, e com 1m38s707mil ele fez o sexto tempo. Aos poucos todos os pilotos partiam para suas voltas rápidas com pneus macios para tentar garantir uma vaga no Q3. Di Resta conseguiu o segundo lugar e Maldonado o quinto. Massa, mesmo com boas parciais no início da volta, foi só o 12º e Senna, que também batalhava pelo Q3, abortou volta para tentar de novo. Vettel era o décimo colocado e fez o terceiro tempo em um final de treino agitado.[3]

Já com o cronômetro zerado Grosjean fez o primeiro tempo, jogando Alonso e Massa para fora do Q3. Grosjean ficou com a melhor marca do dia, com o tempo de 1m38s489mil. Já Alonso, Schumacher, Massa, Senna, Perez, Kovalainen e Ricciardo foram os eliminados em uma classificação onde o primeiro e o décimo colocados foram separados por apenas 228 milésimos.[3]

Q3 — terceira parte

O primeiro a marcar tempo foi o finlandês Raikkonen, com 1m38s966mil, porém logo foi batido por Rosberg, Hamilton e Button. Apenas os quatro marcaram tempos na primeira parte do Q3, sendo que todos os outros pilotos partiram para apenas uma tentativa com o objetivo de poupar pneus para a corrida no dia seguinte.[3]

Na primeira tentativa de Grosjean ele fez 1m38s505mil, o melhor tempo de todos. Na sequência ele foi superado por Maldonado. Hulkenberg também se destacou com o quarto tempo e Vettel marcou 1m38s086mil, 4 décimos mais rápido que o carro da Williams, garantindo a primeira posição. Hamilton ainda ficou com o segundo posto e Button terminou em oitavo. É a terceira vez que Vettel larga em primeiro lugar na temporada de 2012 em um campeonato extremamente equilibrado.[3]

Grid de largada.

Corrida[editar | editar código-fonte]

Alonso venceu a prova.

A corrida teve inicio no horário previsto sob sol forte. Vettel, o pole, largou tranquilamente na frente e manteve sua posição. O francês Grosjean saiu da quarta para a terceira posição e mais atrás as Ferraris também evoluíram, com Alonso passando de 11º para 8º e Massa de 13º para 10º após. Vettel se manteve em primeiro com Hamilton, Grosjean, Kobayashi, Maldonado, Raikkonen, Hulkenberg, Alonso, Paul di Resta e Massa completando os dez primeiros.[4]

Nas primeiras voltas Vettel já havia aberto uma vantagem de mais de oito segundos para Hamilton. As Ferraris disputavam com as Force India e os dois pilotos mostravam-se agressivos. Alonso atacava Hulkenberg e Massa atacava Di Resta. Quando Grosjean já havia tomado a segunda colocação de Hamilton, Button e Perez iniciaram as paradas de box na 11ª volta. Perdendo rendimento dos pneus, Massa fez o mesmo na volta seguinte. Vettel já tinha 12 segundos de vantagem sobre Grosjean quando, nas voltas 13 e 14, vários pilotos pararam, entre eles Raikkonen e Alonso, que já era o quinto colocado após conseguir ultrapassar Maldonado com a asa móvel aberta. Na passagem 17 Vettel e Grosjean pararam juntos, o que não mudou o cenário da disputa.[4]

Schumacher, Webber e Senna ocupavam as colocações de quinto a sétimo com estratégia diferenciada e atrás deles Raikkonen, Kobayashi, Maldonado, Massa e Hulkenberg protagonizavam uma das mais duras disputas da prova. Massa levou a pior após fechar a porta para Kobayashi, que tocou no muro. O brasileiro rodou e ainda foi punido com um drive through, o que atrapalhou demais sua prova, além do pit stop extra que ele teve de fazer para corrigir problemas no carro.[4]

Os carros da Ferrari começavam a perder rendimento aos poucos, porém Alonso ainda conseguiu ultrapassar Di Resta e assumir a quarta posição, bem como fizeram Raikkonen e Maldonado já que o escocês não tinha mais pneus. Foi quando na volta 29 houve a entrada do safety car e vários pilotos fizeram seus pit stops nessa hora, como Alonso, Raikkonen, Hamilton, Maldonado, Vergne, Grosjean e Hulkenberg. O carro de segurança foi causado por um toque entre Vergne e Kovalainen, onde Vergne, da Toro Rosso jogou o carro pra cima de Kovalainen, da Caterham, no meio da reta e este teve um pneu furado. Vettel parou apenas uma volta depois, entretanto mesmo assim manteve a primeira posição. Hamilton teve problemas na parada e perdeu tempo mais uma vez, quando teve chance de melhorar sua colocação na prova.[4]

Hamilton abandonou no final.

Vettel era o líder, seguido por Grosjean, Alonso, Ricciardo, Raikkonen, Hamilton, Rosberg, Schumacher, Webber e Maldonado que eram os dez primeiros. O safety car deixou a pista na 34ª volta e, mais uma vez, a primeira volta foi caótica: Alonso passou Grosjean, Massa foi tocado por Kobayashi e Vettel abandonou com problemas elétricos.[5] Com isso Alonso passou a ser o líder e não perdeu mais a primeira posição.[4]

Hamilton aproveitou o bom rendimento de seus pneus naquele momento para conseguir posições de Ricciardo e Raikkonen e subir para terceiro. Grosjean atacou Alonso enquanto seu companheiro de equipe atacava Hamilton, sendo que os dois estavam muito próximos, porém o Grosjean, que era o segundo colocado, também abandonou com problemas em seu carro. Dessa forma, Alonso pôde controlar tranquilamente seu ritmo de prova até o fim, sempre na casa dos quatro segundos de vantagem para Hamilton, que segurava o finlandês Raikkonen. Mais atrás Schumacher e Webber avançavam rumo às primeiras colocaçõos, sendo os únicos com pneus novos na pista. Faltando duas voltas para o final o Hamitlon cometeu um erro e foi ultrapassado por Raikkonen após muita disputa entre os dois, o que permitiu a Alonso aumentar ainda mais a vantagem.[4]

Na penúltima volta, na curva depois do acionamento da asa móvel, Maldonado tentou ultrapassagem por fora, porém Hamilton vendeu caro demais a posição e os dois se tocaram. Hamilton abandonou a prova enquanto Maldonado perdeu o bico e ainda conseguiu completar a prova na décima posição.[6] Enquanto isso, ninguém mais poderia ameaçar o espanhol Alonso nem o segundo colocado Raikkonen. O acidente entre Maldonado e Hamilton ainda permitiu que Schumacher conseguisse a terceira posição e subisse ao pódio pela primeira vez em sua volta à categoria.[4]

Após a vitória Alonso sequer conseguiu voltar aos boxes com sua Ferrari porque parou para comemorar em frente sua torcida como faziam os grandes campeões antigamente. Em um belo momento ele foi buscado pelo carro médico para poder participar da cerimônia de pódio, junto a Raikkonen e Schumacher.[4]

Com o abandono de Vettel e Hamilton, Alonso disparou na liderança do mundial com 111 pontos contra 89 de Webber, que hoje foi o 4º, e 88 de Hamilton. Entre os construtores a Red Bull segue na ponta com 176 contra 137 da McLaren e 126 da Lotus.[4]

Resultado da corrida.

Pós-corrida[editar | editar código-fonte]

Maldonado foi punido.

Após a corrida os comissários julgaram duas punições e uma absolvição.

Maldonado foi julgado culpado pelo toque com Hamilton na última volta, quando o inglês tinha problemas com o rendimento dos pneus, porém, mesmo assim, batalhou duramente para manter colocação. Com o toque, Hamilton foi parar no muro e abandonou a prova. O venezuelano Maldonado foi punido com a perda de 20 segundos em seu tempo final de prova, caindo para a 12ª posição.[7]

O Vergne perderá dez posições no grid de largada para a próxima etapa em Silverstone, no que foi considerada uma punição dupla dada a gravidade da infração. O piloto da Toro Rosso tocou-se com o finlandês Kovalainen em plena reta e além da punição no grid também teve de pagar 25 mil euros de multa.[7]

O alemão Schumacher foi investigado pelo uso da asa móvel sob bandeira amarela, infração que já havia punido Massa e Vettel na Espanha. As imagens de televisão confirmaram o fato, entretanto os comissários entenderam que, apesar da asa aberta, ele reduziu velocidade o suficiente para manter a segurança no local.[7]

Em Valência os comissários foram chefiados pelo finlandês Mika Salo.[7]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Classificatório[editar | editar código-fonte]

Pos Piloto Equipe Q1 Q2 Q3
1 1 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault 1:39.626 1:38.530 1:38.086
2 4 Reino Unido Lewis Hamilton McLaren-Mercedes 1:39.169 1:38.616 1:38.410
3 18 Venezuela Pastor Maldonado Williams-Renault 1:38.825 1:38.570 1:38.475
4 10 França Romain Grosjean Lotus-Renault 1:39.530 1:38.489 1:38.505
5 9 Finlândia Kimi Räikkönen Lotus-Renault 1:39.464 1:38.531 1:38.513
6 8 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 1:39.061 1:38.504 1:38.623
7 14 Japão Kamui Kobayashi Sauber-Ferrari 1:39.651 1:38.703 1:38.741
8 12 Alemanha Nico Hülkenberg Force India-Mercedes 1:39.009 1:38.689 1:38.752
9 3 Reino Unido Jenson Button McLaren-Mercedes 1:39.622 1:38.563 1:38.801
10 11 Reino Unido Paul di Resta Force India-Mercedes 1:38.858 1:38.519 1:38.992
11 5 Espanha Fernando Alonso Ferrari 1:39.409 1:38.707
12 7 Alemanha Michael Schumacher Mercedes 1:39.447 1:38.770
13 6 Brasil Felipe Massa Ferrari 1:39.388 1:38.780
14 19 Brasil Bruno Senna Williams-Renault 1:39.449 1:39.207
15 15 México Sergio Pérez Sauber-Ferrari 1:39.353 1:39.358
16 20 Finlândia Heikki Kovalainen Caterham-Renault 1:40.087 1:40.295
17 16 Austrália Daniel Ricciardo Toro Rosso-Ferrari 1:39.924 1:40.358
18 17 França Jean-Éric Vergne Toro Rosso-Ferrari 1:40.203
19 2 Austrália Mark Webber Red Bull-Renault 1:40.395
20 21 Rússia Vitaly Petrov Caterham-Renault 1:40.457
21 22 Espanha Pedro de la Rosa Hispania-Cosworth 1:42.171
22 23 Índia Narain Karthikeyan Hispania-Cosworth 1:42.527
23 25 França Charles Pic Marussia-Cosworth 1:42.675
DNQ 24 Alemanha Timo Glock Marussia-Cosworth sem tempo
107% tempo:1:19.887
Fonte:[8]

Corrida[editar | editar código-fonte]

# Piloto Equipe Voltas Tempo Grid Pontos
1 5 Espanha Fernando Alonso Ferrari 57 1:44:16.449 11 25
2 9 Finlândia Kimi Räikkönen Lotus-Renault 57 +6.421 5 18
3 7 Alemanha Michael Schumacher Mercedes 57 +12.639 12 15
4 2 Austrália Mark Webber Red Bull-Renault 57 +13.628 19 12
5 12 Alemanha Nico Hulkenberg Force India-Mercedes 57 +19.993 8 10
6 8 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 57 +21.176 6 8
7 11 Reino Unido Paul di Resta Force India-Mercedes 57 +22.866 10 6
8 3 Reino Unido Jenson Button McLaren-Mercedes 57 +24.653 9 4
9 15 México Sergio Perez Sauber-Ferrari 57 +27.777 15 2
10 19 Brasil Bruno Senna Williams-Renault 57 +35.961 14 1
11 16 Austrália Daniel Ricciardo Toro Rosso-Ferrari 57 +37.041 17
12 18 Venezuela Pastor Maldonado Williams-Renault 57 +54.6 3
13 21 Rússia Vitaly Petrov Caterham-Renault 57 +1:15.871 20
14 20 Finlândia Heikki Kovalainen Caterham-Renault 57 +1:34.654 16
15 25 França Charles Pic Marussia-Cosworth 57 +1:36.551 23
16 6 Brasil Felipe Massa Ferrari 56 +1 Volta 13
17 22 Espanha Pedro de la Rosa Hispania-Cosworth 56 +1 Volta 21
18 23 Índia Narain Karthikeyan Hispania-Cosworth 56 +1 Volta 22
19 4 Reino Unido Lewis Hamilton McLaren-Mercedes 55 Acidente 2
Ret 10 França Romain Grosjean Lotus-Renault 40 Câmbio 4
Ret 1 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull-Renault 33 Motor 1
Ret 14 Japão Kamui Kobayashi Sauber-Ferrari 33 Colisão 7
Ret 17 França Jean-Eric Vergne Toro Rosso-Ferrari 26 Colisão 18
DNS 24 Alemanha Timo Glock Marussia-Cosworth
Fonte:[9]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

Observe que somente as cinco primeiras posições estão incluídas na tabela.

Referências

  1. a b c d e Formula 1 Grand Prix of Europe 2012 (em inglês) Formula 1™ - The Official F1™ Website (23 de junho de 2012). Página visitada em 23 de junho de 2012.
  2. Calendário da F1 de 2012 confirmado Autosport (31 de agosto de 2011). Página visitada em 22 de março de 2012.
  3. a b c d e f g h i Carlos Eduardo Garcia (23 de junho de 2012). Vettel garante pole position para GP da Europa (shtml) (em português) Quatro Rodas. Página visitada em 24 de junho de 2012.
  4. a b c d e f g h i Carlos Eduardo Garcia (24 de junho de 2012). Vettel quebra e, com muita emoção, Alonso é o primeiro a vencer duas em 2012 (shtml) (em português) Quatro Rodas. Página visitada em 25 de junho de 2012.
  5. Carlos Eduardo Garcia (24 de junho de 2012). Vettel está convencido que, não fosse o abandono, teria vencido GP da Europa (shtml) (em português) Quatro Rodas. Página visitada em 25 de junho de 2012.
  6. Carlos Eduardo Garcia (24 de junho de 2012). Maldonado culpa Hamilton por acidente no final da prova (shtml) (em português) Quatro Rodas. Página visitada em 25 de junho de 2012.
  7. a b c d Carlos Eduardo Garcia (24 de junho de 2012). Punições e absolvições agitam pós corrida em Valência (shtml) (em português) Quatro Rodas. Página visitada em 25 de junho de 2012.
  8. Formula 1 Grand Prix of Europe 2012 - Qualyfing (em inglês) Formula 1™ - The Official F1™ Website (23 de junho de 2012). Página visitada em 23 de junho de 2012.
  9. Results — 2012 FORMULA 1 GRAND PRIX OF EUROPE (em inglês) Formula 1™ - The Official F1™ Website. Página visitada em 24 de junho de 2012.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Grande Prêmio da Europa de 2012 (Fórmula 1)
Precedido por
Grande Prêmio do Canadá de 2012
Mundial de Fórmula 1 da FIA
Temporada de 2012
Sucedido por
Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 2012
Precedido por
Grande Prêmio da Europa de 2011
Grande Prêmio da Europa
22ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio da Europa de 2013